depois do quinze

Amigo de verdade é aquele que não precisa participar da nossa rotina para fazer parte da nossa vida. Não tem a ver com estar perto ou longe, mas sim do lado. O amor, a confiança e o respeito na amizade devem existir como uma estrada de mão dupla. Do contrário, não estamos falando de amizade, mas de pessoas que conhecem pessoas, colegas. É tão incrível quando você percebe que existem pessoas no mundo que realmente fariam ou deixariam de fazer coisas para te ver sorrindo! É raro, mas maravilhoso e gratificante. Penso que existimos para isso. Cativar quem realmente interessa. Mesmo com a falta de tempo e a correria dessa nossa rotina de gente grande do século 21.
—  Bruna Vieira.
Lembra quando todo mundo dizia que um dia a gente deveria ficar junto? 
Às vezes, queria acreditar que esse dia ainda não acabou. Então, se quiser saber de mim, liga. Escreve. Pega o primeiro ônibus e bate na minha porta sem avisar. Mas vê se não espera o destino te colocar de novo na minha frente. Talvez, quando isso acontecer, alguém já esteja do meu lado. E isso será um final feliz. O meu.
—  Depois dos Quinze.
Eu não quero te consertar. Nunca quis. Quero é provar que podemos ser exatamente assim, cheios de defeitos e sem nenhuma garantia. Invisíveis para o resto mundo, mas o suficiente um para o outro.
—  Depois dos Quinze.
Sabe todas as coisas que você já leu sobre o amor por aí? Esquece. Quando acontecer, absolutamente nada daquilo fará a menor diferença. Rimas e versos que agora perfuram seu coração, não servirão como estudo ou escudo. Seja qual for seu tempo de guerra, o amor vai te desarmar. Aos poucos ou em alguns segundos. Intensamente ou sem você nem perceber. Bad News: Não existe antídoto.Então, o que fazer? Lutar. Cansei de ler (e escrever) receitas sobre como fazer dar certo. Sobre como seguir em frente e superar. Quer saber? Esses textos são só palavras que dizem o que todo mundo já sabe: O importante é ser feliz. O tempo vai te mostrar que o pra sempre não existe. Que o amanhã de ontem é hoje. Agora. Ainda não é tarde, mas pode ser daqui a um segundo. Então, se você tem alguém especial que quando te abraça, faz alguma coisa por dentro tremer, aproveite. Cedo ou tarde você vai entender que príncipes encantados são sempre inventados. Por isso, tente comparar menos. Nenhuma história acontece duas vezes da mesma maneira. Nem a mesma. Saber a resposta não muda a pergunta. Às vezes, vale a pena perder a razão por um sorriso ou dar a razão para evitar uma lágrima. Sem essa de certo ou errado. Você tem a chance de se transformar em uma idiota dizendo sim ou dizendo não. É relativo. Aliás, no amor, tudo é. Até o adeus.
—  Depois dos quinze.
Eu não quero te consertar. Nunca quis. Quero é provar que podemos ser exatamente assim, cheios de defeitos e sem nenhuma garantia. Invisíveis para o resto mundo, mas o suficiente um para o outro.
—  Depois dos Quinze.
O que o amor fez com você, menina? Que desperdício de alma, de tempo, de vida! Aprende logo, pra sofrer menos e se gostar mais: o amor não é uma gaiola. Muito pelo contrário, ele liberta. Nos permite ser tudo aquilo que queremos ser. Sair finalmente da nossa triste solidão interior e mostrar pra alguém o que poucos, na verdade, pouquíssimos, sabem.
—  Depois dos quinze.
O amor, a paz e você

É infinitamente mais fácil descrever um amor que machuca. É até libertador colocar pra fora em forma de texto um sentimento que não faz bem. Quase como um falso decreto de que ainda temos o controle da situação ou ao menos a consciência de que aquilo é algo extremamente tóxico pra gente. Bem lá no fundo quem escreve sobre o que sente tem um pouco de medo da felicidade. A calmaria leva embora a inspiração, porque escrever sobre a paz quase sempre é deixar a folha ou tela em branco. É não precisar definir absolutamente nada. Sair de casa e esquecer a janela aberta pra poeira dançar ao ritmo do vento.

Mas agora é diferente. Eu não tenho mais mais medo.

Sem pistas e jogos, prometi. Não quero ter razão ou alimentar meu orgulho com a certeza de que eu sou a pessoa da relação que menos se envolveu até agora. Todas as minhas teorias deixaram de fazer sentido quando te conheci, então nada mais justo que deixar as cartas na mesa e admitir de uma vez que você me ganhou. Derrubou o muro que construí em volta de mim. A saída no final das contas não era destruir tijolo por tijolo, curar trauma por trauma, mas sim me fazer lembrar de como é bom admitir cada fraqueza ao lado de alguém que continua me amando por dentro e por fora. Como eu era, como me tornei e como eu desejo ser amanhã.

O que eu mais gosto na gente é a tranquilidade. Seu amor me deu de presente bons pensamentos e agora é como seu eu tivesse um refúgio dentro da minha própria mente. O mundo lá fora pode estar desmoronando, mas quando eu fecho os olhos continuo vendo seu sorriso em câmera lenta ou lembrando do tom da sua voz. Eu adoro o jeito que você fala. Most of the time, olhando nos meus olhos e me fazendo sentir a garota mais sortuda do mundo.

As pessoas dizem que nós combinamos porque somos exatamente iguais, mas a verdade é que você faz o melhor de mim vir à tona. Como quando estou perto da minha família ou viajando para algum lugar novo. Simplesmente não há espaço ou tempo para coisas ruins.

Apesar de eu ter a sensação de que nos conhecemos há muito tempo, sei que esse é só o começo e eu não faço ideia do que o destino separou pra gente. Gosto de imaginar que os nossos sonhos jamais vão conseguir nos distanciar porque de alguma forma nos cruzamos aqui nessa cidade graças a eles. Você só de passagem e eu de mudança. Precisávamos de um bom motivo pra ficar, então, nos encontramos.

Não quero que o tempo passe rápido demais, mas isso acontece com frequência quando você está por perto. É como se a distância entre o “estou chegando” e o “adorei ficar com você” coubesse num abraço, mas a verdade é que cada momento tem feito toda diferença pra mim. Sendo assim, obrigada por me mostrar um novo caminho e topar seguir em frente. Minha vida e minha sala são igualmente bagunçadas, como você já deve ter reparado, mas fiz questão de reservar um espaço especial pra você. Nesse texto, ao meu lado e onde estivermos amanhã.

Amigo de verdade é aquele que não precisa participar da rotina pra fazer parte da nossa vida. Não tem a ver com estar perto ou longe, mas sim do lado. O amor a confiança e o respeito na amizade devem existir como uma estrada de mão dupla. Do contrário, não estamos falando de amizade, mas de pessoas que conhecem pessoas, colegas. É tão incrível quando você percebe que existem pessoas no mundo que realmente fariam ou deixariam de fazer coisas para te ver sorrindo ! É raro, mas maravilhoso e gratificante. Penso que existimos para isso. Cativar quem realmente interessa. Mesmo com a falta de tempo e a correria dessa nossa rotina de gente grande do século 21.
—  Depois Dos Quinze
Então, por favor, senhorita expectativa, não espere que as pessoas sejam como nos filmes ou nas novelas. A vida real não tem roteiro. Não somos divididos por mocinhos, vilões e figurantes. Existem vários personagens dentro de nós. A gente é que, ao acordar e olhar o reflexo no espelho, escolhe qual vai ser.
—  Depois dos quinze.
É infinitamente mais fácil descrever um amor que machuca. É até libertador colocar pra fora em forma de texto um sentimento que não faz bem. Quase como um falso decreto de que ainda temos o controle da situação ou ao menos a consciência de que aquilo é algo extremamente tóxico pra gente. Bem lá no fundo quem escreve sobre o que sente tem um pouco de medo da felicidade. A calmaria leva embora a inspiração, porque escrever sobre a paz quase sempre é deixar a folha ou tela em branco. É não precisar definir absolutamente nada. Sair de casa e esquecer a janela aberta pra poeira dançar ao ritmo do vento.
—  Bruna Vieira (via descasosdoamor)