desandei

2

Ele sobre os defeitos dela: Ela é chata, fala demais, acho que ninguém aguentaria uma menina como ela. Além disso, é ridícula e sem noção. Odeio aquele tipinho que ela faz: acha que todo mundo gosta dela, mas na verdade não tem moral com ninguém. 

Ela sobre os defeitos dele: Ele é bobo, estúpido demais. Fica zoando o tempo todo, e eu acho que ninguém aguenta isso! Além do mais, ele é idiota e muito otário. Odeio quando ele fica se achando o pegador, popular, falando um monte de palavrão, e ele nem se toca que isso é ridículo, mas afinal, ele nem tem moral com muita gente, então… 

Ele sobre as qualidades dela: Pensando bem, ela é bonita; aquele sorriso dela me deixa bobo, e sei lá, o jeito que ela fala é fofo. Ela não é como as outras, que são fúteis e bobinhas. Ela é chata, mas… a chatice dela me encanta. Adoro quando ela se irrita comigo, parece que os olhos dela ficam ainda mais bonitos, e isso me faz rir.

Ela sobre as qualidades dele: Na verdade…ele é uma boa pessoa. Amo aquele sorrisinho tímido que ele dá quando conversa comigo. Ele é diferente dos outros, e mesmo se achando, ele fica lindo. Aqueles olhos azuis me deixam looouca. Só de ouvir a voz dele eu já fico meio tonta, até quando é palavrão mesmo. Odeio ver ele rindo quando estou brava com ele, mas, isso eu perdoo, porque ele fica ainda mais bonito rindo.   

Ele pode estar olhando as suas fotos. Neste exato momento. Por que não? Passou-se muito tempo. Detalhes se perderam. E daí? Pode ser que ele faça todas as coisas que você faz. Escondida. Sem deixar rastros nem pistas. Talvez ele faça aquela cara de dengoso e sinta saudade do quanto você gostava disso. Ou percorra trajetos que eram seus, na tentativa de não deixar que você se disperse nas lembranças. As boas. Por escolha ou fatalidade, pouco importa, ele pode pensar em você. Todos os dias. E ainda assim preferir o silêncio. Ele pode reler seus bilhetes, procurar o seu cheiro em outros cheiros. Ele pode ouvir as suas músicas, procurar a sua voz em outras vozes. Quem nos faz falta acerta o coração como um vento súbito que entra pela janela aberta. Não há escape. Talvez ele perceba que você faz falta. E diferença. De alguma forma, em uma noite fria. Você não sabe. Ele pode ser o cara com quem passará aquele tão sonhado inverno em Paris. Talvez ele volte.

Confia nele?- Sim.

-Caio F. Abreu

2

Sabe aquelas coisas que te fazem chorar, e pensar que nada vai dar certo? Então, pega essas coisas, jogue-as pela janela, e esqueça-as. Arranje motivos pra sorrir, porque você fica muito mais bonito sorrindo. __

Se bem que aquela famosa história de amor, em que o cupido lança a flecha em dois corações faz sentido, agora. É claro! Um dos dois corações sempre vai acabar se ferrando mais, ao desfecho do caso. Alguém vai ser atingido com maior intensidade, alcançando assim, o ponto mais profundo de seu ego, e à medida em que o tempo passa, o conteúdo psíquico de cada um vai sendo desintegrado, de uma forma martirizante, maldosa. Fazendo do amor, uma dança torturante, e interminável, ao invés de ser um sentimento prazeroso, como na maioria das vezes. Uma tal de intuição voraz, que se alimenta de toda a sua alma, deixando-te apenas uma aparência pálida, doentia, cheia de enfermidades à luz dos olhos. Incessavelmente viciante, trazendo-te sérias complicações, as quais podem afetar seu cotidiano, sendo assim, mórbida.