de ser pai

Eu sei que tudo isso serão apenas histórias algum dia. E nossas fotos se tornarão velhas fotografias. E todos nós nos tornaremos mãe ou pai de alguém. Mas agora, exatamente agora, esses momentos não são histórias. Está acontecendo. Eu posso ver. Aquele momento que você sabe que você não é uma história triste. Você está vivo. E você se levanta e vê as luzes nos edifícios e tudo faz você se maravilhar. E você está ouvindo aquela música no carro, junto às pessoas que você mais ama no mundo. E nesse momento, eu juro, nós somos infinitos.
—  As Vantagens de Ser Invisível.

One Shot Louis Tomlinson

  • Pedido -  Faz um do Louis que eles são casados mas ela n pode ter filhos, e ele traí ela e a menina acaba engravidando e eles se separam, e no dia do nascimento só tem a sn no hospital e ela acaba fazendo o parto! Se puder final feliz

(Parte I)


(Seu nome) não podia acreditar no que a mulher sentada à sua frente dizia, era como se ela estivesse em um programa de televisão especialista em pregar peças nas pessoas, ela se perguntava se Louis estaria filmando e se ele a qualquer momento sairia de algum lugar zoando a cara que ela fez ao ouvir as palavras que a fez estremecer. A mulher parecia séria demais para ser somente uma brincadeira, ela era uma ótima atriz se realmente estivesse atuando.

— Você pode repetir, por favor? — (seu nome) pediu apertando seus dedos em seu joelho completamente nervosa.

— Eu não quero acabar com o casamento de ninguém, eu não viria aqui se tivesse escolha… — a mulher - que mais parecia uma garota - olhou para seus pés sem jeito de ter que repetir o que já tinha dito — Foi só uma vez, mas eu fiquei grávida, eu não tenho condições para criar uma criança. — o choro era evidente na voz da mulher — Talvez eu pudesse dá-lo para vocês, eu não vejo problema em fazer isso.

(Seu nome) não criaria o fruto de uma traição para a mulher que o gerou ficasse livre para destruir outros casamentos. Tudo bem que a culpa maior foi de Louis, mas era humilhação demais, era muito para ela conseguisse aguentar quando ela sabia que nunca saberia a sensação que é ter uma vida dentro de você com um coraçãozinho e te fazendo ter desejos malucos.

Com o passar dos segundos o seu mundo foi se ruindo aos poucos, ela sabia que Louis não brincaria com aquele assunto, ele sabe mais que ninguém o quanto ela queria gerar um filho dele, o quanto ela sempre foi louca para ter um bebê dentro dela e o quanto ela sofreu sabendo que nunca geraria um por ser estéril. Se alguém fizesse essa brincadeira com ela, seria para destruí-la.

— Você… Você o conhece de onde mesmo? — (seu nome) perguntou depois de engolir o bolo que se formou em sua garganta com o passar dos minutos em silêncio.

— Nos conhecemos em um bar, creio que ele nem saiba meu nome… — a garota ainda olhava para baixo.

— Vocês não usaram camisinha ou ela estourou? — estava doendo, mas ela precisava saber de algumas coisas.

— Eu acho que não usamos, estávamos um pouco alterados para lembrar de usar.

— Você está com quantos meses de gestação?

— Um e meio…

— Meu Deus! — (seu nome) sussurrou.

(Seu nome) só havia reparado agora que foi idiota de não ter percebido que algo estava errado. Há um tempo Louis vinha sendo meloso demais, ele fazia o café da manhã, deixava flores pela casa, pedia comida nas noite que ela não tinha plantão, ele preparava a banheira para ela relaxar quando chegava após horas no hospital. Ele antes dessa época não fazia tudo isso, uma vez ou outra, mas não sempre. Claro que o remorso estava o consumindo, claro que ele estava com medo que ela soubesse, mas seus esforços de tentar tapar o sol com a peneira deu completamente errado porque agora tem uma mulher grávida sentada no sofá da sala deles.

Cortando a linha de pensamento de (seu nome), a porta principal abriu e só poderia ser Louis, outra pessoa não entraria na casa sem tocar a campainha. Nenhuma das mulheres olhou em direção a porta, o clima entre elas estava pesado demais, seria estranho se não fosse.

— Cheguei amor! Temos visita? —  Louis disse animadamente e entrou deixando seu tênis perto da porta para caminhar apenas de meia até as mulheres — Oi, amor! — ele se curvou para deixar um selinho nos lábios da esposa, mas ela virou o rosto. Louis imaginou que seria por conta da visita — Prazer sou Louis Tomlinson, o marido da (seu nome). — ele sorriu achando que era uma das amigas da esposa e quase engasgou ao ver a mulher levantar o rosto.

— Eu sei quem você é, eu me lembro. — a mulher sussurrou e Louis paralisou.

— O que está fazendo aqui? — ele perguntou exasperado depois de alguns segundos processando a presença daquela mulher.

— Por que a mulher que te deu o que você tanto queria não pode entrar nessa casa? — (seu nome) olhou para Louis o deixando confuso com suas palavras.

— Amor, eu posso explicar, me escuta e não escuta essa mulher, ela quer nos separar. — Louis ajoelhou na frente de sua esposa para ficar cara a cara com ela e foi empurrado para que mantivesse a distância.

— Você teve um mês e meio para fazer isso, sua chance acabou quando essa garota entrou pela porta. — era evidente que a mulher, ou garota, era mais nova.

— Eu não queria te perder, amor, foi um erro, um erro que nunca se vai se repetir. — os olhos azuis já brilhavam pelas lágrimas.

— Não vai mesmo porque você já me perdeu…

— Não… — Louis sussurrou com lágrimas banhando seu rosto.

— A data bate com a nossa briga, a que você jogou na minha cara que eu não podia te dar um filho e que nem queria adotar porque era orgulhosa demais para criar o filho dos outros… — (seu nome) começou, sua voz sempre calma — Você não entendeu que eu apenas não estava preparada, ainda doía em mim não poder te dar um filho biológico, eu ainda me sentia uma esposa inútil, uma mulher oca. — lágrimas correram lentamente pelo rosto da mulher — Eu me pergunto se você fez isso de caso pensado, me pergunto se você pensou que já que eu não queria criar o filho de outra pessoa, eu criaria o seu.

— Não foi isso, não foi. — Louis apoiou sua testa nas pernas da mulher, ele estava sentado em sua frente no chão.

— Isso dói, Louis… Você fez eu me sentir humilhada. Enquanto eu chorava por não ter poder realizar o seu sonho de ser pai, você estava com outra mulher fazendo sexo sem camisinha sem se importar se ela tinha ou não uma doença que você poderia me passar durante os longos anos que você pretendia esconder a traição. — (seu nome) passou as mãos sobre o rosto se livrando das lágrimas — O que você tanto queria estragou seus planos de me enganar… Parabéns papai!

(Seu nome) se levantou empurrando Louis para que ela pudesse passar, não ficaria dentro daquela casa quando uma mulher e uma criança precisavam mais de um lar do que ela, até porque o que ela sentia sobre ter um lar e um casamento feliz - mesmo com alguns problemas - não existia mais.

— (Seu nome), por favor… — Louis implorou.

— Eu já tomei a minha decisão. — ela se virou subindo as escadas devagar porque suas pernas ainda tremiam.

— A CULPA É SUA! VOCÊ PODIA TER SUMIDO! ESTÁ FELIZ POR TER ESTRAGADO A MINHA VIDA?

(Seu nome) se virou vendo Louis de pé gritando com a mulher, que agora estava encolhida no canto do sofá, ela desceu os degraus que havia acabado de subir e caminhou apressadamente até o homem o puxando agressivamente pelo braço.

— Não seja um machista idiota se não quer que eu perca o pouco do respeito que restou por você! — (seu nome) falou, agora realmente nervosa, mas não chegou a gritar — A culpa não é dela, ela não me prometeu fidelidade na igreja na frente de um padre, da nossa família e dos nossos amigos. Você me prometeu ser fiel, Louis! Apenas você! Essa garota apenas me disse o que você não teve coragem de dizer, então se quer colocar a culpa em alguém coloque em si mesmo. — (seu nome) suspirou para retomar sua calma — Cuide dessa garota e do seu filho, não há nada que você possa fazer para que o nosso casamento continue, então pelo menos me faça esse favor… Sou eu que estou pedindo para que cuide deles.

[…]



Se essa parte chegar a 30 ❤ eu posto a parte dois ainda hoje.

Eu estou de mal com o Tumblr 😤:/

- Tay

Reactions: Como seria se tivessem um bebê

OBS: aaaaaaaaaah eu achei esse reaction um amorzinho! Obg por esse pedido ❤❤ Espero que gostem dele tanto quanto eu gostei de escreve-lo! Amo vocês meus bolinhos~~ 

• Namjoon • 

 Seria excepcionalmente cuidadoso com a criança. As vezes até evitaria segura-la demais por medo de deixá-lo cair, mas não conseguia se manter longe daqueles barulhinhos fofos, sorrisos espontâneos e bracinhos que se mexiam agitados em sua direção. Você achava engraçado como Namjoon se divertia apenas colocando o bebê no chão, observando-o fazer cada movimento com duas mãozinhas e pezinhos desajeitados. 

Keep reading

LIAM PAYNE

  • Anônimo: Faz um do Liam que ela está grávida de uma menina e eles vão a uma festa na casa da mãe dele que a Cheryl tbm está cm o filho deles e ela fica jogando na cara da SN que o Liam sempre quis ter filhos homens, e a SN fica super chateada 
  • Espero que gostem, e volte na ask para dizer o que achou que é super importante.
  • Boa Leitura!


Minha sogra estava fazendo aniversário hoje e ela ia fazer uma festa, só pra família mesmo eu fiquei tão feliz quando ela me chamou até porque no começo da minha relação com o Liam ela não apoiava muito pois ele ia ser pai de um menino com a Cheryl. Depois de dois anos juntos eu e Liam noivamos e descobri que estava grávida, hoje com sete meses de gestação descobri que era uma menina e eu e Liam ficamos muito felizes.

Terminei de me arrumar e desço, vejo Liam mexendo no celular e o chamo.

- Amor, vamos? - ele me olha e levanta me olhando fixamente

- Você está linda (Seu nome) - ele abraça e me dá um selinho e acaricia minha barriga. - Vamos - ele segura minha mão e fomos para o carro ele puxa assunto comigo

- (Seu nome), a Cheryl vai estar lá e você sabe como ela é né - abaixo a cabeça e fico imaginando o que viria pela frente

- Tudo bem Liam, ela é mãe do seu filho tem o direito de estar lá - digo e logo chegamos na casa de Karen

Ela abre a porta e logo vem me abraçar

- (Seu nome) que bom te ver - ela sorri e depois abraça o Liam. Entramos e me sentei no sofá enquanto fiquei conversando com a irmã de Liam ele foi falar com a Cheryl. Depois de uns minutos ele vem com o seu filho pra falar comigo.

- Oi (Seu nome) - ele me abraça

- Oi pequeno - nossa relação é boa desde que comecei a namorar com o Liam e ele nunca mostrou que não gosta de mim.

Chegou a hora do parabéns e todos nós nos reunimos em volta da mesa Liam do meu lado e a Cheryl do outro lado dele.

- Quero agradecer a todos pela presença e dizer que to muito ansiosa para que minha netinha chegue logo - sorrio

- Mas o Liam sempre quis um menino, lembro da felicidade dele quando disse que era um menino - Cheryl diz e meu sorriso some.

Todo mundo rio do que ela disse e alguns que gostam dela até concordaram, eu sai dali e fui para o jardim respirar um pouco.

- Onde você vai amor? - ele me segura pela cintura

- Eu to passando mal e preciso respirar - menti e sai dali. Cheguei no jardim e sentei em um banco e algumas lágrimas surgiram no meu rosto, fiquei pensando se Liam realmente queria uma menina. Logo vi ele chegando até mim com um pedaço de bolo e ele se senta do meu lado

- Você tá bem? - ele me abraça de lado 

- Estou sim, tá tudo bem 

- Eu te conheço e sei que não está tudo bem.

- Liam, você quer esse filho? - ele me olha incrédulo

- Eu sabia! (Seu nome) você sabe que ela disse aquilo só pra te deixar mal e to vendo que ela conseguiu. - ele respira fundo e continua - claro que quando eu estava com ela eu queria um menino, mas agora que eu tenho um menino lindo e forte essa menina vai vim e vai ser mais uma felicidade na minha vida, ela vai ser a minha princesa que eu e o Charlie vamos proteger - ele segura minha mão. - agora tira isso da sua cabeça e come esse pedaço de bolo - ele diz e me dá um selinho.

- Me desculpa Liam, isso é coisa da minha cabeça eu sei - sorrio e pego o bolo e ficamos ali sentados até a mãe de Liam vim nos chamar para abrir os presentes.Quando ela abriu meu presente ela veio me abraçar e Cheryl continuou jogando piadinhas, mas eu nem liguei porque sabia que ela só queria me provocar e sei que Liam está muito feliz.

LEMBRE-SE: PLÁGIO É CRIME!

Esses dias ouvi você dizer que “NÃO EXISTE PAI PERFEITO” e eu tenho que realmente concordar com isso (você pensou que eu ia descordar né bonitinho? rs) Mas é verdade não existe pai perfeito, mas você com certeza chega o mais perto disso possível. Eu e minhas irmãs somos muito abençoadas por ter você como nosso herói, nossa inspiração, nossa rocha. Você é dedicado em tudo que faz, é um verdadeiro homem, que luta por tudo que almeja e conquista tudo o que tem no foco. Você me diz que sou sua campeã, mas só sou sua campeã porque você é o meu treinador, como não ganhar? Você é maravilhoso. Obrigada por sempre dar o seu melhor em tudo que faz, principalmente quando se trata da gente, você sempre faz o possível e o impossível pra ser coerente. Eu sou muito agradecida por você ser “moderninho” e ter a mente aberta pra muita coisa que muitos pais por ai não entenderiam, mas você entende e eu sou muito feliz por isso. Tenho que te agradecer também por sempre nós incentivar a dar o nosso melhor SEMPRE e que se isso ocorrer com certeza teremos o melhor da vida, e sei que com você ao meu lado sempre terei o melhor pois você me faz melhor. Já disse que você me ensinou muitas coisas pelos meus dezenove anos, mas nunca é demais repetir. Você me ensinou a dar valor a vida, a dar o meu melhor sempre, a conquistar minhas coisas, a respeitar o próximo e amar mesmo não merecendo, me ensinou a trabalhar e ser educada e eu nunca vou poder agradecer por tudo ou pelo menos retribuir, mas pode ter certeza que sempre vou tentar retribuir tudo que já fez por mim. Seu coração de pai, sempre me mostrou compreensão e carinho, sempre foi meu amigo antes mesmo de ser meu pai. Homem alegre e brincalhão, mas também, às vezes silencioso e pensativo, homem de fé e grande luta, sensível e generoso que tem o abraço aconchegante que me acolhe. Não vou dizer pra você ser sempre esse homem ou que nunca mude porque eu sei que você se supera a cada dia, todo dia você melhora um pouco mais, vou dizer pra você mudar sempre pois com suas mudanças você ganha mais experiencias e são essas experiencias que você passa pra mim que me torna alguém melhor, você aprende com a vida e eu aprendo com você, porque você é o homem da minha vida, o pai que eu nunca pedi, pois não poderia pedir alguém tão IM(PERFEITO) pra mim.
—  Larissa Freschi - Feliz dia dos pais

Pedido: Faz um do Liam q a SN está desesperada pq a recém nascida deles está muito mal no hospital e o Liam n está se importando! Eles nunca namoraram! Fina feliz - Anônimo

Obrigada por ter feito o pedido.❤

***

Imagine Liam Payne:

Pov’s S/n

Há sete meses e alguns dias, eu estava em uma festa com algumas amigas, estávamos apenas nos divertindo, eu só havia aceitado ir pois era aniversário de uma delas que eu considerava como uma irmã, mas conforme eu fui me alegrando e a festa foi rolando, um homem de cabelos castanhos claros e olhos igualmente castanhos se aproximou e começou a conversar comigo, Liam -que eu descobri ser o nome dele- me pagou uma bebida, eu aceitei e nós começamos a nos conhecer um pouco, Liam tinha um sorriso galanteador e seu papinho faria qualquer uma cair na dele, e comigo não foi diferente.
Em poucos minutos eu e Liam estávamos nos beijando selvagemente, o efeito do álcool já havia me deixado fora de mim, o que facilitou que Liam me convencesse de ir para sua casa para “aproveitar o resto da noite”, o problema é, estávamos bêbados, não fazia idéia do que estava fazendo e segundo Liam ele também não, não tinha chance alguma daquilo acabar bem.

No dia seguinte, eu acordei mal, em um lugar completamente desconhecido, pelada ao lado de um estranho e sem saber o que havia acontecido. Eu fiquei um pouco aflita, mas assim que pude acordar melhor consegui ter flashes da noite anterior, lembrei de ter conhecido Liam e lembrei de como acabamos pelados na sua cama. Assim que Liam acordou, ele conseguiu me reconhecer e contou tudo o que havia acontecido. Liam não me estuprou, eu estava ciente do que estava acontecendo e também queria. Mas confesso que é bem estranho acordar na casa dele assim e ter um breve esquecimento sobre todo o ocorrido, sorte que Liam não é um cara babaca que me chutaria para fora assim que acordasse. Ele fez café e me ofereceu carona para casa, trocamos nossos números mas não era nada sério, apenas caso quiséssemos nos encontrar de novo.

Mas depois de quatro semanas, eu comecei a me sentir mal e resolvi ir ao médico, tendo assim a notícia de minha gravidez, eu não havia me relacionado com ninguém depois de Liam, e acabei lembrando de que estávamos muito apressados e não usamos preservativo. Assim que contei a minha família, todos me aconselharam a contar a Liam, mas quando eu contei, Liam não ligou muito, disse que não iria ser pai mas que pagaria a pensão, ele disse que não poderia cuidar do bebê e que não iria ficar comigo ou algo do tipo só por causa da gravidez. Eu fiquei bem mal, pensei que Liam no mínimo iria assumir seu próprio filho, mas parece que o que ele mais quer é distância e eu só posso aceitar, afinal, ele pelo menos irá pagar pensão, o que já é de grande ajuda.

Quando o bebê nasceu, descobri ser uma menina, mas infelizmente o bebê nasceu prematuro, de sete meses, o que o deixou na incubadora. A pediatra falou que devido algumas complicações na gravidez, o bebê vai ter que ficar lá por um tempo, e eu desesperada informei Liam, já que ele é o pai e sua filha precisa dele mais do que nunca, mas o mesmo nem ligou, ele disse que viria ver e que era para eu me virar.

-Eu estou tão preocupada, eu tenho uma filha prematura o pai não está nem aí e eu não posso simplesmente arrastá-lo até aqui para ele ao menos conhecer o bebê. Como eu vou cuidar de uma criança sozinha? Não terminei a faculdade ainda e meu trabalho não paga o suficiente para me sustentar, tem a pensão mas duvido que dê para comprar tudo, eu sou mãe pela primeira vez e nem imaginava que isso aconteceria agora, como vou dar conta de tudo?!
Perguntei desesperada enquanto chorava como nunca chorei antes. Minha mãe passava a mão em carinhos reconfortantes nas minhas costas, eu estou um caco, chorei mais do que conseguia e minha cara inchada demonstra isso. Não sai do hospital desde que recebi a notícia de que minha filha está na incubadora, eu não posso simplesmente deixar ela aqui sozinha, sou sua mãe e vou lutar pela mesma.

-Eu vou atrás dele.
Meu pai falou decidido com os punhos fechados. Eu rapidamente neguei.

-Não quero que ele se sinta na obrigação de vir aqui, se ele vier, que venha por vontade própria.
Limpei minhas lágrimas e dessa vez meu pai negou.

-Não. Ele tem a obrigação de vir aqui sim, ele é o pai e ele também ajudou na hora de fazer a criança, então agora que lide com as responsabilidades.
Falou decidido pegando as chaves do carro e antes que eu pudesse impedir ele já estava saindo.

-Vai dar tudo certo querida, seu pai sabe o que está fazendo.
Minha mãe me acalmou.

Pov’s Liam

Eu estava relaxado em minha casa, eu posso até ter feito aquele bebê mas eu não tenho a obrigação de estar lá e muito menos ficar pagando de paizão. Eu estou fazendo a minha parte e pagando a pensão.
Depois que S/n me ligou dizendo que a bebê havia nascido prematura e estava na incubadora, eu confesso ter ficado um pouco preocupado mas, ela vai ficar bem, afinal, é só ficar um tempinho na incubadora e logo volta para casa.

Me assustei quando ouvi a campainha tocar várias vezes, eu não estava esperando ninguém e muito menos conheço alguém que toca a campainha como se tivesse prendido o dedo na mesma. Assim que saí para ver, dei de cara com o pai de S/n eu o conheci quando S/n contou para a família dela sobre a gravidez e ele resolveu que iria vir na minha casa falar comigo, não foi uma conversa agradável.

-O que você quer na minha casa?
Perguntei já direto pois coisa boa dali não viria.

-Você ficou sabendo que a SUA filha está no hospital?
Perguntou sério com os braços cruzados.

-Sim, eu fiquei sabendo. Espero que ela melhore, veio aqui porquê precisa de dinheiro para algo? Eu posso pagar e vocês me esquecem.
Respondi indiferente.

-S/n precisa mais do que seu dinheiro, aquela criança precisa mais do que dinheiro. Você imagina o tanto de crianças que nascem sem ter um pai? Você consegue imaginar o quão mal ela pode se sentir ao pensar que o próprio pai não a ama ou que sequer liga para ela? A única lembrança que ela vai ter a vida toda de seu pai vão ser míseras notas de dinheiro, coloque-se no lugar dela! Pensa que isso é saudável? Acha mesmo que um bebê só precisa de leite e brinquedos para crescer?! Ela está em um hospital agora, em uma incubadora com poucas chances de sobrevivência, e sabe o que os médicos disseram? Que apenas a aproximação dos pais já é de grande ajuda na recuperação do bebê. Você quer salvar uma vida Liam? Ou só quer coçar o saco pelo resto da sua vida? Pois a sua filha precisa e você.
Despejou todas aquelas palavras em mim. Eu odeio isso, odeio quando jogam responsabilidades para cima de mim, eu só tenho a porra de vinte e quatro anos de idade, não quero ser pai agora.

-Então você espera que eu vá até o hospital e faça um pouco de carinho na cabeça dela…É isso?
Perguntei já de saco cheio.

-Olha aqui seu filho da…!

-Ei! Você está na minha casa e eu não te dou o direito de xingar minha mãe. Agora pode voltar pra sua família naquele hospital, eu não tenho nada a ver com isso.
Mandei e o mesmo bufou se acalmando. Vi o homem pegar em um papel e uma caneta anotando algo e logo esticando o braço para que eu pegasse.

-É o endereço do hospital, caso você tome um pouco de juízo e resolva fazer o certo com a sua merda de vida. Não precisamos de muito, mas sua filha precisa.
Avisou e assim que eu peguei o papel ele foi embora.

Entrei para dentro de casa e voltei a assistir TV. Coçar o saco pelo resto da minha vida parece algo bom no momento.

Pov’s S/n

Eu e minha mãe estávamos comendo alguma coisa no hospital quando vimos meu pai chegar, assim que notei que o mesmo vinha sozinho eu logo perdi as esperanças. Ele não viria mesmo.

-Eu sinto muito…
Meu pai se sentou e eu desabei novamente.

-Aquele…aquele merda! Ele nem sequer se importou, eu deveria ter socado a cara dele!
Meu pai falou bravo socando a mesa e minha mãe tentou o acalmar.

| Algumas horas depois |

Eu havia ido ver minha filha novamente, o horário de visitas é sempre liberado o que facilita minha proximidade com ela.

-Eu espero que você melhore, eu amo tanto você e ficaria tão mal se você partisse. Por favor fique forte.
Sussurrei pegando em sua minúscula mãozinha.

-Você é tão linda, aposto que vai dar muito orgulho para mim.
Sorri sentindo uma lágrima descendo por minha bochecha.

-Ela é muito bonita mesmo.
Ouvi quem eu menos esperava que ouviria agora. Olhei para trás e Liam estava esgueirado na porta.

-O que faz aqui?
Perguntei séria.

-Pensei melhor no que seu pai disse, me fez lembrar de quando meu pai abandonou minha mãe e nos deixou sozinhos. Não quero ser igual ele.
Falou sério encarando o chão, como se se lembrasse de algo terrível.

-Ela está bem? Os médicos disseram alguma coisa?
Perguntou ainda parado na porta, olhei para a bebê na incubadora.

-Ela está mal, as chances de sobreviver são poucas mas estão fazendo de tudo.
Respondi com a voz falha.

-Me disseram que a aproximação dos pais é importante…

-Sim. É muito importante, o bebê se sente mais confortável e seguro com a presença dos pais, ajuda muito na recuperação.
Respondi brincando com os pequenos dedinhos da mão dela.

-Eu posso me aproximar?
Perguntou e eu pensei por um minuto.

-Se realmente quiser fazer isso.
Dei em ombros e ouvi o mesmo suspirar.

Ouvi seus passos e logo senti sua presença ao meu lado.

-Eu posso a tocar?
Perguntou inseguro e eu assenti sem dizer nada.

Liam levou suas mão que parecia gigante perto do bebê, passou seu dedo indicador pelo rostinho da mesma e pegou na outra mãozinha que eu não estava segurando.

-Já deu um nome a ela?
Perguntou sem me olhar.

-Não. Não tive tempo e nem cabeça para isso.
Respondi suspirando.

-Que tal Ella? É um nome bonito e combina com ela.
Perguntou e eu franzi o cenho.

-Engraçado, quem não queria ser pai estar sugerindo nome.
Comentei sarcasticamente e ele bufou.

-Eu estou tentando okay? Pensa que é fácil acordar em um dia e descobrir que tem uma ser que você fez na barriga de alguém?
Perguntou e eu arqueei minhas sobrancelhas.

-É tem razão, me desculpe. Nem imagino o quanto deve ser fácil descobrir que está grávida de um cara que mal conhece, que transou sem camisinha e que terá que cuidar de uma criança pelo resto de sua vida, isso sem contar o dinheiro para se sustentar e sustentar a criança, a faculdade, o parto do bebê e ainda o fato de que seu bebê prematuro está na incubadora. Muito fácil né Liam? Não sei porque reclamei tanto ou pedi ajuda para Deus, eu devo ter sido tão dramática. Tantas pessoas passando por algo pior, tipo você não é mesmo? O pai que não queria ser pai.
Comentei e ele bufou.

-Desculpe.
Falou baixo.

O silêncio e o clima tenso se instalaram no local. Nenhum dos dois quis dizer uma palavra. Até minha mãe nos chamar.

-Eu e seu pai estamos indo para casa para tomar um banho e descansar um pouco, você quer vir com a gente?
Minha perguntou e eu pensei um pouco. Não queria deixar minha filha sozinha.

-Podem ir, eu fico com ela.
Liam se pronunciou e eu a olhei séria.

-Por favor, cuide bem dela, eu não estou pedindo isso por mim, peço por ela. É só um bebê e não merece tudo o que está acontecendo.
Pedi a Liam e ele assentiu.

-Não se preocupe.
Falou sincero e eu concordei.

Voltamos para casa e eu deixei minha filha e o pai dela no hospital.

| Nove anos depois |

-E foi assim que você nasceu.
Terminei de contar a história para Ella.

-Você com certeza foi uma grande guerreira mamãe.
Ella passou as mãos pelo meu cabelo. Eu tive que esperar um tempo para contar tudo a Ella, tive medo da mesma não compreender e acabar odiando o próprio pai. Mas Ella é uma garota inteligente e agora com seus nove anos não tive como escapar do pedido.

-Papai mudou muito, eu amo ele tanto.
Falou olhando em meus olhos com seus olhos castanhos.

-E ele também te ama.
Sorri apertando a ponta de seu nariz.

-Acha que papai algum dia pensou em desistir de mim?
Perguntou curiosa. Coloquei uma mecha de seus cabelos castanhos quase loiros atrás de sua orelha.

-Liam é um homem bem fechado e na maioria das vezes imaturo. Mas eu não acho que ele quis desistir de você, não depois que viu o seu rostinho de perto na incubadora.
Respondi e ela sorriu.

***

Espero que tenha gostado.😘

One Shot Liam Payne 

Parte I | Parte II (Final)


7 Anos mais tarde

— Há alguns dias o mundo foi ao delírio com a primeira foto do novo bebê do casal Liam e Cheryl Payne no dia dos pais. O nome da criança ainda é um mistério, mas toda a repercussão do bebê nos fez pensar no que aconteceria se Liam Payne se descobrisse pai de mais uma criança e é isso que vamos descobrir nos próximos dias. Os nossos repórteres investigativos levaram meses para remexer o passado após recebermos uma ligação anônima nos passando uma informação que seria capaz de chocar todo o mundo, colocamos essa história bombástica nas mãos do nosso melhor pessoal e aqui estão as provas. Isabelle (seu sobrenome) nasceu há quase sete anos fruto de uma traição do ex-integrante do One Direction com uma dançarina bem no começo de sua carreira solo. Segundo fontes, a dançaria (seu nome completo) foi demitida após a noite que teve com Liam para ficar o mais longe possível de sua vida e não comprometer seu relacionamento com Cheryl. O que vocês pensam sobre o queridinho da One Direction agora? Daria tudo para ver a cara dele ao saber que ao invés de dois filhos, ele tem três somando com a que ele nem se deu o trabalho de conhecer.

Meus olhos estão completamente arregalados e minha boca seca, eu não consigo distinguir se o que eu acabei de vê é real o meu pior pesadelo, o que eu sempre temi. Todo o meu passado e a vida da minha filha foram expostos em um programa de fofoca, o vídeo das câmeras de segurança do hotel o qual Liam e eu passamos a noite anos atrás e fotos minha com a Izzy andando nas ruas.

Um dia se passou desde que essa matéria foi ao ar, eu não gosto de ficar procurando a vida dos outros na internet ou assistir canais de fofoca, então eu fui uma das últimas a saber, se minha não tivesse me ligado hoje, eu ainda não saberia.

Como eu não percebi que tinha pessoas tirando fotos minhas com Izzy? Como eles descobriram essa história se eu nunca contei a ninguém a não ser a minha melhor amiga?

Hannah. Só pode ter sido ela.

Respirando fundo peguei meu telefone rapidamente ao meu lado e liguei para a pessoa que eu confiei minha vida e que possivelmente me entregou aos leões. Nunca imaginei que seria traída dessa forma por alguém que eu considerava da família.

— Quanto você cobrou para enfiar uma faca nas minhas costas?

Foi o que eu disse após ouvir a voz dela pelo telefone, eu estou tão chateada e com raiva que tenho vontade de ir até a casa dela socá-la.

— Calma, (seu nome), eu não fiz o que está pensando, eu…

— Você o quê? Você me traiu! Você jogou a nossa amizade no lixo por causa de dinheiro. Que tipo de pessoa é você? Você não pensou na Izzy? Em como ela ficaria nessa história? Você não só me expôs, expôs a minha filha e isso foi a pior coisa que uma pessoa poderia ter feito.

Minha voz foi ficando embargada pelo choro à medida que eu deixava as palavras saírem sem controle da minha boca. Minha pequena agora será perseguida e tudo que eu não queria na minha vida era que Liam soubesse sobre ela, se ele tentar tirá-la de mim eu não sei o que fazer e tem o Zayn também… Meu Deus, o Zayn vai me matar.

— (Seu nome) por favor me escuta, eu nunca faria isso com você, amiga. Nunca! Minha prima não parava de falar e endeusar o Liam e eu acabei contando toda a história para ela porque eu sei que ele não merece que as pessoas pensem que ele é um santo ou algo além de um canalha sem coração. Por favor me perdoe, eu não queria que isso acontecesse, nunca pensei que ela poderia trair a minha confiança.

— Quem traiu a minha confiança foi você. Eu te confiei uma coisa tão séria e você a passou para frente, bem que dizem que para uma pessoa guardar um segredo você tem que matá-la um minuto depois que contar.

A porta abriu em um rompante e Zayn entrou na sala parecendo um furacão, seu rosto transmitia raiva e eu também estaria assim no lugar dele. Desliguei o celular passando o dorso da mão em meu rosto para limpar as lágrimas, mas novas voltaram a rolar de meus olhos fazendo o trabalho ser em vão.

— Me desculpe, Z…

— EU TE PERGUNTEI TANTAS VEZES, TANTAS VEZES, (SEU NOME), E VOCÊ MENTIU PARA MIM TODAS ELAS SEM REMORSO ALGUM! — Zayn gritou e eu apenas abaixei a cabeça chorando mais alto porque tudo que eu não queria era perder o Zayn e correr um grande risco de perder a minha filha também — O LIAM É O MEU MELHOR AMIGO, VOCÊ DEVERIA TER ME CONTADO. EU NÃO TERIA ME ENVOLVIDO, EU…

— Por favor, não fala isso… Eu te amo tanto, Zayn… — falei entre choro olhando em seus olhos castanhos completamente desapontados.

— Você me ama e mentiu para mim esse tempo todo? Me deixou registrar a filha do meu melhor amigo e não confiou em mim o suficiente para dizer a verdade. — ele abaixou a voz quando seus olhos encontraram os meus — Não existe amor sem confiança, não existe nada para falar a verdade.

— Eu não queria acabar com a amizade de vocês, Liam não tem nada a ver com nós dois. — caminho até colocando as mãos em seu rosto — Acredite em mim, por favor, eu não pretendia me apaixonar pelo melhor amigo do homem que mudou a minha vida, mas não se pode controlar isso, Zayn. Eu não deveria ter te deixado dar seu nome para a Izzy, mas você insistiu tanto. — Zayn suspirou e limpou as lágrimas de meu rosto com o seu polegar deixando um beijo em minha testa.

— Eu ainda estou chateado com você, mas acho que te entendo… Você queria apenas enterrar o passado. — eu balancei minha cabeça repetidamente assentindo e logo senti os braços de Zayn ao meu redor. Fechei os olhos e aproveitei o seu carinho. — Izzy está na escola? —  eu assenti novamente —  Eu vou buscá-la antes que alguém fale alguma coisa para ela.

— Eu te amo, Z.

— Eu também te amo. — ele me soltou beijando minha testa novamente e caminhou em direção a porta sumindo ao passar por ela.

Um dos meus problemas estava parcialmente resolvido, eu sei que apesar de tudo Zayn nunca vai abrir mão de ser o pai da Izzy, ele está com a gente desde que ela tinha quatro anos e desejava mais que tudo ter um pai, agora ela tem quase sete e não quero deixá-la confusa com toda essa situação.

~o~

A campainha tocou e tenho que admitir que um pequeno medo do que poderia ser se apossou de mim, poderia ser qualquer pessoa e entre ela Hannah disposta a pedir mais desculpas por ter provocado um tsunami na minha vida. Me levantando do sofá onde fiquei pensando no que fazer desde que Zayn saiu de casa, caminhei até a porta e assim que a abri tentei fechá-la novamente, mas a pessoa que eu menos queria ver estava disposta a entrar.

— Eu não vou sair daqui até você me explicar toda essa merda! — Liam colocou o pé entre a porta e batente para me impedir de fechá-la.

— Se ter uma filha é uma merda para você, apenas vá embora! — empurro a porta o máximo que posso, mas a força que o Liam aplica contra ela é mais forte então não consigo manter por muito tempo e caio no chão assim que ele a abre completamente.

— Não foi isso que eu disse. — ele entra me vendo jogada no chão — Me desculpe. — ele caminha até mim e tenta me ajudar a levantar mas eu bato em sua mão.

— Eu não preciso da sua ajuda! — me levanto e me afasto alguns passos — Vá embora daqui e não volte mais, é muita audácia a sua me procurar depois de ter me usado e em seguida me demitido.

— Eu não usei você, não fiz nada que você não quisesse. — como pode ser tão idiota? — E tenha a certeza que eu não estaria aqui se você não tivesse soltado nosso caso mídia e inventado uma filha que eu com certeza não tenho. Você não me engana, (seu nome), eu vi você há alguns anos com uma garota provavelmente filha de um de seus casos que agora você está usando para conseguir algum dinheiro.

Antes que eu pudesse sequer me controlar minha mão foi de encontro ao rosto de Liam o acertando, minha palma ardeu no mesmo momento tamanha a força que eu usei.

— Eu não quero nada de você! — minha respiração estava acelerada — A única coisa que quero é que vá embora e esqueça que eu existo como foi durante todos esses anos.

A porta abriu e eu fechei os olhos imaginando o que estava por vir e quando voltei a abri-los, Izzy passou por Liam correndo com um sorriso em seu rosto e parou diante de mim.

— Mãe, meu pai chegou! Meu pai chegou! — em dias normais eu daria risada de sua animação e seus pulinhos, mas não hoje.

— Eu não sou o seu pai! — a voz de Liam cortou a onda de animação que tomava conta de Izzy e ela se virou o encarando confusa.

— Quem é ele? — ela voltou a me olhar e eu apenas dei de ombros percebendo que Liam também estava confuso.

— Ninguém estava esperando na- — Zayn parou de falar assim que percebeu quem estava em nossa sala — Você chamou ele aqui? — a pergunta foi direcionada a mim juntamente aos olhos confusos e um pouco raivosos — Você não pode dizer a ela. — eu o conheço o bastante para saber que ele está com medo de perder o amor de pai da Izzy.

— Zayn? — Liam olhou para o amigo e a confusão estava feita.

— Contar o que papai? — Isabelle olhou para o Zayn.

— Papai? — Liam olhou da minha filha para o Zayn e eu teria que tirá-la da sala antes que tudo se tornasse uma bola de neve ainda maior.

— Izzy, vai lá em cima e junta todos os desenhos que você fez para o papai enquanto ele estava fora que ele logo irá ver todos eles, tudo bem? — ela assentiu voltando a se animar e subiu as escadas correndo antes de deixar um beijo na bochecha de Zayn.

— Alguém pode me explicar o que está acontecendo? — Liam puxou seu topete em sinal de irritação — Aquela é a minha filha? Por que ela chamou o Zayn de pai?

— Não! Aquela é a minha filha e sempre será. — Zayn disse rapidamente não dando espaço para que eu respondesse as perguntas.

— Liam, Isabelle é a minha filha e de Zayn também, por favor, vá embora e não volte a nos procurar. Você não quis mais nada depois daquela noite e Izzy não te pertence… Nos deixe viver nossas vidas. — praticamente implorei.

— Você roubou a minha filha! — Liam virou para Zayn ignorando o meu pedido.

— A única pessoa que quer roubar a filha de alguém é você. Pai é quem cria e durante anos eu tenho dado a minha vida por essa garota, pelas suas devo dizer. Você abandonou o seu posto e eu não vou deixar você voltar agora para exigir algo que não tem direito. — tudo que eu menos queria estava acontecendo bem na minha frente, eu não queria que as histórias se misturassem. Zayn e Liam eram amigos antes de Liam me dar a Izzy e isso não deveria interferir na amizade deles.

— Eu vou entrar com um pedido de guarda. Vocês esconderam a minha filha durante anos e querem que eu vá embora e finja que não a tenho? — Liam me olhou.

— Você não a tem! — Zayn esbravejou.

— Por favor, Liam, deixe que a Isabelle decida… Quando ela fizer dezoito anos, nós três nos juntamos e contamos toda a história. Deixe que a decisão seja dela, não vamos confundi-la. — eu já estava chorando novamente.

— Vocês terão anos para fazer a cabeça dela contra mim, eu não sou idiota. — Liam riu com ironia negando com a cabeça.

— A possibilidade dela se sentir enganada é imensa… Ela pode vir a ficar contra mim e Zayn, então nós três temos o que arriscar. — o silêncio se instalou em toda a sala.

— Tudo bem… Eu vou pensar e o que eu decidi vocês ficarão sabendo. — Liam deu as costas e se retirou da casa.

~o~

Liam só aguentou guardar o segredo até o ano seguinte, segundo ele não seria nada vantajoso ficar longe da filha enquanto ela cresce com um pai e uma mãe fazendo com que ele não seja nada na vida dela. A reunião foi antecipada alguns anos e depois de escutar toda a verdade, a não tão pequena Izzy pediu a Liam para chamá-lo de tio e sem escolha ele aceitou com a condição de poder pegá-la uma vez por mês para ficar um final de semana em sua casa junto à seus irmãos.




Espero que tenham gostado ❤

Não se esqueçam de me dizer o que acharam, é importante. ❤

- Tay

Quando eu fiquei sabendo que meu pai estava na UTI, não pensei duas vezes e fui correndo para o hospital. Naquele momento eu não queria saber se ele se importava comigo ou não, eu só queria saber notícias dele. No caminho, dentro do ônibus, eu comecei a chorar e a pensar se ia perdê-lo, se eu nunca teria a chance de ter com ele uma relação de pai e filha. Eu não estou preparada para outra perda, faz apenas 3 anos que minha mãe se foi, e ainda não me recuperei por completo. Ele nunca foi um pai presente, nunca se importou se eu estava bem ou não, mas não deixa de ser meu pai. Por muitas vezes eu me perguntei do por que dele ser assim e se a culpa era minha. Eu sofro demais com tudo isso. Já passei várias noites em claro, chorando e tentando entender os motivos. Tantas vezes tentei conversar com ele, saber o que se passa, mas nunca consegui. Ele se fecha no mundo dele e não diz nada. Ontem eu doei sangue pra ele, fiquei o tempo todo no hospital, mas ainda não consegui vê-lo. Eu só quero poder abraçá-lo e dizer que tudo vai ficar bem. Ele precisava ver que eu me preocupo sim e que não só o procuro para pedir dinheiro. Eu só quero que ele me enxergue, note que eu existo e que sinto muito a falta dele. E eu espero que depois desse susto, ele acorde pra vida e pare de beber. Ele precisa perceber que a bebida não esta só acabando com a relação dele com as pessoas, mas também com ele e com sua saúde. Eu desejo do fundo do meu coração que ele saia dessa e possa viver bem com ele mesmo, para assim dar o melhor para aqueles que realmente se importam com ele.
—  A vida de Amanda Líria.  

Pedido: Hey eu quero um com o harry em que ele tem uma filha pequena e namora a s/n (gosta muito dela) a pouco tempo e ele nunca falou pra ela que tem uma filha pq tds as namoradas que ele teve tratava mal a filha dele,só que aí ele conta pra s/n que ama a menina e ele fica td bobo apaixonado por causa disso, eu quero bem fofo. Obrigada

           Há algum tempo atrás quando minha esposa faleceu, o meu chão desapareceu, nunca imaginei a possibilidade de cuidar de uma criança sozinho ou ser pai solteiro, mas aconteceu. Há sete anos quando minha mulher dava a luz para a nossa pequena Darcy, infelizmente ela venho a óbito, mas a única coisa que eu não sabia que é a minha esposa já tinha consciência que não aguentaria a gravidez, pois ela não poderia ter um filho, mas ela engravidou por mim, pelo o fato de eu sempre pedir para ela. Por algum tempo eu imaginei que nunca mais iria conseguir amar alguém ou amar a minha própria filha, mas o tempo foi passando e eu fui me pagando cada vez mais nela, e hoje eu posso dizer que sem a minha pequena eu não sou nada.

           Não vou dizer que depois da sua morte nunca mais namorei, ou senti atração por outra mulher, pelo o contrario cheguei a namorar uma ou duas vezes, mas nenhuma pareceu gostar a Darcy e ela sempre reclamava que todas as minhas namoradas a tratava de um jeito diferente, então eu simplesmente comecei a dedicar minha vida a minha filha e ao meu trabalho que é o amor pela a musica. Mas há algum tempo atrás me apaixonei de verdade, desde morte da minha esposa, nunca me senti assim, s/n eu a amo, mas o meu medo de contar sobre a minha filha é maior, tenho medo dela não aceitar isso de eu ser pai solteiro, mas tenho que contar, minha filha faz parte de mim.

           Darcy correu até mim quando me viu chegando em casa. Seus cabelos loiros iguais a sua mãe e os cachos que puxou de mim voavam no ar, ela estava cada vez maior e mais parecida com a sua mãe. Quando Darcy pulou no meu colo beijei seu rosto e ela sorriu para mim. – Papai, vou ser a Alice na peça da escola. – Ela disse animada.

- Eu vou está na primeira fila para vê minha princesa.

           Depois de cola-la para dormir disse que ia resolver algumas pendências do trabalho, mas a verdade é que eu vou encontrar a s/n eu preciso contar a ela sobre a Darcy, mas o meu maior medo é como minha doce filha vai reagir a uma nova namorada já que suas primeiras experiências não foram as melhores.

           Assim que cheguei ao restaurante s/n já estava lá. Droga! Tinha me atrasado mais ou vez. Sentei-me na cadeira e sorri para ela. – Eu estava ocupado com o trabalho, desculpe.

- Está tudo bem. – Disse ela sorrindo e passando as pontas dos dedos na mina covinha.

           Depois de muita conversa e comer alguns pratos, ela finalmente disse seus planos para o futuro e eu tomava coragem para dizer sobre a minha filha.

- Eu tenho o sonho de ser mãe, mas infelizmente não posso ter filhos. – Ela passou a mão na sua barriga e seus olhos encheram de lagrimas, senti-me triste por ela. – Mas quem sabe eu posso adotar uma criança, não é mesmo?

           Seus olhos castanhos brilhavam quando falava no seu sonho de ser mãe. – C-Claro. – Eu estava nervoso e claro que ela já tinha percebido isso.

- Está tudo bem? Você esta diferente.

           Respirei fundo e olhei para o alto, peguei minha cadeira e aproximei-me dela. – Eu não sei como dizer isso, mas eu tenho que contar já passou da hora.

- Você está deixando-me assustada.

           Não disse nada, apenas respirei e olhei nos seus olhos. Por incrível que pareça ela lembra tanto minha esposa que é quase assustador, até mesmo o seu jeito de falar e de agir. – Eu tenho uma filha de sete anos. – Quando disse, não consegui olhar em seus olhos, simplesmente abaixei a cabeça.

- Harry, isso é incrível, porque não me disse isso antes?

           Não imaginei que sua reação fosse essa, já que das minhas outras namoradas não foram nada boas e isso me deixou muito feliz.

- Minhas experiências com namoradas e com a minha filha, nunca foram das melhores então preferi manter isso em segredo.

           Suas pequenas mãos passaram em torno do meu pescoço. – Harry eu iria amar conhecer sua filha, eu amo crianças e eu posso ser uma grande amiga dela. – Ela piscou varias vezes. – Eu jamais vou tomar o lugar da sua mulher, mas eu quero tentar me aproximar dela.

           Ela já sabia sobre a minha esposa, mas não da minha filha. E eu não estava mais feliz por isso, A beijei com toda a vontade do mundo eu precisava disso.

DOIS DIAS DEPOIS…

 

        Darcy pediu-me para colocar uma tiara em seu cabelo e fazer tranças nela. Depois de fazer papel de mãe e pai aprendi a fazer penteados e maquiagem, isso é meio estranho, mas sempre gostei arrumar a Darcy. Eu tinha contado para ela sobre a s/n é ela disse que estava feliz por mim e queria a conhecer por isso se arrumou tanto. Darcy me ajudou a fazer o jantar e por a mesa, quando terminamos a campainha toucou e ela correu para atender.

- Você que é a Darcy? – S/n disse com um grande sorriso no rosto.

- Papai, ela é linda. – Darcy estava encantada por ela.

           Depois de algum tempo juntas já podia dizer que finalmente depois de tantos anos achei uma mulher que me ama e ama minha filha.

IMAGINE LIAM PAYNE

  • Anônimo: Faz um do Liam que ele abandona ela e a filha pra viver cm a Cheryl e o bb e a filha dele fica doente por causa disso e a SN tem que ir atrás dele para fazer o tratamento da menina pq é muito caro e ela n tem condições, final vc decide 
  • Boa leitura!


— Mãe, liga pra ele de novo - digo chorando de dor e passando a mão na minha barriga de sete meses

— (seu nome) se você não ter sua filha agora, você não vai poder salvá-la - o doutor diz

— Eu quero o Liam mãe, ele tem que estar aqui - digo sentindo mais uma pontada na barriga

— O que você prefere? Esperar o Liam ou salvar sua filha? - o médico me diz

— Tá bom, mas mãe me prometa que vai ligar pro Liam de novo - minha mãe assenti e eles começam a me preparar.

[…]

Acordo da anestesia e vi tudo girando e logo vejo minha mãe sentada em um sofá.

— (seu nome) que bom que acordou, Lily já já vem pro seu quarto.

— Ela está bem? Cadê o Liam? - sento na cama e olho ao redor e não o vejo

— Eu ainda não vi a Lily, mas o médico disse que ela foi fazer exames e já já ela vem - ela respira fundo — eu liguei pro Liam várias vezes mais ele não atendeu.

— Eu quero matá-lo, eu não acredito que ele não está aqui - começo a chorar e o médico entra.

— Que bom que acordou (seu nome), bom vim falar sobre sua filha - sorrio e olho para ele - fiz todos os exames e ela está muito bem de saúde, ela vai ficar encubada por ter nascido antes da hora, mas ela está bem, você terá alta amanhã e poderá vim visitar sua filha quando quiser - assenti - agora descansa - ele sorri e sai

5 meses depois

Depois do nascimento de Lily eu descobri que Liam tinha me abandonado, eu fiquei muito mal, eu percebi que ele ficou com medo de ser pai, mas não achei que ele nos abandonaria. Chegou um pedido de divórcio na minha casa e lá tinha a assinatura dele, eu ainda tinha perguntas para fazer, mas não sabia onde ele estava. Eu não assinei e enquanto eu não tirar tudo a limpo ele vai continuar casado comigo.

Minha filha Lily ainda está no hospital, ela se quer aproveitou seu quarto que decorei com tanto carinho com Liam, ela estava com uma doença onde se não tratada ela ficaria com os braços e as pernas paralisadas e o tratamento é muito caro, eu já dei tudo que eu tinha e meus pais também e eu não sei o que vou fazer.

Estava arrumando umas roupinhas para levar para Lily no hospital e logo uma lágrima teimosa escorre.

— Filha, seu pai chegou com o carro, vamos? - viro para ela e lhe dou um abraço e me desmancho em lágrimas

— Eu não vou aguentar tudo isso mãe, eu não quero perder minha filha - ela alisa minhas costas - eu não sei mais o que fazer, eu só queria minha filha em casa e saudável - saio do abraço

— Eu te entendo minha filha, eu não quero perder minha neta também - ela diz

— O que eu faço? - digo limpando as lágrimas

— Vai atrás do pai dela, ele mesmo sendo o idiota que é tem que te ajudar

— Eu nem se quer sei onde ele mora mãe - digo

— Eu não ia falar isso agora, mas vim conversando com Karen e ela diz que ele vai na casa dela de vez em quando. Se quiser eu posso marcar com ela e dá um jeito de vocês se encontrarem.

— Eu não sei não mãe

— Vou ligar pra ela agora, fica tranquila eu combino com ela e te falo - ela diz animada

— Se você insiste - digo e pego a malinha da minha pequena e vou para o hospital.

[…]

Cheguei no lugar onde minha mãe e Karen combinaram e me sentei em uma mesa no canto, esperando meu ex marido chegar. Peço um milk shake e logo vejo ele entrando e vindo até mim.

— E não é que quem é vivo sempre aparece - digo e ele se senta na minha frente

— Fala logo o que você quer, tenho mais o que fazer - ele revira os olhos

— Fazer? O que você estaria fazendo a não ser estar com a sua filha? Por acaso você tem outro filho ou esposa?

— Sim (seu nome) eu tenho outro filho e outra esposa, não somos casados oficialmente até porque você não assinou a porcaria do divórcio, mas moramos juntos sim - ele diz e aquilo foi como uma facada no meu peito e uma lágrima escorre no meu rosto

— O que? Então é verdade, você tem outra família. Eu não acredito que você teve coragem - digo - eu não sei e nem quero saber como é sua família, mas eu não vim aqui discutir isso.

— Então o que você quer (seu nome)? - ele diz seco

— Eu vim pedir sua ajuda, pois nossa filha está muito mal no hospital, o tratamento é caro e eu não tenho mais dinheiro para bancar, ela já está com um lado paralisado e se não continuar o tratamento ela vai perder o outro lado e sabe lá Deus o que vai acontecer depois - digo - eu só te peço, não quero estragar sua família nem nada, e não faça por mim faça pela Lily. Eu vou assinar o divórcio pra você ficar longe de mim, mas não se esqueça da sua filha. - limpo minhas lágrimas e deixo um papel para ele com o nome dela e o nome do hospital caso ele amoleça o coração e ajude nossa filha - você me magoou, mas espero que você seja feliz como eu não fui, e pode deixar que quando você quiser você pode ver sua filha, eu só fico triste porque você não confiou em mim, mas tudo bem, seja feliz. Adeus. - levanto sem ouvir uma palavra dele, só com a mesma cara na qual ele chegou e fui embora.

[…]

— Senhorita (seu nome) - estava segurando a mão da minha pequena quando o médico dela chega no quarto - eu vim dizer que o pagamento já foi feito - ele diz e me levanto

— Pagamento? Eu não paguei nada - digo

— Se você não pagou, alguém pagou - ele diz pegando o papel

— Quem foi? - escuto a porta se abrir

— Foi eu - vejo Liam na porta e sorrio

— Eu não sei como … - ele me interrompe

— me agradecer? Qual é, ela é minha filha, eu não deixaria ela na mão, eu posso vê-la? - assenti e ele chegou perto e pegou sua mãozinha acariciando a mesma.

— (seu nome) eu só quero te pedir desculpas, eu não queria ter te abandonado

— Tudo bem, o importante é que você está aqui - sorrio - obrigada - ele sorri

— Olha - ele tira um envelope de uma pasta - eu não quero divórcio, eu só quero você de volta, com a nossa Lily- ele rasga o mesmo - eu não espero que me perdoe, mas se for pra te reconquistar eu vou - sorrio e ele me abraça e logo ele me puxa para um beijo

— Eu te amo e nunca vou deixar de amar - ele diz — eu também te amo - digo

E ficamos ali, nos três juntos, e não importa o que aconteceu no passado, só quero pensar no futuro e acreditar que ele mudou.


  • VOCÊS DEVEM ESTAR COM MUITAS PERGUNTAS, MAS SE QUISEREM EU FAÇO UMA PARTE DOIS EXPLICANDO TUDO. SÓ DEPENDE DE VOCÊS!
  • PLÁGIO É CRIME!
  • VOLTE NA ASK PARA DIZER O QUE ACHOU!
Preferences #266- O filho de vocês aprontam + ele da bronca no filho vocês

Situação:

Vocês dois foram chamados na escola do filho de vocês, chegando lá, a professora contou que o (a) pequeno (a) havia ofendido e batido em outro aluno da classe, ele não havia gostado da situação, já que havia ensinado ao (a) pequeno (o) que isso era feio.

Harry:

Chegando em casa, Harry não estava com uma cara muito boa, Harry chamou pequeno na sala, que pela voz do pai sabia que havia aprontado.

- pega leve- disse olhando para o Harry-

- sim papai- o pequeno apareceu na sala com uma carinha de choro-

- você bateu no seu colega de classe?- Harry disse sério-

- mas papai, ele bateu na Lauren- Lauren era uma coleguinha de classe dele, eles eram melhores amigos-

- mesmo assim filho, não pode- disse colocando o menino sobre o seu colo- o papai ensinou que nesses casos deve falar com quem?

- com a professora- ele disse olhando o pai- mas eu não ia deixar ele bater na Lau.

- filho- os dois me olharam- sabemos que você só queria proteger a Lau, mas não pode ok?

- sim mamãe- sorriu-

- vai pedir a todos e a professora também- ele assentiu-

- sim papai- sorriu-

- mas está de castigo- olhei para ele- uma semana sem vídeo game.

- papai…

- querido, a mamãe deu a ordem, nós só temos que obedecer- disse rindo- o papai vai conversar com ela depois, está bem?

O pequeno riu e eu levantei do sofá, indo em direção a sala de jogos, senti Harry me abraçar por trás, eu sabia que ele tentaria me convencer de deixar o pequeno com os jogos, mas dessa vez, eu cumpriria o castigo dele, precisávamos educa-los.

Originally posted by pinkharold

Liam:

Liam chegou em casa triste por saber que a pequena havia feito aquilo, Nina nunca foi de brigas ou xingar alguém na escola, ele não estava feliz por que aquela não era a educação que havíamos dado a nossa filha.

- NINA- Liam gritou da sala-

- papai você chegou- a pequena veio correndo para o colo do pai-

- precisamos conversar- ele disse sentando no sofá, colocando a pequena ao se lado- nos chamaram na escola.

- papai eu não fiz nada- ela disse se defendendo-

- não foi o que a professora disse- Liam a olhou- por que bateu naquela menina, filha o papai não tem ensinou isso.

- ela puxou o meu cabelo papai- disse o olhando-

- filha, isso não pode- o olhou- o papai está triste com você, não quero que isso se repita.

- desculpa papai- disse o olhando-

- vai pedir desculpas a sua colega- ela assentiu- (seu nome)…

- Nina está de castigo- a pequena olhou para o Liam com cara de choro- a sala de brinquedo vai ficar fechada por uma semana.

- papai…

- é a decisão final, vá para o seu quarto- a olhou-

A pequena subiu chorando, Liam me olhou e eu sorri sentando ao lado dele, dizendo que havia sido um bom pai e essa semana de castigo a fará aprender que não pode mais fazer isso.

Originally posted by thepaynegifs

Louis:

Eu cheguei em casa depois de ser chamada na escola da nossa pequena filha Mel, contei ao Louis que jurou que iria resolver dessa vez, o que eu não acreditava muito já que ele mimava demais aquela menina.

Louis: MEL- ele a chamou-

- sim papai…- a garotinha apareceu na sala toda sorridente-

- sabe onde sua mãe estava?- ela negou-

- me chamaram na sua escola- a olhei e ela fez careta- senta, não gosto quando faz essas caretas quando falo algo.

- papai…

- sua mãe está falando, sente-se- a garotinha sentou em uma das poltronas- você bateu mesmo naquele garoto?

- ele pegou meus lápis papai- nos olhou-

- eu não te ensinei isso, e sei que sua mãe muito menos- ela assentiu- sabe que o que fez está errado, não é?

- sim papai- ela disse de cabeça baixa-

- vá para o seu quarto- eu o olhei-

- Louis…- me encarou-

- amor…- eu cruzei os braços- Mel…

- oi- ela voltou toda animada-

- quero todas as suas bonecas no meu quarto- seu sorriso desapareceu- não é a primeira vez, o papai vai precisar ser mais rígido, vai ficar um mês sem elas…

- mamãe- ela me olhou-

- eu quero todas as suas bonecas em cima da minha cama até a hora do jantar- a pequena começou a chorar- vá para o seu quarto.

A menina saiu aos berros, Louis me olhou como se pedisse para pegar mais leve, neguei com a cabeça reprendendo aquele ato dele, ele me chamou manhoso e eu sorri negando, essa menina precisa parar de ser mimada, ou as coisas sairiam do nosso controle.

Originally posted by tmlnsn

Niall:

Niall sempre foi muito bondoso com ao filhos, cedia qualquer vontade que os filhos tivesse, e eu era a única a colocar todos em ordem, cheguei em casa depois de ser chamada na escola do nosso filho mais novo Lion, Niall me encarou sorrindo, e logo esse sorriso se desfez quando me viu.

- como foi na escola?- me olhou-

- está na hora de ser um pai Niall- o olhei-

Contei para ele o que havia acontecido, se ele não fizesse nada, as coisas ficariam mais sérias para ele, por que eu estava cansada de ser a “chata” da história, ele entendeu o meu lado e me prometeu que resolveria isso.

- LION…- ele chamou o pequeno de cinco anos-

- sim papai- ele veio correndo junto com os outros dois irmãos-

- sente-se todos- Niall apontou para o sofá-

- está tudo bem papai?- Maya perguntou ao ver a minha cara-

- a mãe de vocês está cansada- eles assentiram- de vocês aprontarem na escola, mais uma vez ela foi chamada lá.

- mas nós não fizemos nada papai- Austin disse o olhando-

- Lion?- ele encarou o mais novo, que me olhou-

- papai eu…

- o que você fez foi errado, sua mãe está triste e as coisas vão começar a mudar por aqui- os olhou- Lion está de castigo.

- Lion o que você fez?- Maya o olhou-

- ele me bateu primeiro, eu só me defendi- ele disse olhando a irmã de 10 anos-

- isso não é motivos, a professora está lá para isso, é com ela que você deveria conversar- Niall disse sério-

- mamãe…- o pequeno veio até mim subindo no meu colo- desculpa.

- ainda sim está de castigo- Niall o olhou enquanto dizia- quero o seu vídeo game no meu quarto até a hora de dormir- o pequeno começou a chorar- e para os outros, se aprontarem mais uma vez e eu ficar sabendo, a situação vai piorar, não me obriguem a trancar a sala de brinquedos e proibirem de saírem com os seus amigos.

- sim papai- os dois mais velhos disseram em coro-

- os três podem se retirar, quero falar com a mãe de vocês- eles assentiram-

Maya pegou Lion do meu colo e eles saíram, Niall sentou do meu lado e eu sorri, ele sorriu e me beijou, estava orgulhosa dele.

Originally posted by craicthatniall

Zayn:

Zayn sempre foi muito rígido com os filhos, na verdade nós dois éramos, acho que por isso nossos filhos quase nunca aprontavam, eu tinha recebi uma ligação no trabalho pedindo para que eu e ele fossemos a escola do pequeno Justin, como não pude ir, pedi para que Zayn fosse, já que ele estava de férias.

Cheguei em casa antes do jantar, sentei ao lado do meu marido que me contou a situação, ele esperou eu chegar, para que eu o ajudasse com o veredito final, deixei nas mãos dele, o que ele faria.

- JUSTIN…- eu chamei o pequeno-

- mamãe você chegou- o pequeno correu pulando no meu colo-

- seu pai quer falar com você- ele assentiu olhando o pai-

- eu estive na sua escola hoje- ele abaixou a cabeça- creio que sabe o motivo de eu ter ido até lá…

- papai ele… Ele xingou a mamãe- ele disse me abraçando-

- eu sei que você ama a sua mãe tanto quanto eu amo ela, mas filho foi errado- o pequeno assentiu- espero que não repita isso mais, está bem?

- sim papai- o pequeno sorriu-

- está de castigo- o pequeno me olhou- não vai à casa dos seus amigos por duas semanas e eles não vão vir para cá.

- mas papai…

- estamos entendidos?- o pequeno assentiu-

- vai para o seu quarto filho- eu disse beijando o topo de sua cabeça-

O pequeno desceu do meu colo e subiu as escadas, Zayn me olhou, eu sorri beijando o pescoço dele, dizendo que ele havia se saído bem e que eu estava orgulhosa.

Originally posted by postingzayn

Imagine Liam Payne

Está ai a continuação do imagine do Liam que vocês pediram! Espero que gostem, e boa leitura! 

*

Parte 1

*

Parte 2.

****


Naquele mesmo dia Liam foi em casa. Ele já chegou me dando bronca por ter saído sem avisar, sem o esperar. Eu disse que pensei muito sobre toda aquela situação e que achava melhor ele se concentrar cem por cento na família dele e eu seguiria com isso sozinha e sem nenhuma interferência dele. Ele disse que não ficaria longe; afinal é filha dele e também faz parte da sua família. Eu tentei insistir, mas ele não foi redutível.

Eu pedi um tempo, longe, um tempo só meu; pra pensar em tudo que estava acontecendo e pra colocar meus pensamentos em dia. Não estava sendo fácil pra mim. O pior de tudo é que eu gostava, e ainda gosto, dele; e doía muito em mim tudo o que estava acontecendo. Ele concordou. Me lembro que antes de sair de casa ele se aproximou e, depois de deixar um beijo na minha testam disse que seria apenas por um tempo curto; que ele não ficaria longe dela e nem de mim.

Depois daquela conversa com o Liam, e resolvi passar um tempo longe de Londres. Fui para Los Angeles, onde minha melhor amiga mora. Quando avisei Liam ele ficou possesso. Não gostou nem um pouco da ideia, mas eu fui mesmo assim. Eu realmente precisava disso.

Lá eu arranjei um outro médico para cuidar da minha gestação. Eu me sentia me paz naquele lugar. Longe da loucura que era ficar perto de Liam e, principalmente, Cheryl, minha gestação foi bem mais tranquila e leve. Eu cortei todo vínculo que eu tinha com ele. Troquei o número do meu celular, não abria meus emails. Fiquei longe dele e de sua família. E como ele não sabia onde eu estava e nem com quem, foi bem mais fácil. 

Eu não sabia se estava fazendo o certo, mas sabia que seria o melhor pra mim e, principalmente, para minha filha. Minha filha nasceu num lar calmo, tranquilo e cheio de amor. O que eu sempre esperava para ela. Minha pequena Valentina! 

Mas a minha folga acabou. E apesar de eu ter que voltar, eu me sentia bem. Eu estava revigorada. Pronta para voltar para a minha rotina do cotidiano. 

Voltei para o meu apartamento no centro da cidade e tudo estava como eu queria. Enquanto estava fora, pedi para minha amiga mudar algumas coisas básicas; como cor da parede, uma decoração ou outra e dar os toques finais no quarto da minha pequena. Tudo estava perfeito. 

Logo que eu cheguei a correria já começou. Passei no marcado, liguei para o meu trabalho dizendo que eu já estava de volta, fui atrás de um lugar onde poderia deixar a Valentina enquanto estivesse no trabalho, e passei no shopping para comprar algumas coisinhas. 

Quando voltei para casa, dei um banho nela, dei o peito e a fiz dormir. Depois de tomar um banho, desci para preparar alguma coisa para eu comer. 

Batidas na porta me fazem estranhar. Mas já imagino ser minha amiga, a Carol.

- Eu posso saber onde você estava? - ele estava claramente irritado. - Por onde você andou? Por que você fez isso, S/N? - ele disse entrando em casa. - Você tem noção de como eu fiquei quando eu percebi que você não voltaria, quando você não dava mais notícias, quando eu não conseguia falar com você? 

- Me desculpe. - disse num sussurro.

- “Me desculpe” é tudo que você tem pra me dizer? - ele me olhava no olho. - Por que você fez isso comigo? 

- Eu disse que seria o melhor, Liam. Eu precisava ficar longe por um tempo.

- Foi o melhor pra quem? - “pra Cheryl, com certeza”, pensei. - Porque pra mim foi horrível. Eu fui obrigado a ficar longe da minha filha, sem nem receber uma única noticia e nem saber o porquê disso tudo. Você poderia ter, ao menos, me avisado onde você estava.

 - Eu não queria você por perto, Liam. Você tinha que se concentrar na sua família.

 - E quando é que você vai entender que ela também é minha família?! Ela é minha filha, S/N. Eu não pude mais acompanhar a evolução dela durante a gestação, não estava junto quando ela começou a dar os chutes por reconhecer a minha voz. Eu não estava junto quando as contrações começaram, e não estava junto quando ela nasceu.

 - Me desculpa, Liam. – respirei fundo, contendo minha vontade de chorar. – Eu só fiquei com medo, insegura…

 - Medo de quê? Eu estava do seu lado. Você não ia ficar sozinha. – ele respirou fundo. – S/N, o que levou você a simplesmente sumir sem dar notícias? – foi a minha vez de respirar fundo.

 - Naquele dia no consultório, enquanto você tinha saído, Cheryl começou a conversar comigo. Ela disse que você sempre sonhou em ser pai de menino, que o Érik era a paixão da sua vida. Você iria poder brincar com ele, ensinar coisas de meninos. Minha filha ficaria de lado, seria menos amada por ser menina. Foi por isso que eu vim embora. Depois disso, ela começou a me mandar mensagens pesadas, dizendo que queria acabar com a família dela, mas não consegui; xingamentos, entre outras coisas. Eu precisava ficar longe, entende?! Precisava espairecer, pensar no que fazer, colocar meus pensamentos em ordem. Por isso que eu sai daqui, por isso eu cortei qualquer vínculo que tínhamos. Eu fiquei com medo.  

 - S/N, pelo amor de Deus. Eu jamais a amaria menos por ser menina. Pelo contrário. Eu sempre quis ser pai de menina! – o encarei surpresa. – Você devia ter me contado isso.

 - Eu sei, me desculpa. Eu jamais deveria ter feito isso, foi errado. – ele sorriu e se aproximou de mim.

 - Só se você me prometer que nunca mais vai fazer isso! – sorri e assenti. Ele me abraçou apertado e, ao sentir seu cheiro, meu corpo inteiro se arrepiou. – Eu posso conhecer ela? – sorri.

 - Claro! Ela já está dormindo, mas pode vir.

 Fomos até o quarto dela e ela ainda dormia tranquilamente. Liam sorriu bobo ao ver ela.

 - Ela é tão linda! – ele sussurrou.

 - É! Ela é um anjinho. – ele me encarou e sorriu.

 Saímos do quarto e ficamos conversando mais um tempo.

- S/N… eu acho que te devo um pedido de desculpa…. - franzi o cenho.

- Por quê?

- Por não ter te passado segurança suficiente e por ter permitido e não ter percebido o que a Cheryl fez com você. - sorri de leve.

- Você não tem que me pedir desculpas. Pelo contrário. - ele sorriu, mas não parecia feliz. 

- Bom, eu vou indo. Já está tarde e você deve estar cansada. - se levantou. - Eu posso vir passar aqui amanhã, num horário em que ela esteja acordada? - sorri.

- Vou estar esperando! - ele sorriu e foi embora…


[…]

Você tem valor!

Você é mais importante que as quintiliões de estrelas…

Creia por favor, você é mais belo que o Sol, mais brilhante do que a Lua, mais fantástico do que tudo o que seus olhos vêem…

Um grito de júbilo explodiu no universo quando a vida se tornou consciente, inteligente, dotada de vontade e liberdade.

Podemos dizer como o poeta de que o Cosmos “chorou” de alegria quando você surgiu das mãos de Deus.

“Façamos o homem à nossa imagem e semelhança. Que ele reine sobre os peixes do mar, sobre as aves do céu, sobre os animais domésticos, e sobre toda a terra e sobre todos os répteis que se arrastam sobre a terra… criou-os homem e mulher”. (Gen 1, 26-27).

Veja jovem, você veio ao mundo, depois de bilhões de anos de preparação, para ser rei deste universo dado por Deus.

Então você não pode se arrastar como um escravo; você não pode viver como uma águia de galinheiro; a sua dignidade de filho de Deus não permite. Você sintetiza no seu ser todo o universo criado e a glória do Criador.

Você é a meta de toda criação.

Você é a voz e alma do universo.

É através de você que a matéria bruta, a planta silenciosa, e o animal selvagem vão dar glória ao Criador.

Eles olham para você… Não os decepcione.

Há bilhões de anos Deus preparou a sua chegada.

Desde o primeiro átomo de hidrogênio que foi criado há bilhões de anos, Ele já pensava em você. E, quando você foi gerado por seus pais, de todos aqueles quinhentos milhões de espermatozóides, só um fecundou aquele óvulo bendito de tua mãe: daí nasceu você.

E ninguém jamais será igual a você… por que o Criador trabalha com exclusividade. Não aceita repetir as suas obras.

Entre as mais de seis bilhões de pessoas no Planeta, não há dois que tenham o mesmo código genético (DNA) ou as mesmas impressões digitais. Não é fantástico?

As mulheres querem roupas exclusivas, sem que outras tenham iguais, o Criador deu isso de graça a todos, não nas roupas, mas no ser. A roupa exclusiva acaba, mas você não!

Você é um indivíduo, isto quer dizer, único, irrepetível, singular.

Sua vida única, não houve e não haverá outro igual a você na história deste mundo… já pensou?

Mesmo que o homem possa chegara à loucura de clonar o corpo, Deus não clonará a alma; portanto nem os clones humanos seriam pessoas iguais.

Veja o valor que você tem.

Veja com que capricho e sabedoria você foi criado.

São Paulo nos diz que Deus nos amou antes de ter feito este mundo.

“Bendito seja Deus e Pai de Nosso Senhor Jesus Cristo, que do alto do céu nos abençoou com toda bênção espiritual em Cristo, e nos escolheu nele antes da criação do mundo…” (Ef 1, 3)

Isto quer dizer jovem, que antes de criar o primeiro átomo de hidrogênio, há bilhões de anos, Deus já te amava e te queria.

Antes de ser filho dos seus pais, você já era um filho amado de Deus.

Você tem valor.

Quero que valorize o que você tem,
Você é um ser , você é alguém,
Tão importante para Deus…

Deixa de ficar sofrendo angústia e dor
Neste seu complexo inferior,
Dizendo às vezes que não é ninguém…

Eu venho falar do valor que você tem..
Eu venho falar do valor que você tem..

Imagine Zayn Malik

Anônimo disse

Oii, gostaria de um imagine com o zayn em que ele e a s/n são casados a um tempo e ela está grávida do primeiro filho deles, o zayn quer muito que seja um menino mas no dia da ultrasom eles descobrem que é uma menina. O zayn fica muito bravo e rejeita a filha, mas quando a bebê nasce ele vê mãe e filha juntas e se arrepende e se torna um pai babão

Oi amor, eu achei bem legal esse pedido. Espero que tenha gostado. Me conta o que achou na ask.

S/N P.O.V

Sai do banho, coloquei uma blusa delicada da maneira que sempre gostei e uma calça jeans e uma sapatilha, estava indo ao médico fazer uma ultrassom para ver o sexo do bebê. Zayn estava realmente confiante que era um garoto e eu estava com medo de não ser e ele rejeitar nossa filha. 

Cheguei ao médico e logo fui chamada para fazer a ultrassom, entrei na sala, me deitei na espécie de maca e a médica passava um gel gelado pela minha barriga. 

- Vamos ver o sexo nesse anjinho. - Médica diz.

Ela mexe algumas vezes e abre um enorme sorriso me deixando com medo. 

- É uma linda menina. - Ela me abraça. - Parabéns mamãe. 

Sem reação apenas agradeço e volto a sala de espera em choque e minha mãe me olha. 

- O que foi filha? - Minha mãe pergunta e eu começo a chorar. - Ei, S/N, o que foi meu amor? - Olho em seus olhos.

- É um menina, mãe. Zayn vai rejeitar essa criança. - Volto a chorar e ela coloca minha cabeça em seu ombro. 

- Eu tenho certeza que ele pode mudar de ideia, se acalme. Vamos pra casa.

[…]

Minha mãe me deixou em casa e foi para sua casa. Entrei, tomei outro banho e me deitei na cama. O tempo passou e escutei os passos de Zayn vindo em direção ao quarto. 

- Oi S/N, está tudo bem? - Pergunta e eu volto a chorar.

- Olha, eu sei que você não vai gostar nem um pouco. - Suspiro. - Mas é uma menina. 

- Eu não quero essa criança. Eu não quero uma menina, pra que? Pra estragar minha vida? Eu quero que essa criança morra. - Meu choro se torna constante. 

[…]

NARRADOR P.O.V

A gravidez de S/N havia sido tranquilo, a menina se chamaria Elizabeth, mas todos a chamariam de Lizi. 

O parto de Lizi foi extremamente tranquilo, tirando o fato de que o pai não estava presente, Zayn não se separou de S/N, ele à amava demais para isso. Por mais que sempre falava que iria rejeitar o bebê, no fundo ele sabia o quanto amava aquela criança, era o fruto de seu amor com S/N.

ZAYN P.O.V

Cheguei em casa depois de um longo dia de gravações, S/N estava brincando com Elizabeth, Lizi que ria junto com a mãe. Por mais que com todas as minhas forças eu tentasse, minha vontade era de encher ela de beijinhos, ela era tão fofa e tão parecida comigo. 

- Oi amor. - Digo e selo S/N.

- Oi Zayn. 

- Um oi meu amor, ou oi meu lindo seria melhor. - Reviro os olhos e pego Lizi no colo causando espanto em S/N.

- Por favor não a machuque. 

- Eu nunca vou machucar nossa filha. Me perdoe por ter sido um babaca e rejeitado ela no começo, é que a ideia de ser pai de uma hora para outra me assustou, mas eu amo ela tanto quanto amo você. Mas eu te amo, só não conta pra ela. - Digo e selo novamente seus lábios.

Ficamos o resto n tarde planejando nossa família e como seriamos felizes juntos.

Pedido: Faz um beeeem fofo e detalhado do casamento da s/n com o Zayn. Mostra as dificuldades que eles enfrentaram pra chegar ate la e tlas - Anônimo

Obrigada por ter feito o pedido.❤

***

Imagine Zayn Malik:

O amor é uma coisa realmente incrível. Zayn chegou na minha vida sorrateiramente, nos conhecemos durante o verão, ele chegou na hora em que eu mais precisava dele e mais precisava de alguém para me fazer bem. Era um momento difícil, minha família estava desabando, meus pais estavam se separando e brigavam à todo instante, até que meu pai bateu em minha mãe, ele foi detido e eu e minha mãe nos mudamos, era adolescente ainda, jovem demais para tudo aquilo. Mas Zayn apareceu, meu vizinho, começamos apenas com uma conversa sobre cachorros, ele sorria de um jeito fofo e me fazia rir só por isso.
Depois descobrimos que éramos da mesma escola e da mesma sala, eu tinha muito medo de não conseguir me enturmar na escola e acabar sozinha a todo momento, mas Zayn ficou comigo virando meu amigo e me ajudando.

Quando Zayn me pediu em namoro, ele fez questão de preparar um jantar e se vestir com o terno que também usaria na formatura -para cortar custos- e pediu permissão a minha mãe para poder me namorar e só então ele preparou outro encontro, só com nós dois e me pediu em namoro com direito a anel de compromisso.

| Flashback |

-Meus Deus! Zayn, esse lugar é incrível.
Comentei impressionada com o enorme salão do restaurante.

-Queria que fosse especial. Muito especial.
Sorriu segurando em minha mão, entrelacei nossos dedos e nós caminhamos até nossa mesa.

É um lugar grande e bonito, é um tipo de restaurante vintage mas chique, as mulheres todas vestidas com vestidos longos, alguns simples e outros de pedraria ou renda. Já os homens todos de terno, de várias cores e modelos com gravatas elegantes e sapatos caros. Todos bem arrumados.

-Deve ter sido caro e difícil conseguir reservar uma mesa aqui.
Sussurrei para Zayn e o mesmo beijou minha testa.

-Confesso que foi um pouco, mas não se preocupe com isso. Eu dei meu jeito.
Piscou um olho sorrindo.

Pegamos o cardápio e eu tentei escolher o prato mais barato dali, sabia que Zayn tinha feito algo para conseguir pagar a reserva, mas ainda assim não poderia esbanjar demais.

-Está gostando?
Zayn sorriu pegando minha mão por cima da mesa. Sorri também e beijei seus lábios, deixando-os manchados de batom.

-Eu estou adorando, você é incrível!

(…)

Ao fim do jantar, eu sabia bem o que estaria por vir, o motivo pelo qual viemos aqui.
Zayn pediu ao garçom que trouxesse a sobremesa e deu uma piscada suspeita ao mesmo.
Logo o garçom trouxe e junto dos pratos veio também a pequena caixinha de veludo. Zayn agradeceu e pegou a caixa logo olhando fundo nos meus olhos.

-Eu não sou muito bom com palavras e você sabe disso então…da forma mais sincera e romântica possível eu te pergunto, aceita ser minha namorada?
Sorriu da forma mais fofa que eu já vi na minha vida.

-Aceito!
Ataquei seus lábios e Zayn tentou as cegas encaixar o anel em meu dedo.

O resto da noite se resumiu em nós dois dançando e o meu coração batendo tão rápido que parecia que iria sair pela minha boca. Nunca estive tão feliz em minha vida.

| Flashback off |

Depois de começarmos a namorar, eu e Zayn estávamos vivendo o melhor momento de nossas vidas, como se o universo estivesse finalmente conspirando a nosso favor. Até que a notícia de que meu pai havia saído da prisão por ter pagado a fiança veio a tona, e ele queria me ver.
Eu não queria o ver, não queria mesmo. Mas minha mãe disse para o dar uma segunda chance, só porque é meu pai e talvez esteja realmente arrependido.
Mas tudo desandou. Eu pedi para que Zayn fosse comigo, afinal, apesar de ser meu pai eu ainda tenho medo de o encontrar sozinha, depois do que fez a minha mãe, quem me garante que não faria o mesmo comigo?

Mas meu pai nunca aceitou bem a idéia de eu namorar, nunca havia entrado em um relacionamento antes por conta disso, eu não podia nem sequer ter amigos meninos.
Quando chegamos no local que foi combinado, meu pai já ficou completamente enfurecido por ver Zayn me beijando no carro, isso porque ele ainda nem sabia que era meu namorado. E acabou batendo em Zayn o deixando com um olho roxo e alguns lugares muito doloridos por conta dos socos. Mas eu consegui fazer com que ele parasse, chamei uma ambulância e a polícia. Fui junto para o hospital com Zayn e meu pai voltou para a cadeia. Onde não deveria ter saído.

Depois de alguns meses de namoro, Zayn havia me levado para ver sua família, eu já os conhecia por sermos vizinhos mas foi a primeira vez que os vi como a namorada do filho deles. E eles são um amor, seus pais e suas irmãs são as melhores pessoas do mundo.

Passamos dois anos juntos daquele jeito. Zayn sempre indo na minha casa ou eu na dele, marcavamos de sair, passávamos um bom tempo juntos. Mas eu acabei recebendo uma oportunidade de emprego em Los Angeles na Califórnia, e era muito bom pois eu ganharia bem por algo que gosto e que me faria feliz.
Zayn e eu decidimos nos mudar, juntos, morar sozinhos. Foi difícil no começo, muitas coisas para comprar, mas aos poucos fomos conseguindo.

Zayn sempre escreveu algumas músicas e gostou muito de cantar, ele já me mostrou algumas que havia composto e principalmente uma que escreveu para mim. E eu nunca imaginaria que ele conseguiria realizar esse sonho mas, quando nos mudamos para Los Angeles, uma gravadora escutou uma das músicas que ele havia escrito e o chamou para assinarem um contrato juntos. E nós ficamos muito felizes.

Então, quatro anos foram se passando desde que começamos a namorar, Zayn só crescia cada vez mais na indústria da música, enquanto eu trabalhava como fotógrafa. Estávamos juntos e felizes. Mas a fama sempre gosta de estragar as coisas, Zayn havia feito uma amiga, Gigi, os dois eram apenas amigos mas os jornais e sites de fofoca haviam me convencido de que eles estavam tendo um “relacionamento quente”, só porque ela é modelo. Mas na época isso havia causado uma grande briga entre eu e Zayn, ele estava no começo de sua carreira e eu não sabia o tanto de mentiras e confusões estavam por trás da vida dos artistas. Mas no final eu descobri que aquilo era só para ganhar mais fama para ambos, e eu só o perdoei depois de muito tempo quando pensei que talvez não tivesse sido culpa dele mesmo. E não tinha.

Depois que voltamos Zayn redobrou o carinho que tinha comigo, ele deve ter ficado inseguro de me perder por causa das bobagens da mídia, mas eu nunca faria isso.

Até que um dia ele me pediu em noivado, em nossa viagem a Portugal, ele sabia o quanto eu queria conhecer aquele lugar e achou que seria legal eu ter dois motivos para amar lá.

E hoje estamos nos casando, depois das dificuldades mas também as conquistas.

-Você aceita S/n/c como sua legítima esposa?

-Aceito.

-Você aceita Zayn Javadd Malik como seu legítimo esposo?

-Aceito.

-Então eu os declaro, marido e mulher. Pode beijar a noiva.
E Zayn me beijou, ao som da banda que tocava sua música e as pessoas que aplaudiam e gritavam.

Assim que saímos da igreja onde ocorreu o matrimônio, vários fotógrafos e paparazzis nos esperavam do lado de fora, algumas repórteres e pessoas tentando nos perguntar coisas ou tirar fotos. Mas eu e Zayn passamos reto indo para a limousine.

-Eu te amo.
Zayn me beijou novamente.

-Eu também te amo.
Sorri assim que separamos nossos lábios.

***

Espero que tenha gostado.😘

Se possível, volte na ask e diga o que achou, é importante para mim e isso me incentiva a continuar.😊❤