codinome cazuza

Domingo. Um café, um cigarro, “Codinome Beija-flor” do Cazuza e você no pensamento. Pensar em você não é mais doloroso. Dar uns vacilos ao ouvir algumas músicas é normal. Afinal, lembranças vêm a tona. Mas, você é meu passado e olha, meu presente está melhor. Superei.
—  Pagu. Águas de Janeiro, 2017

“O meu pessoal, em matéria de sexo, era um exagero total. Uma coisa libertária mesmo. A gente queria ser igual a Janis Joplin. A filosofia era ‘Viver dez anos a mil é melhor do que viver mil anos a dez’. Agora com essa historia da AIDS, eu me sinto meio traído por Deus. Eu sempre fui adepto do sexo livre e estou tendo que reformular toda a minha vida. Estou até fazendo análise por causa disso.” (Cazuza, 1988)