crystal henry

Imagine Harry Styles

Pedido: “Poderia fazer um do Harry em que eles são casados e tem filhos só que ela acha que os filhos não gostam dela porque sempre pedem ajuda ao pai e ela começa a ficar com depressão e no final tudo se resolve pode fazer bem dramático”. - Anônimo.

  • Ok, já aviso que talvez não tenha ficado tão dramático quanto você esperava… Desculpe; mas espero do fundo do coração que você goste!

******


Hoje era o dia mais esperado da semana, tanto pelas crianças quanto por mim. É o dia que passamos juntos em família. Desde a hora que acordamos até quando vamos dormir. 

Tanto o trabalho do Harry, quanto o meu, são muito puxados. A diferença é que eu consigo concentrar a maior parte dele em casa. Já ele não. Ele viaja muito  a trabalho, o que diminui um pouco nossa convivência. 

Então, estipulamos que sempre, sempre, o domingo é o nosso dia; é o dia de ficarmos todos juntos. E procuramos sempre fazer o que as crianças gostam. 

Estávamos no parque, elas estavam brincando e eu e Harry estávamos sentados, os observando de longe. 

- Meu tênis desamarrou. - Henry, de 7 anos, falou chegando perto de nós.

- Vem aqui que eu amarro! - falei sorrindo, mas ele negou com a cabeça. 

- Eu quero que o papai amarre. - Harry sorriu e amarrou o cadarço do tênis dele.

- Papai, papai! Olha o que eu achei! - Crystal, de 5 anos, veio correndo e se jogou no colo do pai; o mostrando uma joaninha em sua mão. 

- Que lindo, meu amor! - a pegou em seu colo. - E o que você vai fazer com ela? - ela levantou os ombrinhos, mostrando que não sabia. 

- Que tal devolver ela pra família dela?! - disse sorrindo e ela fez cara de manha e deitou a cabeça do peito dele. 

- Mas, papai, eu quero ficar com ela! - fez bico e Harry riu. 

- Mas, filha, ela tem que ficar com a família dela! Você ia gostar que te tirassem da sua família? - ela negou. - Então… - ele sugeriu e ela se levantou e colocou a joaninha na grama. - Isso mesmo! Essa é a minha menina! - beijou a bochecha dela e ela deu uma gargalhada gostosa. 

**

E assim foi o resto do dia. Tudo que as crianças iam fazer, recorriam ao Harry. Tudo. Ficaram no encalço dele o dia inteiro, sem desgrudar nem sequer para tomar banho. 

Era sempre dessa forma. Sempre que ficávamos todos juntos, eles ficavam mais grudados no Harry. Só queriam ficar com ele. Eu ficava sim triste com isso. Poxa, era o nosso dia juntos, nós 4. Mas parece que eles só queriam o pai…

Eu sou a que mais passa tempo com eles. Desde que acordam para ir à escola, até o ballet e o futebol da tarde, ajuda com a lição de casa… Tudo. As vezes parece que eles não me ama… 

Pode ser besteira e ridículo da minha parte. Mas é exatamente assim que eu me sinto com isso tudo. 

Harry conseguiu adiar algumas viagens e, naquela semana, ele ficou o tempo todo por perto. E Henry e Crystal grudaram nele novamente.  E eu comecei a me distanciar um pouco… 

Involuntariamente. Mas aconteceu. Não teve muita coisa que eu fizesse para evitar. Harry percebia meu distanciamento e sempre me perguntava se estava tudo bem. Mas eu sempre respondia que estava meio indisposta. 

**

- Agora nós vamos conversar, e muito sério. - ele disse entrando no quarto e fechando a porta. - O que está acontecendo com você?

- Nada, Harry… Só não estou me sentindo muito bem nos últimos dias… 

- Então vamos ao médico. 

- Não. Médico nenhum resolve o que eu tenho…. - disse baixo; não não o suficiente para que ele não escutasse. 

- Então me conta! - disse pertinho de mim, fazendo um carinho na minha bochecha. Automaticamente lágrimas começaram a escorrer pelo meu rosto. Ele apenas me abraçou forte. - Você está distante da gente, não brinca mais com as crianças como antigamente, e mal conversa comigo… O que há com você, meu amor? Me fala, eu quero te ajudar. 

- É que… eu.. eu.. - respirei fundo. - Eu sinto que nosso filhos não me amam, não gostam de mim. 

- E por que você acha isso? – me encarou e eu dei de ombros.

- Ah, Harry, elas são bem mais ligadas a você do que a mim. Quando estamos juntos, eles preferem ficar grudados em você, pedem tudo para você… Eu me sinto excluída, e sinto que ele não gostam de mim como gostam de você. – ele sorriu e secou algumas lágrimas que escorriam pelo meu rosto.

- Não é nada disso, pelo amor de Deus. Nunca mais pense uma coisa dessas. – segurou meu rosto com suas mãos. – É claro que eles te amam. Amam tanto quanto amam a mim.

- Não se é bem assim…

- Amor, eles só ficam mais comigo quando estamos juntos porque quase nunca estou com eles. Você passa o dia inteiro, a semana toda com eles o tempo todo. Você faz tudo por eles. Já eu… eu estou sempre viajando, quando chego em casa eles já estão dormindo… A questão é que eles sentem falta da minha presença.

- Eu não tinha pensado nisso… – ele sorriu doce. – Você deve me achar uma boba. – ele riu e me abraçou.

- Talvez um pouco. – ri. – Mas eu já senti isso… – o encarei. – Mas dai eu comecei a pensar melhor e vi que era uma viagem da minha cabeça. – sorri. – Eu não quero mais te ver assim por isso, entendido? – assenti e ele beijou minha testa.

- Obrigada!

- Mamãe? – olhei para a porta e vi Henry e Crystal ali. – Você tá chorado, mamãe?

- Não é nada, já passou! – sorri e eles sentaram no meu colo.

- Não chora mamãe, a gente te ama. A gente tá aqui. – Crystal falou passando sua mãozinha gordinha no meu rosto. Harry me olhou com a sobrancelha arqueada e eu sorri. Parecia que eles sabiam o que eu estava sentindo.

- Eu também amo vocês!


**

Hi my name is Henry Ebony Dark’ness Dementia Raven Way Bolet jr and I have short ebony black hair (that’s how I got my name) and icy blue eyes like limpid tears and a lot of people tell me I look like Amy Lee (AN: if u don’t know who she is get da hell out of here!). I’m not related to Gerard Way but I wish I was because he’s a major fucking hottie. I’m a vampire but my teeth are straight and white. I have pale white skin. I’m also a witch, and I go to a magic school called Hogwarts in England where I’m in the seventh year (I’m seventeen). I’m a goth (in case you couldn’t tell) and I wear mostly black. I love Hot Topic and I buy all my clothes from there. For example today I was wearing a black corset with matching lace around it and a black leather miniskirt, pink fishnets and black combat boots. I was wearing black lipstick, white foundation, black eyeliner and red eye shadow. I was walking outside Hogwarts. It was snowing and raining so there was no sun, which I was very happy about. A lot of preps stared at me. I put up my middle finger at them.

I love how they give Henry these little tells just like this or this.

His right hand tenses up, his left hand starts tapping, he starts talking fast, and he starts overly blinking, so you instantly know he’s lying. (I mean, even if you didn’t have the evidence, you’d know something was up.)

I love when the animators think of stuff like this. Really helps show the evolution of the Nancy Drew games.

4

crystal getting goodbye kisses in 2x13

Okay, first of all, fuck Summer. This upset me as a teenager when I first played CRY, but it’s even more upsetting now as an adult. What’s striking to me here is that HeR is portraying an abusive relationship, I think the only one in the series, and it’s with a male victim. Henry is clearly a very vulnerable person, isolated from his peers, sent away as a child by his only living relative after his parents died. Hell, the only reason Nancy is even there is because Ned wanted to feel like a Nice Guy™, and pat himself on the back for “checking in on him”. He lived his whole life feeling like he wasn’t good enough to love or want around. And from what we know of Summer, she clearly takes advantage of that desire to be loved, and the way he explains the situation is textbook manipulation. And what does Nancy do? Threatens him to get Bruno’s keychain. That’s it. The lack of empathy shown to Henry throughout this game actually really bothers me. And maybe I’m just all up in my Henry Bolet feelings, but this messes me up every time. 

(Also, 10/10 would bang Henry Bolet. hmu)