Eu nunca soube descrever o que sentia, hoje sei exatamente onde dói. Todas as noites vou para a cama com o pensamento lá em você, será que está bem? Será que ainda pensa em mim? Será que…? Será? Talvez a resposta fosse sim, talvez fosse não. Mas e se eu saísse da minha zona de conforto, me machucaria? E se você está esperando por isso? E se você não está nem ai? E se…? Essa incerteza machuca bem mais que a saudade. Saber que posso agora está contigo, ou com coração em pedaços.
—  Será que, e se? Desabafos de Sofia.
Quando fecho meus olhos, lá está você, bem pertinho de mim como era, como deveria ser. Juntos, sem briga, sem ninguém atrapalhando, sem distância. Pois nos meus sonhos, eu posso ser o que quiser, e no momento, sou sua. Sou aquela que cuidou de você, aquela que te implorou para ficar, e você ficou. E nesse sonho, eu e você, somos nós, até eu acordar.
—  Desabafos de Sofia.