comemorations

10

[11.26.2016] // About our Thanksgiving!

Hi guys! How’re you? I hope that you’re fine!
I’m a bit delayed with this post, but just now I have time to do it!
In my part of the family, we don’t comemorate it so much, so in the morning of day 24 my mom invited us to go to their farm for a family breakfest! It was amazing! Was a amazing time with my fam and the kids loved! Unfortunally, I didn’t did any pics in the farm :/
They asked us to stay with my mom till today, because they was wanting to pass a little time in the farm again. Me and Jhonny accepted and we went to home at 13:00. We was just playing in the living room, when Jhonny’s mother called us for invite to go to their house for a dinner!
We accepted, and in the night we went for their house! It was really a great night! Also, we slept in their house because she lives in another city and was too late for go home. The twins slept so much, and Jhonny’s parents just loved to play with them. The twins loved to went for their house for the 1st time, specially Chris who stayed the most of the time in our bed because he wasn’t wanting to sleep in the bassinet LOL

I want to say thanks for Aurora for the amazing carseat blanket that she gave for us! I really loved it! It was so good for the twins, and for us too haha!
It’s so comfy and hot, I just loved <3 Thank you so much love <3

So guys, that was the post of today! I hope that you all had a amazing thanksgiving!
Any questions? Just ask! My inbox is always open for you!
Have a amazing day/night!

Xoxo
Scarlett

Se for para namorar, namore alguém que se doe para você, que valorize suas qualidades e aceite/ajude a melhorar o que você costuma errar. Não namore alguém que te puxe para baixo. Não namore alguém que para se sentir bem, você sempre tenha que se esforçar ao máximo para deixa-la satisfeita e alegre. Não namore alguém que não comemore junto com você suas conquistas e console/impulsione você quando não alcançar teu objetivo. Não namore alguém que nunca te elogie ou quando elogia, é apenas elogios para coisas superficiais como: sua roupa ou suas joias, mas sim aquele que elogia seu rosto ou como seu novo corte de cabelo esta bonito ou talvez como você foi maravilhosa ajudando aquela senhora na rua. Não namore alguém que não valorize a pessoa MARAVILHOSA que você é. Se por algum acaso você não se acha uma pessoa maravilhosa, você deveria começar a se olhar no espelho e se namorar porque se você não se achar suficientemente LINDA E A MUSA DO VERÃO, me desculpe colega mas ninguém vai achar também (sua mãe não conta). Se ame, você merece alguém muito FODA do seu lado.
—  Lombello, para todas as pessoas que se submetem a relacionamentos que machucam o coração e apodrecem a alma.

fanart for @therealjacksepticeye ! that moment when u had planned to make fanart to comemorate you fav potato’s 14 million subs but fails epically xD

anyway. while lining this, i was watching the 14 million subs video and… you always make me laugh jack ^^ i’m not a… very positive person, so often your energy can be a little too much (y u so loud m8 i can’t hear the game’s sounds lol), but there’s so much sincerity in your emotions! i love your videos and your reactions. currently astroneer is my fav series of yours, because you and robin seem to be having such a great time together, i can’t stop laughing. and i loved to watch you playing the last guardian haha you were really enjoying yourself, weren’t you?

so, thanks and congratz jackaboy c: i hope this community gets even nicer than it already is, because you deserve our support. hope this will be a great year for you and wiishu! LIKE A BOSS : D  (and i wish a good day to the jacksepticeye community~)

Dentro da igreja ajoelhe-se. No estádio de futebol, grite pelo seu time. Numa festa, comemore. Durante um beijo, apaixone-se. De frente para o mar, dispa-se. Reencontrou um amigo, escute-o. Ou faça de outro jeito, se preferir: dentro da igreja, escute-O. Durante o beijo, dispa-se. No estádio de futebol, apaixone-se. De frente para o mar, ajoelhe-se. Numa festa, grite pelo seu time. Reencontrou um amigo, comemore. Esteja! Se não quiser participar, tudo bem, então fique na sua: na sua casa, no seu canto, na sua respeitável solidão. Melhor uma ausência honesta do que uma presença desaforada.
—  Martha Medeiros
2

Check out this playlist on @8tracks: Music in the key of F

To comemorate me finally about to start this blog here’s a few songs that make feel good by some cool ladies.

  • //***Flawless - Beyoncé//  
  • // Fighter - Christina Aguilera//
  • //Girls Just Wanna Have Fun - Cyndi Lauper//
  • //Girl in a Country Song - MAddi and Tae//  
  • //Survivor - Destiny’s Child//  
  • //Bo$$ - Fifth Harmony//
  • //Hollaback Girl - Gwen Stefani//  
  • //Salute - Little Mix//  
  • //I Don’t Need a Man - Pussycat Dolls//
  • //No Scrubs- TLC//  
  • //Lookin’ Ass - Nicki Minaj//  
  • //Run the World (Girls) - Beyoncé//

Attention: I added another track to the playlist: //Respect - Aretha Franklin//

Se tá dando certo, não espalha. Tem coisa que não merece o compartilhamento. A sua felicidade por exemplo, não precisa ser explanada por aí. Se está fazendo bem, comemore, mas saiba que nem todo mundo está preparado para ouvir e ver você dividir o riso frouxo e saudade gostosa de se sentir. Não acho que seja egoísmo, chamo isso de proteção. 🍃
One Shot - Harry Styles

Originally posted by malikzain

-Então você pediu pro Harry provar que te ama? - Liza perguntou.

-Sim, amiga. E eu falei pra ele não me procurar enquanto não fizer isso. Quer dizer… Eu o amo, tenho a certeza disso… Mas às vezes não tenho tanta certeza se é recíproco, sabe? Ele nunca faz nada de especial pra mim, e se não for pra ele levar a sério, é melhor terminar o noivado.

-Você está certa. Há quantos dias vocês não se falam?

-Uma semana.

-Bastante tempo pra quem não ficava um dia sem se falar. - Mostrei a língua para minha amiga. - O que você acha que ele vai fazer?

-Sinceramente? Nem sei mais se ele vai fazer algo. - Suspirei em frustração, me jogando na cama, ao seu lado.

(…)

-Eu ando seis casas. Um, dois, três, quatro, cinco….

-HÁ! - Liza comemorou.

-Não acredito que vou pra prisão logo agora! Nem no Banco Imobiliário eu me dou bem. - Coloquei meu peão no local indicando, enquanto ríamos. Ouvimos um barulho vindo do meu celular, e trocamos um olhar cúmplice assim que percebemos que era o toque que eu havia escolhido para Harry.

-Atende logo, amiga! - Assenti, pegando o celular e me levantando.

-Oi. - Falei timidamente. Era estranho ficar com vergonha dele, mas o clima entre nós estava meio tenso.

-Hey. Está ocupada?

-Só estou jogando Banco Imobiliário com a Lizy. - Rimos.

-Queria saber se posso te buscar. Precisamos conversar. - Bufei. Minhas esperanças diminuíram com essa frase.

-Eu sei.

-Passo aí em cinco minutos, ok?

-Certo. Avisa quando chegar.

-Beleza. - Desligamos.

-E aí, amiga?

-Ele vem me buscar em cinco minutos. - Ela sorriu.

-Que bom, amiga. Tudo vai se resolver, relaxe. - Sorri. - Porém, você vai me ajudar a guardar essa bagunça antes. - Apontou pra cama, onde haviam várias notas e peças do jogo espalhadas. Revirei os olhos de brincadeira, mas acabei ajudando-a até ouvir uma buzina tocar. Olhei pela sacada e reconheci o carro do Harry. Despedi-me dela e desci as escada, encontrando-o escorado no portão.

-Hey. - Sorriu nervosamente, e eu fiz o mesmo. - Espero que esteja com fome.

-Estou, sim. - Abriu a porta do carro pra mim, e entrou logo em seguida. Percorremos o caminho todo silenciosamente, apenas ouvindo as músicas que tocavam. Percebi que o caminho era para o seu apartamento.

-Pode entrar. - Disse assim que chegamos, abrindo a porta para mim novamente. Não podia reclamar quanto a isso: ele sempre fora muito cavalheiro.

Assim que entramos, senti um cheiro maravilhoso de comida. Olhei para frente e percebi que a mesa estava arrumada lindamente, com uma vela no centro. Sorri abertamente.

-Você fez isso? - Assentiu. - Adorei.

-Isso por que você não comeu ainda. - Mostrou suas covinhas, convencido.

-Vamos ver, então.

Ele foi até a cozinha e voltou um pouco depois com a comida. Lavamos as mãos e nos sentamos. Estava tudo delicioso, de fato.

-Podemos ir para a sobremesa? - Perguntou com um sorriso malicioso. Não acredito. Ele acha que isso foi uma prova de amor?

-Harry, nós não…

-Estou falando do sagu.

-Ah. Ok. Podemos.

Comemos o doce, que estava maravilhoso também, e Harry tirou a mesa, colocando tudo na máquina de lavar louças, não me deixando ajudar. Fiquei sentada, e ele voltou com seu violão.

-Vai cantar pra mim? - Sorri.

-Sim. Mas essa é especial.

-Por quê?

-Fiz pra você. - Encarei-o admirada.

-Sério? - Assentiu. - Wow… Vamos ouvir, então.

(…)

“You and I
We don’t want to be like them
We can make it ‘till the end
Nothing can come between
You and I
Not even the gods above
Can separate the two of us
No, nothing can come between
You and I
Oh, you and I”

(…)

-Harry, eu… Não tenho palavras, isso foi simplesmente incrível. - Falei em tom de admiração. - Beijei-o. Era muito bom sentir sua boca depois de uma semana.

-Calma, tem mais uma coisa. - Disse assim que nos separamos.

-Uau, está se superando. O que é? - Pegou uma caneta de cima da bancada.

-Desenha alguma coisa aqui. - Apontou para uma parte sem tatuagem de seu braço. Olhei-o confusa. - Tem que ser alguma coisa legal e que expresse o que você sente, sem ser confuso ou chamativo demais. - Ri.

-Mais alguma coisa, mestre?

-Só isso mesmo.

Decidi desenhar um coração com duas notas musicais, já que nos conhecemos por causa da música. Demorei alguns minutos, e ele deu um grande sorriso quando olhou.

-Acabei, mas… Pra que isso?

-Adorei. Vem comigo. - Me puxou para fora do apartamento rapidamente, apertando o botão do elevador diversas vezes.

-Aonde estamos indo, Harry?

-Você já vai ver.

(…)

-Não acredito que vai fazer isso. - Disse assim que percebi que estávamos num estúdio de tatuagem.

-E aí, Bob. - Meu noivo falou quando entrou na loja, ignorando meu comentário.

-Fala, cara, beleza? - Fez que sim com a cabeça.

-Vim tatuar isso aqui. - Mostrou o desenho que eu havia feito. - Olhei-o boquiaberta.

-Tranquilo. Vou preparar a sala e já te chamo. - Saiu, deixando-nos a sós.

-Você não precisa fazer isso, Harry. - Cochichei.

-Hey. - Segurou meu rosto, colocando meu cabelo pra trás da orelha. - Eu quero, ok? - Suspirei, e ele beijou minha testa.

-Podem vir! - Bob chamou-nos.

(…)

-Não acredito que você fez isso. - Empurrei-o levemente.

-Nem eu. - Rimos. - Mas valeu a pena. Pelo menos agora você sabe que eu realmente te amo e quero passar o resto da mnha vida com você. Além do mais, o desenho ficou muito legal. - Joguei o cabelo para trás, me gabando.

-Eu sou demais.

-Eu sou demais. Demorei uma semana pra ter essa ideia. - Ri.

-Você é incrível. - Olhamo-nos.

-Você também. - Beijou o topo da minha cabeça, me abraçando de lado. Realmente, ele era o homem da minha vida.

E aíiiiii, o que acharam? Eu gostei desse, gente hahahaha. Na parte do You and I, imaginem que a mpusica foi composta por ele e que ele cantou-a inteira, ok? Ahhh, e a tutagem dele é inspirada nessa aqui:

Queria muito fazer essa >.<

xx, giu.

One Shot - Louis Tomlinson (Parte I)

Parte II >>

- Mamãe, vai demorar muito? - Alice perguntava de cinco em cinco minutos.

- Não.

- Você disse isso há pouco tempo.

- Porque você perguntou há pouco tempo, meu amor. - Acariciei seus cabelos.

- O papai sabe que nós vamos ver o show dele? - Ryan perguntou entediado.

- Não, vamos fazer surpresa pra ele.

- Ah. - Olhou para a janela do carro. Um dos seguranças do Louis estava nos levando até Los Angeles, onde aconteceria o próximo show dos meninos.

- Eu quero ver como é o show do papai. - Alice comemorou me fazendo rir.

Alice era a mais nova e Louis não deixava ela ir aos shows porque tinha medo que alguma coisa acontecesse no meio da multidão conosco. Ryan ia mais vezes e gostava bastante de acompanhar seu pai, por isso que ele não ficava tão feliz quando fazíamos surpresas desse tipo ao Louis.

- Você verá.

- Não é essas coisas todas. - Ryan resmungou.

- Se você não está animado não desanime sua irmã. - Sussurrei pra ele.

- Por que não é bom, Ryan? - Ela perguntou.

- É bom sim, Alice. Só eu que não estou me sentindo bem hoje.

- Ah. - Olhou para a janela. - Chegamos, mamãe?

- Agora sim. - Sorri e esperei o segurança nos pedir pra sair do carro. Algumas fãs nos viram e quiseram tirar fotos com as crianças, Ryan sorriu abertamente, nem parecia aquele menino emburrado de minutos atrás.

- Você é a cara do Louis. - Uma delas disse abraçando-o.

- Esse será o ídolo dos nossos filhos. - A amiga dela disse e riu.

- Você vai deixar ele seguir o pai, (s/n)?

- Não sei, se ele quiser… - Ryan tinha jeito pra coisa e eu acho que ele seria um ótimo ídolo, tão bom quanto Louis.

- Eu super apoio. - Uma outra que chegou falou e o abraçou, logo após abraçou Alice.

- Senhora vamos logo, está enchendo de fãs aqui, depois ficará difícil pra sair. - O segurança pediu.

- Sim, vamos. - Segurei o braço de Ryan e Alice e fomos para o backstage.

- Quer que eu chame o Louis? - Um homem da equipe perguntou.

- Não, eu quero ir para a área reservada à família.

- Sim, a Gemma está lá. - Sorriu e nos levou até o local onde Gemma estava sentada.

- O que faz aqui? - Perguntou após me abraçar.

- Surpresa para o Louis.

- Muito bonito da sua parte. - Riu. Abraçou as crianças e ficou brincando com a Alice enquanto eu olhava o Ryan que só queria saber de conversar com os homens da equipe que ajeitava os microfones e luzes.

- E qual é o microfone do papai? - Ele perguntou.

- Esse aqui. - O homem entregou ao menino que ficou encantado não só com ele, mas com o ponto de ouvido do pai.

- É muito legal.

- Quer que eu faça um teste em você?

- E pode?

- Claro! - Ele foi super simpático com a criança curiosa. Alice estava encantada com tudo, Gemma explicava como funcionavam as coisas e mesmo sem entender muito ela concordava e ria algumas vezes.

Logo o local foi enchendo de fãs com cartazes, camisas com fotos e frases para eles, elas cantavam e dançavam as músicas que tocavam e quando viram as crianças e a Gemma acenaram e tiraram fotos nossas. A minha relação com as fãs de meu marido era tranquila, elas não faltavam com respeito comigo e nem eu com elas.

- Mamãe, nós podemos ver o papai agora? - Alice pediu.

- Agora é que não dá mesmo. - Eu ri. - O show vai começar.

Minha filha esqueceu seu pedido rapidamente ao ver seu pai no telão. As meninas gritaram enlouquecidamente e confesso que eu também, cantei junto com meus filhos e Gemma e respondemos as perguntas que eles faziam para a multidão inquieta. Eu ainda sentia a adrenalina correr por minhas veias mesmo depois de casar com o Louis, nos conhecemos num show, quando eu fui para o camarim porque gostava muito da banda.

- Muito obrigada por hoje, vocês são incríveis. - Harry disse e eles se despediram do público.

Na saída foi difícil voltar para a área dos camarins, muitas fãs se aglomeraram em torno de nós querendo fotos com Gemma e pra minha surpresa comigo também, eu não fazia questão por isso, mas havia ficado feliz com a novidade.

- Nós já podemos ver o papai? - Alice perguntou.

- Ainda não, ele está atendendo as fãs. - Ryan respondeu sorridente.

- Vocês podem entrar. - O segurança disse.

- Mas tem fãs lá dentro?

- Sim, duas.

- Prefiro esperar. - Respondi.

- Pode subir lá na sala de vidro e esperar, quando não estiver mais ninguém eu aviso.

- Obrigada. - Subi com as crianças e a sacada da sala de vidro dava acesso a onde eles se encontravam com as fãs. Louis estava abraçando uma menininha.

- Quem é ela, mamãe? - Alice olhou enfezada para a menina.

- Uma fã.

- E ela precisa ficar abraçando o papai?

- Ela gosta dele, filha. - Ri com seu ciúmes e a coloquei em minha frente. - Depois ele te enche de abraço e beijo.

- Mãe, estou com fome. - Ryan resmungou.

- Aqui tem comida. - Gemma disse levando-o até uma mesa repleta de comidas. - Essas são as comidas que seu pai gosta.

- E essa banana é do papai também?

- Não, é do meu irmão.

- Posso comer?

- Eu acho que o Harry vai ficar enciumado. - Falei rindo.

- Pode comer, não é pra tanto (s/n). - Harry chegou me olhando divertido.

- Então o problema sou eu, a última vez que eu inventei de fazer isso você só faltou me matar. - Comentei abraçando-o.

- Você é folgada, é diferente. - Riu e abraçou as crianças em seguida. - Dá certinho com seu marido.

- Fico lisonjeada.

- Tão irônica quanto ele também. - Gargalhei. - Por que não foram lá ainda falar com ele?

- Vamos esperar tudo acabar. Por favor, não diga nada a ele.

- E se eu contar?

- Eu paro de falar contigo, Harry. - Ele riu e me abraçou.

- Você está mais calma ultimamente, o que houve? Em outros tempos você me mandaria pro espaço.

- Estou na paz hoje. - Falei e Gemma gargalhou.

- Bom, vou voltar pra lá. - Beijou a bochecha de Alice e foi embora. Harry era padrinho dela e Niall era o padrinho de Ryan, Liam ficou para um próximo filho, se viesse. Zayn já era padrinho de casamento, então…

Ficamos observando por mais um tempo e Ryan ficou impaciente querendo falar com o pai, Alice não parava de falar e eu resolvi chamar o segurança pra nos ajudar a entrar no local onde eles estavam tirando fotos com as fãs. Enquanto eu descia com as crianças pude ouvir gritos de fãs ao entrar no camarim deles.

- Será que dá pra tirar uma foto com os meus filhos? - Entrei perguntando, mas tive uma péssima surpresa.

- A-amor? - Louis se assustou quando nos viu. Permaneci calada apenas observando a cena, meu marido mais branco que o normal e uma mulher assustada ao seu lado.

- Papai! - Alice gritou abraçando-o pela perna. Louis se abaixou para pegá-la no braço e aproveitou para beijar a bochecha e bagunçar o cabelo do Ryan.

- Essa é minha filha. - Disse para a mulher que sorriu completamente sem graça. - Meu filho. - Apontou para Ryan. - E minha mulher.

- Oi. - Ela sorriu do mesmo jeito pra mim e eu permaneci séria.

- (s/n), ela está falando com você. - Louis disse.

- Oi.

- Meu nome é Venina.

- Prazer.

- O que fazem aqui? - Meu marido perguntou brincando com Alice. Eu estava me controlando pra não pegar aquela mulher pelos cabelos e expulsar ela daqui. Tenho certeza que estava pintando um clima entre eles.

- A gente veio fazer uma surpresa, papai. - Alice disse segurando seu pescoço e beijando seu nariz.

- Por quê? Não gostou? - Consegui falar algo mais ofensivo dessa vez.

- Claro que gostei. - Riu. - Eu só não esperava.

- Não entendo sua reação.

- Por quê?

- É… Gente, vamos deixar a (s/n) e o Louis sozinhos? - Liam pediu puxando Venina pelo braço e levando os meninos. Niall segurou Alice no colo e Harry levou Ryan pela mão.

- Quem é ela? - Perguntei furiosa.

- Uma fã, amor.

- Fã com aquela cara de vadia?

- Ah (s/a), não tem nada a ver…

- Por que você ficou assustado quando me viu?

- Eu não fiquei assustado. Só fiquei surpreso em ver vocês aqui tão longe de casa.

- Quem é ela, Louis?

- Uma amiga, pronto.

- Que amiga?

- Conheci ela hoje.

- E já é amiga?

- Sim, qual o problema?

- Se você não vê problema, por mim está tudo ótimo. - Virei-me pra sair, mas Louis me segurou.

- Pra onde você vai?

- Pra casa.

- Por quê? Já que está aqui vamos sair pra jantar com as crianças.

- Louis, você vai pra balada ou não? - Uma mulher da equipe chegou falando, nem me viu. Olhei mais irritada para meu marido.

- É… Eu…

- Ele vai sim. - Respondi sentindo meu rosto arder de ódio. - Boa festa pra você e para a Venina.

- Amor, não é nada disso. - Saí às pressas do camarim e fui atrás das crianças. - Eu só iria conhecer essa balada que é famosa aqui, os meninos chamaram e eu não pude recusar.

- Eu sei bem como funcionam essas coisas, aliás, no dia em que te conheci há uns anos atrás você me convidou para uma baladinha dessas, lembra?

- (s/a), com você é diferente.

- Eu acho bom você ir pra essa balada e aproveitar muito porque quando você voltar pra Londres nós vamos ter uma conversa bem chata e definitiva.

- Amor… - Ele tentou falar, mas eu peguei Alice no colo e praticamente arrastei Ryan até a saída, Louis acompanhou, mas calado. - Desculpa, (s/a).

- Papai, você não vai vir com a gente? - Ryan perguntou.

- Vou sim.

- Não, ele não vai. - Respondi. - Seu pai tem coisas importantes pra resolver ainda aqui.

- E nós vamos ficar aqui com ele, mamãe? - Foi a vez de Alice perguntar.

- Não, vamos pra casa.

- Ah mãe, vamos ficar aqui? - Ryan puxava minha mão insistentemente.

- Não Ryan.

- Por quê? Eu vou ficar! - Puxou sua mão me fazendo soltá-lo mesmo sem querer.

- Eu sou a sua mãe e estou mandando você ir pra casa comigo, ouviu bem? - Falei irritada.

- Mas eu quero ficar com meu pai.

- (s/n), olhe o que você está fazendo. - Louis disse.

- Não estou fazendo nada, você quem começou. Maldita hora que eu decidi vir até aqui te fazer essa maldita surpresa, eu poderia muito bem ficar em casa e não saber que nesse momento eu estaria sendo corneada.

- Não é assim, amor.

- Louis, não diz mais nada. - Segurei Ryan mesmo sem ele querer e fui para o carro onde um segurança me esperava. - Me leve até o aeroporto, por favor.

- Certo.

- Eu quero ficar com o papai. - Alice choramingou o caminho inteiro, Ryan tinha os braços cruzados fortemente na altura do peito e eu enxugava as lágrimas raivosas que caiam por meu rosto. Louis me trairia, eu tinha certeza, talvez eu preferisse nem saber ou ter visto aquela cena. A partir de hoje minha relação com Louis estava jogada ao vento, só um acontecimento muito forte, que demonstre muito amor pra nos salvar.

Jess

rabioting  asked:

BLACKPINK IN YOUR AREA~🎵✨ (I saw you in a group about blackpink and i wanted to send this)

CAN YOU HEART THAT??
(but omg rine thats literally the best ask ive ever received lets dance whistle to comemorate)