despencar

eu tentei mudar de direção
mas há sentimentos que nos perseguem por vidas inteiras, alice.
vinicius quando escrevia suas poesias não sabia um terço do tempo que somos que capazes de amar ancorados num só cais.
freud nem imaginava o quanto poderíamos ser verdadeiramente complexos
o primeiro aeronauta não fazia ideia do quão alto poderíamos voar
também não sabia que poderíamos sim, despencar de abismos imaginários
e que essas quedas podem ser mais doídas, ainda que metafóricas
eu que sempre preferi voar escolho a segurança de ter os pés no chão
a paz de estar protegida pelas minhas próprias incertezas
sem alimentar o medo de até onde a gravidade pode me levar.

alguns dias me doem da cabeça aos pés, alice.
mas ainda que há outras coisas a dizer eu sempre prefiro o adeus

Tudo já aconteceu, tudo pode acontecer e com certeza, de um pouco, tudo acontecerá. Eu te amo, você me ama e se esse amor que sentimos é reciproco um pelo outro pode a terra despencar e o céu desaparecer, que nós permaneceremos vivos eternamente; na luz das estrelas, no vento, na terra, na aguá e no fogo. Transformaremos nosso amor em imensidão e jamais haverá solidão, desespero ou medo; basta deixar o mais puro amor rolar e perpetuar.

- Casal Perfeito

@deathxmask

Ele não sabia de onde ainda tirava forças para mover as pernas quando a gravidade o forçava cada vez mais o corpo pequeno e fraco para baixo, obrigando a criança teimosa a despencar no chão. Já sem conseguir avançar mais o menino apoiou-se em uma das árvores próximas ajoelhando-se contragosto quando as pernas vacilaram arranhando a mão miúda ao raspar pelo tronco áspero arrancando-lhe um gemido baixo de dor. Sua cabeça latejava e cada milímetro de seu corpo sofria uma dor rasgante. As lágrimas que caíam de seus olhos se misturavam com o pouco de sangue que escorria do canto dos lábios rachados após cuspir uma quantidade considerável no chão, chorando ainda mais alto ao notar que a grama ao redor da pequena poça morria. Não queria mais aquilo, não queria ninguém, não queria mais sentir aquela dor. Shion havia sido claro, seria difícil, tinha lhe perguntado se tinha certeza. Ingênuo, aceitou achando que não seria tão ruim. Coitado, e ainda era tão novo… Contava apenas com sete anos e já queria desistir de tudo.

“Sai daqui.” Soluçou, virando o rosto assim que percebeu a presença nova e próxima. Não queria machucar o canceriano como parecia fazer com tudo ao seu redor.

save me from the storm | stormpilot

( @dxmeron-poe )

Os tempos eram novos, a cidade mais nova ainda, o que justificava o fato de que Finn estava completamente perdido. Conseguindo passar uns dias em um apartamento furreca no centro, para que ele se deslocasse até a universidade era necessário que ele encontrasse algum tipo de transporte e fez opção pela bicicleta do proprietário do apartamento.

Fazia tanto tempo que não andava de bicicleta, o que justificava quando ele quase caia, mas se recuperava num último momento. Estava atrasado e por isso colocava mais intensidade na maneira como pedalava. Conseguiu avistar o campus ao longe e seu sorriso de alívio veio em quase orgulho, tinha conseguido chegar antes da hora.

Ou ao menos assim imaginou que aconteceria.

Quando parou em um semáforo uma chuva torrencial começou a despencar sobre si. — Puta que pa-… — As gotas escorriam pesadas pelo próprio rosto e ele ia ficando encharcado. As pedaladas se tornaram mais dificultosas, mas ele enfrentou o vento para que chegasse na entrada da faculdade. Era muito azar.

Estava ensopado e tendo grandes dificuldades de prender a bicicleta no local correto com a chuva lhe atrapalhando.

“Eu sei que talvez nós não tenhamos sido feitos pra encenar um desses romances que duram a vida inteira. Talvez a gente não seja um desses amores que trazem paz e ordem e calma e que envelhecem juntos numa casa de cerca branca com os netos correndo pelo quintal. Eu sei que talvez eu devesse pensar menos e fantasiar menos e querer menos e te esquecer mais. Eu sei que talvez o mais sensato fosse cair fora enquanto da tempo e manter minha cabeça ocupada com coisas mais certas que a gente. Eu também sei do caos que a gente é e do quanto isso pode acabar destruindo com nós dois. Eu sei que a gente pode se machucar feio tentando viver essa história e que não vai dar pra voltar no tempo depois que apertarmos o start e começarmos a despencar dessa ladeira. Eu sei que é um risco alto e que precisamos estar cientes antes de saltarmos daqui, mas eu também sei que essa pode ser a nossa última chance e que eu preciso tentar.”
-20/07

anonymous asked:

Topa ? Olha olha hein, não vai me iludir e dá pra trás depois kkkkkkk se marcar vai ter que ir, não vou despencar aí atoa u_u

Mulher, vamos conversar KAKAKA tem q me conquistar mas olha 😂

nicoleholst asked:

“If I die, you get my cat. So make sure I live through this.”

O dear lord, please, no. – Foram as primeiras palavras que se passaram pela mente de Brian; Não tinha absolutamente nada contra gatos num grande geral, mas com certeza não teria a capacidade de tomar conta de um em período integral. Seria um desastre para ambas as partes, e aquilo por si só era suficiente para fazer com que o militar se esforçasse ainda mais para ajudar Nicole a não simplesmente despencar de cima da escada. – Mas que idéia imbecil foi essa de tentar tirar as luzes de natal agora?! Não dava pelo menos pra esperar o inverno acabar? – Bufou, concluindo que todo aquele frio não ajudava em nada a tarefa de tirar as luzes das paredes. – Só acaba logo com isso e não morre. – Normalmente a ruiva era provida de idéias simplesmente geniais, mas aquela definitivamente não havia sido uma delas.

Eu sei que talvez nós não tenhamos sido feitos pra encenar um desses romances que duram a vida inteira. Talvez a gente não seja um desses amores que trazem paz e ordem e calma e que envelhecem juntos numa casa de cerca branca com os netos correndo pelo quintal. Eu sei que talvez eu devesse pensar menos e fantasiar menos e querer menos e te esquecer mais. Eu sei que talvez o mais sensato fosse cair fora enquanto da tempo e manter minha cabeça ocupada com coisas mais certas que a gente. Eu também sei do caos que a gente é e do quanto isso pode acabar destruindo com nós dois. Eu sei que a gente pode se machucar feio tentando viver essa história e que não vai dar pra voltar no tempo depois que apertarmos o start e começarmos a despencar dessa ladeira. Eu sei que é um risco alto e que precisamos estar cientes antes de saltarmos daqui, mas eu também sei que essa pode ser a nossa última chance e que eu preciso tentar.

Eu sei que pode dar tudo errado e que eu posso sair dessa relação muito mais machucada do que eu to entrando. Eu sei que depois de tantos hematomas eu devia tomar mais cuidado e olhar melhor onde é que eu to pisando. Eu sei que já conheço o terreno e por isso devia cair fora antes de ser sugada por alguma areia movediça. Eu sei que ninguém mais acredita na gente e que até eu desacreditei um pouco, mas eu também sei que se você voltou é porque nunca conseguiu ir embora. Eu sei que eu tava indo bem e que já tinha começado a faxina aqui dentro, mas você tocou a campainha e as coisas saíram um pouco do lugar e ai eu resolvi te deixar entrar. Eu sei que não é a primeira vez que a gente assiste esse filme e que o roteiro tá manjado e que se a gente não mudar algumas coisas o final vai ser o mesmo. Eu sei que talvez eu me decepcione um pouco e que você nunca consiga ter certeza da gente, mas eu sei que se a gente desistir agora, na boca do gol, vamos estar fadados a viver pra sempre num eterno impedimento.

Eu sei que é loucura me atirar com tanta força dentro de alguém que já me expulsou de todas as formas, mas mais insano ainda seria abrir mão de viver uma história como a nossa, bagunçada, atrapalhada, torta, mas que não consegue ficar longe, que não consegue se permitir acabar. Eu sei que eu não pedi pra você voltar e que também não te proibi de invadir a minha vida e que talvez você só tenha se dado conta do que fez quando já tava feito. Eu sei que você também não sabe explicar direito o que acontece entre a gente. Eu sei que assim como eu, você não consegue entender essa paixão que grita de saudade mesmo com a gente tampando o barulho. Eu sei que você também sabe que existe alguma coisa, algo que é mais forte que nós dois e que faz com que as nossas vidas se esbarrem independente de quantas voltas o mundo dê. Talvez não seja amor, mas tem alguma ligação inexplicável que implora pra que a gente se de uma chance, pra que a gente se permita cair de cabeça dentro dessa história sem ter medo de onde isso vai dar. Talvez de errado. Talvez de certo. Talvez dar errado seja dar certo. Eu não sei e não vai ter como saber se não nos permitirmos viver isso.

Eu sei que a gente já teve outros encontros e outras oportunidades em outros momentos e não deu em nada, que já tentamos outras vezes e acabamos no quase. Quase amor. Quase de verdade. Quase pra sempre. Eu sei que já jurei que ia embora e voltei pra ver se você também voltava. Eu sei que cansei de te esperar, mas também sei que nunca deixei de te ver aparecer quando a coisa estava chegando ao fim. Eu sei que você volta porque alguma coisa te puxa pra cá, é como se não pudéssemos evitar essa necessidade que existe de vivermos isso aqui, seja lá o que isso seja. Essa pode ser a nossa última chance de descobrir o que a vida quer da gente. Essa pode ser a nossa última chance de cair de boca nessa história e ver onde é que ela vai dar. Essa pode ser a nossa última chance e eu sei que você também sabe disso. Eu sei que você também pensa e se questiona e se preocupa. Eu sei. Então agarra comigo essa oportunidade, agarra essa nossa última chance e se joga comigo dessa ponte, a gente precisa e a gente merece saber onde é que ela vai parar.

Tudo já aconteceu… tudo pode acontecer e com certeza… de um pouco… tudo acontecerá. Eu te amo, você me ama e se esse amor que sentimos é reciproco um pelo outro pode a terra despencar e o céu desaparecer… que nós permaneceremos vivos eternamente… na luz das estrelas… no vento…na terra… na aguá e no fogo. Transformaremos nosso amor em imensidão e jamais haverá solidão… desespero ou medo.. basta deixar o mais puro amor rolar e perpetuar.

Não é insegurança minha, eu penso em você o dia todo.
Penso nas possibilidades de suas ações e nas possibilidades de seus pensamentos.
Penso nos seus atos mais raivosos e nos mais doces também.
Penso na chance de você estar pensando em mim.

Não é crime olhar para sua foto e desejar seu rosto entre minhas mãos.
Não é crime desejar no minímo um boa noite seu, um oi no final do dia ou uma fotografia inesperada contendo você ou o que for enviar na tela.
Não é crime dar zoom em suas fotos para mirar meus olhos apaixonados em seus lábios cor de céu, daquele céu rosinha, lindo, que eu amo tanto.
Não é crime esperar por você o dia todo para chegar à noite, com o coração apertado, e ir eu mesma até seu orgulho e despencar meu carinho assim, à distância mesmo, porque não aguentei a saudade de um dia sem uma palavra sua, um dia sem sua presença tomando o lugar da minha necessidade de cruzar minha palavra sem graça nas suas palavras soltas, de cruzar meu olhar com o seu olhar, de pelo menos uma música te enviar ou deixar transbordar até você o minímo do minímo de sentimento que eu tenho só ao ouvir o seu nome.

youtube

(via https://www.youtube.com/watch?v=r1Kd7uWrSZs)


“VENHA, QUE EU A ESPERO!!!”

Tudo começou entre brisas e furacões, 

quando soltei o meu veleiro no mar, 

com suas velas içadas ao vento e, 

ele calmamente,

 seguiu o seu acompanhar….

 

Ao invés de enfrentar ventos e correntezas, 

Ele navega, 

Como navegou o grande Vasco da Gama, com ventos de trevés, imprimindo maior velocidade ao veleiro, 

seguindo um bordo único, sem ziguezague…

 

Venha, 

aproveite e embarque comigo, 

nesse desejo que os bons ventos nos levarão aquela rota traçada, 

onde os “ventos alísios” sopram exatamente onde nos chama o prazer, 

e 

 quem sabe, 

aquele “TALVEZ” volte a acontecer, 

mudando a nossa sorte, 

e, 

as suas valiosas oportunidades “evaporadas”, 

sejam novamente “reaproveitadas”, 

em velhos prazeres, 

e, 

os nossos gritos e gemidos sejam novamente responsáveis pelo despencar mais uma vez, 

desse mundo incinerado na volúpia incandescente da nossa sociedade insana de tantos prazeres…

 

Quero-a assim, 

uma viajante sem destino, 

que me deixa em desatino, 

uma amante constante, 

que o meu nome seja assinalado na rota do seu momento de prazer, fazendo-a sempre voltar para mim…

 

Que o seu porto seguro seja sempre o nosso ninho, 

um amor livre de amarras, 

sem contrato e sem promessa, 

onde não existe pressa, 

que voa longe, 

mas, 

em ventos de “trevés”, 

sempre regressa…

 

E, 

quando saudades você sentir…

saiba que no limiar da sua loucura, 

a minha saudade estará clamando, 

mais uma vez por essa insana aventura, 

que insiste em amá-la…

 

Corpo em chamas, 

ardente de paixão, 

pelo fogo em explosão da sua lembrança…

além da linha do horizonte, 

ansiosamente, 

estarei aqui, 

sempre a esperá-la….

“VOLTE LOGO AMOR!”