derp!11!!

Oi, eu sei que pelo tamanho do texto você vai pensar que isso aqui é sobre amor, amizade ou algum tema clichê, mas não é. Isso aqui não é uma carta, um ultimato, um pedido de demissão e muito menos uma declaração de amor. Isso aqui sou eu desistindo de você! Eu sinto muito, mas eu sinto. Eu sei que eu sempre fiz, senti e insisti, eu sei. É que quando se trata de você, eu insisto. Eu tô correndo atrás faz um tempinho (e foi a maior maratona que já fiz na minha vida), mas você me venceu pelo cansaço. Eu cansei. Imagino o quanto deve ter sido chato pra você ter alguém como eu implorando a sua atenção, mas desculpa, é que quando a gente gosta, a gente faz esse tipo de coisa. Mas pô, eu tava aqui, quietinho, comendo nos meus horários errados, indo pra faculdade, assistindo as piores aulas do mundo e chegando em casa cansado, você tinha mesmo que aparecer pra mudar tudo isso? Mas é aí que você pensa “mas quem apareceu foi você!”, e eu concordo, eu que apareci. E eu me arrependo amargamente por isso. Eu que fiz essa burrada de te procurar (mas por desencargo de consciência, eu pensei que a gente ia conversar uma horinha, talvez ficar e nunca mais íamos nos ver na vida) – mas isso não importa! Não importa já que foi um “oi” tão inocente da minha parte que parece que eu sabia que eu ia estar aqui escrevendo isso tudo só pra dizer que eu fui otário por todo esse tempo que eu perdi ficando feliz por ter te conhecido. Parece que eu sabia que depois de uma semana de conversas contigo eu já estaria andando na rua sorrindo (e às vezes eu me pegava planejando futuros tão absurdos, que você nem imaginaria) Futuros contigo. E doía. Doía saber que seria difícil conquistar tudo aquilo (digo, você). Doía saber que se eu te ganhasse, seria filha da putamente difícil pensar em te perder. Doía saber que eu não poderia deixar você ser meu chão, já que, sem você, eu cairia. Doía tanto, doía tudo, mas eu gostava. E confesso, eu ainda gosto. Se você tiver realmente lendo isso sem pular partes ou sem pensar “meu Deus, que menino chato”, eu quero te dizer que não é tão surreal quanto você pensa. Gostar, se apaixonar, amar, sabe? Sentir é fácil. Sentir é como jogar xadrez, todo mundo pensa que é difícil, mas dá pra aprender em 5 minutos (e por ironia da vida, eu não sei jogar xadrez). Eu sei que você não pensa em mim durante o seu dia, eu sei que você nunca comentou sobre mim com os seus amigos, eu sei que você não sente vontade de abrir mão de alguma coisa por mim, eu sei. Ah, eu também sei que você me acha um cara legal e que você sente um carinho diferente por mim, você já me disse isso – aliás, me disse que sentia muito mais que isso –, só que sei lá, eu não sinto só esse carinho básico que você me dá. Eu sinto mais. Eu sinto muito. E quando se trata de você, eu desisto.
—  Aleff Tauã.
10

Hello, old friend. And here we are. You and me, on the last page. By the time you read these words, Rory and I will be long gone. So know that we lived well and were very happy. And above all else, know that we will love you always. Sometimes I do worry about you though. I think once we’re gone you won’t be coming back here for awhile. And you might be alone. Which you should never be. Don’t be alone, Doctor. And do one more thing for me. There’s a little girl waiting in a garden. She’s going to wait a long while, so she’s going to need a lot of hope. Go to her. Tell her a story. Tell her that if she’s patient, the days are coming that she’ll never forget. Tell her she’ll go to see and fight pirates. She’ll fall in love with a man who’ll wait two thousand years to keep her safe. Tell her she’ll give hope to the greatest painter who ever lived. And save a whale in outer space. Tell her, this is the story of Amelia Pond. And this is how it ends.

In August of 2000, Jason “Singer” Smith and some friends earned a sweet corporate sponsorship that sent them to Kyrgyzstan to climb mountains. It should’ve been the adventure of a lifetime – cultural misunderstandings, zany foreign sidekicks, a yeti! – but instead, Jason and his friends wound up kidnapped by heavily-armed terrorists for more than a week.

8 Insane Things I Did After Being Kidnapped By Terrorists

2

Sept. 3, 1974: Philippe Petit braved the Great Falls of Paterson, N.J., hardly a month after his tightrope walk between the twin towers of the World Trade Center. The latter stunt, though spectacular and queasy-making, failed to make front-page news — President Richard M. Nixon was busy deciding whether to resign. And the former stunt, nearly as stunning a feat of physical ability and poise, was faulted for being quite brief relative to the wait. “My back is killing me,” one man said. “We’ve done dumber things and will do them again,” said another. Photo: Joyce Dopkeen/The New York Times

Ok but hear me out...

How about another painful AU idea:
Tolkien AU, starting prince Anders of the Anderfells, a nation of horse lords, and prince Garrett Hawke of Kirkwall, an empire of human power and it’s prestigious bloodline of kings.
Imagine a ruggedly handsome Garrett with his soft wavy hair down to his shoulders, scruffy beard and the life of all parties.
Anders with long, straight, silk hair down to his mid-back with fancy gowns embroidered with gold thread and Celtic inspired patterns. His horse a beautiful steed named “Ser Gallop a Lot” which he rides on alongside Garrett and his steed “McLoudfart” to much of Anders’ disgust. They kiss behind bushes and ignore their fathers arguing about expanding territories, next of kin and the threat of Mordor, they just travel around the backstreets of Minas Tirith and treat each other to exotic foods they don’t get served in their palace dining rooms.
They run away on their horses to travel down to Lothlórien and meet with the woodelves where they find Fenris, an elegant, anime Prince with perfect anime hair aw yis. They venture further all the way West to the Shire where their names and titles are all but unknown. They explore and make out almost every day and just.
They kiss kiss fall in love goodnight

idk about y’all but a part of me rn is actually a little sad and disappointed that perhaps the adore u era might actually be legitimately ending like yes it ended like a month ago but i mean like this is really the end and the boys be era is gonna enter but then a part of me is like nah seventeen can’t just let go of adore u that easily they’re obviously gonna be releasing more versions they can’t just not do that