despencar

Ele não vai te procurar, sinto dizer isto, mas é a verdade. Mas não se culpe, criar expectativas é normal, ter medo e insegurança é aceitável. Afinal, todos tememos o novo, o incerto. Só que você se entregou… Tudo bem, não faz mal. Nunca foi crime viver intensamente e ser quem a gente é. Agora bote o seu melhor sorriso e vamos para mais um dia, leia poesia, acalma a alma. Levante-se, mas dessa vez com mais calma, porque tem muita gente perdida por aí esperando despencar e encontrar você.
—  Gean Carlos. 
E hoje eu quis desaparecer; quis sair sem rumo, por algum lugar qualquer. Juntar-me com as putas e os poetas da cidade. Sentar na mesa de um estranho e ouvi-lo desabafar. Ir à praia, olhar a chuva despencar do céu ou simplesmente deitar na grama do parque e contar as estrelas. Sair de mim mesma por alguns segundos, minutos ou horas. Tentar entender essa vida que vez ou outra nos faz pensar no propósito de tudo. Olhar dentro da alma de cada um e sentir o aroma fresco da brisa dentro deles. Contemplar a beleza dos apaixonados, e consolar a feiume dos que sofrem por amor. No final, eu só queria sair da rotina, e entender o mundo da sua forma mais singela.
—  Alícia Gither.
Há ocasiões em que a gente salta do penhasco. Como naquele desenho animado do Papa-léguas: o Coiote sai em disparada e continua correndo mesmo depois de ultrapassar a borda do penhasco; de repente pára no ar, olha para baixo e sabe que vai despencar, que não há nada que possa fazer a respeito. Mas, às vezes, talvez na maioria delas, a situação não é tão clara assim. Estamos no escuro, caminhando lentamente à beira do abismo, sem saber ao certo para onde estamos indo. Os passos são hesitantes, por causa da escuridão da noite. Não nos damos conta de como estamos próximos da borda, de que o solo pode sumir a qualquer momento, de que um mero escorregão pode nos lançar encosta abaixo.
—  Harlan Coben
Homicídio nas nuvens

Da ultima vez que esteve por aqui você deixou tudo bagunçado, você falou demais, prometeu demais, mas foi embora e me deixou sozinha na chuva.
Da ultima vez que esteve por aqui você rasgou meu coração feito guardanapo e depois colou com fita adesiva. Dessa vez pensei que fosse ficar.
Mas da ultima vez que esteve aqui você me levou até o céu, e me deixou despencar de lá sozinha e no frio.
Vamos lá, talvez eu não tenha sido tão vítima assim, não é mesmo? Talvez você só tenha cansado.
E então parece que você decidiu não voltar mais… E agora é a minha vez de vim aqui falar e prometer.
Quando você foi embora eu estava quase implorando para que não fosse, mas o orgulho não deixou. Admito que foi minha culpa ter te deixado ir, foi minha culpa você ter encontrado ela, é minha culpa você está com ela agora, é uma pena você está com ela e querer a mim… Porque é minha culpa ter sido e ainda ser eu, é minha culpa não ter te amado, e é minha culpa te amar.
Eu sinto seu olhar me procurando pelos cantos, sua boca querendo a minha, seu corpo querendo o meu o tempo todo. Mas você não está sozinho, não há um minuto sequer que eu não deseje você também. Porque quando você me olha, eu desejo ser ela só pra te ter de novo em meus braços.
Mas olha pra mim! Será que você não consegue ver? Eu te amo. E esse amor nos atrai e nos repele o tempo todo, não foi culpa minha, foi culpa dele.
E não há nada que eu não faça pra te ter aqui de volta. Eu poderia te fazer feliz, fazer seus sonhos se tornarem realidade, não há nada que eu não faria. Iria até o fim da Terra por você, pra fazer você senti o meu amor.
Fico me perguntando o tempo todo como fui deixá-lo escapar. Mas só vai ser preciso que sussurre três palavras e eu voltarei, correndo, voando.
Estou louca para te levar além do céu.

As coisas boas dessa vida vão sendo esquecidas. Como se houvessem, o incrédulo afirma. Há sim, há beleza até no desafinar da nossa caminhada. É certo que sempre perco equilíbrio nas estradas mais íngremes que percorro, mas sempre alcanço a reta novamente. Os atalhos são mais fáceis, sempre serão os mais chamativos e seguros, mas não exigem o menor esforço de mim. Optar por esses atalhos me limitam, não preciso rasgar o peito, muito menos o verbo. Nessas inclinações, em que muitas vezes fico prestes a despencar ao chão, exigem que eu saia fora do habitual. Esse é o barato da coisa, estar/ficar prestes a cair, a desmoronar, mas conseguir o equilíbrio novamente. É isso que me acrescenta. Sou chuva quando o sol esquenta demais, sol quando chove demasiadamente. Livre para escolher ser quem eu quiser apesar das limitações diárias. É arte de criar asas quando a realidade prende os pés no chão.
—  Leonardo Martins
Mãe, das coisas que você não sabe,

Hoje você realmente me machucou, como de costume, você não me notou mal, exausta, em pedaços e com os sinais claros da doença que se instala em mim novamente, depois de tanto tempo finalmente acredito que eu realmente superei a mágoa que era não lhe agradar, o peso que era não me sentir amada e o fardo que era não conseguir lhe deixar orgulhosa, agora eu vejo sua superficialidade, sua futilidade, e percebo que quem sabe foi melhor assim, sua distância me impediu de ser igual você, sua vida seca me endureceu, sua fúria me deixou mais forte, mas hoje, quando senti meu mundo particular despencar em meus ombros e partir meu espírito, eu quis ter você comigo, desejei sua atenção, como eu desejava quando era apenas uma criança, desejei seu amor, como quando eu ainda acreditava que você pudesse me amar.

Deitei na minha cama, e senti um mundo inteiro caindo em cima de mim.
Todos os meus problemas resolveram despencar sob mim essa noite.
Não só os problemas, como também as expectativas, os sonhos, os amores…
Milhares e milhares de pensamentos rodando numa velocidade absurda.
Em menos de dez minutos passei por uma vida toda, sofri, chorei, dei risadas e gritei.
É uma loucura, como se já não bastasse passar por tudo isso durante a vida, eu ainda passo por isso nos meus pensamentos.
Como se não bastasse ter um dia ruim, invento de ter uma noite pior.
E como se não bastasse isso tudo, estou sozinho nessa, pra variar.
—  aluador
Talvez eu veja o mundo de uma forma ainda mais complexa do que a que deveria. Antecedente à felicidade eu enxergo um abismo de obstáculos, aprendizagens e lições que vida insiste em nos empregar. Se estou alcançando o ponto mais alto da montanha, penso que logo virá uma avalanche. A vida não lhe permite subir de uma só vez. Primeiro ela lhe faz despencar para que você aprenda que sempre que escalar deve estar protegido, (tudo para evitar outra eventual queda). Antecedente ao amor romântico enxergo ilusões do tamanho do Rio Amazonas, já que o amor não é tão rápido quanto a ilusão. Sempre sei que antes do amanhecer terei de enfrentar a penumbra da noite. E talvez seja isso que não me permite descobrir o que há na escuridão.
—  G. Burckle. 
Tinha terminado, então. Porque a gente, alguma coisa dentro da gente, sempre sabe exatamente quando termina — ela repetiu olhando-se bem nos olhos, em frente ao espelho. Ou quando começa: certo susto na boca do estômago. Como o carrinho da montanha-russa, naquele momento lá no alto, justo antes de despencar em direção. Em direção a quê? Depois de subidas e descidas, em direção àquele insuportável ponto seco de agora.
—  Caio Fernando Abreu
Eu mordi a maçã, mas não pequei.

Ah, P. As vicissitudes da vida tendem a nos manter longe um do outro, as nossas escolhas tendem a desfazer um laço que não pode ser desfeito. Ah, P. Eu poderia bailar contigo todas as noites, se quisesse. Mas o maldito e bondoso amor ora nos faz flutuar no ar ora nos faz despencar como duas maçãs de Newton. Eu sei meu P, sei que toda essa história da maçã é lenda científica, mas os sentimentos bons que preenchem as cavidades do meu miocárdio pertencem a verdade e são originalmente seus. A fruta pode não ter caído sobre a cabeça do cientista, mas há uma força que puxa os objetos em direção ao centro da Terra. Gravidade. Todavia, descobri que existe em mim uma força tão natural quanto a essa que me liga ao ser que você expressa: o amor. Religare. Iungere. Nosso laço não terá fim, será infinito.

o despencar de um ser; abismos infinitos; terremotos insanos; infernal calor; escuros olhares; vedados; difícil enigma, não? não; difícil é manter se; seguro; salvo; resistir; a todos os pressentimentos de uma alma; que jogou se do céu; das ilhas; dos vales; das montanhas; das terras e penhascos; para sentir o amor; que a mata segundo; após; segundo;
—  Júlio Iomes
Equilíbrio

Te amar é estar na corda bamba o tempo todo. Sempre vivi de extremos, lá ou cá, quente ou frio, o morno nunca me desceu a garganta e nunca esquentou os pés. Qualquer brisa tua me desequilibra, e minha vontade é despencar.

v,

você me deixa conversando com o vento
e eu quero gritar “ei, eu te adoro, mas amor não se pede”
mesmo que meu coração palpite esperando teu retorno
eu não posso te implorar, entende?
porque eu vou estourar as grades, quebrar os vidros
meu sentimento vai ser estrondoso e te doer oceanos inteiros
eu sempre te quis pra me ajudar a sobrevoar abismos
sem despencar com esse mau jeito nas asas
mas, você sobreviveria a minha ansiedade?
ao meu jeito insano de amar com as forças que eu ainda nem tenho?
de me achar um alicerce inabalável quando tudo que eu faço no silêncio da noite é desmoronar?
você tá pronto pra esse meu amor em forma de abalo sísmico?
você tá preparado pra amparar meu coração auto destrutivo?
eu queria te mostrar que também posso ser o canto dos passarinhos no amanhecer ou o arco-íris que chega depois da tempestade

(mas pra conhecer a bonança você precisa permanecer intacto enquanto a chuva cai)

Tinha terminado, então. Porque a gente, alguma coisa dentro da gente, sempre sabe exatamente quando termina - ela repetiu olhando-se bem nos olhos, em frente ao espelho. Ou quando começa: certo susto na boca do estômago. Como o carrinho da montanha-russa, naquele momento lá no alto, justo antes de despencar em direção. Em direção a quê? Depois de subidas e descidas, em direção àquele insuportável ponto seco de agora.
—  Caio Fernando Abreu
Não sou esse menino todo certinho e cheio de qualidades. Eu tenho mil defeitos, Ana. Mil e um, talvez. Eu não sou essa luz toda, também tenho meu lado obscuro. Não sou um herói que tentar salvar o mundo, eu sou aquele palhaço mais atrapalhado que só quer fazer alguém sorrir. Eu sou o abismo, um penhasco inteiro. Não chegue tão perto assim, você pode despencar, eu não quero te machucar. Eu não sou só sorrisos, eu também choro, Ana. Não sou feito de ferro, eu também tenho sentimentos. Você só ver o meu lado bom porque eu só quero que você veja aquilo que eu permito, mas vai chegar uma hora que a minha fúria, meu estresse, minha incapacidade, minha insegurança, meu medo, minhas ignorâncias falarão mais alto. Não se assuste, Ana. Não quero te magoar. Eu sou uma granada, não puxe meu pino, eu não quero destruir você. Desfaz essa bomba, corta meus fios, não me deixe explodir. Minha salvação é você. Não desista de mim, Ana, não desista.
—  Ela desistiu e eu explodi.