correntinhas

  • Ela: Alô, Pedro? Desculpa tá te ligando essa hora.
  • Ele: Oi, Fernanda! Não tem problema. Aconteceu alguma coisa?
  • Ela: estou desesperada. Vi o Caio com outra menina. Os homens não prestam.
  • Ele: Você não merece isso. Sei o quanto você gosta dele.
  • Ela: Pois é, estou muito mal, você pode vir aqui?
  • Ele: Claro! Já estou a caminho, pra você sempre tenho tempo.
  • Ela: Tá bom, tô te esperando.
  • -
  • Eles se abraçam!
  • -
  • Ela: Pedro, você está bem? Seu corpo está quente, tas suando frio.
  • Ele: Não se preocupe comigo. O que importa é você ficar bem.
  • Ela: Ai, Pedro. Você é um amigão, não sei o que seria de mim sem você.
  • Ele: Preciso te falar uma coisa, mas não tenho coragem.
  • Ela: Pode falar, você sempre me escuta, falamos pouco sobre você.
  • Ele: Não. Faça assim, vá até a minha casa amanhã às 10 horas. Vá até o meu quarto e lá terá um bilhete a sua espera.
  • Ela: Tudo bem! Está tarde, quer dormir aqui? Você pode ficar no quarto do meu irmão.
  • Ele: Não. Vou para casa. Mas antes, me dê um abraço.
  • Eles se abraçam! [2]
  • No dia seguinte, ela faz o que lhe foi pedido, encontra a casa vazia e vai a procura do bilhete.
  • Ao encontrá-lo, ela senta-se a cama e começa a lê-lo.
  • "Querida, Nanda! Fiz este bilhete porque nunca tive coragem de te dizer o que sempre senti. Sou apaixonado por você desde a primeira vez que nos vimos.
  • Lembra? Primeiro dia de aula da sétima série. Lembro como se fosse hoje: Você ainda usava aparelho, seu cabelo ainda era grande e usava uma correntinha no pescoço. Tentei te mostrar de todas as formas o meu amor, mas você estava ocupada demais com seus "romances". Eu ficava ali, te ouvia, e esperava ansiosamente por uma chance. Bem, infelizmente essa chance não veio. Já faz um tempo que sofro de uma doença rara que vem me corroendo, não contei nada a você, pois não queria sua piedade. Queria o seu amor. Nesse momento, estou numa cama de hospital, não te direi onde fica, pois quero que você guarde uma imagem positiva minha. Que ao lembrar-se de mim, você sinta vontade de sorrir e não de chorar.
  • Aos prantos, a garota sussura a última frase do bilhete:
  • "Eu estava aqui o tempo todo, só você não viu."
Oii talvez você leia isso..sabe hoje foi um dia muito triste, passei o dia com a correntinha que você me deu no dia do meu aniversario sei lá acho que quando estou com ela é como se sentisse você perto de mim, hoje sai pra andar como faço todos os dias mas foi terrível sair e passar por onde passo quando estava com você, lembra do meio fio? não tive coragem de sentar nele, pra mim passar pelo BR eu lembrei de quando falei que ia deitar lá por causa do calor e você falou que não porque eu iria parecer um chiclete derretido, lembra dos gatinhos? fiquei falando com eles e pensando “meu se ela tivesse me ouvindo ela ia ficar com ciumes”, mas sabe mo..acho que pensei que nunca mais ia sentir essa dor, mas ela voltou e lá vou eu enfrentar de novo…mas sei que você não vai desistir..sentei no bosque e fiquei pensando no dia em que conhecemos eu passava a tarde te esperando entrar no fanfiction e me responder…e sei lá acho que sempre rolou algo mas eu nunca fui forte o suficiente pra assumir que sentia algo que eu não conseguia explicar…desculpa ta?
Gostava tanto de quando você ficava fazendo gracinha pra mim,serio achava lindo isso em você, e quando me deu o apelido de “Javali” serio como consegue ser tão palhacinha? Acho que foi isso que me fez eu me apaixonar por você…você até assistiu rebelde por mim coisa que só louco que faz…te admiro por me cuidar por quase dois anos sem pedir nada em troca, nunca chegamos a brigar de verdade acho que não conseguimos ficar brigadas de verdade sempre da merda quando isso acontece…mas sabe to te esperando e espero que volte logo minha bb…se cuida viu…