comungar

Na nossa vida espiritual, precisamos confessar e comungar, comungar e confessar. Se fizermos isso com frequência, essa prática será poder de Deus para transformar nosso coração.
—  Padre Paulo Ricardo

13/07

Santa Teresa dos Andes


Joana Fernandez Solar nasceu no dia 13 de julho de 1900, no berço de uma família profundamente cristã, na cidade de Santiago do Chile. Sua maior alegria era ir a missa e depois de sua primeira comunhão, procurou a Eucaristia todos os dias de sua vida.
Joana estudou durante onze anos no Colégio do Sagrado Coração em regime de internato. Sua vocação religiosa se confirmou aos catorze anos. Aos dezessete anos, já externava o ideal de ser carmelita, e com ardor defendia a sua vivência contemplativa. Entrou para as Carmelitas dos Andes e tomou o nome de Teresa de Jesus. Alí viveu apenas onze meses, pois contraiu a febre tifóide e logo morreu, no dia 12 de abril de 1920, na sua cidade natal.
Teresa de Jesus, tinha tamanha liberdade para se expressar com o Senhor, que costumava dizer: “Cristo, esse louco de amor, me fez louca também”. A sua aspiração e constante empenho se centraram em se assemelhar a Ele, em se comungar com Cristo.
Quando os discípulos perguntaram a Jesus sobre o que deviam fazer para cumprir as obras de Deus, Ele respondeu: “ A obra de Deus é que acrediteis n'Aquele que Ele enviou ” (Jo. 6, 28-29). Portanto, para aperceber-nos do valor da vida de Teresa dos Andes, é necessário assomar-nos ao seu interior, ali onde o Reino de Deus está.
Foi canonizada em 1993 por João Paulo II. Nesta ocasião ele a chamou de Santa Teresa de Jesus “dos Andes” e declarou que era a primeira chilena e a primeira carmelita latino-americana a ser elevada à honra dos altares da Igreja, para ser festejada no dia 13 de julho.  

http://www.a12.com/santuario-nacional/santuario-virtual/santo-do-dia/13/07