curta-metragem

vimeo

Page 23

Um dia a gente vai se encontrar outra vez e o impacto será parecido com dois planetas colidindo. Talvez numa festa de algum amigo em comum… Ou quem sabe andando em lados opostos da rua do “primeiro encontro” que só tem uma saída - e eu teimava contigo que não havia nenhuma -, a mesma do beijo na chuva. Nós dois, com o mesmo olhar dos quinze anos. Explodindo, agora em uma expansão imensurável. E então seremos um universo inteiro. Estaremos casados. Não juntos, estaremos com alguém qualquer que apareceu no momento exato… e por ficar, ficou. Um de nós com o trabalho planejado, o outro com o que deu pra conseguir. Um talvez já tenha filhos, e claro, que não possuem as características favoritas que escolhemos um no outro. Será um impacto enorme, presumo. Um filme curta metragem dos nossos momentos passará em nossas cabeças… Trará os melhores momentos, típico da nostalgia que consumirá os nossos corpos, enquanto faiscamos no nada que sobrou do que vivemos. Tudo ficará de repente diferente, mas no mesmo lugar. Lento e em vertigens, apenas nos enxergaremos. Imagino minha boca se abrindo sem emitir ruído algum e você, como no Ensino Médio lança um olhar que remete saudade e o “oi” mais firme que já ouvi. Eu… Ainda terei o mesmo sorriso largo, o mesmo cabelo armado e a mesma voz rouca. Você… o mesmo cabelo preto ondulado sob a pele morena, a sobrancelha rebelde que só dá certo em você mesmo. Colidiremos. Numa explosão, como uma nebulosa, seremos uma infinidade de partículas de saudade. E depois? Seguiremos andando ué, permitindo que nossa rotina nos prenda de novo. Talvez um de nós olhe para trás como quem quer confirmar se realmente aconteceu, se foi real. Sorriremos pensando “depois de tantos anos…” colidimos. E porque somos nós, porque éramos jovens demais, porque tínhamos medo de assumir o que sentíamos, porque nos calamos no tempo errado, não passará disso. Nós não passaremos de nós… Restos de Marte e Lua. Poeira cósmica. Lembranças. E na música que compus pra você, a pergunta pairou no tempo “A pergunta não é ‘se’, mas 'quando’ a gente vai se encontrar.’" 
Quando, hein?
—  13

Submersas ( curta-metragem, 2016 ).


“Duda e Felícia refletem sobre seus lugares no mundo.“  

com Bianca de Bem e Mariana Krüger 


Ficha Técnica:

Roteiro: Caroline A. Karnas e Sophia Lautert 

Direção: Caroline A. Karnas e Catherine S. Vargas 

Assistência de Direção: Patrícia Machado 

Direção de Produção: Jamile Hablich e Luísa Cecília 

Direção de Fotografia: Sophia Lautert 

Assistência de Fotografia: Maitê Mahl 

Direção de Arte: Valentina Barata 

Assistência de Arte: Maitê Mahl 

Maquiagem: Victória Camaratta 

Som Direto: Felipe Soilo e Luísa Cecília 

Desenho de Som: Felipe Soilo 

Montagem: Felipe Soilo

vimeo

There’s a Man in the Woods

youtube

“Obrigado e Bom Dia” é um ensaio audiovisual sobre as máscaras que transportamos no quotidiano. Rafael tem de servir no bar de uma faculdade para sustentar a sua família. Um emprego que nunca quis e quando a vida pessoal pesa, a verdadeira faceta emerge. Rafael é invenção, é apenas uma centelha da representação em sociedade obrigatória para sobrevivermos. Mas trabalha com pessoas reais a demonstrar o mesmo, com o seu trabalho e introspeção a envolverem-se com a personagem irreal, misturando-se realidade e ficção.

Realizado no âmbito de Teorias do Drama e do Espetáculo, por alunos de Ciências da Comunicação, na FCSH-UNL.

vimeo

The Great Dictator - Speech (1940)

“I’m sorry but I don’t want to be an Emperor – that’s not my business – I don’t want to rule or conquer anyone. I should like to help everyone if possible, Jew, gentile, black man, white. We all want to help one another, human beings are like that.

We all want to live by each other’s happiness, not by each other’s misery. We don’t want to hate and despise one another. In this world there is room for everyone and the earth is rich and can provide for everyone.

The way of life can be free and beautiful.

But we have lost the way.

Greed has poisoned men’s souls – has barricaded the world with hate; has goose-stepped us into misery and bloodshed.

We have developed speed but we have shut ourselves in: machinery that gives abundance has left us in want. Our knowledge has made us cynical, our cleverness hard and unkind. We think too much and feel too little: More than machinery we need humanity; More than cleverness we need kindness and gentleness. Without these qualities, life will be violent and all will be lost.

The aeroplane and the radio have brought us closer together. The very nature of these inventions cries out for the goodness in men, cries out for universal brotherhood for the unity of us all. Even now my voice is reaching millions throughout the world, millions of despairing men, women and little children, victims of a system that makes men torture and imprison innocent people. To those who can hear me I say “Do not despair”.

The misery that is now upon us is but the passing of greed, the bitterness of men who fear the way of human progress: the hate of men will pass and dictators die and the power they took from the people, will return to the people and so long as men die [now] liberty will never perish…

Soldiers – don’t give yourselves to brutes, men who despise you and enslave you – who regiment your lives, tell you what to do, what to think and what to feel, who drill you, diet you, treat you as cattle, as cannon fodder.

Don’t give yourselves to these unnatural men, machine men, with machine minds and machine hearts. You are not machines. You are not cattle. You are men. You have the love of humanity in your hearts. You don’t hate – only the unloved hate. Only the unloved and the unnatural. Soldiers – don’t fight for slavery, fight for liberty.

In the seventeenth chapter of Saint Luke it is written ” the kingdom of God is within man ” – not one man, nor a group of men – but in all men – in you, the people.

You the people have the power, the power to create machines, the power to create happiness. You the people have the power to make life free and beautiful, to make this life a wonderful adventure. Then in the name of democracy let’s use that power – let us all unite. Let us fight for a new world, a decent world that will give men a chance to work, that will give you the future and old age and security. By the promise of these things, brutes have risen to power, but they lie. They do not fulfil their promise, they never will. Dictators free themselves but they enslave the people. Now let us fight to fulfil that promise. Let us fight to free the world, to do away with national barriers, do away with greed, with hate and intolerance. Let us fight for a world of reason, a world where science and progress will lead to all men’s happiness.

Soldiers – in the name of democracy, let us all unite!”

vimeo

In a Heartbeat

youtube

Curta metragem produzido para a disciplina de Leitura de Imagem do Curso de Comunicação Social 2011 da FACOPP - Unoeste.

Com:

João Pedro, como Pedro criança
Pedro Salomão, como Pedro
Edilene Dower, como mãe de Pedro
Laura Dower, como namorada de Pedro.

Direção e Produção:

Fernanda Spinosa, Laura Dower, Jéssica Ambrósio e Michelle Rodrigues.

Edição: Felix Marinho.

...

fomos um eclipse, baby. o momento exato em que a lua encontra o sol mesmo com suas nítidas diferenças. um quente, exalante, impetuoso e repleto de paixão ardente. o outro frio, imprudente, sagaz e exalando amor por todos seus orifícios.
tivemos nossas chances de sermos felizes, nos apoiamos, cuidamos um do outro e vivemos da forma mais intensa possível. queríamos cada segundo narrado em algum curta metragem, porém teremos apenas alguns textos, fotos, músicas e cheiros como recordação. nosso encontro terminou, darling, que os astros nos console.

vimeo

Post-It Love

youtube

In a Heartbeat - Animated Short Film

3

Submersas ( curta-metragem, 2016 ).


“Duda e Felícia refletem sobre seus lugares no mundo.“  

com Bianca de Bem e Mariana Krüger 


Ficha Técnica:

Roteiro: Caroline A. Karnas e Sophia Lautert 

Direção: Caroline A. Karnas e Catherine S. Vargas 

Assistência de Direção: Patrícia Machado 

Direção de Produção: Jamile Hablich e Luísa Cecília 

Direção de Fotografia: Sophia Lautert 

Assistência de Fotografia: Maitê Mahl 

Direção de Arte: Valentina Barata 

Assistência de Arte: Maitê Mahl 

Maquiagem: Victória Camaratta 

Som Direto: Felipe Soilo e Luísa Cecília 

Desenho de Som: Felipe Soilo 

Montagem: Felipe Soilo