descobriram

teus olhos me fitando
enquanto eu me pergunto o quão normais seriam os olhos de Capitu perto dos teus.

eu rio
e você me conta muito sobre a vida
num abraço manso
enquanto eu sei que você não vai ficar.

há alguns dias descobriram que estrelas podem nascer de explosões de buracos negros
da mesma forma que você me suga
e eu gozo poesia em teu nome
até depois do adeus.

“pass it back and forth
in a passionate kiss
from my mouth to yours.”

Historia de Bellatrix Salazar

Bellatrix Salazar, filha  da rainha Ruina Salazar e  o rei Merlim Salazar. Nascida na ilha Calda de Baleia, uma ilha pequena de pescadores, mas muito rica em perolas e peixes raros.

Sua vida como princesa era calma, passava os seu dia na biblioteca da família lendo e sonhado com o continente. Quando vez 8 anos seus pais separam-se, seu pai fugiu com uma ork e sua mãe desde então vivia com vários homens e varias festa extravagantes, e a pequena princesa ficava com sua baba Minerva Queens,  que era uma famosa bruxa fora daquela ilha, e ela começou a ensinar sobre magia.

Aos 15 anos descobriram que Minerva e ela eram bruxas, e sua própria mãe mando o vilarejo ir atrás delas e matar as duas, na fuga Minerva percebeu que não conseguiria fugir, então entregou um mapa com a localização de sua cabana escondida e seu anel, ela falou que o anel iria proteger ela.

Até os 20 anos Bellatrix ficou escondida na cabana, estudando com os livros que lá havia. Conseguiu um barco para ir ao continente, e assim começou sua aventura no mundo.

By:Sophia

Antes de mais nada, quero te dizer que sou apenas mais um corpo irrelevante nesse mundo caótico e complexo, onde as estrelas são só estrelas e ninguém nunca vê além do que os olhos podem enxergar. Posso estar errado mas acho que o essencial está se perdendo, estamos todos perdidos. Somos planetas esperando sermos descobertos, embora pareça que todos já descobriram, e apenas estão deixando de lado por não ser importante o bastante. Somos estrelas brilhando no céu, sempre mudando de forma, uma hora oculta, outrora explodindo pelos lados e sempre que possível sendo notada pela tragédia. Ninguém se importa com coisas boas; coisas simples, estão sempre procurando coisas vazias que completem os seus vazios, sem nunca perceber que vazios não completam vazios, eles apenas te esvaziam ainda mais.
—  Felipe Stanlett.

é intenso o conceito de perder alguém. e banalizado também. sempre ouvi críticas por me abalar demais com o término de um relacionamento ou o afastamento de um amigo. mas veja, a gente se acostuma com a presença das pessoas nas nossas vidas e as inclui na nossa rotina. o que quer que façamos, elas também estão lá, diretamente ou não. imagine você conviver com uma pessoa durante qualquer que seja o tempo significativo para você - porque a intensidade da conexão entre duas almas nunca dependeu do tempo que passaram juntas - e de repente ela já não está mais lá. você passou horas assistindo filmes com aquela pessoa, você reorganizou sua agenda de atividades pra incluir aquela pessoa nos seus dias, você a ajudou a passar por momentos difíceis e também foi ajudado. vocês consumiram conteúdos juntos, descobriram alguns lugares e revisitaram outros. construíram lembranças e planejaram o futuro, seja ele distante ou não. você aprendeu coisas com aquela pessoa e ensinou também. você desacelerou o ritmo da sua vida pra poder apreciar aquela pessoa do jeito que você acha que ela merece ser apreciada. você guardou um pedacinho dela com você e doou um pedacinho de si. vocês fizeram casa um no outro. como pode um ser humano perder uma parte de si mesmo e não sofrer?

REAÇÃO DO BTS caso as ARMYs desejassem a sua morte e do filho de vocês.

O resultado não me agradou tanto, mas como escrevi bastante fiquei com dó de apagar. I’m sorry!

——-

Rap Monster (Kim NamJoon): As fãs adoravam quando Jonnie postava uma nova foto com o herdeiro das covinhas, as poses eram sempre lindas e as roupas de ambos numa perfeita combinação “pai e filho”. Entretanto, naquele dia, ao acordar e ter a bela visão do pequeno menininho de quatro anos dormindo agarrado a mãe, ele decidiu ser o fotografo. A foto havia ficado linda, as pessoas que mais amava dormindo indefesas e tranquilamente, entretanto, não havia agradado a todos.

“Essa garota não passa de uma interesseira”, “Aposto que só engravidou para tirar dinheiro dele”, “Eu queria que ela morresse”. Namjoon ficaria raivoso com todos aqueles comentários e quando se desse conta já estaria escrevendo e postando um imenso texto sobre amor, respeito e pessoas sem noção.

“Talvez nem todos consigam ver o quanto eles são importantes para mim, e talvez algumas pessoas não tenham noção das coisas ridículas que falam.”

Suga (Min Yoongi): Suga estava deitado com você no sofá do estúdio acariciando sua barriga, tinham acabado de voltar do hospital onde descobriram que o bebê que esperavam era um menininho. O homem se encontrava feliz e inquieto, não era segredo que ele desejava um menino e que faria dele um mini swag.

Ligando o foda-se para tudo, Yoongi abriu o twitter e postou apenas dois emojis (um bebê e um coração azul), estes que causaram todo aquele rebuliço. “Eu realmente espero que a vadia e a criança morram no parto” - apenas esse comentário foi o suficiente para fazer Suga explodir. Ele levantaria do sofá irado, te deixando confusa, principalmente quando o mais velho começasse a digitar raivosamente no celular.

S/N: Oppa, o que aconteceu?

SG: Nada (S/N)!

Você estranharia a grosseria do homem que a alguns minutos estava tão feliz e se aproximaria, conseguindo pegar o celular e ler o comentário e a resposta que ele digitava. Você suspiraria desapontada - mas não surpresa - e tentaria acalmar a fera.

S/N: Não desça ao nível de responder isso, Yoon-oppa. - você pega o rosto do homem entre as mãos - Ignore esse comentário idiota e vamos voltar ao que fazíamos antes.

Jungkook (Jeon Jungkook): O maknae estava desembarcando na Coreia e estava ansioso para poder ver as mulheres que ele mais amava. Dois meses longe de casa nunca pareceram tão longos.

O garoto pegou o celular e discou o seu número, não podia esperar até chegar em casa para ouvir sua voz.

“Oi, meu amor. Eu acabei de chegar… Não, ainda estou no aeroporto… Eu prometo… Sim… Eu não vou demorar, prometo, já estou a caminho… Eu também estou com saudades. Diga a minha princesinha para esperar pelo papai acordada, eu quero muito abraçar vocês duas…” - em meio a chamada Jungkook pode ouvir uma das garotas que andava atrás dele dizer que desejava que morressem.

Antes que Jungkook pudesse processar suas ações já havia virado em direção a garota e afastado o celular do ouvido, pronto para defender você e a pequena Jeon. Quando deu por si a “fã” já gritava para todo o aeroporto o quanto odiava sua filha e você e Jeon era arrastado completamente exaltado pelo líder e o manager para que não voasse em cima da garota.

Jin (Kim Seokjin): Decepção. Está era a palavra que descrevia tudo o que Seokjin estava sentindo naquele momento.

Tudo começou quando o homem deu início a mais um Eat Jin, ele e Taehyung estavam conversando e respondendo perguntas enquanto esperavam a comida, quando, no meio da live, a pequena menina de três anos entrou animada na sala e dizendo: “Tio TaeTae!”.

A pequena correu para abraçar o mais velho e a pedido do pai sentou na cadeira ao lado para participar da live. Você não demorou a notar que sua filha tinha sumido e saiu as presas para buscar ela, com medo de que atrapalhasse o trabalho do pai. Entretanto, sua atitude de chamar a menina discretamente para fora da sala não foi bem vista e muitos fãs começaram a achar que você queria esconde-la.

Os ataques começaram nos próprios comentários, fãs dizendo o quanto você parecia chata e nojenta e dizendo que não merecia estar ali, muito menos com Jin. Ao ler o comentário de uma fã dizendo coisas absurdas, Jin ficou imóvel e só se deu conta da situação quando ouviu Taehyung dizer que achava melhor desligar a live.

“Acho que algumas pessoas precisam rever seus comentários antes de vir atacar minha família. (S/N) nunca agiria estupidamente com vocês, mas muitas vezes não parece reciproco.”

Jimin (Park Jimin): O grupo estava em um evento e resolveram fazer uma pausa para falar com os fãs. Desta vez Jimin não brincava como de costume, estava apenas no canto com a expressão cansada. Quando as fãs questionaram sobre seu comportamento o homem sorriu e pegou o microfone para falar.

JM: Quando se tem um bebê em casa, dormir uma noite inteira é um luxo.

RM: Nosso pequeno Jiminnie está conhecendo todos os lados de ser pai.

JM: Eu amo todos eles, mas por favor, filha, durma mais de três horas seguidas. - disse em tom de brincadeira, fazendo algumas fãs rirem, entretanto, no meio disso tudo, Jimin pode ouvir claramente uma garota entre as outras fazer um comentário desnecessário.

XX: Sua esposa é uma estúpida, como pode deixar que o oppa acorde de madrugada pra fazer criança parar de chorar? Elas nem mereciam estar vivas por isso.

Jimin, assim como os outros meninos, parou estático procurando pela autora do comentário no meio da multidão. Quando percebeu que não a encontraria apenas voltou a falar no microfone.

JM: Eu não sou apenas um ídolo agora, eu sou pai e quero ser bom nisso. Eu jamais deixaria minha (S/N) cuidar sozinha de nossa princesa sendo que ela também é responsabilidade minha. Pare de desejar mal a quem amo e guarde seus comentários desnecessários para você, por favor.

V (Kim Taehyung): Naquela tarde, Taehyung resolveu levar o casal de gêmeos para passear, ele amava passar um tempo com os filhos, porém, tantos compromissos o tirava muitos momentos.

Ele se encontrava no banco de um shopping, esperando você retornar com os quatro ingressos do cinema para que pudessem assistir a mais recente animação lançada. As crianças brincavam com o pai que as fazia rir e as abraçava constantemente.

Não demorou muito para você retornar e no mesmo instante algumas fãs se aproximavam, as crianças correram para te abraçar e você se afastou um pouco com elas, para que as garotas pudessem falar com seu marido.

As garotas falavam animada e tiraram algumas fotos, mas, em um momento aleatório, uma das garotas insinuou o quanto você e seus filhos eram desnecessários e um fardo para Tae, algo que o fez fechar a cara no mesmo instante. Ela não precisava falar mais nada para que o homem entendesse onde ela queria chegar.

“Você não escuta o que fala? Como pode se dizer minha fã se ataca dessa forma as pessoas que amo?” - você o encararia, sem saber o que estava acontecendo e porque ele estava falando naquele tom alto - “Eu vim me divertir com minha família e não ouvir essas coisas ridículas! Se me der licença eu tenho algo mais importante para fazer.”

J-Hope (Jung Hoseok): Era mais um fansing e Hoseok estava animado por poder falar com as fãs, muitas perguntavam se ele estava bem aquele dia, ou se ele pretendia levar seu filho em algum show futuro, mas como sempre, os momentos bons são quebrados por coisas inoportunas.

Enquanto autografava o álbum de uma das fãs ouvia ela falar consigo, a garota dizia que ele era seu bias e isso não era nada de mais, mas em um momento inesperado, ela disse: “Fiquei muito triste quando começou a namorar, achei que passaria mas logo depois aquela interesseira engravidou. Eles deviam morrer para você poder ficar comigo, oppa”.

Hoseok largou a caneta na mesa no mesmo instante e encarou a garota a sua frente, exaltado com o comentário começou a repreende-la, sem notar que falava alto ao ponto de fazer com que todos prestassem atenção. Ele só pensava em defender e proteger vocês e logo depois que terminasse de falar levantaria e sairia do palco e só retornaria depois de longos minutos de conversa com Yoongi e Namjoon e claro, com a “fã” fora do fansing.

“Como você pode me falar uma coisa dessas? Desejar a morte para meu filho, uma criança de colo e minha noiva não é algo que uma fã de verdade faria! Nunca mais fale das minhas esperanças dessa forma.”

O dia que eu fiquei sem internet

Onde eu moro constantemente – pelo menos uma vez por mês – acontece algum roubo dos cabos de telefone por conta do revestimento de cobre que eles possuem, e que se transformam em dinheiro na mão de alguém. Na minha família aguardamos “ansiosos” pelo dia em que ficaremos sem internet e telefone, pois sempre surge algum imprevisto ou história engraçada.

Acumulamos ao longo desse tempo algumas perdas de convite de casamento ou churrasco na laje, abertura de vaga, entrevista de emprego, lançamento de notas – até porque hoje em dia a lan house está em extinção, eu juro! Já passamos uma tarde inteira procurando uma disponível -, enfim, além de histórias envolvendo sofrimento e dor, também deixamos para fazer tudo àquilo que não fazemos quando estamos conectados: conversamos. Mentira. Nós fazemos faxina atrás dos móveis, ressuscitamos um velho álbum de fotografia, ligamos o rádio, escrevemos em caderninhos. E as horas não passam. Deus. A internet parece um portal maligno cuja função é sugar nossas horas.

Em um desses dias sem internet minha mãe resolveu abrir a varanda de casa – outra coisa que esquecemos que temos por conta da, você sabe -, e saiu aos gritos pelos quartos porque junto com essa descoberta ela também teve a adorável surpresa de que as pombas tinham dominado a área. Desculpe o palavrão, mas estava tudo “cagado”, era assim que ela reclamava enquanto lavava o pé.

Depois de realizarmos aquela limpeza desinfetante – desculpa pombas, mas vocês não são os seres mais limpinhos do universo -, resolvemos nos debruçar na varanda e notamos que outros três vizinhos faziam o mesmo, ei que surge o diálogo:

Vizinho 1: - Vocês também estão sem internet?

Vizinho 2: - Estou, mulher! Todo mês é essa palhaçada! E a minha conta continua alta que é uma beleza.

Vizinho 3: - Isso é culpa do – partido que você sabe qual -.

Vizinho 1: - Eu já não sei mais o que fazer, já usei o meu 4G todo e eu nem tinha terminado de ver o vídeo com os pandas.

Vizinho 2: - Mulher, aqui em casa eles deram para conversar, você acha? Nem sabia mais como fazia isso – aos risos.

Vizinho 3: - Isso é culpa da – você sabe quem -.

O diálogo se estendeu até tarde. Eram três pessoas escoradas em suas varandas – uma metáfora pobre sobre a grande bolha individual que vivemos – discutindo sobre aquilo que as deixam cada vez mais ausentes. Descobriram gostos em comum – e desgostos também (vulgo vizinho 3). Se apelidaram de nomes engraçados, prometeram dividir os utensílios domésticos, marcaram encontro. Mas nada disso aconteceu porque você sabe, o wifi voltou!

Pensamento Feminista

Numa sociedade que lucra com a nossa insegurança, gostar de si mesma é um ato de rebeldia.

Lugar de mulher é onde ela quiser. 

Existem mulheres fortes. E existem mulheres que ainda não descobriram sua força

Por um mundo onde sejamos socialmente iguais, humanamente diferentes e totalmente livres.

Seja a mulher da sua vida. 

Machista calado é um poeta.

Não sou livre enquanto outra mulher for prisioneira, mesmo que as correntes dela sejam diferentes das minhas. 

Mesmo soFrida, jamais me Kahlo

Não quero as suas cantadas, quero o seu respeito. 

Eu não vim da sua costela, você que veio do meu útero

Eu não me dou o respeito porque ele já é meu por direito. 

Moça, o feminismo não veio para impor o que você deve fazer. Ele veio trazer, sem julgamentos e com muito empoderamento, o seu direito de escolher como quer viver.

Eu, dona de mim, se fiz é porque tava afim

Que nada nos limite. Que nada nos defina. Que nada nos sujeite. Que a liberdade seja a nossa própria substância.

Famous Couple II - Harry Styles

Parte 1



Harry Styles P.O.V


“Meu Deus, como isso é estranho.” S/n comentou rindo enquanto bebericava o pouco que restava de seu vinho. “Eu não acredito que estou em um encontro com Harry Styles.”


“E eu não acredito que estou em um encontro com s/n/c. Sabe quantos garotos queriam estar meu meu lugar?” Perguntei sorrindo.


“Até parece, Harry.” Disse revirando os olhos.


“Você acha que não percebi os olhos daquele Zac Efron em cima de você durante aquela premiação? Ele estava quase te comendo com os olhos.” Eu disse indignado enquanto chamava algum garçom para pagar a conta.


“Ciumes, Styles?” Perguntou puxando a carteira de sua bolsa.


“Talvez. E espero que você guarde sua carteira agora mesmo, senhorita s/s.” Falei. “Eu lhe convidei, então nem adianta insistir.” Completei antes que s/n falasse algo.


Depois de alguns minutos de insistência, consegui convencê-la a me deixa pagar a conta do restaurante. Mas agora, o verdadeiro problema estava em como sairíamos de lá, já que a saída do local estava tomada por fotógrafos.


Dei meu casaco para s/n e segurei sua mão para que saíssemos do restaurante enquanto vários seguranças do local nos guiava até o carro.


“Harry, você e s/n/c estão mesmo namorando?”

“S/n, é verdade que vocês descobriram recentemente que terão um filho juntos?”

“Harry, Kendall Jenner é mesmo só passado?”


Assim que entramos no carro e os barulhos ficaram abafados e pudemos finalmente respirar aliviados.


“Quando pretendia me contar que esta esperando um filho meu?” Perguntei segurando o riso enquanto tentava sair do ‘mar’ de paparazzo que tiravam várias fotos por segundo.


Assim que ouviu minha pergunta, s/n gargalhou.


“Me desculpe, Harry. Eu estava esperando um pedido de casamento para que eu pudesse te contar.” Disse brincando.


O caminho até a casa de s/n foi curto devido a não pararmos de conversar em nenhum instante. Ela falava animadamente sobre o quanto havia gostado do jantar, e eu não poderia estar mais feliz por isso.


Assim que entramos em seu condomínio (longe do alcance de paparazzo) seguimos para sua casa enquanto conversávamos sobre a próxima premiação em que nos encontraríamos para que pudéssemos apresentar nossa música juntos.


“Eu espero que dessa vez não tenha nenhum galã de cinema dando em cima de você.” Falei sorrindo de lado enquanto parava o carro em frente sua casa.


“Acho que você precisa controlar esse seu ciumes, Styles.” Disse


“Eu não consigo controlar nenhum sentimento que venha ser sobre você, s/n.” Falei em um ato de coragem. “Eu estou apaixonado por você desde que você foi timidamente me pedir um autógrafo quando estava em sua primeira premiação. E eu queria lhe chamar para sair desde que você me disse que gostava de gatos.” Ri fraco. “E eu quero te pedir em namoro desde que falávamos que éramos ‘apenas amigos’ para a mídia, porque, na verdade eu nunca quis ser apenas seu amigo.”


S/n me olhava meio perdida, parecendo estar ainda processando as informações.


“Olha, eu vou entender se você não sentir o mesmo…” Antes que eu pudesse completar meu discurso de 'acabei de levar um fora da garota que estou apaixonado’, senti lábios quentes sendo pressionados aos meus. Correspondi rapidamente ao beijo enquanto sentia s/n bagunçando meus cabelos.


Assim que o ar se fez necessário, s/n partiu o beijo com alguns selinhos.


“And we can deny it as much as we want
But in time our feelings will show”
(Tente negar o quanto você quiser
Mas com o tempo nossos sentimentos vão se mostrar)
.” Cantou uma parte de nossa música juntos, logo depois me beijando novamente.


XxXGabi

One Shot Liam Payne 

  • Pedido -  Faz um com o Liam,que os dois são polícias, são casados,mais vivem brigando,então ele acaba se machucando em uma perseguição,ela enche o saco dele,mais no final fica tudo bem,final hot.💕 Obrigada ❤


Liam e (seu nome) estavam em total silêncio dentro da viatura depois de terem resolvido uma ocorrência de agressão doméstica. Devidamente fardados, eles agora rodavam as ruas em busca de algo que não tenha sido passado pelo rádio.

Parceiros no trabalho e na vida, os dois se conheceram exercendo a profissão de policial e descobriram algumas coisas em comum que os fizeram querer tentar levar a relação que tinham, para algo mais amoroso e então se casaram alguns anos depois. O motivo do silêncio no momento, é porque Liam acha que (seu nome) levou o último caso para o pessoal ao invés de ter lidado com a situação com profissionalidade.

— Você vai ficar com essa cara só porque eu falei a verdade? — Liam olhou para a esposa rapidamente, voltando logo o olhar para a estrada.

— É a única que eu tenho!

— Não seja infantil, você sabe o que eu quero dizer.

— Apenas me deixe, Liam. Você só está defendendo ele por ser homem como você. — de braços cruzados (seu nome) estava olhando para o lado de fora da janela.

— Olha o que você está dizendo… Você está insinuando que eu estou apoiando a agressão contra aquela mulher? — Liam apertou o volante com seus dedos — Eu nunca nem levantei a mão para você, não que você não mereça umas palmadas.

(Seu nome) riu, riu com vontade fazendo Liam ficar confuso, ela sabe que ele está brincando, caso contrário ela não hesitaria em bater a cabeça dele contra o volante.

— Espero que você saiba que no dia que levantar a mão na minha direção, você vai ficar sem ela. — (seu nome) de forma séria — Agressão contra mulher é algo sério, Liam, não ache que você conseguirá muita coisa se ao menos tentar me bater. Eu te amo, mas não pensaria duas vezes em te dar um tiro no meio da testa.

— Eu sei o quanto você pode ser doida, mas o caso é: eu nunca tentei te bater e nunca vou tentar, nós temos muitas brigas e você sabe, isso nunca me passou pela minha cabeça. — Liam se explica parando no sinal vermelho e se vira para a esposa — Você só está assim porque eu não deixei que você batesse naquele homem, ele poderia machucar você e esse não é o nosso trabalho. A mulher nem ao menos quis fazer um boletim de ocorrência, ela disse que ele não fez nada contra ela e que os vizinhos que nos chamaram são uns mentirosos. Não há muito que podemos fazer.

— Ela estava com a porra de um hematoma no rosto, Liam, ele no mínimo merecia uma surra. Se você não estava disposto a dar, eu completaria o serviço.

— Volto a dizer que esse não é o nosso trabalho, nós prendemos e não julgamos e condenamos. Não cabe a nós dar a punição.

— Claro… Você é um banana.

Liam revirou os olhos voltando a direção do carro vendo o sinal já verde e então voltou a seguir tranquilamente pelas ruas. O assunto sobre o último acontecimento já passou e ele sabe que não voltarão a discutir sobre isso até chegar em casa e também não voltarão ao clima normal até se resolverem.

Tirado completamente sua distração, Liam freia o carro com rapidez ao ver um homem com capuz pular sobre o capô do carro correndo com uma mochila e uma arma na mão. Algumas pessoas de uma lojinha de conveniência gritam em coro algo como “ladrão, ladrão, peguem ele” e sem ter que pensar, Liam pisa no acelerador perseguindo o cara que já está um pouco mais na frente correndo rápido. Poucos minutos depois a perseguição dá em um beco e Liam não hesita em entrar nele com a viatura, mas então percebe que quanto mais entra com o carro, mais o beco fica estreito.

— Fique aqui, eu já volto.

Liam abre o que pode da porta, saindo do carro já com sua arma em mãos e se coloca a correr atrás do homem sem se importar com os gritos de (seu nome) para que ele não entre naquele local sozinho. Não demora muito para que (seu nome) veja Liam voltar segurando o braço com a mão banhada de sangue, ela desce do carro e corre em sua direção.

— Você enlouqueceu, porra? Como você entra assim em uma área que você não conhece? Poderiam ter mais bandidos esperando por ele. Olha o que aconteceu!

— Calma… Foi só de raspão, não está nem doendo.

— Não está doendo? — (seu nome) bate sobre a mão de Liam o ouvindo praguejar — Você é um imbecil. Entra no carro!

Liam faz o que a mulher mandou, dessa vez entrando na parte do carona e (seu nome) entra onde Liam ocupava antes, se virando para olhar o marido, ela viu que deveria amarrar o ferimento para parar o sangramento. Tirando a farda, (seu nome) tirou a blusa branca que usava por baixo, ficando apenas de sutiã atraindo a atenção de Liam.

— Eu acho que devo me machucar mais vezes. — ele sorriu de lado e recebeu um soco no braço.

— Repete isso que eu te dou um tiro no pé. — ela fala amarrando forte a sua blusa no braço de Liam, a vendo ganhar uma coloração avermelhada.

— Agora, vem cá! — Liam ri puxando a mulher para o seu colo, sem se importar com seu braço — Eu sabia que você ia cuidar de mim e te ver assim está me deixando com vontade… — ele sorriu passando seu nariz entre os seios da mulher cobertos pelo sutiã.

— Para com isso… Esse não é o lugar e nem o momento. — (seu nome) fala não convencendo muito enquanto leva suas mãos aos cabelos do marido puxando alguns fios de leve.

— Só uma rapidinha… — Liam beija o ombro de (seu nome) segurando uma de suas mãos a levando até o seu membro, onde ela aperta o fazendo gemer.

— Só uma rapidinha… — ela repete o que ele falou e busca os lábios dele com os seus, iniciando um beijo rápido e cheio de desejo enquanto rebolava em seu colo o fazendo gemer entre o beijo.

Sem demora, (seu nome) abre a calça de Liam a descendo junto com a cueca até os joelhos e agarra o membro semi ereto movimentando sua mão vagarosamente o fazendo morder os lábios. Livrando-se de sua própria calça e calcinha, (seu nome) posiciona o membro agora completamente duro do marido em sua entrada sentando sem cerimônia, começando a subir e descer sobre ele rapidamente. Os gemidos baixos preenchem o silêncio carro sendo silenciados apenas por alguns beijos fervorosos e assim continua até que eles gozam, Liam segundos após (seu nome).

— Temos que ir agora. — (seu nome) fala já deslizando-se para dentro de sua calça novamente sentada no banco de trás — Temos que falar que você se machucou.

— Foi só uma besteira, não precisamos dizer nada. — Liam já tinha subido sua calça e agora esperava a mulher se ajeitar para poderem sair dali.

— Sim, mas foi em serviço. Você conhece as regras. — Liam revirou os olhos vendo a mulher pular para o banco da frente e dar partida para fora daquele beco.

— Eu definitivamente vou me machucar assim mais vezes. — Liam murmura com um sorriso satisfeito no rosto.




Me desculpem por esse não hot… Mas espero que tenham gostado.

- Tay

Pedido: Faz um do Niall q eles têm uma noite quente e no outro dia eles ficam cheio de marcas - Anônimo

Obrigada por ter feito o pedido.❤

***

Imagine Niall Horan:

Viajar é uma das coisas que mais amo na vida. Depois de meus pais e depois de Niall é claro. Mas melhor ainda do que viajar, é viajar com seu namorado lindo, maravilhoso e gostoso mais conhecido como Niall Horan. A parte chata mesmo é ter que arrumar as malas, principalmente quando se tem um loiro preguiçoso e resmungão.

-Amooor…
Niall agarrou minha cintura com seus braços e afundou seu rosto em meu pescoço.

-Se for para eu arrumar sua mala também pode ir tirando o cavalinho da chuva, não estou dando conta nem da minha! E o senhor anda muito folgado para o meu gosto.
Falei e Niall deixou alguns beijinhos antes de revirar os olhos e apertar minha cintura mais contra seu corpo.

-Não é isso, você sabe o que eu quero…
Mordeu meu pescoço puxando a pele entre seus dentes por alguns segundos antes de soltar chupando o local, provavelmente deixando uma marca horrível.

-Você sabe muito bem que vamos para Dubai amanhã e consequentemente vamos ir para praia e na praia eu vou usar biquíni, o que deixa tudo isso que você está fazendo amostra e eu não vou inventar uma história de que vampiros me atacaram.
Falei sarcasticamente e Niall sorriu sem cessar os beijos.

-Gosto quando vêem as suas marcas, mostram que você tem alguém que te faz gritar e revirar os olhos em êxtase, todas as noites.
Sussurrou perto da minha orelha de um jeito sexy, quase me fazendo cair na sua lábia.

-Mas…amanhã vamos viajar, precisaremos estar bem descansados e dispostos, até porque não vamos sozinhos e eu não quero me atrasar para pegar nosso vôo. Então pode ir se afastando e parando com esses beijos que hoje não vai rolar nada.
Falei me afastando de Niall que me olhou como um cãozinho sem dono.

Continuei arrumando minha mala, peguei todas as roupas que havia separado e comecei a enrolar formando pequenos rolinhos de forma que não iria ocupar muito espaço na mala e coloquei tudo bem ajeitado dentro da mesma, tudo sobre o olhar de Niall.
Peguei uma das minhas necessaire e caminhei até o banheiro para pegar sabonete, shampoo, escova de dentes, creme dental, fio dental, pente e algumas outras coisas que precisaria. Voltei para o quarto e arrumei tudo dentro da necessaire antes de a colocar na mala, ainda com os olhos azuis me observando.

-Niall querido, pode começar a se mexer? Não quero ter que te puxar pelas orelhas até o aeroporto amanhã.
Falei com um falso sorriso enquanto fechava minha mala e a colocava no chão.

Niall abriu um sorriso malicioso, o sorriso que eu temia todas as vezes que tínhamos algo importante e Niall me dispersava facilmente apenas com seus olhos cheios de luxúria e seu sorriso safado que me derretia.

-Não Niall, por favor!
Tentei o afastar e não olhar em seu rosto. Niall me puxou pela cintura e colou nossos corpos, fazendo nossos corações baterem como um só e eu conseguir sentir sua respiração quente batendo contra meus lábios e seus lábios roçando nos meus.

-Porra Niall, por quê faz isso comigo?
Perguntei já perdida naquelas Safiras maravilhosas, Niall deve ser algum tipo de Deus Grego.

-Eu só quero te fazer se sentir bem, sem nenhum estresse e sem ansiedade.
Cochichou beijando desde minha orelha até as marcas que ele havia feito no meu pescoço.

Niall desceu descaradamente suas mãos até minha bunda, apertando o local e me impulsionando para cima me fazendo soltar um baixo gemido pelo atrito. Logo, Niall fez questão de beijar minha boca, não deixando de lado o desespero e calor que corria por seu sangue naquele momento. Tão rápido como tudo começou, nossas roupas já estavam espalhadas pelo quarto. Niall beijava e acariciava desde meus seios até minha coxas nunca esquecendo de sussurrar o quanto me ama. Ele tinha a habilidade de me levar ao paraíso, mesmo com algo tão sujo quanto sexo, que ele fazia parecer ser a coisa mais pura e mais certa.

-Eu vou me arrepender muito disso…
Gemi e Niall sorriu convencido.

Estamos uma bagunça, estamos deitados por cima das roupas que eu havia separado na cama e que agora estão todas bagunçadas, nossos corpos estão suando e nossas respirações descontroladas, isso porque nem começamos.

-Vou ser rápido, prometo.
Niall sussurrou beijando meus lábios e voltando para o meio de minhas pernas, onde beijou a parte interna da minha coxa. Niall se levantou e pegou uma camisinha em seu bolso, revestindo seu membro e voltando para mim me olhando pedindo permissão, sorri para o mesmo e ele logo me penetrou, estocando pela primeira vez. Duas estocadas e eu agarrei os lençóis enquanto Niall beijava meus lábios não permitindo que um som saísse.

-Eu quero te ouvir amor.
Niall sussurrou afastando seus lábios dos meus. Senti uma estocada mais forte e profunda fazendo um alto gemido escapar de minha boca.

Niall aumentou a velocidade e eu fechei os olhos só focando em todas as sensações. Podia ouvir Niall quase urrando em minha orelha e isso era como música para mim, tudo me deixando nas nuvens. Suas estocadas foram aumentando até que ele conseguiu alcançar meu ponto de prazer, estocando ali várias vezes me fazendo delirar e sentir uma formigação em meu baixo ventre.

-Venha para mim, baby.
Escutei a voz dele e me desmanche, gemendo manhosamente seu nome.

Niall deu uma última estocada, logo chegando ao seu limite e saindo de dentro de mim.

-Está tudo tão…

-Shhhh! Vamos dormir.
Niall me cortou e me confortou em seus braços.

| Dia Seguinte |

-S/n…amor…princesa…meu bem…querida…
Senti uma voz calma e uma mão quente em meu braço. Abri os olhos e me deparei com o falso Deus grego a minha frente.

-O que foi?
Cocei os olhos e ele suspirou sorrindo.

-Hora de acordar, está cansada?
Perguntou ajeitando alguns fios rebeldes de meu cabelo.

-Muito.
Resmunguei e Niall sorriu malicioso.

-Sério? Nem peguei tão pesado.
Sussurrou e eu revirei os olhos.

-Preciso levantar agora?
Perguntei fazendo biquinho e Niall me beijou.

-Sim, daqui a pouco estão no aeroporto nos esperando.
Respondeu e eu bufei.

Levantei da cama preguiçosamente e me encaminhei para o banheiro, fiz tudo o que precisava e logo voltei para o quarto literalmente me rastejando.

-Dormimos em cima da roupa que eu iria guardar de volta.
Comentei e Niall observou a cama completamente bagunçada.

-Deve estar com cheiro de sexo.
Falou e eu ri de sua idiotice.

Fui até o closet e separei a roupa que iria vestir, voltando ao banheiro para tomar um banho e tirar o “cheiro de sexo”. Me troquei, me maquiei e tomei café, estando assim, pronta para ir.

(…)

-Vocês vão adorar o hotel, Sara já está lá e disse que é um dos melhores hotéis de Dubai.
Dylan contava animado e eu apenas sorria pela felicidade e ansiedade de meu amigo.

-Estou ansioso para a praia.
Niall falou animado e colocou seu braço em volta de meus ombros.

Depois de chegar no hotel e explorar nosso quarto, resolvemos ir para a piscina do hotel, pois tinha muitas fãs na porta para conseguirmos sair. Comecei a me despir e Niall não tirou seus olhos de mim, com um sorrisinho sacana nos lábios. Ignorei seu jeito estranho e me aproximei de Sara e Jéssica.

-S/n…
Jéssica me encarou e notei que Sara prendia o riso.

-Sim?
As olhei confusa. Niall se aproximou e Sara explodiu em risadas, enquanto Jéssica me olhava espantada.

-Foi por isso que se atrasaram?
Jéssica perguntou ainda chocada com algo. Franzi o cenho e logo segui seu dedo que apontava para meu pescoço e seios. E, oh meu Deus! Está cheio de marcas de chupões e mordidas, Niall fez um belo estrago noite passada.

-Eu não…não me olhei no espelho.
Me justifique corando. Niall ainda sorria da mesma forma, até que notei que ele havia tirado sua camiseta e em seu abdômen está com algumas marcas de arranhões que eu nem sequer me lembrava de ter feito, provavelmente quando estava “nas nuvens”.

-O que?
Niall reparou que todas o olhavam e se olhou vendo minhas marcas ali.

-Oh, isso. Bem…tenho uma namorada muito selvagem, sabe?
Niall falou e eu revirei os olhos.

-Ok, já nos descobriram. Agora vamos curtir a piscina.
Falei tentando mudar de assunto e todos concordaram.

***

Espero que tenha gostado.😘

Se possível, vá na ask e diga o que achou, é importante e isso me incentiva a continuar.❤😊

Famous Couple - Harry Styles

Pedido: Harry e s/n fazem a propaganda de algum produto (vc escolhe) e todos ficam dizendo que eles são um casal!


OBS: Perdão, more, mas mudei um pouco seu pedido. Ao invés da propaganda, coloquei os personagens fazendo uma colaboração musical. Me desculpe se não estiver do seu agrado, e pode me falar o que achou.



(S/N) P.O.V


Gargalhei de mais uma das milhares piadas de Harry enquanto tomava um pouco de água da garrafinha que era oferecida no camarim.


Já éramos amigos há um tempo, devido a sempre nos encontrarmos em premiações, eventos beneficentes ou qualquer outro tipo de coisa que envolva vários famosos em um só lugar.


Estávamos agora, no camarim do local onde seria gravado o nosso dueto. Depois de várias cobranças da parte de nossos fãs, decidimos arriscar.


“Venha cá, vamos tirar uma foto.” Eu disse já pegando o celular que estava em cima da mesinha de centro, enquanto puxava Harry para mais perto de mim.


Enquadrei nossos rostos na tela do celular e ambos sorrimos para a foto.


“Esse é o casal mais bonito que já vi.” Harry disse brincando enquanto apontava o dedo para a foto.


Era fato que já havia alguns boatos de relacionamento amoroso entre mim e Harry. E era fato também que eu já tive uma quedinha por ele (e quem não teria).


Ri de sua brincadeira enquanto postava a foto no Instagram, com a legenda apenas com a frase “ The truth is everyone knows” que era um trecho de nossa música juntos.


“Acha que nossos fãs vão gostar da surpresa?” Perguntei colocando o celular de lado.


“Tenho que certeza que sim. Eles nos cobram esse dueto desde que descobriram que somos amigos.” Disse e eu apenas concordei.


O clipe e a música eram uma surpresa para nossos fãs. Tentamos fazer tudo no máximo de sigilo possível, porém, alguns encontros com Harry para escrevermos a música foram inevitáveis (o que gerou mais boatos de um ‘relacionamento’).


“Olha só, já somos Trending Topic antes mesmo de lançarmos a música.” Harry disse sorrindo enquanto me oferecia seu celular.


Olhei para a tela e percebi que nossos nomes eram os primeiros entre os assuntos mais falados e logo abaixo, havia a tag #HarryandS/nbestcouple que me fez franzir a testa enquanto devolvia o celular para Harry.


“Isso é hilariante.” Comentei rindo fraco. “Mais uma vez vamos ser um casal, tudo bem pra você?” Perguntei brincando enquanto lhe entregava o celular.


“Tudo ótimo para mim, senhorita (S/S), não é como se eu não quisesse uma chance.” Disse piscando.


Antes que eu pudesse responder, minha assessora apareceu na porta (o que me fez xingá-la mentalmente milhões de vezes).


“Desculpe atrapalhar o casalzinho que tanto apóio, mas precisamos ir (s/n).” Ela disse fazendo expressão de tristeza para nós.


“Tudo bem. Até mais Harry, amei trabalhar com você.” Falei enquanto lhe abraçava.


“Não haja como se isso fosse uma despedida, nos encontraremos em breve.”


Sai do camarim já preparada para os possíveis paparazzi que estariam que estariam do lado de fora do local.


1 semana depois


Coloquei minha xícara de chá na mesinha ao lado da cama enquanto ligava meu notebook.


Meu clipe com Harry havia sido lançado há poucas horas, mas como eu estava em um ensaio fotográfico, ainda não tinha tido a oportunidade de ver a reação dos fãs.


Abri meu Twitter observado as milhares de notificações e mais uma vez, meu nome com Harry no Trending Topic. Cliquei na tag e fui lendo alguns dos comentários.


@______: Já estou viciada na música, e também já estou apaixonada por esse casal. SE CASEM.

@______: @SeuTwitter @Harry_Styles, SUPER SHIPPO, me adotem, por favor.

@______: Eu não esperava por isso. Sem dúvidas foi uma surpresa incrível. Estou apaixonada por esses dois.


Esse foi alguns dos comentários que recebi até ser interrompida por uma mention de Harry no twitter.


@Harry_Styles: Sei que muitos aqui apoiam, mas não está fácil para mim. Alguém pode pedir para @SeuTwitter me dar uma chance?


Ri alto de se tweet mas apenas curti. Uma resposta para aquilo com certeza geraria mais boatos de um ‘possível casal’.


Abri outra aba em meu notebook e procurei por nossos nomes, encontrando rapidamente várias matérias em sites de fofocas e páginas de fãs com nosso ‘shipper’.


Abri no site da E! e comecei a ler uma rápida matéria que haviam feito sobre mim e Harry.


MATÉRIA:

Estamos a-pai-xo-na-dos por Harry Styles e (s/s). O motivo? Não é de hoje que rolam boatos por aí sobre eles estarem de 'rolinho’, não é mesmo? Porém, o coração dos fãs e shippers do casal bateu mais forte quando, no último sábado (28) a cantora postou uma foto em seu IG sorrindo abertamente ao lado do boy e 1 semana depois foi lançado o clipe dos dois juntinhos!
No vídeo, eles cantam sobre o quanto é bom estar apaixonado e trocam olhares o tempo to-do.
Seria o nosso mais novo casal? Nós esperamos que sim e já queremos o anúncio oficial!


Li a matéria achando graça da reação das pessoas. Certamente, esperávamos que eles ficassem surpresos, mas não que fossem ficar tão empolgados com o fato de aparecermos juntos.


Ouvi o barulho de mensagem de texto em meu celular e o peguei, logo lendo a mensagem, que era de Harry.


“Acho melhor você parar de olhar apaixonadamente para mim. Vai acabar me iludindo assim.
Harry.”


Gargalhei assim que li a mensagem, logo lhe respondendo.


“Acho melhor você dar logo o anúncio oficial. Já estão começando a achar que sou encalhada.”


“Vamos anunciar assim que sairmos amanhã.” Respondeu .


“Isso seria um encontro?” Perguntei


“Você quer que seja?”


Mordi os lábios, enquanto lia e relia a mensagem. De fato, não havia como não ter uma queda por Harry. Ele era lindo, educado, cavalheiro e outras milhões de qualidades que eu poderia ficar falando até me cansar.


“Venha me buscar às 08:00 PM” Respondi bloqueando o celular logo em seguida.


Acho que tenho um encontro com Harry Styles.



xXxGabi

E aê? Tudo bom? Eu só queria te dizer que eu acredito que o flerte é a forma que o amor encontra pra mostrar que, apesar de ser velho como a morte, permanece novo como uma criança e eterno como o tempo. 
Encontrar com quem se gosta transforma seu olhar num pedaço de céu de ano novo e seu coração em pista de dança. Nossos beijos fazem com que amores de cinema sejam superficiais demais pra compreender a profundidade em que a gente se conhece. Pintamos o céu nas cores de uma nebulosa, fazemos a lua sentir inveja de não ter alguém e a vizinha do seu apartamento saber nosso nome. Somos a chance de um bom dia a dois. Você é o meu déficit de atenção com cheiro de morango e Champagne. Cada fim do dia é como se o mundo acabasse pra começar de novo. Assistimos o fim do mundo toda noite, de camarote, com os pés na janela e as pernas entrelaçadas, vendo estrelas cochichando todos os segredos do mundo entre elas. Com o tempo, entendi que você é tudo aquilo que eu não sei explicar… Somos um casal de metrô, não temos medo, nem vergonha, temos desejo - já percebeu que desejo cega? Sou cego de paixão por você. Defina quanto pesa um suspiro e eu te defino do que é feita a paixão. Suas palavras e o meu silêncio tem um caso de amor, cada vez que ficam juntos transam num som de diálogo e os filhos dessa relação nascem nas noites em claro em que passamos no telefone. Somos o som de beijo na chuva e eu sinto que cada verso que eu faço é como se ele devesse um imposto aos seus lábios. Quando a gente discute, sua voz soa como unhas numa lousa. Você é o som de garfos riscando o meio de um prato e eu me sinto como se eu tivesse mastigando alumínio. Meus pedidos de desculpas são as rosas em cima da mesa - o vaso você quebrou quando jogou em mim, lembra? -, elas são feitas de tudo aquilo que eu não escrevi e não falei, e o envelope embaixo das rosas, são as borboletas do meu estômago… Algumas ainda estão vivas e eu acho que elas também pertencem a você, afinal elas não nasceram sozinhas. 
Sim! Nossa relação é muito intensa, por isso Deus nos separou, me fez sol, te fez lua e o eclipse… O eclipse é a prova de que o amor existe. A saudade nada mais é que o sentimento de algo que era nosso e que por alguma razão não está mais com a gente. Você é sinônimo de Eu, distância é antônimo de Nós. Será que gostar de alguém é o céu do céu? Eu não culpo Adão por ter comido a fruta proibida do “Jardim do Éden” e tudo mais, afinal quem ama confia. Nos separamos, mas um dia voltamos e reescrevemos nossos pedidos de perdão  com manchas de maquiagem e roupas pela chão. Desenhamos o Kama-Sutra com gotas de suor e redesenhamos a mobília da minha casa. Mas contigo sempre foi mais que isso, ao seu lado eu cheguei a conclusão de sexo é que a gente faz na cama, parados, ou quase e amor é o que a gente faz andando de mãos dadas. Quando transamos, transamos por inteiro, fazemos nossas almas trocarem de residência e o seu bairro pensar que gente antecipou o ano novo. E entre Valeska e Madre Tereza, você é o meio termo que todo homem deseja encontrar. As dobras do nosso lençol tem os segredos que a gente divide na cama em silêncio. Por falar em silêncio, universos colapsam na sua mudez, minhas perguntas viram monstros em baixo da cama e assim eu, igual criança não quero dormir sozinho. Dorme comigo?
Esses dias eu tava pensando, Steve Wonder nasceu cego e quando ele diz “Sunshine" (nascer do sol), fala de algo que ele nunca viu, talvez seu sorriso seja a definição de "Sunshine” na mente de Steve Wonder. Seus defeitos se anulam com os meus, é como se menos com menos desse mais e segundo um truta meu idade é só um número e eu odeio matemática, exceto pelo fato de que no amor a única conta improvável existe! A soma de dois resulta em um e o resultar em um nesse caso significa em três, um filho.
Adoro o jeito como você joga o cabelo pro lado e ele parece uma onda. É como se meus dedos afogassem meus desejos cada vez que eu ponho as mãos na sua nuca. Adoro seu tamanho, nem alta como seus sonhos, nem baixa como minha auto estima, cabe no meu abraço e abraça o mundo como se fosse seu travesseiro. O seu sussurro soa como uma orquestra, a forma como você domina os seus agudos e graves me lembra um maestro. Você rege um concerto sobre tesão e sinfonias ao pé do ouvido. Às vezes sinto tanto a sua falta que chego a ouvir sua voz, a sentir seu perfume pelos corredores da minha casa. Já namorei com a sua sombra, já conversei com a sua foto, meu travesseiro tem o seu nome - eu vou pra cama com você toda noite. O seu senso de humor faria a “Monalisa” gargalhar e sua risada ia soar como uma das noites em Woodstock, onde jovens descobriram que o amor é inocente e que o vilão é o coração. Queria engarrafar sua voz, pra que nas noites frias em que o mundo se sente só, você pudesse ecoar, fazendo com que a cidade inteira sinta o que eu sinto quando você diz: “Alô” ou “Olá”. E por falar em “olá”, você traz um céu no seu “olá” e talvez nem se dá conta do quanto eu espero o seu olhar cair sobre o meu. Você me encanta. Às vezes pensando eu chego a conclusão de que você é dona do seu nariz, de que o mundo se curva perante seu caminhar, de que você além de ser brilhante é um avião, mas a minha pergunta é: Quando vai ser dona do meu sobrenome?
—  Marcello Gugu.

Ela já cortou os pulsos, ela já tentou atirar na própria cabeca mas a arma estava sem bala, ela já tentou se afogar, ela já se enforcou com um elástico molhado dando três voltas no pescoço e depois dando um nó, já tentou se enforcar com as próprias maos, e já tentou se sufocar, já quase pulou da janela de um prédio só não caiu pq a tia dela trouxe ela de la, já bebeu ate cair de tao mal que tava e depois tomou remédios para morrer de vez, e toda noite ela pegava a faca de sua gaveta e colocava no seu pescoço, pra qualquer coisa já se matar antes de começar a chorar tanto quanto na noite anterior. Ela também já fugiu de casa pra pular na pista e ser atropelada, mas a mae dela correu atrás dela e levou ela pra casa, e ela já ficou dias sem comer só pra desmaiar e quando estivesse fraca ela se matava com poucas chances de sobreviver ela já foi abusada sexualmente por uma pessoa da familia . Nada funcionou, tudo que ela tentava falhava, e um dia os amigos dela descobriram e começaram a fazer d tudo para não deixar ela se matar. Foram meses difíceis mas os amigos dela conseguiram temporariamente tirar ela do lugar de onde estava. Talvez ela seda as laminas novamente, mas ela sabe que é ela que controla as laminas e não as laminas a ela…😭💔

By : Biella Souza 💔💭

Pedido: COM o Liam q ele é maior bandido de todos e sequestra ela q é órfã só q ela não quer dar o q ele quer, no caso sexo, ele bate nela e a tranca num quarto, a obriga a limpar a casa essas coisas até ela finalmente ceder, ela é virgem, ela fica c0m ele por anos, presa, fazendo tudo q ele quer, e ela se apaixona (stockholm syndrome) mas ele sai com outras tbm e isso machuca ela mas ele tbm se apaixona e os dois acabam juntos - Anônimo

Obrigada por ter feito o pedido.❤️

***

Imagine Liam Payne: Parte 1.

-Você tem certeza disso, cara?
Zayn me olhou sério enquanto traga seu cigarro. O olhei em confirmação, não é a primeira vez que fazemos esse tipo de coisa.

Zayn e eu -na verdade, somente eu-, estamos planejando pegar uma garota no orfanato. Não uma criança para cuidarmos, não temos capacidade o suficiente para isso e muito menos paciência, sem contar que ninguém iria querer ser filho de um dos maiores bandidos do país, ninguém sentiria orgulho disso, somente alguém com mente pequena o suficiente para pensar somente no dinheiro que eu posso oferecer e que obviamente por ser meu filho eu teria que fornecer. Mas isso está, completamente, fora de cogitação.

-Qual sua preferência? Digo…quer que eu lhe traga uma loira, baixinha, magra…?
Zayn questionou enquanto pegava suas chaves já se preparando para sair.

-Não se preocupe, na hora eu vejo.
Respondi rudemente. Este plano tem que dar certo, ou esse idiota não trabalha mais comigo.

Zayn deu em ombros e abriu a porta logo saindo e indo para seu carro, peguei tudo o que precisava e verifiquei se meu celular estava carregado. Tudo certo.

Zayn dirigiu até o orfanato, me deixando na entrada dos fundos que infelizmente -não para mim, claro- está completamente escancarada, a mercê de quem quiser entrar.

-Boa sorte.
Zayn resmungou despreocupado, acendendo outro cigarro e tragando o mesmo em meu rosto antes que eu abrisse a porta.

-Você irá precisar.
Soltei um riso sarcástico e sai do carro andando tranquilamente até as portas do grande orfanato.

Está tudo tão exposto e o ambiente está tão calmo que me impressiona o fato de essas pessoas serem tão despreocupadas com a própria segurança.

Observei o lugar e notei que a entrada dos fundos -por onde entrei- dava á uma espécie de quartinho cheio de brinquedos para crianças, patético o quanto isso é “seguro”. Caminhei até onde deduzi ser a sala principal, está vazia, não há uma viva alma nesse lugar. Comecei a olhar algumas fotos que estavam jogadas na mesinha de centro, cada foto havia um nome escrito abaixo e estavam presas a uma pequena ficha com informações dessa pessoa, provavelmente a ficha de cada uma das meninas desse orfanato. Vasculhei um pouco as fotos até encontrar algo, ou melhor, alguém me chamou muito a atenção. S/n é seu nome, parece que tem por volta de seus dezessete anos, pela foto ela tem uma aparência inocente e até mesmo mais jovem do que é, o tipo perfeito ao meu ver. Escutei passos tímidos mas não imperceptíveis vindo das escadas e rapidamente guardei a ficha em meu bolso, me escondedo dentro de um grande armário que pela minha sorte, estava vazio.

-Helena? Sra.Collins? Tem alguém aqui?
Uma doce voz foi-se ouvida, pude ver pela sua sombra que a garota parou perto do armário onde eu estava, com toda minha ousadia, abri apenas uma brecha para ver a garota de costas para mim, ela vestia uma camisola azul bebê, tinha babados e lacinhos, parecia ter vindo de um pornô Daddy kink, mas não deixava de transparecer sua verdadeira inocência.

-Bom…parece que não há ninguém por aqui…Acho que vou ter que comer esse chocolate sozinha!
Gritou, ela estava tentando chamar a atenção de alguém, mas ninguém respondeu ou sequer apareceu.

A garota andou até o meio da sala, e eu quase tive um ataque cardíaco quando a mesma se virou de abrupto, mas por sorte, ela estava olhando para a mesinha de centro e nem notou a porta do armário parcialmente aberta.

-Uh, parece que minha ficha não está aqui.
Ela resmungou e então eu olhei novamente para a ficha junto a foto em minha mão, é ela?

-Oh meu Deus…
Ela levantou sua cabeça colocando a mão na boca, olhei direito para seu rosto e sim, é ela.

-Eu vou ser adotada!
Soltou um risinho e sorriu radiante. Oh sweet, há muito o que ainda vai aprender.

-S/n!
Uma outra voz também feminina, mas desta vez parecia mais madura.

-Oh, olá Sra.Collins, eu juro que não tirei nada do lugar e…

-Cale-se garota!
A mulher a cortou. Como ela pode tratar alguém assim? Tudo bem que eu faço isso mas…sou eu, e ninguém mexe com a minha garota.

-Temos um rapaz aqui que provavelmente vai querer levar uma de vocês, por isso, se comporte e vá chamar as outras garotas.
Falou com firmeza. Zayn já começou sua parte.

-Sra.Collins! Como pode deixar que aquele garoto entre aqui? A senhora não nota? Ele não veio adotar uma criança, ele está querendo alguém para…a senhora sabe…
Outra voz desta vez desesperada desengatou a falar. Alguém para estragar meu plano.

-Não seja tola! Não importa o que ele quer fazer com a criança, ele veio adotar e se ele quiser ele vai levar!
Talvez essa mulher não seja tão ruim quanto soa.

-Mas nós não podemos deixar as crianças correrem esse risco! Nosso trabalho é protegê-las e dar a elas tudo o que seus pais não puderam dar, não podemos deixá-las nas mãos de qualquer um.

Ah, faça-me um favor! O portão estava praticamente dizendo “Quer levar uma criança de graça? Entre e pegue!” como ela ainda se preocupa.

-Não importa Helena! Meu trabalho aqui é somente cuidar para que estas pestes saiam daqui! Não importa com quem.
Ouvi um suspiro falho e pressenti que a conversa havia acabado.

Passado dois minutos, o cômodo já estava vazio novamente, sai de dentro do armário e procurei por um lugar onde poderia me esconder até conseguir pegar a garota.

Zayn e eu combinamos dele fingir que quer adotar uma criança, assim, todos estariam em um só cômodo e ficaria bem mais fácil para mim poder vasculhar a casa e ter tempo de decidir quem eu queria, logo após, teria que fazer algo para deixar apenas a escolhida em um cômodo, eu fingiria ser quem vai levá-la e, sequestrar ela.

Escutei vários passos pelo corredor, elas deviam estar indo se encontrar no pátio com Zayn e as duas funcionárias.

Subi as escadas que davam até os quartos e fui olhando os nomes em cada porta, ao que parece, cada quarto tem duas garotas e são seis portas no corredor, três de cada lado, dando no total de doze meninas. Procurei pelo quarto onde estava o nome “S/n” gravado na porta, junto a outro chamado “Alice”. Antes mesmo de entrar, escutei uma movimentação dentro do quarto, caminhei até a janela do corredor e olhei para o pátio fazendo uma conta rápida e vendo apenas onze das doze garotas que deveria estar ali, ou Alice ou S/n está naquele quarto, e o único jeito de descobrir é entrando.

Abri a porta lentamente, me encolhendo ao que o ranger pareceu mais alto do que deveria.

-Alice? Você viu meu casaco? Eu não estou o achando em lugar algum!
Ouvi a voz da garota, sua voz é tão melodiosa que apesar do jeito infantil, não me faz enjoar, apenas querer escutá-la á todo momento e talvez ter pensamentos sujos com a mesma.

Adentrei ao quarto silenciosamente, ao que parece, ela está no banheiro e não notou que sua amiguinha, na verdade, não está aqui.

-O que aconteceu com você? Não vai me resp..
A garota saiu da banheiro enquanto falava e engasgou com suas próprias palavras assim que me viu em seu quarto.

-Quem é você?
Me olhou curiosa e tentou falhamente passar confiança, eu poderia sentir o cheiro de seu medo, curiosidade e nervosismo, tudo misturado.

-Sou Payne, mas pode me chamar de…Daddy.
Sorri parecendo amigável, mas na verdade, era um sorriso nada discreto dando para perceber todas as minhas intenções para com ela, mas a mesma nunca iria notar, e assim foi.

-Olá Payne…Daddy, o que quer aqui?
Perguntou e eu passei as mãos no acolchoado de sua cama cor de rosa.

-Eu vim, adotar você, você me parece ser uma garota muito interessante, inteligente e obediente.
Falei e logo pude notar um brilho em seus olhos, um brilho de felicidade, é claro, seu maior sonho está prestes a se realizar, ou talvez, seu pesadelo, mas ela ainda não sabe.

-M-me adotar? Sério?
Me olhou com adoração.

-Por que eu estaria mentindo?
Pergunto sorrindo. Eu teria milhares de motivos para mentir, e um deles é verdadeiro, mas quem liga mesmo? Eu não.

-Meu Deus! Hoje é definitivamente o melhor dia da minha vida!
Ela começou a falar alto e eu desesperado tive que a acalmar, se não descobriram que estou aqui.

-Shhh, eu vou te levar agora, ok? não precisa levar nada, depois o Daddy compra tudo para você.
Falei pegando em sua mão.

-Espera…eu não posso me despedir de ninguém? e você não tem que assinar alguns documentos antes disso?
Parou me encarando desconfiada.

-Já assinei todos, e suas amigas estão lá no pátio tendo uma conversa muito séria, parece que alguém aprontou…precisamos ir logo, eu tenho que resolver muitas coisas ainda e você deveria estar ansiosa para conhecer sua nova casa.
Expliquei da forma mais calma que consegui.

-Eu não vou cair nessa…como posso saber se está falando a verdade? Você é um completo estranho que simplesmente apareceu aqui no meu quarto.
Cruzou os braços se afastando das minhas mãos. Bufei, essa garota vai me fazer perder a paciência.

-Vamos logo…eu tenho sua ficha e…
Quando ia pegá-la pelo braço a mesma se afastou bruscamente.

-Se não sair daqui eu vou gritar.
Ameaçou e eu me levantei.

-Eu não vou sair, não está me…
Fui cortado por um grito mas logo tapei sua boca.

-Parece que vou ter que te amarrar antes da hora, eu pensei em ir com calma mas já que prefere assim…
Peguei em uma corda de pular que estava jogada no chão e amarrei suas mãos, o que foi bem difícil já que tinha que tapar sua boca com uma mão e com a outra amarrar as cordas. Procurei por uma fita e colei em sua boca, assim ela não emitiria mais nenhum som.

-Boa garota, terá que me obedecer daqui em diante, se não quiser que isso ocorra mais vezes.
Falei sorrindo sádico e ela começou a se debater, mas se considerar minha força e seu pequeno tamanho, eu obviamente não tive que me preocupar muito com isso.

Carreguei-a no colo até a saída por onde entrei, e como combinado, lá estava o carro de meu amigo me esperando com a chave já na ignição.

Coloquei-a nos bancos traseiros e me ajeitei no banco do motorista, logo dando partida e começando minha longa viagem.

Quando parei no semáforo, peguei meu celular mandando uma mensagem para Zayn avisando que já estava tudo pronto, e ele poderia dar qualquer desculpa e ir embora de lá.

-Irei adorar essa nova aventura docinho, e aposto que você uma hora vai gostar.
Sorri desligando meu aparelho e voltando a dirigir.


[…]


Depois do que pareceram duas horas de viagem, chegamos finalmente na nada humilde casa que eu comprei, escolhi um dos lugares mais desertos da cidade e contratei onze dos melhores guarda-costas, nunca se sabe.

-Então babygirl…chegamos, gostaria que fosse de um jeito mais confortável mas…não me deu escolhas.
Tirei a chave da ignição e a guardei no meu bolso, peguei a garota que agora estava mais calma em meu colo e a levei até os grandes portões cheios de guardas e câmeras de segurança.

-Boa tarde Sr.Payne, precisa de ajuda?
Um dos guardas perguntou se aproximando de mim.

-Aqui não, apenas guarde meu carro na garagem e depois eu quero você lá dentro para conversarmos.
Ordenei sério e o mesmo assentiu se retirando.

Carreguei-a até que chegássemos em seu quarto, não tem nada de especial, é apenas uma cama arrumada, um pequeno banheiro e uma decoração neutra com poucos quadros de gatinhos e alguns vasos com flores falsas.

-Você vai ficar aqui por enquanto, espero que não tente escapar, meus seguranças não são muito delicados e não se preocuparam em ter que te arrastar de volta á mim.
Ameacei. Não irei deixá-los tocá-la, em hipótese alguma, mas ela não sabe disso.

Tranquei a porta e voltei para a sala principal onde o segurança chefe me esperava.

-Avisos: Não tocar nela em HIPÓTESE ALGUMA.

-Não contar nada a ela, qualquer coisa que ela pergunte não respondam, apenas se estiver me procurando, daí a guiem até mim.

-NUNCA deixem sua posição, não queremos que alguém entre aqui por um descuido de vocês.

-Fiquem de olho nas câmeras.

-E por último, me falem sobre tudo, tudo o que acontecer, se alguém andar por aqui perto, se ela tentar escapar…qualquer coisa!
Finalizei e ele assentiu.

-Ótimo, agora passe a informação para os outros.
Mandei e o mesmo foi embora.

Fui até a cozinha e peguei massa de macarrão e molho, já está na hora do almoço e eu mais que tudo preciso comer.

Depois de tudo pronto, deixei a mesa arrumada e voltei ao quarto da minha garota desobediente. Abro a porta e ela continua do jeito que eu havia deixado, amarrada na cama e com a boca tampada.

-Eu vou te desamarrar, mas eu já avisei o que irá acontecer se me desobedecer.
Falei sério.

Desamarrei o nó e soltei seus pulsos, tirei a fita de sua boca e olhei para a mesma que continha lágrimas nos olhos enquanto esfregava seus pulsos agora avermelhados.

-Vem, vamos comer.
Peguei pelo braço e a levei até a cozinha, sentei-a na cadeira a minha frente e logo fui para o meu lugar começando a nos servir.

-P-por…
Ouvi sua doce voz, ela gaguejou e respirou fundo provavelmente se acalmando antes de continuar.

-Por que está fazendo isso comigo?
Sua voz soou triste e baixa, provavelmente por estar segurando o choro.

-Eu gostei de você.
Sorri de um jeito perverso.

-Isso não é verdade…se gostasse de mim, não estaria fazendo isso, eu estaria livre e feliz.
Resmungou manhosamente, voltando a chorar baixinho.

-Você não entendeu, eu gostei de você. Você obviamente não me conhece, pois se conhecesse saberia que o que eu gosto…eu tenho.
Falei rude e ela fungou.

-Pra que tudo isso? O que você quer de mim?
Perguntou novamente.

-Vai saber quando for a hora, e eu espero que não me decepcione.
Sorri e pisquei-lhe o olho.

[…]

Já eram por volta das das onze da noite, meu dia foi tão estressante e tão cheio que a única coisa que eu consigo pensar é em algo que possa me acalmar, mas tudo só piorou quando liguei a TV e um filme pornô passava na TV, qual o meu problema em mudar de canal depois de assistir algo?

O filme estava tão interessante, o único real problema foi a atriz me lembrar muito a garota que estava provavelmente dormindo no quarto acima, o que me fez lembrar que eu não tive a chance de a castigar pelo ocorrido de mais cedo, e isso me parece realmente satisfatório.

Subi as escadas fazendo propositalmente muito barulho com os sapatos, talvez ela ouça e note que eu a quero acordada.

Abri a porta e olhei a garota encolhida na cama, estava bem quieta e calma, mas logo notei que não estava dormindo quando virou sua cabeça e me encarou.

-Acho que esqueci de lhe dar algo hoje.
Me aproximei da cama e ela se sentou na mesma. S/n não dizia uma palavra, talvez com medo do que eu poderia fazer então continuei a falar.

-Sabe o que fez hoje?
Perguntei e ela negou com a cabeça.

-Você me desobedeceu. E sabe o que merece por isso?
Perguntei vendo-a negar novamente.

-Oh amor, você merece ser punida. Por ser uma garota muito malvada.
Falei e a vi arregalar os olhos.

-No meu colo, agora!
Ordenei e ela nem se mexeu.

-Não escutou? Eu mandei se sentar no meu colo!
Ordenei novamente e nada dela fazer. Bufei irritado,.

-Não!
Gritou em resposta. Me impressionei com tal ato.

-Eu não perguntei eu estou mandando!
Falei novamente e ela mordeu minha mão que estava em seu braço.

-Vadia!
Desferi um tapa em seu rosto e observei as marcas de dentes em meu braço.

-Se não vai me obedecer…vai ter que ser pior.
Peguei-a pelo braço e a levei até o menor quarto da casa.

-Não queria ter que fazer isso…mas acho que deixei bem claro quando disse que era para me obedecer!
A joguei em um colchonete no chão.

-Fique aí, até que aprenda.
Tranquei a porta e voltei para a sala.

Nunca uma mulher vai me negar sexo ou me desobedecer. E ela vai ter que aprender isso, por bem ou por mal.

Agora, terei que me aliviar com uma puta qualquer.

l Dia seguinte l

Levantei da cama exausto, meu corpo doía um pouco e a mulher com ao qual eu havia dormido estava ao meu lado na cama. Depois de estar devidamente acordado e vestido, acordei-a e a chutei para fora. Não literalmente.

Caminhei em passos lentos até o quarto da minha garota, espero que esteja mais calma e tenha pensado no que fez. Destranquei a porta e logo ouvi resmungos, ela estava acordada.

-Conseguiu dormir?
Perguntei me sentando na ponta da cama e afagando seu cabelos. S/n se afastou bruscamente retirando minha mão de seus cabelos.

-Não toque em mim!
A olhei sério e desafiador.

-Uh, eu não posso tocar em você?…
Ri nasalado.

-Isso é uma pena, por quê você pode tocar na minha casa e bem…ela está precisando de uma limpeza me entende?
Sorri e a vi abrir a boca para dizer algo, mas eu a interrompi.

-E nem tente contestar, você está aqui e portanto faz o que eu mando, senão será muito pior.
Falei e ela se levantou da cama, mas não para gritar, me bater ou tentar fugir.

-Por onde eu começo?
Perguntou baixo e um sorriso vitorioso tomou conta de meu rosto.

-Pode começar lavando meus carros na verdade, estão precisando já faz um tempo.
Mandei e ela assentiu se retirando.

Logo ela cansa e se rende.

De cinco em cinco minutos eu a observava para ver se estava fazendo direito, mandei que lavasse todos os meus cinco carros, limpasse toda a cozinha e a sala principal e a sala de estar, ela ainda está limpando o meu quarto e logo depois será seu quarto mais os outros quatro cômodos. estou muito feliz de ter escolhido uma casa grande.

-Não limpou direito!
Paro-a. Ela me encara cansada.

-Onde?
Pergunta.

-Bem ali, entre a cama e o criado mudo.
Digo apontando para o lugar. Ela respira fundo e permanece parada.

-Não vai me obedecer?
Pergunto levantando uma sobrancelha desafiadoramente.

-Eu desisto…não aguento mais limpar essa casa e não comi nada desde que acordei, estou fraca e não há condições de eu continuar…eu desisto. Você venceu.
Falou jogando a vassoura no chão.

-Até que demorou um pouco, mas acho ótimo que tenha cedido. Agora você vai ser completamente minha babygirl. Só minha.
Me aproximei da mesma e passei o polegar em seu rosto, acariciando o local.

-Só…por favor, não me machuque.
Falou baixo e uma lágrima escorreu de seus olhos.

-Não se preocupe, vou pegar leve…é sua primeira vez?
Perguntei colocando uma mecha de cabelo atrás de sua orelha. Ela apenas assentiu. Eu a repreenderia mas ela está tão fraca e finalmente cedeu, então deixei como um agrado.

-Vamos comer, quero você mais acordada e disposta do que nunca.
Sorri malicioso e a levei até a cozinha.

Continua…

***

Espero que esteja gostando.😘


Eu não sabia se escrevia o hot nessa parte ou deixava para a segunda então…vocês preferem que eu escreva o hot na continuação ou que eu pule isso? Vocês decidem.


Se possível, vá na ask e diga o que achou, é importante para mim e isso me motiva a continuar.😊❤

Sou fã de mulher forte. Sou fã de mulher que já comeu o pão que vagabundo amassou, teve o coração enganado, ouviu a voz da amargura e acreditou em mentiras. Sou fã principalmente daquelas que viram seu chão se abrir diante do seu nariz, odiavam seu corpo e se entristeciam diante do espelho, mas que descobriram nelas mesmas a força que procuravam no mundo. Sou fã de mulher que diz: “Chega! Quem manda na minha vida agora sou eu!”. Sou fã de mulher que não entrega sua vida na mão de ninguém a troco de qualquer esmola sentimental ou material. Sou fã de mulher que não aceita nenhum homem mandando no tamanho da sua roupa. Sou fã de mulher que não aceita nenhum homem dizendo pra onde ela deve ir, nem se deve ir. Sou fã de mulher que não aceita conveniências. Pra mulher que já cometeu o erro de não acreditar em si mesma, de se deixar dominar, mas que escolheu mudar e virar o jogo, eternos aplausos. Sou fã de vocês.
—  Cleber Souza.