decorre

Mas, nesse tempo longe de ti, eu percebi que a verdade é que posso ter outros amores, me apaixonar mais umas 7 vezes, ou mais, no decorrer da vida ou dos próximos dois anos. Escrever sobre outros caras, conhecer pessoas, mas eu nunca vou esquecer você. A verdade é que eu posso me esbarrar com um cara na biblioteca da faculdade e achar que aquilo tudo foi destino, tipo cena de filme, mas a verdade é que o meu filme é você. Mas filme tem início, meio e fim e eu sou aquele tipo de espectadora fanática que fica na sala de cinema, depois que o filme acaba, querendo bis, mas, você sabe, por mais que a gente repita um filme bom nunca teremos a mesma sensação de quando o vimos pela primeira vez. Eu queria esquecer que assisti você, pra poder te ver de novo. Mas a verdade é que não consigo esquecer você. A verdade é que por mais que eu repita na minha cabecinha “eu to melhor sem ele, eu to melhor sem ele”, nós dois e o resto do mundo sabemos que, não, eu não estou melhor. A verdade é que deixei de te seguir em qualquer rede social que exista pra ver se eu esqueço que você também existe, mas é só pintar um notificação idiota e pronto, acabou o escudo. Acontece que se eu tivesse te esquecido eu não precisaria evitar tudo que é sobre você, por que nada disso me atingiria, mas ainda atinge. E talvez sempre atinja. A verdade é que eu me sinto impotente e ligeiramente menor no seu padrão de boa pessoa. A verdade é que você me quebrou quando disse que eu já não era mais a mesma, e tudo bem. Eu não tô magoada, brava, nem chateada. Não, só tô cansada disso. Esse vai e vem incerto, desse adeus de hoje e do oi de amanhã. Eu preciso de certezas e é por isso que eu não corri atrás de você quando tu foi embora dessa vez. Não foi por te amar de menos, entendeu? Foi por te amar demais e morrer de medo por isso. A verdade é que eu deixei você ir, mas você não foi sozinho, meu coração foi contigo. E eu não quero lembrar de você, mas, às vezes, acontece… O dia inteiro.
—  Bri.
Como encontrar Deus?

Sabe aquele momento mais vazio, sensível, íntimo, só seu, em que você passa mês a mês? Eu garanto que no decorrer de uma semana, você deve passar por isso no mínimo umas três vezes. Ou todos os dias. Depende. Existem fases em nossas vidas em que nada coopera. Tentamos encontrar desculpas para tudo e justificar o que não tem resposta. Sentimos falta de algo mas não sabemos do que se trata. Pessoas chegam e somem. Novas amizades, novos conhecidos. A cada fase nova de nossa vida, temos vários “novos” (novos bens materiais, novos filmes, novas músicas, novas amizades…) que podemos ressaltar. E sim a vida nos dá coisas novas, mas ela também nós tira as coisas “novas” em um piscar de olho. É tudo instantâneo, passageiro. “Nada que é deste mundo vem do Pai. Os maus desejos da natureza humana, a vontade de ter o que agrada aos olhos e o orgulho pelas coisas da vida, tudo isso não vêm do Pai, mas do mundo. E o mundo passa, com tudo aquilo que as pessoas cobiçam, porém aquele que faz a vontade de Deus vive para sempre”. 1 João 2:16-17. Arrependimento, é a palavra chave, mas talvez somente essa chave não abra a porta que você precisa abrir…, mas o que abriria então a porta para encontrar Deus? A vontade própria. “Escutem! Eu estou á porta e bato. Se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, eu entrarei na sua casa, e nós jantaremos juntos.” Apocalipse 3:20. Muitas vezes a chave, a vontade própria está em lutar para retirar as dúvidas que existem em nós, e realmente dar ouvido a aquela voz doce que fala lá no fundo do nosso ser. Caso você não saiba que voz é essa, experimente recordar sobre alguma decepção que você teve com alguém que amas muito. Buscamos nas pessoas, o que só encontramos na fonte principal da nossa existência. É impossível querer abrir uma porta, sem ter a chave correta. A porta precisa ser aberta por você, não somente por momentos de decepções, de crises em que você passa, mas em um único momento do qual você se permite encontrar algo que já tem seu manual de instruções. Escolha em poder dizer “a casa é sua Deus, pode entrar, mude as coisas de lugar.” Deus não trabalha em lugares onde Ele não tem permissão para agir.

[uma vida-catástrofe em uma estrofe]

eu que nunca soube partir, parti. partido. sem a política burocrática da saudade. sem salubridade pra me pendurar eufemismos. eu-eplipso e o tal do cinismo somos o tango místico dessa noite. o açoite rima com as partituras de amor. parte amargura, parte doçura. partes duras de se esquecer da dor, escarlate de surra pra cicatriz que pulsa. o lençol fino da pele e do palor expulsa a aneurisma. a esmo. a sina. é a mesma, a velha, a rotina, a vela que não apaga à fronte da retina. a mágoa que não propaga, não se alastra, mas deixa de estar. estaciona, se planta, espanca, feio estaca que se soma ao peito. somem os leitos de resguardo e ficam joelhos espectrais ressecados que choram. oram as mãos de cristais cruzadas, o fôlego morre, a nuca reclina. e vejo entre os castiçais apenas a neblina do azedume. amanhecida. nenhum gume foi lavado e o sangue ainda corre. escorre. decorre. todo vento sopra e explode uma a uma as pétalas que me cobrem. pouco se descobre do outono que me espedaça, eu nunca grito o bastante: apenas penduro na estante, as plumas singelas de melancolia, em tigelas fartas que transbordam à prateleira, que me sondam das dunas de poeira, e me bordam de poesia.
 
Annd Yawk

Eu engordei tanto desde a última vez que apareci por aqui, eu me sinto mais desprezível que nunca.
É doloroso olhar minhas fotos antigas, e perceber que tudo aquilo se foi, toda dor que passei pra chegar até aquilo não valeu de nada.
Mas decidi voltar as minhas origens, minha meta é perder 20 kg esse mês.
Já se foram 5, conto sobre o progresso no decorrer dos dias.
Até logo

Não sabemos ao certo qual o conceito de amor, já que encontramos muitos significados para essa palavra ao decorrer da vida. Hoje mesmo, quando estive lendo, encontrei mais uma face desse amor que todos dizem. Não irei citá-la, justamente porque quero dizer que não importa o que todos dizem, o que os livros de autoajuda estipulam ou o que ceticismo cisma em contrariar. O amor só terá real significado quando senti-lo e logo aviso aos desavisados, o significado é totalmente abstrato. Talvez para mim, amor seja o olhar dele sobre o meu. Talvez seja o beijo inesperado no mercado. Não importa. A beleza do amor é vago e claro ao mesmo tempo e isto, meus queridos é o que fará você sorrir.
ALESSANDRA NEGRINI VIRA RARA UNANIMIDADE NA INTERNET: 100% DAS PESSOAS NÃO ENTENDEM POR QUE ELA PEGOU O OTTO

A atriz stanislavisko-alternativa Alessandra Negrini causou frisson no último domingo ao desfilar como rainha do bloco de carnaval indie Acadêmicos do Baixo Augusta. Ela se fantasiou de noiva apressada para a lua de mel como forma de protesto contra o projeto do Estatuto da Família, o que parece ter surtido efeito, já que milhares de homens pensaram em abandonar suas famílias ao verem-na daquele jeito. Além disso, Alessandra conseguiu um feito raro: tornou-se uma unanimidade no mundo internético. No decorrer desta semana uma enxurrada de manifestações virtuais cravou a certeza de que a atriz é a única pessoa capaz de unir gregos, troianos e haters de gregos e troianos. Ativistas anti-Rede Globo comentaram que ela não aparecia tão linda desde seu ótimo papel na novela Boogie Oogie. Feministas desviaram parte de sua cota de elogios a modelos plus size para saudarem as curvas tradicionais irreais de Alessandra. Hipsters tiveram sua primeira ereção na Augusta que não fosse provocada por um DJ tocando uma música do Tame Impala. Tamanho foi o efeito despertado pela atriz que a Organização das Nações Unidas considera enviá-la em missões de paz a zonas de conflito mundo afora, onde tudo o que ela teria que fazer seria desfilar daquele jeito no meio do campo de guerra. Vale lembrar que a ONU já havia condecorado Alessandra com a Medalha de Caridade “Madre Teresa de Calcutá” por ela ter se casado com o cantor Otto. Esta, inclusive, é outra unanimidade entre os internautas: segundo uma pesquisa do INEP – Instituto Não É Possível – 100% das pessoas não entendem por que Alessandra pegou o Otto. Parte do público acredita que foi porque a atriz estava ainda mais bêbada do que Otto, mas essa hipótese já foi descartada como organicamente impossível. Outros defendem que tudo aconteceu durante uma viagem a Recife em um furgão colorido, quando Alessandra, alguns amigos e seu cachorro teriam visto Otto saindo do mangue – onde ele vai buscar inspiração para suas composições – todo coberto de lama. Num primeiro momento, todos teriam ficado assustados com a bizarra criatura, mas, quando tiraram a lama que cobria seu rosto, Alessandra reconheceu aquele insuspeito cantor e percussionista que sempre se enfiava em shows alheios. Por contraste, até que ele não era tão feio, e parecia ter bom coração. Ou seja, a galeria de ex-pegas de Alessandra teria sido bem menos estranha se não fossem aqueles garotos intrometidos e seu cachorro. Mas a verdade é uma só: o Universo é repleto de mistérios, e sempre irá reverberar a mesma aflitiva questão: por que, afinal, a Alessandra Negrini pegou o Otto?

Twitter: @ForadoBeico

facebook.com/foradobeico