condenando

Hay un montón de cosas geniales que están pasando en tu vida y probablemente tú pienses que todo es lo mismo, que no eres nadie, que estás fuera de lugar, que nadie te comprende; pero todo eso es el ego que no te permite ver con claridad. Hoy en día nos venden la idea de que debemos luchar mucho y salir de la zona de confort, sin embargo hay gente que es feliz trabajando en una oficina, ganando lo necesario para vivir, ayudando a otros, dedicándose más a hacer lo que aman que lo que otros esperan de ellos. Si uno se esfuerza demasiado por agradar se está condenando. Tu vida es genial y tú eres un genio, tal vez ahora no lo sabes pero hay un desfile de cosas que puedes hacer y que no has descubierto, probablemente hagas algo diferente a lo que imaginaste y eso en su momento te resultará placentero. Tienes aire, puedes bailar, reírte, leer libros, escribir un poema, comer helado, aprende a hacer pasteles, tocar un instrumento. Deja de pensar un rato en todo lo negativo y concentrarte en todo lo que puedes hacer, no es tan difícil como parece.
—  Así como tú sonríes, Quetzal Noah
10

De acordo com a mitologia grega, os seres humanos foram criados originalmente com quatro braços, quatro pernas e duas cabeças com duas faces. Temendo o seu poder, Zeus dividiu-os em dois seres separados condenando-os a gastar suas vidas em busca de suas outras metades.

-

According to Greek mythology, humans were originally created with four arms, four legs, and a head with two faces. Fearing their power, Zeus split them into two separate beings condemning them to spend their lives in search for their other halves.

a gente passa a vida inteira falando sobre o quão errado é julgar alguém, mas passamos os finais de tarde condenando as moças de quinze-dezesseis anos que estão grávidas ou que frequentam lugares que consideramos ruins.
nós passamos o dia falando que toda forma de amor é válida, mas se vemos uma criança com dois pais nós sentimos muito pela falta de uma mãe.
a verdade é que somos todos hipócritas pelo menos uma vez na vida e isso só vai mudar quando nós começarmos a focar mais no bem que podemos fazer do que nas atitudes alheias que não interferem em nada nas nossas vidas.

o que falta é respeito e empatia.
não seja rude ou cruel. tente não julgar/condenar alguém, você não conhece as lutas da pessoa.
e, acima de tudo, seja gentil.

a verdade é que você quebrou o meu coração e te amar me destruiu.

eu não queria enxergar as coisas dessa forma.

eu queria ser essas pessoas que conseguem ver o lado positivo de todas as dores, e talvez um dia eu consiga ver o lado positivo de ter sido destruída por você, mas agora não.

agora isso dói e me sufoca por dentro. você mesmo pegou uma corda e fez um nó na minha garganta me condenando a viver com essa sensação horrível para sempre. 

o que também me despedaça é lembrar de todas as vezes que você prometeu me amar até o fim dos dias. promessas não foram feitas para serem quebradas, foram feitas para serem cumpridas. e você não cumpriu.

você virou as costas e seguiu em frente como se a nossa história já tivesse sido apagada da sua mente e o que me revolta é saber que eu não consigo ser assim. eu não tenho facilidade em esquecer. eu não consigo passar uma borracha nos momentos que tivemos e agir como se não significasse nada.

eu te odeio por me abandonar e me odeio mais ainda por não conseguir deixar de te amar e também não conseguir tirar de mim esse desejo insano de querer que você volte correndo para os meus braços. 

A pesar de las peleas entre nosotros hay pasión. Tanta pasión que casi me ahoga… me hunde…, y él es la única luz, el único que puede salvarme a pesar de todo, aunque sea precisamente él quien me está condenando.
—  AFTER. En mil pedazos.
3

Dios condenando gente al infierno, su hijo muere por nuestros pecados para salvarnos y el malvado Satanás aparentemente el antagonista de la Biblia irónicamente solo castiga a la gente mala en el infierno… negocios turbios

One Shot Zayn Malik

  • Pedido -  quero um imagine do zayn… eles sao ex namorados (o zayn terminou p ficar com a ex) ai o zayn ve ela (a ex) no grammy com um possivel namorado posando no red carpet, fica morrendo de ciumes ai dps ele larga tudo faz ate uma musica p ela, e tenta voltar, faz de tudo p ela… ela fica meio em duvida


— Você viaja durante dois dias e volta com a cabeça cheia de pensamentos e querendo terminar… — (seu nome) falou mais para si mesma do que para o homem à sua frente — Aconteceu alguma coisa e não adianta negar, Zayn.

Zayn estava sentado no sofá pensando no que falar enquanto a namorada, quase ex, estava o analisando em busca de qualquer pista que explicasse a decisão tão repentina. O passado sempre pesa quando momentos assim acontecem e (seu nome) como todo mundo, hora ou outra, colocaria os de Zayn na balança.

— Não aconteceu nada, não tinha nada para acontecer. — não foi um boa resposta para a afirmação feita e (seu nome) decidiu isso.

— Você me traiu, não foi?! — soou mais como uma afirmação do que pergunta — Pode dizer… Você está sentindo o remorso te consumindo por isso e não consegue mais manter a nossa relação.

— Claro que não! Eu nunca trairia você!

— Nunca é uma palavra muito forte, Zayn. Principalmente para você que tem um histórico podre em seus namoros passados. — (seu nome) disse ainda de pé em frente ao futuro ex, que estava sentado no sofá de cabeça baixa, até agora, pois ele levantou o olhar para a mulher.

— Você está me condenando por merdas do passado? Eu não pensei que você fosse desse tipo, (seu nome). — Zayn deixou claro seu desapontamento.

— E eu não pensei que você fosse o tipo que terminava por motivo nenhum. Não pensei que você chegaria do nada querendo terminar sem me apresentar uma justificativa plausível para a sua decisão. — (seu nome) deixou as palavras saírem de sua boca de forma rápida, por que merda, ela estava nervosa e surpresa demais.

— Eu só não quero mais continuar com isso! — Zayn esbravejou.

— Você não quer mais “isso" depois que teve que viajar para Los Angeles. — ela acusou — O que aconteceu nessa droga de viagem, Zayn Malik? — (seu nome) nunca o chamava pelo sobrenome, Zayn sabia disso. Para ela, ele sempre era Zayn, o cara normal e não a sombra do Zayn Malik que toda a mídia impõe respeito e superioridade.

— Eu reencontrei uma pessoa… — confessou de forma baixa com medo de ter os olhos arrancados pelas unhas grandes e bem cuidadas de (seu nome).

— Eu sabia! Sabia que você tinha me enfeitado com par de chifres. — (seu nome) andou pela sala após cuspir as palavras tentando buscar calma para não atirar o vaso da mesinha ao lado do sofá na cara de pau de Zayn — Essa pessoa atende pelo nome de Gigi Hadid, acertei?! — Zayn a olhou surpreso — Eu li em algum lugar que ela teria um desfile em LA, mas não achei que você seria tão baixo comigo.

— Nós não traímos vo-

— Não! — (seu nome) o interrompeu — Nós não! A Hadid não tinha um compromisso comigo, nunca fomos com a cara uma da outra, mas você sim, você tinha algo comigo.

— Eu não traí você! — Zayn consertou a frase — Eu gosto muito de você… Ainda quero que continuemos amigos.

— Eu não quero nada de uma pessoa que me decepcionou tanto. Eu esperava uma porrada assim de qualquer pessoa, mas não de você e talvez isso tenha sido minha culpa… Eu não deveria ter esperado algo diferente de uma pessoa que traiu várias garotas, a Perrie tentou me avisar que você não era confiável e eu não quis ouvir.

— Eu não te trai!

— Não importa mais… Não temos mais nada um com o outro. — (seu nome) suspirou — Vai embora, por favor.

✧✧✧

A lembrança da tarde miserável de fim de namoro invadiu a mente de (seu nome) rebobinando o momento em apenas um segundo como se tudo tivesse sido em um piscar de olhos quando aconteceu. Ela não esperava encontrar Zayn com Gigi tão cedo - três meses depois - e nem esperava que tudo aquilo voltasse em sua mente para torturá-la.

— Podemos ter uma foto do antigo casal? Estávamos esperando os dois juntos nesse dia, mas infelizmente vocês se separaram.

(Seu nome) só conseguiu pensar no que se passava na cabeça daquele maldito fotógrafo que sugeriu que ela e Zayn, os dois já acompanhados, tirasse uma foto juntos. Maldita hora que Zayn apareceu naquele tapete vermelho quando ela ainda estava sobre ele.

Olhando para o Michael de forma desesperada, ele deu de ombros mostrando que não se importava que a amiga tirasse a foto com o ex se assim ela preferisse, mas ela não queria e não teve muito o que fazer quando viu o amigo se afastar e Zayn passar o braço por trás de sua cintura a puxando para mais perto. Pensando o quanto deselegante seria se o empurrasse, (seu nome) limitou-se a sorrir de forma forçada enquanto a chuva de flashes cegava seus olhos.

— Eu li que você tinha novo namorado, mas não quis acreditar… — Zayn sussurrou no ouvido de (seu nome) tendo em mente que um boato sobre uma possível volta dos dois circularia a internet — Tenho que dizer que ver vocês dois me desagradou muito. Eu e você éramos/somos bem melhor que vocês dois.

— Acho que não pedi a sua opinião. — (seu nome) falou sem paciência, também sussurrando.

✧✧✧

Depois do reencontro pouco agradável no tapete vermelho do grammy, Zayn escreveu uma música, Like I Would, que todos especularam ser para (seu nome). Ele e Gigi não estavam mais sendo vistos juntos e ele fez questão de dizer isso nas entrevistas que participou e ainda teve a audácia de confirmar para quem era a música e desde então todos fazem campanha para que (seu nome) volte com ele sem saber direito o que aconteceu para que os dois estarem separados.


If we can never go back

Thought you’d like to know that

(Se não vamos nunca mais voltar

Achei que você gostaria de saber que)


Ele estava certo, (seu nome) nunca mais iria voltar, pelo menos era isso que ela queria ao pensar sobre o assunto. É muito fácil para ele terminar com a atual, voltar para a ex e depois querer fazer da ex a atual novamente. Parece um jogo e eu não quero mais fazer parte dele. Esse era o seu pensamento.


He, won’t touch you like I do

He, won’t love you like I would

He don’t know your body

(Ele não vai tocá-la como eu te toco

Ele não vai amá-la como eu amaria

Ele não conhece o seu corpo)


(Seu nome) só podia rir do que Zayn pensava, ele acha que Michael é o seu namorado, se deixou enganar por notícias falsas como todas as outras pessoas. É incrível como ele não me procurou durante três meses e agora que acha que estou com alguém quer voltar a ocupar o posto que tinha antes na minha vida. Ele só me quer porque pensa que estou comprometida. Ele não me ama, só gosta de saber me pode me ter quando quiser, foi assim com a Gigi. Os pensamentos de (seu nome) não favorecem de nada o Zayn.


He don’t do you right

He won’t love you like I would

Love you like I would

(Ele não vai tratá-la bem

Ele não vai amá-la como eu amaria

Te amar como eu amaria)


O celular de (seu nome) tocou em algum lugar da sala, mas não demorou a ser encontrado. Revirando os olhos ao ver o nome de Zayn brilhar na tela, ela atendeu a chamada.

— O que você quer?

Tudo bem que ela poderia não atender a chamada ao invés de tratá-lo mal, mas ela queria ver até onde ele poderia chegar com toda essa história e fetiche por suas exs, porque, para agir assim só pode ser um fetiche.

— Ácida… Como no tapete vermelho.

— Zayn, não tenho tempo para você, então não me enche.

— Percebo que você ainda não ouviu a música que eu fiz para você…

— Ouvi sim, isso deveria mudar ou acrescentar algo entre a gente? Por que sinto lhe informar que não mudou e não mudará nada. Você pode escrever uma ou dez músicas, eu não me tornarei a sua atual porque sei que voltará para alguma das suas ex.

— Você está pensando muito mal de mim… Aposto que esse seu namorado está fazendo sua cabeça com medo de perder para a concorrência.

(Seu nome) riu, riu para que Zayn ouvisse torcendo para que ele percebesse o quão patético estava sendo com aquilo tudo, ela era mais inteligente do que ele pensava.

— Não preciso de ninguém para me fazer enxergar algo, aliás, eu precisei de você. Você me mostrou quem você é e eu escolhi pular fora dessa roubada.

— Eu não estou brincando, quando eu te reencontrei eu-

— Pode parar porque eu já vi esse filme. Foi a mesma coisa que aconteceu quando você reencontrou a Gigi, lembra?! Você me disse que esse era motivo de você e terminar comigo tão de repente.

— Não é a mesma coisa… Pare de usar o passado como desculpa, não viva do que já passou.

— Quem gosta de passado é você, Zayn… E eu faço parte de um passado que não tornará a ser o seu presente. Passar bem.

Ao desligar o telefone (seu nome) suspirou fechando os olhos, ela esperava realmente que Zayn tivesse entendido e parasse de tentar. Ela não voltaria a viver uma coisa tão incerta, não conseguiria mesmo que tentasse, um relacionamento a base de receio e desconfiança, não daria certo.



Espero que tenham gostado… ❤

Desculpem a demora para postar essa semana, mas eu não estava no clima para escrever 😕

- Tay

Dos cosas- Jungkook

Originally posted by 7bboys

BY P:

La temporada de lluvias de agosto no había hecho más que comenzar. Y tú ahí te encontrabas. En plena calle. Acabas de salir del convinience store de tu barrio. Habías bajado un momento para comprar unas cosas y te topaste con una lluvia torrencial. Cuando miraste hacía arriba te encontraste prisionera de un cielo tenebroso y oscuro que lanzaba a forma de cuchillos finas gotas de agua.

“Genial”- susurraste irónicamente. Era ya un poco tarde, así que no tuviste más remedio que salir corriendo en dirección a tu pequeño apartamento con la bolsa de la compra sobre tú cabeza.

Cuando llegaste por fin a la portería de tu edificio te cruzaste con un hombre alto, parecía un poco musculoso, encapuchado y que vestía con un atuendo totalmente negro y un poco abrigado para las altas temperaturas. 

“Qué raro”- pensaste.

No sabías porqué, esa silueta te resultaba familiar.

No llegaste a ver su rostro pero no le diste importancia, ya que no conocías a todos tus vecinos y lo más probable es que fuera uno de ellos. 

El hombre encapuchado apresuró el paso y salió rápidamente a la calle.

Tras coger el lento ascensor de tu edificio llegaste a tu humilde morada. Estabas empapada. El llevar la bolsa de la compra sobre tu cabeza no te había ayudado nada. Cuando procediste a sentarte para descalzarte viste en el suelo una carta. 

“¿Qué hace esto aquí? Bah, será de esta mañana cuando he bajado a recoger el correo”- pensaste. Aunque por la manera que estaba tirada en el suelo parecía como si alguien la hubiera lanzado por debajo de la puerta.

 Recogiste la carta y la dejaste sobre la mesa de la entrada. 

Cuando terminaste de descalzarte te pusiste en pie para pasar dentro pero te paraste a mirar la arrugada carta que habías encontrado en tu entrada hacía segundos. Era una carta blanca, sin ningún logo de alguna compañía de agua o luz. No tenía tu nombre tampoco, ni el remitente. 

La curiosidad hizo eco en ti y con un poco de ansia cogiste dicha carta y la  abriste. Para tu sorpresa eran unas cuantas hojas escritas a mano con una tinta azul. Al principio temiste que fuera algo malo, pero en seguida reconociste esa fea e indescifrable letra.

Hola __. 

No sé muy bien como empezar esta carta. La verdad no sé ni porqué la estoy escribiendo. Supongo que han pasado ya varios meses desde que acabamos nuestra relación y necesitaba hablarte. Básicamente te escribo para decirte que voy a ingresar en el ejército próximamente, aún no sé exactamente cuando pero espero que sea para el mes que viene. La verdad que te preguntarás ¿Por qué tan pronto?.

Bueno, he de decirte que desde que te perdí no he vuelto a ser el mismo. No. Tú eras mi todo, mi alegría, mi sol y desde que te marchaste he estado viviendo en plena oscuridad. 

Mucha gente me ha intentado animar: los chicos, mis amigos, mi familia… pero no lo soporto, no puedo seguir así

Cada vez que entro en casa todo me recuerda a ti: la esquina del sofá donde te ponías a leer los domingos; el cajón del mueble del baño, donde solías tener tu kit de emergencia para las noches y fin de semanas que pasabas aquí. Incluso echo de menos llegar a casa y verme tus pinta labios y paletas tiradas por todo el lavabo. En cada rincón de esta casa te veo a ti.

A veces me acuerdo de nuestra primera cita. Estaba tan nervioso. Me acuerdo que llegué 15 minutos antes al restaurante donde habíamos quedado. No podía soportar estar en casa con los chicos poniéndome aún más nervioso de lo que estaba. Recuerdo cómo Namjoon me decía “¿Recuerdas todas las frases en inglés que te enseñé? Cuida la pronunciación por favor te lo pido” o cómo Jin me intentó aconsejar con la ropa “No. No te voy a dejar salir con eso”. Gracias al cielo que le hice caso y me puse la camisa blanca que él me aconsejó. ¿Te acuerdas de esa camisa? Aun huele a ti. También recuerdo como todos esos nervios se esfumaron cuando te vi entrar por la puerta. Llevabas un vestido rojo. Estabas deslumbrante. Nunca permitiré que esa imagen se me borre de la cabeza.

Durante estos insoportables meses me he acordado mucho de tu sonrisa y como el verla aunque fuera por 1 segundo me habría alegrado la existencia. Cada vez que reías se te formaban unos pequeños pliegues en el tabique de la nariz. Ojalá pudiera verlos una vez más. Aunque si después de nuestra ruptura puedes seguir enseñándole esos adorables pliegues a alguien más no me importa. Yo solo quiero que seas feliz. Yo, por mi parte, no he conseguido pasar página. Aun te sigo queriendo.

Una cosa que no puedo sacar de mi cabeza fue aquella noche. ¿Por qué fui tan tonto? ¿Por qué dije eso? No sabes como me arrepiento de esa trágica noche. 

Lo siento. Lo siento. Lo siento

No quería decir eso. Lo eché todo a perder. Cada día de mi vida desde que te dejé ir he recordado las palabras que pronuncié y me he seguido culpando. ¿Por qué te tuve que decir que estaba estresado y que lo mejor sería que fuéramos por caminos separados? Tu no tenías la culpa. Tu eras la que hacías mis días mejores. Mi intención no era echarte la culpa a ti de mi estrés.

Lo siento mucho de verdad. Lo siento. Siento muchísimo todo el daño que te he podido haber causado todos estos meses de desesperación. No hay cosa que me de más rabia e impotencia que el saber que no puedo desdecir lo que te dije aquella noche.

Recuerdo como después de mis palabras me preguntaste si te quería. Sí. Sí. Sí. Por supuesto que te quiero. Te quiero. Te amo. ¿Por qué me preguntaste esas palabras? ¿ Por qué yo no pude decirte que eras  la única mujer que había amado? ¿ Por qué no pude decirte que eras la mujer de mi vida?

No pude. Y aun me sigo condenando por ello.

Espero que en estos dos años que estaré en el ejército pueda por fin dejarte atrás. Sí. Ingreso al ejército para poder olvidarme de ti. No puedo seguir viviendo en este apartamento. No puedo. No puedo sabiendo que aquí fue donde tú y yo éramos felices, sabiendo que fue aquí donde eché todo a perder .

Creo que han pasado 8 meses desde que te vi la última vez, la verdad no lo           recuerdo, he intentado borrar todo lo relacionado con esa noche. Sólo recuerdo tu dulce voz y tus lágrimas. Joder. ¿Por qué tuve que hacerte llorar?.

Lo siento. Lo siento. Lo siento mucho, de verdad. Espero que algún día me puedas perdonar.

Hace un mes vi a tu amiga, la que trabaja en el edificio de frente de mi compañía. No quería preguntarle por ti, me moría de ganas por dentro. Al final acabé preguntándole. Me dijo que estabas bien. Que estabas mucho mejor que hace unos meses. No pude haber estado más contento. 

No te imaginas cómo desearía tener una máquina del tiempo y poder retroceder a aquella noche. Todo ahora sería tan diferente. Ahora lo único que me une a ti son los recuerdos en mi cabeza.

Nunca podré olvidarte. Nunca. Me niego a olvidarte. No cuando mi corazón latía por el tuyo, y el tuyo por el mío. 

Me niego a que la cara que veía todos los días se convierta en una triste mancha y que la voz que armonizaba mis días se convierta en un simple ruido. Me niego.

Ya que ya no puedo tenerte físicamente me aferraré a los recuerdos que tengo de ti. Tanto lo bueno como lo malo. Tus días de coexistencia conmigo fueron tan perfectos que no quiero olvidarme de nada, incluso quiero recordar nuestras pequeñas discusiones.

No es necesario que me respondas a esta carta. Quédatela. Así ya tendrás dos cosas mías: esta carta y mi corazón.

Con mucho cariño,
Jungkook.

Empezaste a llorar. No podías parar. Seguías enamorada de él. En estos meses tú tampoco lo habías podido olvidar.

Te dirigiste hacia la puerta, te volviste a poner los zapatos y saliste corriendo en dirección a la calle, bajo el negro cielo y con la lluvia como acompañante empezaste a correr.

Continuará…


JIJIJIJIJI. ESPERO QUE OS HAYA GUSTADO ESTE ESCENARIO SORPRESA. ANOCHE ESTABA INSPIRADA. SI OS HA GUSTADO DADLE A LIKE Y SI QUEREIS OTRO SÓLO TENEIS QUE PEDIRLO. UN BESITO MUY FUERTE. 

Eu as vezes fico pensando onde está o amor das pessoas, sabe? Aquele olhar de compaixão de afeto. As vezes até eu mesmo, ao invés de olhar alguém com um olhar de amor, olhamos de formas de julgamento, e os condenando, sem ter um um olhar de misericórdia. Mas cara, são vidas que precisam de Deus, que necessitam do nosso abraço de uma palavra de esperança, de carinho, de alguém que lhes mostrem um caminho de amor, um caminho de salvação! E este caminho é Jesus, e se não fosse por Ele como seria a sua vida agora? Você lembra de onde ele te tirou? Como ele te amou e te chamou para ser filho dEle? Não merecemos , não é verdade? Mas mesmo assim Ele nos comprou com o seu sangue, nos libertou, nos transformou e ainda continua a nos moldar, conforme a sua vontade, não é mesmo?
Nós não somos melhores, nem piores do que aqueles que ainda estão lá fora do aprisco, precisando do senhor! É como o senhor falou na parábola para os fariseus, quando eles questionavam o porque que o senhor comia com os pecadores, e Jesus falou a cerca da ovelha e a dracma perdida e a imensa alegria ao encontrar-las, da mesma forma á uma festa nos céus quando um pecador se arrepende de seu pecado! “Digo-vos que assim haverá alegria no céu por um pecador que se arrepende, mais do que por noventa e nove justos que não necessitam de arrependimento.” Lucas 15:7
É muito importante que nós tenhamos amor pelas almas, que nós possamos sair do nosso conforto, e ir ao encontro dessas vidas buscar-las para o reino, mostrar um caminho de libertação de salvação, elas carecem do amor de Deus, de uma mudança de dentro pra fora, á tantas pessoas, não só fora da igreja mas também dentro dela, que estão enfermas espiritualmente necessitando de uma ajuda, um apoio, de uma palavra, da sua oração, que possamos ter mais sensibilidade e amor com as pessoas ao nosso redor!

youtube.com
Espejismos: saber qué proyectamos para poderlo cambiar, por Marta Salvat PARTE 1
Espejismos por Marta Salvat PARTE 1 de 2, que tuvo lugar en Valencia el 3 de Marzo 2017. Charla sobre el espejismo para poder tomar conciencia de qué es lo q...

“En un espejo directo, la lectura es simple, si te encuentras muchos sujetos que te faltan el respeto es porque tú faltas el respeto a otros y/o a ti mismo. el subconsciente siempre nos habla desde el exterior de algo que no podemos ver de nuestro interior. Espejo directo siempre es, lo que me llama la atención, es lo que yo me estoy haciendo a mí misma.”

“El espejo opuesto significa que yo soy lo opuesto de ti. Si me incomoda demasiado una cosa de otro significa que no es algo tuyo sino mío. Yo me estoy pasando al extremo opuesto de esa actitud hasta el punto de perjudiciarme.Mi subconsciente me está diciendo ante esa incomodidad, rabia, rechazo, etc. que me estoy pasando de la raya, se me está yendo la pinza.”

“Si tú no entiendes que estás atreyendo a un tipo de personaje para que veas lo que te pasa, vas a seguir atrayendo a ese tipo de personajes hasta que aprendas.”

“Cuando yo etiqueto a alguien, estoy condenando a ese personaje a que sea así en relación a mí. Un juicio nunca es objetivo sino que se emite en base a toda nuestra cultura, sociedad, época e historia personal de amor y carencias.Cuando yo condeno, enjuicio y recrimino a otro, digo que en tu lugar no haría lo mismo. cuando condenamos a otro nos condenamos a vivir las mismas situaciones uan y otra vez. Esto es el espejo de los juicios.”

“Pero en realidad si yo estuviera en tu lugar haría lo mismo que tú, porque habría tenido los mismos padres, la misma vida, la misma familia, los mismos triunfos y caídas. Esto no quiere decir que lo tengamos que permitir pero al menos es liberador pues comprendemos que no somos mejores que el otro, simplemente hemos vivido otra vida.”

“La ley del amor nos dice que si algo nos queda por resolver la generación siguiente continúa el conflicto para que la generación anterior tome consciencia y lo resuelva.”

“La madre simboliza para la mujer el alimento emocional, un problema con esto repercute a nivel de trabajo. Si nosotras reclamamos a una madre ya sea porque estuvo ausente, porque fue muy protectora, porque prefirió a otro, o lo que sea lo veremos en un problema de trabajo, para ganarnos el sustento.”

“Para un chico es el padre el que trae el sustento a casa, por lo cual un conflicto con el padre influirá en el campo laboral.”

“Si el chico tiene un problema con la madre, que también puede ser una adicción (a ella) ya sea porque fue maltratadora, castradora, etc., mi subconsciente me va a traer una compañera que a lo mejor es justamente lo opuesto a la madre pero a través de ella tengo la oportunidad de resolver este vínculo tóxico que tengo con mi madre, si no lo soluciono a través de ella ya tendré a alguien de la generación siguiente (hijos o sobrinos) que me recuerden que tengo algo que solucionar con mis padres.”

“Cuando yo sigo juzgando (a mis padres) lo voy a seguir viviendo, porque soy carne de que la generación siguiente me juzgue a mí.”


*Aconsejo obviar las connotaciones espirituales no porque no crea en ellas, sino porque no quitan valor al mensaje psicológic y por prejuicios os puede hacer rechazar el mensaje en su totalidad.

NOVO MENE (que na verdade já tá até meio antigo, um verdadeiro clássico): Robinson Anjo Jr. era um cachorro no auge de sua adolescência e ao ser pego aos beijos com a filha de um grande barão da soja (que servia de fachada pra lavar o dinheiro do tráfico) foi desafiado a provar sua dignidade em uma descida de ladeira no pneu e caso falhasse seria morto
O problema é que Robinson tinha uma condição na bacia que o impossibilitaria de competir condenando-o à morte então coube à Robinson Anjo Pai tomar o lugar de seu filho em partes para salvar o jovem garoto e em partes para reviver a adrenalina dos velhos tempos

Da libertação das químicas à ditadura cacheada

Em 2012, quando eu resolvi me aventurar novamente no mundo cacheado,(eu tinha passado seis meses fazendo uma escova progressiva mais fraquinha) ouvi diversas vezes que assumir nossos cabelos naturais era um grito de liberdade. Não só isso, como também uma atitude política. 
Todos que estudaram história, no mínimo, possui um embasamento sobre o papel do negro na sociedade, de como foram arrancados de sua terra para trabalhar para o branco de forma escrava. E desde então, tudo que é associado a cultura negra - o cabelo, forma de vestir, as músicas, religião - não faz parte do padrão eurocêntrico. Ou melhor, até faz, o padrão do que não seguir, o que não ser. Colorismo está ai pra provar isso.
Sendo assim, nós cacheadas e crespas - independente da cor - sempre sofremos com as odisseias capilares. Seja por zombaria por não fazer parte do padrão do cabelo liso, seja por falta de bons produtos no mercado nacional, seja por falta de representatividade, inúmeras razões. 
Com o movimento da aceitação, muitas meninas finalmente aceitaram suas molinhas, correram atrás de suas raízes negras - ou não - e começaram a passar adiante a ideia. O empoderamento da mulher cacheada/crespa ganhou força, nunca fomos tão valorizadas tanto por nós mesmas quanto pelo restante do mundo. E mesmo que ainda houvesse aquele grupinho pra tentar desencorajar, continuamos firmes e fortes na transição. 
O mundo parou para olhar as mais belas pérolas renascidas após meses com duas texturas. E assim fomos caminhando, desenvolvendo técnicas, trocando hidratações, tudo em prol do cabelo natural, saudável e belo. 

Ditadura?

Se você entrar em qualquer grupo de cabelos hoje em dia - especialmente do low/no poo -  verá uma grande massa crespa/cacheada participando. E é essa massa que vai empurrar você para um padrão.
Toda sociedade possui seus padrões e nós, que lutamos durante tanto tempo para nos aceitarmos, estamos tentando nos encaixar em outro. 
É tanta menina se perguntando se está fazendo a fitagem de maneira correta, tentando não frizzar o cabelo,querendo day afters perfeitos, seguindo a técnica tal e condenando quem não segue, querendo conseguir o cacho perfeito ou ter todos os produtos que falam ser bons, que acabam se esquecendo do principal motivo de termos entrado em transição: LIBERDADE.
SOMOS LIVRES PARA AJEITAR O CABELO DA FORMA QUE QUISER, ou não ajeitar. Não tente se encaixar num novo padrão, usar só produtos assim ou assado, fazer o corte em camadas porque disseram ser o melhor, finalizar o cabelo só de uma forma, cronograma capilar religiosamente… Use o que o seu cabelo pedir, seja adepta sim de uma técnica, mas adapte tudo se necessário para o melhor do seu cabelo. Afinal, ninguém o conhece melhor do que você mesma. Não se prenda a algo que leu ou viu em um vídeo, se aquilo não dá certo pra você, ou é muito caro, exige muito do seu tempo e dinheiro para pouco resultado… Pra que tamanho esforço? Pra ter o cacho perfeito?
Cabelo perfeito é o seu cabelo saudável, livre. E você também. 

Tal día como hoy un 8 de Agosto de 1879 nació uno de los líderes de la revolución mexicana Emiliano Zapata.
Nacido en una familia humilde, trabajó desde niño como peón por lo que no tuvo acceso a estudios.
Una de las causas de Revolución Mexicana fue la nefasta política agraria desarrollada por el régimen de Pofirio Díaz; este periodo de dictadura en la historia mexicana se llama: el Porfiriato (1876-1911)
En 1910 fecha en la que se estima estalló la Revolución Mexicana, más del 90% de los campesinos no poseían tierras, condenando a la población rural a la miseria.
Frente a las injusticias del Porfiriato llevó a cabo una revolución agraria que mejoró las condiciones de vida del campesinado mexicano.

12 COISAS QUE NÓS MULHERES EVITAMOS FAZER SÓ POR SERMOS GORDAS

Por Juliana Rocha e Janaina Marques

Ser gorda é muitas vezes viver segregada. É aprender as técnicas da autochacota, antes que alguém tome a atitude de tirar sarro. Ou então, é ignorar isso e se aceitar, tendo sempre uma resposta pronta para cada gordofobia sofrida. A aceitação e o amor-próprio são difíceis. É uma luta diária, muitas vezes é um passo para frente e dois para trás, porque é muita, muita violência. Estranhos param a gorda na rua. Gritam. A família quer saber por que ela ainda não emagreceu, e sabe os quilos que ela ganhou melhor do que ela mesma. Cada encontro é a renovação do “você engordou” ou do “você emagreceu”. Mas veja, o emagrecimento nunca será suficiente. Muita gente diz o quanto o rosto da gorda é bonito, falando isso com uma pena imaginando como ela seria liiiiiiiiiiiiiinda… se fosse magra.

Além de cuidarem da estética da gorda, associam isso com uma possível solidão: “Baranga, desse jeito vai ficar sozinha, não vai arrumar marido”. Como se casar fosse algo primordial e central na vida de alguém. Ninguém nunca pergunta pra gorda se ela está feliz, se casar é seu objetivo. Só querem moldá-la com o objetivo de servir alguém.

Por isso, quando a gente viu esta matéria, logo imaginou todas as outras coisas que deixamos e deixaremos de fazer, ou que fazemos com sacrifício, só por sermos nós mesmas. Só por sermos gordas. Então, como se não bastasse uma lista de coisas que não fazemos só por sermos mulheres, fizemos outra lista. A das coisas que não fazemos por sermos gordas.

1. Ir à praia ou ao clube 

Na praia, temos que mostrar tudo aquilo que mais nos aterroriza e que todos sabem que tem embaixo das nossas roupas. Aliás, roupas escolhidas para esconder nosso corpo estrategicamente. Não tem truque na praia. Os gurus da moda estão sempre dando dicas de como esconder barriga e alongar o corpo. Não tem como fazer isso com um biquini ou maiô. Por isso meses antes do verão começam as matérias em toda mídia sobre emagrecimento. Como não bastassem as gorduras sobrando, ainda temos que nos preocupar com celulite e estria. E o pior, todos os olhares de reprovação. Tudo que falaram o ano inteiro vai estar ali exposto e exibido, e a gente deveria ter vergonha de se exibir. Por isso é melhor deixar a praia para os magros ou para os homens. E aqui deixamos uma pergunta: será que essa galera pensa que vamos tirar a roupa e de repente vai surgir uma Paris Hilton de biquíni? Não é meio óbvio que tirando a roupa continuaremos gordas?

2. Dar um fora ou rejeitar

O carinha dá aquela cantada horrível na rua. Você mostra o dedo e xinga? A gorda, meu bem, terá que agradecer o assédio. Se xingar, será agredida. Vão gritar o quanto ela é gorda, e usar um “baleia” ou coisas do tipo. Na balada se o cara chegar e a gente rejeitar, a mesma coisa. E ele ainda vai dizer que estava bêbado. A gorda tem que aceitar qualquer coisa. Sem contar que, gorda é moeda de aposta. Quem vai pegar a gorda? O “guerreiro”.

3. Usar roupa apertada ou da moda

“Toma vergonha na cara, gordinha, esconde suas banhas. Ninguém é obrigado a ver suas coxas gigantes nessa legging colorida e suas banhas saltando nas roupas apertadas. Contente-se com as batas”. É isso que a gente ouve ao se vestir ou ao comprar roupa. Quando não nos chamam de “provolone amarrado”.

4. Entrar em toda loja do shopping

Todo mundo passeia e entra nas lojas só para dar uma olhada, certo? A gente não. Conhecemos os olhares de reprovação da atendente e até mesmo já ouvimos o “não tem roupa do seu tamanho” ou “só fazemos até numeração tal”. Por isso muitas vezes só entramos em lojas especializadas ou de departamento onde pegamos a roupa que quisermos sem a reprovação ou opinião da atendente. Por que atendente de loja acha que pode saber melhor do que a cliente qual é a roupa que cabe ou que fica melhor no corpo dela?! E com uma de nós já aconteceu o seguinte: ao entrar na loja a atendente perguntou o peso. Não sabíamos que existe roupa “por quilo”.

5. Ir ao médico

Quando a gente tem um problema, sei lá, no couro cabeludo, o médico vai dizer que precisamos emagrecer. Muitas vezes ele vai nos tratar com um desprezo, um ar de “nojinho”. Outras vezes ele vai listar todas as doenças que temos ou teremos por causa do sobrepeso. Ele vai dizer que ia passar um remédio mas não vai mais, porque estamos gordas. Ele vai nos encaminhar para um endocrinologista sem a gente pedir, ou passar emagrecedores e antidepressivos. E no final ele vai deixar bem claro que nada adianta se a gente não emagrecer. O que a gente entende é “só volte aqui ou em outro médico quando você emagrecer.”

6. Ir à academia de ginástica

A gente não sabe mais se não vai à academia porque não gosta ou se é por medo de ser hostilizada. Academia não é um lugar para qualquer um fazer exercícios regularmente. É um lugar pra ficar magro ou forte (ou os dois) e sem celulite, onde todos já são magros e fortes e sem celulite! Nós não somos assim! Os próprios instrutores fazem chacota do corpo gordo durante a aula: “Vamos queimar essa banha!”, “Dá tchau pra ‘baranga’”, etc.

7. Comer na rua

Por que todo mundo acha que pode meter o bedelho até no que a gente come? Todo mundo, até mesmo estranhos. Olhares de reprovação quando comemos em publico rolam livres. E eles querem dizer “por isso que você é gorda” ou “você deveria se envergonhar de comer porcaria”. Se você é magro claro que ninguém se importa com a porcaria que você come. Pena que não dá pra ver gordura visceral na rua, caso contrário sairíamos condenando um monte de magro fitness saudável que enche o “rabo” de gordura. Afinal, “estamos apenas preocupada com a sua saúde”.

8. Ir a um churrasco/festa na piscina

Pelos mesmos motivos que não vamos à praia. Maiô e biquini. Quando vamos ficamos vestidas pelo menos com uma saída de praia. Aí as pessoas questionam por que não entramos na piscina. Mas essas pessoas sabem por quê. Elas estão apenas sendo sádicas.

9. Transar de luz acesa

Por motivos óbvios, queremos esconder o corpo. Nosso corpo não é desejável. A gente realmente não entende o porquê daquele pau duro ali, só pode ser porque a luz está apagada. Como já disse Ana Paula Barbi (Polli), ninguém fica de pau duro de maneirice, de caridade. Se não dá tesão o pau não sobe, simples assim. Sentir desejo por uma mulher gorda é tão absurdo que os caras praticam o auto-engano de “eu fiz caridade”.

10. almoço/confraternização

Se ficarmos um tempo sem ver a família, ou amigos e de repente fazem algum encontro, relutamos a ir. Porque não importa se a gente mudou de emprego, fez mestrado, se a outra teve filho, o outro se separou e mais não sei quem mudou de país. Vamos ter que explicar esses quilos a mais e o assunto e olhares de reprovação vão ser para nosso corpo, mesmo que alguém tenha sido preso e esteja lá na condicional!

11. Sair sem se arrumar

Todo mundo às vezes tem preguiça de se arrumar para sair. Aí vai na padaria, no mercado, na faculdade ou apenas dar uma volta de qualquer jeito, com o cabelo desgrenhado, sem maquiagem, com qualquer roupa. Mas a gente já é relaxada o suficiente por ser gorda, então não tem esse direito, ok? Então se arrume, ponha maquiagem, uma boa roupinha e deixe de relaxo.

12. Sair confortavelmente

Seja um pacote de café tipo exportação (embalado à vácuo). Não importa se está te machucando, se está quente, se está coçando, se está te faltando o ar: use a cinta elástica. A cinta elástica numa pessoa gorda não vai deixá-la magra, é apenas um alívio psicológico e visual para quem julga. “Pelo menos ela tá se esforçando para ser vaidosa”, “agora não somos obrigados a ver aquela banha mole caindo pra fora da roupa, tá tudo empaçocado dentro da cinta”. Ou a reação é contrária, né? Porque o importante é hostilizar: “Do que adianta essa cinta elástica? Continua baranga!”.

Por fim, não adianta quantas dietas da sopa de repolho, da proteína, do ovo, da lua, da água, da luz você fizer, a função das pessoas é de julgar: que você não emagreceu porque é incapaz, que você saiu da dieta porque é fraca, que você se odeia porque “não se cuida”, que “quero ver um homem querer casar com isso”. Nada melhor que acompanhar sem perder nenhum capítulo a vida do gordo, né?