como se fala

‘Se é o que você quer’, foi o que ele disse. 'Se é o que você quer, a gente fica junto, por um ano ou dez, por uma vida ou duas. Se é o que você quer, a gente dura para sempre’. E foi engraçado ele dizer isso, já que eu sempre dizia não acreditar no “para sempre”. Mas ele não se importava com isso, nunca se importou, desde o dia que nos conhecemos pela primeira vez, o dia em que eu disse que eu nunca me apaixonaria por alguém como ele, ele vem me provando que eu estou errado.
—  When our stars are falling. 
Você saberá que é amor quando seu estômago começar a revirar, quando esquecer como se fala e, principalmente, quando sentir vontade de saltar sem paraquedas apenas por saber que a tal pessoa estará segurando a sua mão.
— 

Sarah C.

Reaction: Ao Ser Sexy Com Você

Olá pessoinhas!, espero que tenham reparado na nossa dedicação esses dias para manter sempre o blog atualizado, criando masterlist e afins, do fundo do coração espero que estejam gostando, e novamente agradecemos todo o apoio ❤

Acabou ficando um pouco grandinho mas perdoem da tia aqui ^-^
Tenham uma bola leitura by Miss writer

  • Kim Namjoon

  O sol era escaldante e nenhum tipo de roupa a fazia se sentir confortável o suficiente. O suor escorria sobre sua pele e já se sentia abafada por aquele clima diferente.
  — Hoje é um daqueles dias que eu me pergunto se realmente estou na Coréia. — Se abanou algumas vezes estirada no sofá.
  — Você sabe que está passando calor atoa, pode muito bem pular na piscina. — Namjoon disse chegando na sala com uma regata e bermuda, junto a uma toalha no ombro.
  — Ah claro, sozinha?
  — Quem disse que eu não vou? Além disso, os meninos falaram que estariam aqui em breve.
  — Se é assim — Voce subiu até o quarto trocando a roupa por algo mais apropriado.
  Ao mesmo tempo que estava doida para pular naquela piscina, pensava se não era um boa ficar apenas relaxando sobre uma das cadeiras enquanto ninguém chegava.
  — Ah o que? Você não vem? — Reclamava já dentro da piscina.
  — O justo seria esperar os outros, não? — Disse pegando alguma revista para ler.
  Por alguns segundos foi um completo silêncio,  mas não se arriscou a observar o que acontecia.
  Então um forte barulho na água a fez se assustar, e a revista foi abruptamente retirada de sua mão.
  Você teve a plena visão daquele corpo bem diante dos seus olhos, seu rosto agora devia estar vermelho e quente, dessa vez, não por culpa do sol.
  — Tem certeza que não quer vir? — Sua voz era carregada em segundas intenções, como seu corpo também.
  Sua respiração era pesada e as palavras pareciam não querer sair.
  — Vou entender isso como um não então. — Sussurrou bem próximo ao seu ouvido causando alguns arrepios.
  Ele se virou andando em direção a piscina e definitivamente você não conseguia deixar de reparar em cada parte daquele maravilhoso homem.
Jogando os cabelos para trás ele a olhava como se a chamasse, e se aquela era a intençao, então estava funcionando, estava pronta para se levantar, até ouvir um som estrondoso.
  — CHEGAMOSSSSSS!!! — Todos gritavam já se jogando na piscina, mas você ainda encarava namjoon, que Riu ao ver sua frustração, era o preço que se pagava por dispensar um homem como aquele.

Originally posted by bangtanbanchan

  • Kim Seokjin

  Era um dos dias de folga de seokjin e para compensar o tempo fora ele decidiu cozinhar algo para os dois.
  — O que está pensando em fazer? — Perguntou curiosa enquanto tentava beliscar algo.
  — Hey, não toque nisso! — Deu um tapinha fraco em sua mão.
  — Porque? Eu tô com fome Jin — Disse manhosa.
  — Voce nem sabe o que está comendo, podia ser algo apimentado. — Olhou com repreensão.
  — Eu conheço comida de longe okay? Sou perita nisso.
  — Ah é mesmo? Vamos fazer assim, eu te dou 3 coisas para provar, se você acertar pode beliscar o quanto quiser. — Cruzou os braços.
  — Feito! — Ambos apertaram as mãos concordando.
  Você se sentou em um dos bancos e esperou ele começar a lhe testar.
  — Olhos vendados mocinha. — Amarrou um paninho sobre seu rosto.
  — Agora abra a boca.
  Aquilo tinha uma textura esquisita, um pouco salgada e viscosa.
  — champignon? — Perguntou.
  — Correto.
  Novamente sentia algo na boca, parecia uma árvore.
  — Tá me dando planta pra comer seokjin? — Perguntou rindo.
  — Sem perguntas, só respostas.
  — Okay estressadinho, couve flor?
  — Correto. — Sua voz estava mais baixa que o normal.
  Então era a última vez que provaria algo, mas parecia que nada vinha.
  — Seokjin…?
  Em alguns segundos sentiu doces lábios tocarem os seus iniciando um beijo intenso e profundo, você apenas retribuía colocando suas mãos em volta do pescoço dele, o que estava fazendo?
  Tudo se interrompeu e ele aparentemente se afastou, deixando apenas um rastro doce em seus lábios.
  — Qual o sabor?
  — E..eeu..eu não sei. — Ainda se sentia perdida e pior, sem ver nada.
  — Resposta errada. — Rapidamente a venda foi tirada de seus olhos e seu corpo pressionado contra o dele.
  — Acho que você precisa aprender mais sobre gostos — Passou os dedos suavemente por seu lábio, chocolate, com certeza aquilo era chocolate.
  — Aprender mais sobre texturas. — Brincava com seus lábios o mordendo de leve.
  — Eu tenho tanto a te ensinar babygirl…

Originally posted by blackandwhitebangtan

  • Park Jimin

  — JIMIN!, QUANTOS ANOS VOCÊ VAI FICAR NESSE BANHEIRO?! — Gritava impaciente o rapaz que parecia estar horas ali. — VAMOS NOS ATRASAR!
  — Um minuto! — Gritou de volta.
  Ambos iriam sair para uma festa em comemoração ao aniversário da empresa, onde os rapazes trabalhavam. Não haveria nenhum problema nisso se jimin se arrumasse um pouco mais rápido, coisa que não estava acontecendo.
  Você estava com seu belo vestido esperando park jimin aparecer e vestir a droga da roupa.
  — Pronto apressadinha. — Passou em sua frente com uma toalha amarrada na cintura e os cabelos levemente molhados, deus, o que era aquilo?
  Sua boca estava levemente aberta enquanto o observava procurar alguma coisa na gaveta, seu corpo se aquecia pensando algumas impurezas sobre aquele rapaz.
  — Cuidado com a babinha (S/n).. — Virou em sua direção se apoiando no pequeno armário.
  Baba? Aquilo parecia mais uma cachoeira escorrendo por sua boca, não se sabia da onde ele havia tirado tanta astúcia, mas estava ali, a provocando.
  — Se você ainda quer ir à festa, te aconselho a se vestir. — Disse pausadamente tentando manter o controle.
  — E se eu não quiser mais ir? — Dava passos em sua direção.
  — Jimin…
  — Responda, e se eu não quiser mais ir? — Seu corpo estava tão próximo ao dele que era possível sentir seu calor.
  Um formigamento estranho a pegava em cheio quando a proximidade estrapolava os limites, a diferença de temperaturas parecia afetar seu cérebro, você possuía um desejo enorme agora.
  — Se você não quiser ir mais, eu ficaria satisfeita em te deixar tirar esse vestido. — Sussurrou de forma fraca próxima ao seu ouvido e percebeu sua pele se arrepiar.
  — Vou buscar o terno. — Sussurrou de volta indo em direção ao closet.
  — Jimin! — Bufou indo até o banheiro molhar a nuca tentando aliviar seus pensamentos, ia ter volta

Originally posted by bangtanroyalty

  • Kim Taehyung

  Voce tinha ido até o dormitório dos rapazes naquela tarde apenas para se divertirem, inclusive foi seu namorado que a chamou. Quando chegou foi recebida calorosamente por namjoon.
  — Hey pirralha, seja bem vinda ao nosso covil. — Abriu espaço para que passasse e assim o fez.
  Os meninos estavam espalhados cada um em um canto realizando uma atividade diferente e você se perguntava se eles sabiam de sua visita.
  — Olha só quem chegou! — Jimin disse empolgado a abraçando. — Nós atrasamos um pouco pra chegar então está tudo uma bagunça.
  — Como se eu ligasse pra isso. — Ria.
  Aquele assunto foi se rendendo e a entretendo cada vez mais, por um instante se esqueceu de que talvez kim taehyung estivesse por perto, assistindo tudo enquanto queimava de ciumes. Ele sabia que jimin Era seu amigo e que vocês sempre acabavam conversando, mas naquele dia, especialmente naquele dia, ele se sentia incomodado por sua garota estar conversando com o mesmo.
  Ele a observou de longe por um tempo até definitivamente decidir se aproximar, a puxando contra ele.
  — Eu pensava que se dizia Oi para as outras pessoas também. — Disse forçando uma brincadeira. Nesse instante park jimin já não estava mais ali.
  — Eu sei o que você está fazendo e quero que pare. — Sussurrou para ele antes de ameaçar se retirar dali, porém ele foi mais rápido segurando em um de seus braços.
  — Então é assim?
  — Tae, não começa
  Ele respirou fundo umas 3x antes de se manifestar com um sorriso do tipo “está nas minhas mãos agora”
Depois de tudo pronto os rapazes estavam reunidos na sala apenas lhe aguardando.
  — Tae, pega pra mim aquela bolsa. — Pediu mas não foi atendida.
  Você estava no quarto dele arrumando algumas de suas coisas enquanto ele permanecia sentado na cadeira, você tentou puxar assunto algumas vezes mas foi em vão.
  — O que deu em você hem?, ainda está chateado por conta daquilo? —   Novamente silêncio.
  Então olhou em sua direção o vendo lamber os próprios lábios, existia uma expressão perversa ali.
  — Eu vou te provocar, a noite toda se for necessário, pra você sentir um pouco do que eu sinto. — Sorriu de lado se retirando do quarto.
  Era apenas uma brincadeira, pensava, ah, mas estava completamente enganada. Durante toda aquela noite ele agia de forma evidente sobre o quanto queria te excitar, mas você permanecia firme tentando não ceder.
  Mas como cartada final ele começou a sussurrar de forma grave em seu ouvido a fazendo arrepiar por completo. “não, não, não ” repetia diversas vezes enquanto suas mãos começavam a suar querendo ir de encontro a seus cabelos, ele sabia que aquele era seu ponto fraco.
  — Quando pensar em fazer joguinho comigo, lembre se aqui eu sou o professor. — Sussurrou novamente.
  — So teach me now…

Originally posted by officialwookkibby

  • Jung Hoseok

  Focado, era assim que ele parecia. A cada passo era perceptível sua determinação e concentração, você assistia a tudo aquilo pensando em como hobi amava o que fazia, ele era sempre totalmente dedicado.
O suor escorria por seu maxilar e sua roupa já estava totalmente colada ao corpo.
  — Hey jagi, água. — Disse fazendo você arremessar uma das garrafinhas em sua direção.
  — Cansa rápido, Hoseok? — Prendeu o riso.
  — Voce fala como se eu não estivesse a umas 4 horas dançando. — Sua expressão de “bitch, please” era bem notável, e só aumentavam sua vontade de gargalhar.
  — Não sei não, já vi gente durando mais. — Que merda estava fazendo?
  — Como ousa ferir meu orgulho dessa forma (S/n)? — Dizia colocando a mão no peito. — Mas tem razão, eu acho que já estou um pouco cansado. — Foi em direção ao computador colocando outra música.
  — Eu só preciso terminar uma coisinha…
  Ele tinha um sorriso perigoso no rosto, então só foi aquela batida se iniciar para você entender as reais intenções daquilo. Era ‘’What you need‘’, conhecia bem aquele som, por uma fração de segundos seus pensamentos explodiam em palavras como ‘’desgraçado‘’, “o que pensa que está fazendo?” “se alguém entrar aqui eu vou te matar Jung Hoseok!”
  Ele mordia os lábios em quanto a encarava profundamente, se divertindo com seu desespero. Passava a mão por seus cabelos diversas vezes enquanto se movia conforme o som, ver sua língua exposta a deixava cada vez mais tentada a beija-lo, e ele sabia bem, sabia do poder que tinha, sabia que não resistiria ao ve-lo passar a mão por seu próprio corpo movendo os quadris de forma sedutora, sabia bem que naquele momento você o desejava mais que tudo.
  Aquele clima a favorecia, suor, calor, música, aquela peça branca bem rente ao corpo, marcando bem seu abdômen, aquilo era o paraíso ou o prólogo do inferno?
  Por um impulso você se levantou indo em direção ao mesmo, sem se importar com qualquer tipo de coisa, o atacou como um lobo de cara com a presa, apenas ouviu o barulho de suas costas se chocando contra o vidro, como reflexo rapidamente ele segurou seus pulsos invertendo as posições,  se você era a dominante ou não, isso não importava agora.
  — Pensei que estava cansado. — Sussurrou no ouvido do rapaz que sorriu.
  — Estou cansado desses joguinhos.
  — Então o que quer agora?
  — Voce. — Ergueu suas pernas a deixando em volta de seu corpo quente e caloroso, “Será que ele havia trancado a porta?”

Originally posted by fragilefiller

  • Min yoongi

  Era noite de show naquele grande local, os garotos haviam se preparado a tempos por isso.
  — VAI SER INCRÍVEL PIRRALHA! — Namjoon a sacudia animada.
  — Me chama de pirralha de novo que a atração de hoje vai ser seu olho roxo. — Disse se soltando de seus braços rindo.
  — Vai ficar aonde (S/n)? — Taehyung perguntou.
  — Talvez aqui, observando.
  Ambos estavam próximos a uma passagem que dava direto para o palco, no final, ali parecia melhor que no camarote.
  — Porque não fica no camarim? — Yoongi disse passando um de seus braços em torno de sua cintura.
  — Ah, eu não quero perder nenhum detalhe. — Sorriu.
  — Espero que não perca nenhum mesmo. — Sussurrou em seu ouvido e pode sentir sua pele se arrepiar.
  Com o passar do tempo os rapazes já estavam prontos apenas aguardando o chamado da produção, rapidamente todos corriam até o palco animados fazendo até grito de guerra, mas a poucos passos de definitivamente estar no show, yoongi olhou em sua direção falando algo que você precisou adivinhar um pouco sobre o que se tratava, lendo seus lábios.
  — Não perca nenhum detalhe…
  Quando todos chegaram foi uma gritaria estrondosa, haviam diversas luzes no palco e ambos pareciam maravilhosos, aquilo não podia a deixar mais feliz. De música em música você reparava min Yoongi olhar em sua direção umidecendo seus lábios com a língua.
  Ele fazia questão de lhe mandar “sinais” o tempo todo, deixando seu corpo se aquecer a cada piscadela e passos um pouco ousados.
  Quando tudo estava perto de acabar, você já se sentia excitada o suficiente para precisar molhar o rosto e respirar fundo, e foi assim que o fez. Indo até o camarim se permitiu abrir a torneira e deixar seu rosto o mais fresco possível.
  Depois de alguns minutos achava que já estava bem o suficiente, só não esperava que ao se levantar ele estaria bem atrás de você a causando um susto.
  — Yoongi! — O repreendeu.
  — Eu disse para prestar atenção aos detalhes, não disse? Entao porque não estava mais lá?— Retirou o cabelo de seu pescoço e começou a beija-lo. — Porque tem dificuldades em me obedecer (S/n) — Intensificou os beijos os transformando em chupões.
  — Quem sou eu pra te obedecer min yoongi? — Respondeu num fio de voz.
  — You are my baby, and i’m your daddy…

Originally posted by sugakookie

  • Jeon Jungkook

  Em plena noite durante uma semana agitada, o observar em casa fazendo o que gostava a trazia uma boa sensação, algo que envolvia paz e calmaria, as vezes só a sua presença já fazia isso.
  Ele estava dentro do escritorio junto a um enorme microfone gravando alguns covers, uns aleatórios, outros só para se divertir e você ficava contente com isso.
  — Qual agora jagi? — Perguntou se virando em sua direção.
  — Qualquer coisa está ótimo, sua voz é calminha, se encaixa com tudo. — Sorriu mas ele a encarava pensativo.
  — Calminha? Tá dizendo que a minha voz dá sono? — Ainda tinha aquele olhar de dúvida no rosto.
  — Não jungkook! — Gargalhou — Só estou dizendo que a sua voz não é do tipo grossa que arrepia até os pelos da nuca, é algo calmo e suave.
  — Então agora você está dizendo que a minha voz não te faz arrepiar? — Questionou com um olhar de desdém, a cada instante se via mais enroscada naquela situação.
  — Ah meu deus Jungkook, eu só … — Sua fala foi cessando aos poucos ao o ver colocar os fones novamente e pesquisar uma música.
  Talvez ele tivesse ficado irritado com o comentário e queria te degolar nesse exato momento, mas vocês sempre costumavam brincar então não achava que ele levaria para o lado pessoal.
Mas foi só ouvir o coçar de sua garganta que suas brincadeiras caíram por terra.
  Sua voz era arrastada e grave, como se gemesse em alguns momentos da canção, ele mordia o lábio de leve e fechava os olhos como se cada palavra se tornasse como um filme em sua mente, por uns segundos se perguntou se ele imaginava um terço de como aquela música a afetava, ainda mais em sua voz.
  Você arrastava suas unhas por sua coxa buscando algum controle e resistência, mas aquela voz ecoava por todo escritório, carregada de más intenções.
  Foi só aquilo terminar para ele abrir os olhos e a ver com o rosto levemente suado e mãos nervosas afagando contra sua própria pele, agora o menino jungkook se sentia satisfeito.
  — diga-me, foi como ouvir a voz dos anjos? — Se aproximou. — Parecia suave o suficiente agora? — Nenhuma palavra saía de seus lábios, por mais que quisesse.
  Entre as suas pernas algo formigava intensamente enquanto o rapaz se divertia com aquela tentação, era o preço que se pagava por duvidar de alguem que nunca aceitava ser rebaixado.
  — Vem, Eu acho que temos muito o que conversar. — Sussurrou contra seu ouvido. — Conversar bem de perto. — A maldita proximidade piorava tudo, jungkook piorava tudo.
  — Eu não quero conversar… — Disse pausadamente.
  — O que quer então?
  — I Want you body on me…

Originally posted by theking-or-thekid

NAHSHEDIDNOT APRESENTA…
RÓTULOS PARA PERSONAGENS PARTE 2 PARTE 1

com essa atualização, você encontrará após o corte cerca de #59 NOVOS RÓTULOS, totalizando cerca de #413 RÓTULOS. ao clicar no título será redirecionado a uma página fixa com todos os rótulos agrupados, traduzidos e com os seus significados; há diversas repetições. está lista será atualizada sempre que possível. caso haja dúvida ou queira alguma sugestão, sinta-se livre para perguntar ! se tiver achado isso útil, por favor, seria incrível se você reblogasse ou like, pois amo saber que pude ajudar alguém !

saiba também…
como usar e para que servem rótulos.

Keep reading

Tudo o que você não fez

Eu quis gritar, jogar o dedo no teu rosto e te mostrar como se fala com alguém.
Quis chorar, me despedaçar, pois meu peito doia tanto que era impossível suportar.
Quis correr, sem parar, até perder o fôlego e cair de joelhos no chão quente.
Quis socar, qualquer objeto ou pessoa que passasse a minha frente.
No final das contas, eu queria te mostrar como se sofre, como mostra que está doendo, porque não se ignora alguém da maneira que você me ignorou, não se destrói alguém assim.

One Shot Liam Payne 

  • Pedido por @manuellajamespayne - Faz um com o Liam que os dois são criminosos,meio que serial killer,e a polícia tá sempre na cola deles,eles têm um filho e tal,até que um dia,a polícia encontra eles,rola tiroteio e a (S/N) se machuca,os dois cuidam dela. Isso foi o que eu pensei na hora,se eu pensar em mais algum detalhe, te falo Brigada❤


Mais uma vez as coisas haviam se apertado para os Payne, mais uma vez eles teriam que correr para longe deixando tudo para trás e sem demora.

Uma coisa eles podem afirmar, a adrenalina é tão gostosa quanto um orgasmo.

Liam recebeu a ligação de um amigo policial dizendo que já sabiam o paradeiro deles, por descuido uma câmera de vigilância havia filmado com exatidão a placa do carro roubado e com isso não demoraram a encontrar o esconderijo. Nada que ele já não estivesse acostumado. Rapidamente tudo estava arrumado e eles estavam prestes a deixar a casa, tudo que usavam era descartável e sempre era levados com eles, nenhuma evidencia ou qualquer coisa que os fizessem ser identificados poderia passar despercebido.

Bem, essa era a vida de (seu nome) depois de ter conhecido Liam Payne, um assassino de aluguel que sente orgulho a cada vítima morta e sente prazer de ver nos olhos das pessoas a vida se acabando aos poucos. Ela estava no lugar errado e na hora errada, ela seria mais uma vítima porque tinha visto demais, porém Liam a poupou obrigando-a ir com ele.

Liam matador profissional era muito diferente do que ele era no dia a dia na forma de tratar as pessoas, ele era gentil com algumas e até carinhoso. A convivência foi perfeita para que (seu nome) se apaixonasse pela pessoa que ele é e pela pessoa que ele se torna ao fazer os seus serviços. Não foi preciso mais que um ano para que ela soubesse tudo o que ele sabia e então o lobo solitário se transformou em uma dupla dinâmica.

Dois anos depois de se conhecerem, (seu nome) se descobriu grávida, um filho não era indicado pessoas que vivem como eles, matar havia se tornado um vício e parar com isso estava fora de questão. Mesmo com uma gravidez indesejada Liam nunca mataria um dos seus, o assunto aborto não estava a ser discutido e ele voltou a ser um lobo solitário em sua saídas nas noites de caça deixando (seu nome) inquieta até a sua volta. Mais cinco anos se passaram e o pequeno Chad os acompanhavam no ‘trabalho’, ele ficava no carro a alguns metros do local esperando-os voltar.

— Mamãe, o Boo não veio. — a voz do Chad saiu chorosa porque ele sabia que estava indo embora e não voltaria.

— Droga, Chad! — (seu nome) esbravejou — Você tinha que esquecer esse urso encardido. — se virou para o garotinho de cinco anos encolhido no banco de trás, mostrando toda a sua indignação.

— Não o faça chorar agora, eu vou buscar o urso. — Liam deixou o carro e correu para dentro da casa que havia sido deles por uma semana.

— Você está colocando o seu pai e todos nós em risco. Aprenda a cuidar dessa porcaria de urso direito. — se virando novamente para frente, (seu nome) manteve os olhos colados na porta esperando Liam voltar — Vamos lá, Liam… — sussurrou em ansiedade.

Liam passou pela porta correndo no momento em que sirenes da polícia já podiam ser ouvidas há pouca distância do local que estavam, ele entrou rapidamente no carro jogando o urso no banco de trás e deu partida acelerando para longe daquele lugar.

— Eles estão perto. — (seu nome) disse ao ver as sirenes refletirem no retrovisor — Vou ter que atrasá-los.

(Seu nome) vasculhou a mala que estava aos seus pés e pegou uma submetralhadora carregada fazendo Liam a olhar com orgulho, ele havia criado uma versão feminina sua que era tão destemida quanto ele. Mas não era o momento de ficar admirando sua mulher em ação, ele teria que cuidar para que não saísse da estrada e não ser encurralado pelos carros da polícia. (Seu nome) soltou o cinto de segurança e se colocou de pé sobre o banco no momento em que Liam abriu o teto solar.

— Tape os ouvidos e se abaixe Chad, a mamãe vai brincar de atirar. — o garoto obedeceu seu comando e ela colocou metade de seu corpo para fora do carro vendo que ainda estavam longe de alcançá-los — Reduz um pouco, querido. Eles estão um pouco longe, mas se continuarmos eles vão nos achar.

Liam fez o que foi pedido e assim que (seu nome) viu que estavam em uma boa distância começou a atirar contra os carros de polícia, o objetivo principal era tirá-los de circulação acertando os pneus do carro. Haviam três carros ao todo, talvez se ela acertasse o primeiro ele poderia rodopiar na pista e bater no segundo, então só sobraria o terceiro para se livrar. E assim aconteceu alguns tiros seguidos depois, o terceiro carro foi o mais difícil de descartar, o policial no banco carona estava atirando de volta e assim que ela conseguiu acertar o pneu, seu ombro foi empurrado para trás pela pressão da bala entrando em sua carne.

— Merda! — (seu nome) voltou seu corpo para dentro do carro voltando a se sentar e colocou a submetralhadora de volta na mala aberta com uma mão apertando o ombro que sangrava.

— Você foi ótima se livrando deles. — Liam sorriu a olhando rapidamente e só então percebeu que ela havia sido atingida no ombro — Que porra! — ele pisou no freio fazendo o corpo de (seu nome) ser jogado para frente e seu ombro bateu contra o painel do carro a fazendo gemer.

— Eu estou sem o cinto, droga! — (seu nome) o repreendeu voltando a se sentar corretamente sobre o banco — Só continua, Liam, eu estou bem. — ela continuou apertando o ferimento — Logo vamos chegar no outro carro.

Liam apenas continuou o trajeto que os levariam até a floresta onde o carro ao qual haviam chegado na cidade estava, sempre tinha um reserva para saírem da pista da polícia. Antes de entrarem na floresta, eles tiraram o armamento do carro e (seu nome) se afastou com Chad para Liam jogar gasolina nos bancos e o isqueiro logo em seguida e só então se embrenharam na escuridão da floresta com suas lanternas.

— Papai, eu estou com medo. — Chad apertou a mão de Liam que não podia carregá-lo por estar com todas as mochilas com as armas.

— Você já é um menino grande, não pode ter medo. — Liam disse mais paciente do que (seu nome) seria a vendo caminhar mais a frente deles — A mamãe é uma menina e não tem medo.

— Mas eu tenho medo. — o garoto fez um bico.

— Essa conversa não vão levá-los a nada e eu continuo sangrando. — (seu nome) mostrou sua indignação a conversa banal dos dois e eles se apressaram.

[…]

— Você se tornou tão forte, baby. — Liam comentou enquanto vasculhava a carne de (seu nome) com uma pincha a procura da bala. O procedimento estava sendo feito sem anestesia.

— Cala a boca e acha logo essa merda. — (seu nome) esbravejou entre os dentes sentindo dor em silêncio quando na verdade queria apenas gritar — Não olha para isso Chad, apenas segure a lanterna.

O garoto assentiu virando o rosto em outra direção enquanto o pai cuidava do ferimento de sua mãe, eles já estavam no outro carro no meio da floresta, longe do perigo de serem pegos. Liam agora só precisava colocar seus conhecimentos em prática para remover a bala, dar os pontos e cuidar para que o ferimento não infeccionar.

— Que deslize foi você se deixar ser atingida… — Liam falou concentrado no que estava fazendo e assim que encontrou a bala a retirou — Aqui está! — Liam exibiu a bala ainda segurando-a com a pinça.

— Você fala como se nunca tivesse tomado um tiro, estava escuro e eu tive que me livrar de três carros de polícia não teve como prestar atenção em tudo. — falando rápido e quase que embolado, (seu nome) se defendeu.

— Calma, amor. — Liam riu colocando a bala em um potinho e limpou a pinça com um algodão molhado no álcool — Eu continuo achando que você foi ótima, minha mulher maravilha. — sorrindo Liam se inclinou e selou seus lábios aos de (seu nome).

— Fecha logo isso, Chad já viu coisas demais para o render um bom pesadelo.

Mordendo o lábio com força (seu nome) sentiu a agulha entrar e sair de sua carne enquanto Liam costurava buraco que a bala deixou em seu ombro, nada que ela já não tenha passado antes.

Depois que estava tudo certo, eles voltaram a seguir viagem para outra cidade, mas dessa vez sem a turbulência de serem perseguidos. (Seu nome) passou para o banco de trás e aconchegou o filho com seu corpo para que ele pudesse dormir um pouco, essa não era uma vida para se criar uma criança, mas eles não podiam apenas abandonar uma das duas coisas que mais amam.




Desculpem qualquer coisa, ultimamente escrever para mim não está sendo animador, mas vou tentar reverter a situação.

- Tay

Ele é diferente. Ele não é só um cara. Ele te ouve como se te entendesse, fala como quem soubesse o que dizer e não diz nada muitas vezes, porque ele entende os silêncios. Ele existe. Você sabe que seriam bons amigos, bons parceiros, bons inimigos, mas você prefere ser a garota dele. E sabe que serão importantes na história um do outro para sempre, independentemente de tudo que estiver pra acontecer. Porque ele não é só um cara. Você não quer mais só um cara. E ele é tudo que você quer hoje.
—  Tati Bernardi. 

Imagine Niall Horan Pt.1


Pedido especial !


Niall ria descontroladamente por uma coisa eu que tinha dito . Como eu amava aquele sorriso …

— Só você pra me fazer rir durante um filme de drama ! — disse com as mãos sobre sua barriga.

Niall era meu melhor amigo . Estávamos deitados no sofá da minha sala , com um balde enorme de pipoca , assistindo o filme “A cabana” , um tanto quando emocionante …

Niall já foi meu namorado, mas nosso relacionamento não estava dando muito certo , então , terminamos de uma forma amigável e nos tornamos melhores amigos .Porém , eu ainda o amava muito. Parece que com o término do nosso namoro , o que eu sentia por ele se tornou muito mais intenso. Mas eu não podia tê-lo de volta , afinal , ele já tinha outra . Sua nova namorada se chamava Stacy , que por sinal , não gostava nem um pouco de mim . Eu sempre fiz de tudo para ter uma boa relação com ela , mas isso era praticamente impossível . Ela vivia me alfinetando e me esnobando …

De repente ouvimos o celular do Niall tocar . Sua namorada havia lhe mandando mensagem .

— É a Stacy . - ele diz olhando a mensagem.
— Aconteceu alguma coisa ? - perguntei , afinal , Niall encarava o celular com uma cara nada boa .
— N-não aconteceu nada . - bloqueou a tela do celular , o guardou no bolso e se levantou. — É… S/N , eu preciso ir .
— Mais já Niall ? O filme nem acabou !
— Me desculpa de verdade , mas a Stacy está precisando de mim .
— Ah, tudo bem . – falei um pouco frustrada .
— Nos vemos amanhã na casa do Harry ok?
— Nos vemos amanhã .
Ele rapidamente deixa um beijo em minha testa e vai embora .

Eu amava a presença de Niall, porém ,Stacy tinha estragado tudo . Mas eu tinha que me conformar, afinal , ela era uma das prioridades de Niall no momento.

[…]

Estávamos na casa de Harry. Ele tinha chamado alguns amigos pra uma festinha , já que a tia Anne iria passar o fim de semana fora . Todos já haviam chego , menos Niall.

— Gente , alguém sabe do Niall ? - perguntei aos nossos amigos .
— Ele se atrasou , disse que Stacy não estava achando a roupa ideal . – Louis , o mais velho do nosso grupo de amigos disse revirando os olhos .
— Eu não sabia que ela viria . – falei e uma Mini tristeza me invade . Com a presença de Stacy, Niall me daria o mínimo de atenção .
— Gente , por favor , que fique entre nós , mas eu não suporto essa tal de Stacy. - Harry abriu o jogo .
— Não é só você cara . - Liam ,o paizão da turma diz .
— Cara , que mulherzinha nojenta . O Niall merece coisa muito melhor. - Zayn, a pessoa mais mal humorada que nós conhecíamos ( Mas amávamos mesmo assim ) se envolve na nossa conversa .
— Poxa gente, mas nós temos que respeita-la . Ela é a namorada de nosso amigo , e o Niall parece estar realmente feliz ao lado dela . - falei , tentado amenizar a situação…



Niall havia chego com a Stacy . Passavam o tempo todo juntos . Niall e eu mal havíamos nos falado .

De repente Harry, me pega olhando meio cabisbaixa pros dois, que dançavam ao ritmo de uma música Pop que rolava .

— Você ainda o ama não é S/A.
Me disperso com sua pergunta .
— Ei, Harry, não diga bobagens . - falei levando meus olhos de encontro a ele .
— S/N. Eu sou seu amigo e te conheço. Da pra ver nos seus olhos o quanto queria estar ali no lugar da Stacy nesse momento.
Eu respiro fundo e me dou por vencida .
— É… eu ainda o amo Hazza, Muito.
— E por que não diz isso a ele ? - Harry fala como se isso fosse uma coisa super simples.
— Você tá maluco? Mais é Claro que não . Nós já namoramos e acabou não dando certo , e agora ele tem ela ou você se esqueceu ?
— Mas você é Mil vezes melhor que a Stacy. Não duvido nada que ele a largaria e voltaria pra você no mesmo instante.
Aquilo me fez rir .
— Aí Harry. Só você pra dizer uma coisa dessas .
— Ué! E apenas o que acho , ou melhor , o que tenho certeza …


Continua …

Você fala como se soubesse tudo o que eu quero. Você acha que sabe, não acha? Só que, no momento, aposto que nem se deu conta, tudo que eu quero é você.
—  Gabito Nunes 

Imagine inspirado na vida de uma grande amiga minha. Eu escrevi enquanto ouvia Beautiful Thing (da Grace VanderWaal) e achei que combinou bastante com o texto. Então caso queiram criar um climinha especial, a minha dica é que ouçam essa música linda enquanto leem.


Keep reading

Algo dói, mas eu nunca sei dizer se é uma lembrança recuperada ou apenas o meu problema no fígado.

Eu amo o frio, mas esse ano está diferente, está demasiadamente silencioso  o cinza pairou ao meu redor, sabe eu acho lindo os dias cinzas e frios, costumavam ser frios lá fora e quente aqui dentro, mas dessa vez ficou frio demais, cinza demais. É estranho chegar o fim da tarde e não ter historias para contar ou para ouvir, as vezes eu acho que até me esqueci como se fala, pois aqui faz tanto silencio que já nem escuto o som dos meus passos pela casa, lá fora faz barulho tem conversa, riso, choro, briga, musica, uma voz adolescente cheia de vida, varias coisas, mas quando eu fecho a porta fica escuro e silencioso, as vezes a geladeira faz um barulho estranho é o único som que tenho escutado ultimamente e está tudo tão aterrorizantemente organizado e limpo, hoje pensei em adotar um gato, pra fazer um pouco de bagunça, mas logo desisti como de costume, mas não me arrependo, porque com o tempo você aprende a se conformar com o silencio, começa a sentir que é normal já não escutar o próprio barulho do caminhar.Tem dias que acordo e sinto vontade de fazer valer a pena estar acordada, mas no decorrer  observo o que me rodeia e vejo que são tantas escolhas erradas, desde o inicio, então me volto pra cama talvez ali eu não me machuque mais, talvez ali eu não derrube mais pessoas com tantas incertezas, assim a força do inicio vai fugindo, nada faz sentido. Então na manhã seguinte acordo e sinto que perdi horas da minha vida e prometo levantar, mas no fim o que me resta são só expectativas.

Ele não é só um cara. Esse sim, esquenta as suas mãos e escuta os seus impropérios e gracinhas com o mesmo apego. Você diria que ele salvou sua vida se não soasse tão dramático. Te ensinou a gostar de surpresas. Ele é diferente. Ele não é só um cara. Ele te ouve como se te entendesse, fala como quem soubesse o que dizer e não diz nada muitas vezes, porque ele entende os silêncios. Ele existe. Você sabe que seriam bons amigos, bons parceiros, bons inimigos, mas você prefere ser a garota dele. E sabe que serão importantes na história um do outro para sempre, independentemente de tudo que estiver pra acontecer. Porque ele não é só um cara. Você não quer mais só um cara. E ele é tudo que você quer hoje.
—  Tati Bernardi.
Durante o caos eu só soube lembrar do que éramos, de como eu sorria ao estar do seu lado, de como os nossos corpos se encontravam, de como nossas falas se completavam, nossos gestos, nossos pensamentos. Lembrei dos bilhetes nos cadernos, das cartas, das fotos reveladas. Lembrei do seu riso, sua gargalhada e do seu pedido de “para” após um ataque de cócegas. Lembrei da sua voz me pedindo pra ficar, da tua fala mansa fazendo manha pra me convencer de fazer qualquer coisa que quisesse. Do seu mal humor pelas manhãs, seus pedidos de abraço e colo, chocolates ou qualquer coisa que te fizesse esquecer de algo por um momento. Lembrei da sua respiração ao se acomodar no meu peito, e do seu sono profundo após escutar as batidas do meu coração. Lembrei de você meu bem, e de tudo o que vivemos até aqui. Pensei na saudade que sinto de cada momento, e em como eu faria de tudo pra voltar no tempo. Mas não basta, aquelas histórias foram as melhores, mas eu preciso de mais, já que uma história como a nossa precisa de muito mais coisa pra contar. Uma história como a nossa só tem início, jamais um final.
—  Um pouco de nós
Questionamento

Os seres humanos têm o dom de serem incríveis e inacreditáveis.
Eles entram em sua vida, agem como um anjo, te faz bem, e faz com que você, que antes não acreditava em pessoas boas, acredite mais uma vez. Depois elas começam a mostrar o seu lado obscuro. Dizem as verdades de qualquer jeito, te magoam e se julgam corretos pelo ato. Minha gente, que a verdade precisa ser dita, isso é fato. Mas saibamos dizer a verdade para que ela tenha efeitos positivos. Mas aí a pessoa diz que você não presta, que só faz coisa errada, que você é egoísta. Aponta mais os seus erros do que suas qualidades. É como você passasse a ser um monstro. Depois disso, ela age como se nada tivesse acontecido. Fala com você normal, te trata bem como se não tivesse te chamado de lixo.
Passa-se um tempo, a criatura volta, ou melhor, ela não aparece. Depois de muito tempo falando que você não queria saber dela, ela nem se importa com você. Você fica igual a um bezerro quando nasce e quer sua mãe, não larga do pé, faz tudo da forma que aquela pessoa disse que você deveria fazer. Ela nem quer saber se você está bem, se está fazendo as terapias, como anda o namoro, a faculdade, enfim. Ela te esquece. E você volta a se questionar: Será que existem pessoas boas ?
(🌺🌵)