ddq

Aliás, do seu lado do mundo, as nossas memórias também te infernizam? Você lembra de mim no meio de algum filme qualquer durante a semana? Escuta o som da minha risada no meio da rua e me procura em rostos diferentes do meu? Ou lembra de tudo no meio da noite, naquele momento em que você sempre passava a mão pela cama procurando por mim? Do seu lado do mundo, você também queria voltar um pouco no tempo? Ou passou, acabou, finito, só mais uma história com um fim triste? É que, aqui, do meu lado do mundo, cê ainda faz falta. Eu ainda escuto sua risada. Ainda lembro de ti no meio de um filme qualquer durante a semana. E procuro por você pela minha cama.
—  Depois dos Quinze
Depois dos Quinze: Como eu te conheci

Engraçado, estamos juntos a quase quatro meses e só semana passada eu realmente soube o motivo de ele ter apertado o botão de adicionar no facebook. Sim, começamos a nos falar pelo face, sem pretensão, sem nenhuma intensão de nada. Eu tava com o foda-se ligado pra relacionamentos, ele estava querendo curtir a vida, até que um amigo dele - que me conheceu no carnaval - comentou que ele iria gostar de me conhecer. “Ela é gordinha, ruiva e bem estilosa. Tem jeito de ser doidinha, mas sabe o que fala. Ela tem um sorriso engraçado, mas isso também te faz sorrir. Ela me parece ser inteligente, e eu sei que tu gosta de meninas assim.” Depois desse discurso todo, ele me adiciona no face com um fake. Sou bastante intolerante pra adicionar fakes, mas adicionei. Pouco tempo depois, ele me envia uma foto minha e ao lado, escrito “assim eu vou me apaixonar!”. Fiquei sem graça, mas começamos a conversar. Ele tentava investir, eu só pensava em curtir. Mas não dei um fora, como eu faria em outra ocasião, eu estava gostando. Dali a umas semanas, ver o nome dele on no chat já me fazia sentir frio na barriga, mas continuei ainda sem nenhuma pretensão. Finalmente marcamos de nos encontrar cara a cara. Uma garrafa de vinho, bochechas queimando de vergonha e algumas situações sem graça depois, começamos a nos envolver de verdade. E como diz a nossa primeira música tema, “os dois se encontravam todo dia e a vontade crescia como tinha de ser”. No meio do caminho eu poderia ter dado um fora nele. Poderia ter deixado pra lá, poderia ter cortado, mas não cortei. Conversando sobre isso um dia desses, falei que essa história poderia nem ter acontecido, poderia ter sido apenas um fogo de palha e seguiríamos com nossas vidas. Isso se a gente não fosse tão igual. Se a gente não se completasse de um jeito tão bonito. Se a gente não quisesse apenas ver a felicidade do outro. Isso se a gente não se apoiasse tanto, se a gente não passasse tantas coisas construtivas juntos. Poderia não acontecer nada, se nós não fossemos o primeiro amor um do outro.

Guarda as declarações decoradas para as menininhas que ainda acreditam em contos de fadas. Comigo, pode vir tranquilo, desarmado, sem os textos decorados desse papel que te entregaram de príncipe encantado. Eu também já me despi de todos os sonhos de relacionamentos perfeitos que a vida me trouxe pelo caminho. Aprendi, na marra, nas caras e nos corações quebrados, que vocês nunca vão funcionar como os príncipes que acordam as belas adormecidas. Depois disso, sempre me mantive bem acordada.
—  Karine Rosa