dezdatarde

Ela costumava dizer que os dois morreriam juntos, ao som de cânticos monásticos, sob a luz do derradeiro pôr-do-sol de suas vidas. Mas nada disso aconteceria, pensava ele agora, nada disso acontecerá. “Ela ousou me infligir tamanha dor”, sussurrava para si mesmo, enquanto lutava contra o ódio mesquinho que lhe tentava possuir a cada um de seus pesados suspiros. Ignorando o mundo à sua volta por um instante, olhou sua mão vazia e com pesar quase lúgubre, admitiu: “ah, agora sei o que é estar sozinho”

Desconhecido. (via dezdatarde)