Sua simpatia me cativou
seu olhar me encantou;
seu sorriso me enfeitiçou;
seu beijo me desconcertou;
sua energia me iluminou;
seu toque me agradou.
Você me hipnotizou,
me apaixonou,
me fascinou.
Minha paixão aumentou
e eu te amei!
—  Doralice Desirée Farah - Gostei!
Os artistas sentem,
as pessoas mentem.
Os artistas criam,
as pessoas copiam.
Os artistas inventam,
as pessoas gostam.
Os artistas sorriem,
as pessoas aplaudem.
Os artistas fazem,
as pessoas criticam.
Os artistas falam,
as pessoas reclamam.
Os artistas argumentam,
as pessoas exclamam.
Os artistas pensam,
as pessoas perguntam.
Os poetas escrevem,
as pessoas agradecem.
—  Doralice Desirée Farah - Os Poetas
Quando fecho meus olhos, lá está você, bem pertinho de mim como era, como deveria ser. Juntos, sem briga, sem ninguém atrapalhando, sem distância. Pois nos meus sonhos, eu posso ser o que quiser, e no momento, sou sua. Sou aquela que cuidou de você, aquela que te implorou para ficar, e você ficou. E nesse sonho, eu e você, somos nós, até eu acordar.
—  Desabafos de Sofia.
Você não é aquele
com quem eu sonhei.
Você não é aquele
Que sempre desejei.
Você não é aquele
que inventei.
Você não é aquele
que pensei.
Você é melhor!
Muito melhor!
—  Doralice Desirée Farah - Muito Melhor
Eu nunca soube descrever o que sentia, hoje sei exatamente onde dói. Todas as noites vou para a cama com o pensamento lá em você, será que está bem? Será que ainda pensa em mim? Será que…? Será? Talvez a resposta fosse sim, talvez fosse não. Mas e se eu saísse da minha zona de conforto, me machucaria? E se você está esperando por isso? E se você não está nem ai? E se…? Essa incerteza machuca bem mais que a saudade. Saber que posso agora está contigo, ou com coração em pedaços.
—  Será que, e se? Desabafos de Sofia.
Mas sabe qual a pior parte dessa história? Nós nem tentamos. Não tentamos ficar juntos, não insistimos no nosso amor, simplesmente nos deixamos. Logo na primeira mentira, na primeira briga, nos deixamos de lado como se fossemos nada um para o outro. Mas a questão é: Se era amor verdadeiro, por que desistimos?
—  Talvez não fosse amor, Desabafos de Sofia.
Eu só queria ter alguém. Não um alguém qualquer, um amigo, um amor. Uma pessoa para quem eu posso contar todos os meus segredos sem medo de no outro dia todos ficarem sabendo. Queria poder confiar em alguém, amar alguém. Sentir novamente aquele frio na barriga quando encontrar com essa pessoa ou, aquela dor no peito quando tem que se despedir. No fundo só tenho medo de não sentir isso mais.
—  Desabafos de Sofia.