clara and sol

Voy a extrañar tus cejas pobladas, tu cabello castaño, tu palida y cálida piel, la suavidad de tu tacto con mi cuerpo, tus mejillas al sonrojarse, voy a extrañar esa mirada profunda y clara, esos ojos color sol, tus labios suaves al besarme, tus brazos protegiendome al abrazarme, tus risas de mis chistes malos, tus sonrisas al encontrarme con la mirada, tus manos llevandome por la calle y por la vida, voy a extrañar el sonido y el calor tu respiración, extrañaré tu forma inquieta de dormir, extrañaré el tic ocasional de tus ojos, tus dientes blancos, tu cabello despeinado después de hacerme el amor, voy a extrañar tu ternura, voy a extrañar tu breve manera de escribirme y tu cursi manera de hablarme frente a frente, nuestra ida al estadio, voy a extrañar esas pestañas claras, tus trucos, sin duda tus defectos, las luchitas de cosquillas en la cama, voy a extrañar las discusiones sin sentido, las tardes en tu sofá mirando televisión, extrañare los días de películas que vimos juntos incontables veces y jamás nos aburrimos, las idas al cine llenandonos de comida, extrañare cuando te daba mi refresco cuando acababas con el tuyo, nuestras travesuras y aventuras, las noches de desvelo charlando, voy a extrañar los domingos de picnic en la habitación, los días que no sabiamos que hacer y acababamos improvisando; extrañare los días que me embriague de alcohol y de tu amor al mismo tiempo, tus besos de mil sabores, tu pasión, tu corazón de niño…
Podria pasarme el rato diciendo todo lo que ahora mismo ya estoy empezando a extrañar y que extrañaré de ti ahora que dejemos de estar juntos… Básicamente extraño y extrañaré todo lo que viví a tu lado, todo lo que nos faltó vivir, todo lo que me recuerde a ti, te extrañare a ti por completo.
Capitulo 69

Clara:Ér…Espanha.(surpresa)

Sol:Na verdade ela foi a trabalho,a outra moça já mora lá não é mesmo Dessa.?

Dessa:É a Pe fo primeiro,mas claro que as duas vão se encontrar por la né tia…

Sol:Pode ser afinal elas são colegas,mas acredito que a Van não terá tempo.

Dessa:A Pe vai ficar muito feliz,ela gosta muito da Van.(sorrindo)

Sol:Dessa…você não quer dar uma olhada na patinha do Thor?ele ta andando meio estranho,como se estivesse com dor.

Dessa:Claro tia,onde ele ta?

Sol:ta no quintal dos fundos.

Dessa:Ok,vou la!(se levantando)com licença Clara.

Sol:Agora podemos conversar,a Vanessa ficou indecisa se te ligava ou não.

Clara:E acabou escolhendo o não pelo jeito.(triste)

Viajou,e nada me disse?eu não esperava uma satisfação,longe disso,mas ela acendeu em mim,ou melhor,despertou novamente o amor que sempre senti por ela,eu havia perdoado,eu deixei ela se aproximar de mim novamente,e o que recebo? novamente uma traição,só em pensar que essa horas elas podiam estar juntas,eu sentia mais nojo e raiva,mas não dela,e sim de mim mesmo por ser tao burra. Sai da casa dela com aquele humor…estava bem em cima da hora quando cheguei na casa de Angelis,que já me esperava impaciente.

Angelis:Clara…(aliviada) já estava achando que você não viria.

Clara:Pois bem,aqui estou,sera que podemos ir?(seca)

Angelis:Claro,só preciso pegar minha coisas lá em cima.

Clara:Tudo bem eu espero.

Fomos para o aeroporto em total silêncio,na verdade eu estava,pois a Angelis falava coisas que eu não entendia,e não prestava atenção e não queria também. Eu nunca fui tão trouxa na minha vida como estou sendo agora,mas depois de um tempo se lamentando,pensei melhor,e se ela estava achando que eu ia fazer o que fez e ia ficar barato,ai é que ela se engana.

Na noite que cheguei em Paris senti um vazio no peito,deu vontade de voltar correndo para o Brasil,pedir perdão,me ajoelhar se fosse preciso,mas ela não queria me ver. A Clara é a pessoa com a personalidade mais forte que já vi na vida,e a pessoa que mais amo…ops…amo. Mas ela parece não se importar com isso,é demais pro ego dela,sendo assim estava certo eu me afastar,mas vai dizer isso pro meu coração.

(campainha)

Van:mãe,vou desligar agora que minha comida chegou.(rindo)

Sol:Isso,troca a sua mãe por um prato de comida.

Van:Mas mãe é um Cassoulet vai esfriar.(rindo)

Sol:Casso… o que ?

Van:Depois eu explico mãe,vou abrir a porta e depois que eu comer eu ligo,prometo.

Sol:Tá bom,mas é pra ligar,tchau te amo!

Van:Tchau mãe,também te amo,muito.(desligando)

(abrindo a porta)

Pepa:É aqui que pediram um Cassoulet?

Van:Pe…(surpresa) caraca que CSI já me achou,entra!

Pepa:Já falei antes e vou repetir,se eu não vou atrás de você…(entrando)

Van:Ué como você adivinhou o meu pedido?

Pepa:Não adivinhei,o entregador tava ai na porta e resolvi fazer uma surpresa.

Van:Como descobriu que eu estava aqui?

Pepa:Liguei pra Dessa e ela me contou,ai ela falou com sua mãe,que passou o endereço pra ela,que passou pra mim.(sorrindo)

Van:Nossa…tudo isso pra saber onde eu to?não era mais fácil mandar um what’s?(rindo)

Pepa:Ai Vanessa eu tenho vontade de bater nessa sua cara de sínica.(semicerrando os olhos)

Van:Depois que eu comer você pode.(abrindo a sacola) vai lá pegar pratos e talheres.

Pepa:Sou visita Vanessa.(lhe dando um tapa) folgada.

Van:Vai Pe…eu to com fome.

Chegamos na Espanha já de noite,nos hospedamos em um dos hotéis do meu pai,ficamos em um presidencial,quer dizer,cada uma ficou em um,liguei para a minha mãe para saber de Max e depois que desliguei fui caçar o que fazer,eu não estava afim de viajar,estava ali pelo meu filho e só por isso.

Fiquei um tempo mexendo no notebook mas ali também não havia nada interessante,pedi algo pra comer,tentei dormir e nada. Resolvi descer e dar uma volta na cidade,Barcelona era um lugar lindo,eu já havia ido lá varias vezes,adoro as lojas de lá,mas como todas estavam fechadas,resolvi parar em um barzinho de musica ao vivo que encontrei no caminho.

(No Brasil)

Thais:Sai Mayra.(emburrada) eu não quero.

May:Ai anjo,que foi hein?(a soltando)

Thais:Nada,só quero um pouco de espaço…pode ser?

May:tá bom…(se levantando) o espaço é todo seu,melhor assim?(se sentando no outro sofá)

Thais:Ai May jura?

May:Juro,to desde manhã me dobrando em mil pra arrancar um sorrisinho se quer seu,e o que recebo é sempre uma dessas.

Thais:Thais:May eu to com muito calor e um enorme desconforto,não quero ninguém encostando imagine beijando e abraçando.

May:Entendo,mas você tem que falar com um pouco mais de educação Thais,eu não vou adivinhar.(magoada)

Thais:May desculpa nã..

May:Na boa…(indo pro quarto irritada)

Lu:Cheguei.(abrindo a porta) e ai cunha,cadê a May?

Thais:Lá dentro.(respirando fundo)

Lu:Xiii,que foi hein,que cara é essa?

Thais:Acabei descontando nela uma coisa que ela não tinha nada a ver,acho que ela ficou chateada.(respirando fundo)

Lu:Vixee,Mayra tá na TPM.

Thais:Não Lu,peguei pesado.

Lu:É por isso que não me apaixono,as pessoas ficam tão…baitolas.(revirando os olhos)

Thais:É por isso que você tava cantarolando pela empresa hoje,como se tivesse visto um canarinho verde.

Lu:Eu tava feliz ué.(rindo) aliás,quando eu não to feliz?

Thais:Exato,mas hoje sua felicidade tava diferente,desde o seu encontro com a pessoa misteriosa.

Lu:Que encontro cara?foi só um passeio,e não é pessoa misteriosa,é só uma amiga.

Thais:se você tá falando.(rindo) eu interpreto de outra forma.

Lu:É sério cara.(revirando os olhos) ai olha,vou tomar banho.

Thais:E eu vou lá falar com a sua irmã.(ainda rindo)

Lu:Besta…(rindo também)

A Thais era uma pessoa geniosa,não gostava de ser contrariada e quando se irrita ninguém pode chegar perto,eu ja sabia disso,mas ela estava diferente esses dias,tava chata pra falar a real verdade,por causa da gravidez talvez,mas eu estava me desdobrando em mil para lhe dar atenção,mas ela parecia não se importar. Ela entrou no quarto e eu estava terminando de me trocar,dei aquela esnobada,pois ainda estava chateada,e queria dar o famoso “troco”.

Thais:May…(encostada na porta) a Lu chegou.

May:Eu ouvi.(mexendo no celular) depois falo com ela.

Thais:May…(sentando ao seu lado) desculpa?

May:Tá…(sem tirar a atenção do celular)

Thais:Para com isso vai.(lhe tomando o celular) é sério desculpa.

May:Já desculpei.(pegando o celular) e se bem me lembro,você me pediu espaço,to te dando,agora você pode respeitar o meu?

Thais:Precisa ser grossa desse jeito?(se alterando)

May:Eu sou grossa?(arqueando as sobrancelhas)

Thais:Não…(abaixando a cabeça) desc…

May:Chega de desculpas Thais,já te disse que desculpo,mas ainda estou chateada,posso?posso,obrigada.(voltando sua atenção pro celular)

Thais:Mas eu…

May:Cansei,vou dormir.(desligando o abajur) vai agora?

Thais:Tanto faz,posso dormir aqui?

May:Se tiver “espaço"suficiente pra você,pode.

Thais:Ai olha,eu não vou ficar adulando não,já pedi desculpas,mas pelo jeito você não quer,vou dormir no meu quarto.(se levantando)

May:É uma opção que você tem.(se deitando)

Thais:Boa noite!(batendo a porta)

Peguei pesado né gente?mas óh não fiquem com dó não,porque eu conheço a namorada que tenho,e vocês me dariam razão se soubesse os foras que ela me dá muitas vezes,porque nem todas as patadas que levo dela, vai parar nessa fic aqui,sofro uma injustiça do caramba,mas enfim…

(no celular)
Lu:Então ela gostou?(sorrindo)

Tati:Amou,nossa nem sei como conseguiria comprar se não fosse você.

Lu:Ah qual foi,só levei você em uma loja.(rindo)

Tati:mas eu não conhecia nenhuma,e graças a você,tudo deu certo.

Lu:Depois a gente repete,se você quiser.(observando Thais passar pela sala)

Tati:Nossa que barulho foi esse?(assustada)

Lu:Thais querendo derrubar a casa batendo as portas,acho que mais uma e ela consegue.(rindo)

Tati:Tá tudo bem por ai?

Lu:Ah ela e a Mayra se desentenderam.(revirando os olhos)

Tati:Casais…(rindo) por isso sou solteira.

Lu:Daqui a pouco elas se entendem,é birra da minha irmã,mas concordo com isso ai que você disse.(rindo)

(Na França)

Depois que jantamos ficamos conversando na sala e tomando um vinho que Pepa trouxe,fiquei feliz em vê-la afinal,mesmo falando toda hora por telefone com a minha mãe,e as vezes trocando what’s com amigos,eu me sentia sozinha.

Pepa:Comment allez-vous ? (prendendo o riso)

Van:Com…alluahauh! (rindo) ai desisto.

Pepa:Calma uma hora você se acostuma.(rindo) eu também não sabia nada quando cheguei.

Van:Mas seu francês é é perfeito,não faz a modesta.

Pepa:Mas eu moro aqui desde sempre né Van.

Van:Você não sente falta do Brasil Pe?

Pepa:As vezes sim…vou lá mais a passeio.

Van:Visitar a família?

Pepa:Não tenho família lá.(dando um gole em sua bebida) não tenho contato com eles.

Van:Hm…eu to sentindo muita falta de lá,principalmente do calor.(rindo)

Pepa:É por isso que você tá tristinha assim?

Van:Também…saudade da minha mãe já.

Pepa;E de uma certa pessoa também,nê?

Van:é…também.(suspirando)

Pepa:A cara não aguento ver você assim sofrendo,é como ver a Letícia,e o pior de tudo pela mesma pessoa,vai por mim,não vale a pena.

Van:Pe você fala isso porque nunca gostou dela.

Pepa:Não,falo isso porque conheço a peça muito bem,aquilo ali não vale nada.

Van:Patricia estamos falando da mulher que eu amo,ela não pode prestar pra você,mas pra mim é a pessoa mais maravilhosa do mundo.(séria)

Pepa:Eu sei…desculpa Van,mas é foda te ver assim,eu não gosto de ver pessoas legais sofrendo.

Van:Não dizem que todo sofrimento é passageiro?então…

Pepa:Então vamos fazer o seguinte.(pegando a garrafa de vinho) vamos beber toda essa garrafa.

Van:Toda a garrafa?(assustada)

Pepa:Sim,e por hoje vamos esquecer que Clara Aguilar existe,combinado?

Van:Ai Pe…(rindo) isso é meio impossível.

Pepa:Vanessa…(revirando os olhos) combinado?

Van:Tá chata,combinado.

(no Brasil)

Acordei o dia seguinte com mais sono que fui dormir,porque eu não dormi,fiquei com a consciência pesada,fiquei olhando aquela cama vazia ficando da mesma forma,levantei lá pelas tantas da madrugada e fui até seu quarto,mas ela dormia,fiquei um tempo velando seu sono e depois voltei ao pro meu quarto e peguei no sono.

Logo meu despertador tocou,fiz minha higiene matinal e fui até até o quarto da Lu mas ela dormia pesadamente,e como já estava de férias da faculdade,resolvi não acorda-la,na cozinha Thais terminava seu café,quando entrei ela se virou para olhar.

Mayra:Bom dia.(sentando ao seu lado) dormiu bem?

Ela se levantou e pôs a xícara na pia,em total silêncio,fiquei ali observando seus passos e cada vez mais com um sentimento de culpa,ai gente não sirvo pra essas coisas não hahaha. Depois de lavar a louça que utilizou ia saindo da cozinha,sem nem olhar pra mim,mas eu fui mais rápida e entrei na sua frente.

May:Pera ai anjo.(segurando em sua cintura) desculpa eu…

Thais:Mayra não tenho tempo agora.(retirando sua mão) da licença.

May:Não…(impedindo sua passagem) eu to falando com você,não vai sair andando né

Thais:Não,por isso pedi licença.

May:Precisa mesmo de tudo isso?

Thais:Eu é que pergunto,precisava de todo aquele show ontem?eu pedi desculpas,quase me humilhei e você me esnobou.

May:Mas você fez o que antes disso?

Thais:Eu pedi desculpas Mayra.(se alterando)

May:E eu aceitei,e agora to aqui pedindo as suas desculpas)

Thais:Mas agora eu não quero.(tentando passar) dá licença.

May:Sério que você vai ficar nessa?

Thais:(respirando fundo) dá licença Mayra.(tentando passar) sai da minha frente caramba.(gritando)

Lu:Gente que isso?(assustada) casal?

May:Você tá sendo criança.(lhe dando passagem)

Thais:Deve ser a convivência,afinal só namoro gente infantil.

Não falei mais nada,ela ficou estática,talvez arrependida das palavras que disse,fiquei extremamente chateada,dei um beijo no rosto da minha irmã,peguei minha bolsa e sai,ainda ouvi ela me chamar mas nem olhei pra trás. Gente tudo isso por um simples fora que tomei e que dei nela,veja bem.

(Na Espanha)

Clara:EU SEI ABRIR UMA PORTA.(gritando)

Fui para aquele barzinho,me surpreendi quando vi que eles vendiam caipirinha,e eu como sou caipirinha maniaca,resolvi beber um,fiquei ali bebendo,bebendo…a ideia inicial não era encher a cara e mal conseguir voltar pro hotel,mas aconteceu,pedi uma e quando vi já estava na decima,na saída do bar ainda comprei uma garrafa,demorei alguns minutos para achar o caminho de volta e ainda bem que achei.

Logo quando passei pela recepção com a garrafa um dos funcionários veio na minha direção perguntando se eu queria ajuda,mostrei o dedo do meio pro coitado uashaushas mas mesmo assim ele me auxilio até meu quarto…gente eu tava mal.

Funcionario:Senhora,eu posso ajuda-la a fazer isso.(em francês)

Clara:Eu não quero sua ajuda,mas que porra.(em português)

Funcionário:Desculpe senhora,mas não entendi.(em francês)

Clara:HAHAHAHAHAHAHA PASPALHO.

Angelis:Que escan…Clara.(a segurando) o que houve?

Clara:ele não deixa eu abrir a minha porta?

Angelis:Pode deixar que ajudo ela ok,obrigada.

Funcionário:Com licença.(saindo)

Angelis:O que você acha que tá fazendo?(a encarando)

Clara:Sem sermão,não esqueça que eu sou sua cliente,e o cliente,tem sempre razão.(rindo)

Lembro que ela entrou me puxando para dentro do apartamento e assim que entrei corri em busca do banheiro,vomitei a vida enquanto ela segurava os meu cabelos e dizia coisas que eu realmente não me lembro. Depois disso me jogou dentro do box,de roupa e tudo e ligou o chuveiro,ela parecia bem irritada enquanto eu ria igual a uma hiena.

Angelis:Clara,você consegue se vestir sozinha?(pegando roupas secas) veste isso aqui rápido porque tá frio e você pode ficar gripada.

Clara:Eu vou te demitir por fazer isso comigo.(se jogando na cama)

Angelis:Tá bom,depois você demite,agora levanta pra por a roupa.

Clara:Não quero.(rindo) vou dormir com essa aqui.

Angelis:Não vai não,tá molhada.

Clara:Tem outras coisas que estão molhadas também.(rindo)

Ela se manteve séria mas percebi que ela deu uma balançada com o que eu disse,eu na verdade estava melhor depois do banho de água fria,mas claro que tava mal ainda,falava coisas que com certeza eu ia me arrepender depois,porque eu lembro de tudo,posso ficar em coma alcoólico que lembro de tudo o que faço,não sou como uma e outra ai que faz o que faz e põe a culpa na bebida e…tá to sendo rancorosa,vamos voltar a história.

Angelis:Clara não dificulta o meu trabalho,por favor.(ofegante)

Clara:E essa respiração acelerada ai?(rindo) muita tentação.

Angelis:Falta por a blusa.(a puxando) fica sentada ai,me ajuda mulher.

Clara:Admite…(aproximando seus rostos) eu sei que você me quer.

Angelis:Clara…(a empurrando na cama) quero sim,mas se for assim,dispenso!

Clara:Porque?amanhã eu não vou lembrar de nada mesmo.

Angelis:PORQUE..(gritando) eu to apaixonada por você,não te quero por uma noite,ainda mais depois da sua bebedeira.

Clara:preciso vomitar.(correndo pro banheiro.

Cheguei na empresa daquele jeito,primeiro que não era pra eu estar lá,segundo que fui para esquecer o que a Thais me disse,e no final das contas me estressei mais,ela me ligou umas 9 vezes aquele dia,não atendi nenhuma e agora não era por birra,ela tinha me magoado profundamente com tudo o que me falou.

Ju:Então são 3 milhões o contrato que eles tão oferecendo..

May:Ju,para.(jogando os papeis na mesa) não to com cabeça pra isso.

Ju:Nem ouviu o que eu falei né?(rindo)

May:Parei de ouvir quando você disse a terceira frase que já nem lembro qual foi.(rindo também)

Ju:Estressada?

May:Não sabe o quanto.(se encostando na cadeira)por isso que to aqui.

Ju:vai se estressar mais.(guardando os papeis) problemas com a Thais?

May:bingo,discutimos ontem e hoje por coisa boba.(balançando com  a cabeça)

Ju:Que houve amiga.

May:Ah ela e eu as vez…

Cris:Oi May…(abrindo a porta)

May:Que isso.(se assustando)tá fazendo o que aqui?

Cris:Desculpa,queria fazer uma surpresa.(encarando Ju)e como a secretaria não estava em seu lugar,resolvi entrar.

May:Independente disso,a gente bate na porta antes de entrar nos lugares.

Cris:Desculpa…é que nunca precisei dessas formalidades com você.(sorrindo)

Ju:May vou lá levar isso aqui e depois a gente volta a esse assunto.(encarnado Cris)Com licença.

May:Obrigada Ju.

Cris:Bonitinha a secretaria.(a observando sair) já comeu?

May:Quer me dizer o que veio fazer aqui?(irritada)

Cris:Calma loira,só vim fazer uma surpresa.(subindo na mesa e engatinhando até Mayra)

May:O que você tá fazendo.(se levantando irritada)dispenso sua surpresa.

Cris:Ai May,eu to com saudade.(indo em sua direção e a prensando contra parede) não admito você não me querer e estar com aquela sem sal.

Ela me prensava contra parede de um modo que eu não conseguia me soltar,mesmo fazendo muita força para empurra-la eu estava mobilizada,ela começou a passar a língua sobre meu pescoço,tentava buscava minha boca,mas eu me debatia como podia,já que só conseguia mexer a cabeça,ela então resolveu pegar pesado e colocou uma de suas pernas no meio das minhas,tentei fechar mas foi em vão,tava ficando difícil se controlar.

May:Me solta.(fazendo força)

Cris:Para de charme,você já tá entregue.(mordendo sua orelha)

(Lá fora)

Thais:Oi,boa tarde!(chegando na recepção)

Ju:Thais?(se levantando)

Thais:Você…(olhando em volta) me conhece?

Ju:Conheço sim.(rindo) é que a Mayra sempre fala de você ai…

Thais:Ai desculpa,você é a Ju né? (a cumprimentando)ela tá ai?


Ju:Ela…(ficando em silêncio) tá sim.

Thais:Essa aqui é a sala dela?

Ju:NÃOO.(entrando na frente) não é essa.

Thais:Mas tá escrito "presidência”.(apontando)

Cris:para de fazer a difícil amor!

Thais:Ela tá com alguém ai dentro?

Ju:Ela…ér..tá..

Thais:da licença.(entrando)

==========Twitter:@ShowYourMiley==========

Capitulo 65

Angelis:Clara você só precisa ir lá dentro e dizer tudo o que você sabe.

Chegava a ser engraçado eu entrar naquela delegacia para prestar depoimento sobre a morte de Fabian sendo que ele havia tentado me matar dias desses,é o mundo da mesmo voltas. Disse tudo o que sabia sobre Fabian até ele me sequestrar,me agredir, sumir do mapa e aparecer morto,depois de dar meu depoimento,que não acho ter ajudado muito,sai daquela sala com mais duvidas do que quando entrei.

Angelis:Bom agora é uma questão de espera,Claralá fora tá cheio de reportes,a Vanessa quase não consegue entrar e..

Clara:Vanessa tá aqui?(surpresa)

Angelis:Tá sim,vocês duas são as principais suspeitas.(tranquila)

Clara:E você fala nessa calma toda?(incrédula)

Angelis:Ué,porque eu me descabelaria?você não fez nada,não é?

Clara:Não,claro que não.

Angelis:Bom eu vou chamar algum policial para ajudar a gente a sair daqui sem falar com a imprensa.

Clara:Mas…e a Vanessa?

Angelis:Deve estar prestando depoimento agora.

Sol:Clara…(a chamando)

Clara:Oi tia Sol.(lhe dando um abraço)

Sol:Como você tá menina?e o Max?

Clara:Eu estou tentando entender ainda e dando graças a Deus pelo meu filho ser pequeno e não entender nada do que está acontecendo.

Angelis:Clara a gente precisa mesmo ir.

Clara:Ah,essa é a minha advogada,Angelis essa é a mão da Vanessa.

Sol:Solange,prazer!

Angelis:Prazer dona Solange.(sorrindo)

Clara:Bom tia Sol,eu realmente preciso ir.(lhe dando um abraço)

Sol:Dá um beijo no pequeno.

Clara:Pode deixar.

Angelis:Tchau dona Solange.

Pra sair daquela delegacia foi um inferno,a imprensa estava em preso no local,não estranhei,sendo filha de quem sou e de todos os problemas que já me envolvi,já era pra eu estar acostumada. Conseguimos passar por aqueles seres famintos por informação depois de muita luta,mas conseguimos sem eu precisar dizer uma só palavra,o meu pai havia me ligado,me proibindo de falar qualquer coisa que seja,entramos no carro e fomo direto pra casa.

May:Nossa,eu tô…(negando com a cabeça)

Lu:Pois é,todos estão assim.

May:E a Clara como tá?preciso falar com ela.(procurando o celular)

Lu:Ela foi prestar depoimento agora cedo,deve tá na delegacia.não te procuraram?

May:Não,quer dizer não sei,meu celular descarregou ontem e não tive como carregar.

Lu:Onde você estava ontem?

May:Fui no hospital com a Thata.

Lu:Como ela tá?deu pra ver o que é?

May:Deu sim…(sorrindo) é um…

Thais:Bom dia gente!(sentando ao lado de Lu)

May:Bom dia anjo.(lhe dando um selinho) dormiu bem?

Thais:Tirando o incomodo que estou sentido desde ontem,dormi sim.

Lu:Então gente o que é o beb…

Thais:Gente não é a Clara ali?(apontando para a tv)

repórter:A empresaria passou pela imprensa sem nada dizer,logo após sua namorada,a publicitária Vanessa Mesquita também passou por aqui,e a exemplo de Clara Aguilar não falou conosco.

Uma semana se passou e a policia não tinha nenhuma pista sobre quem matou Fabian,para a glória divina a noticia foi esfriando,já não estava mais aguentando ver meu nome nos jornais e canais de televisão,eu havia sido liberada pela policia,portanto já não estava mais na posição de principal suspeita,todos os depoimentos bateram com o meu,eu estava na França com Max,apesar de tudo o que havia aprontado,ele era um ótimo pai. Acompanhei toda a cerimonia funerária e no final de semana estava retornando ao Brasil.

May:Amiga…(a abraçando) e ai como foi de viagem?

Clara:Cansativa,Max não deu sossego.

May:E filho de peixe? (o pegando) Oi bebê da tia

Clra:Eu não sou assim…(dando de ombros) cadê a Thais?

May:Está em casa,achei melhor ela não vir,ela anda sentindo umas dores,estou preocupada.

Clara:E as coisas por aqui como estão?não acompanhei nada de lá.

May:O caso deu uma esfriada básica,o foco agora são as eleições.(revirando os olhos)

Clara:Bom pelo menos eles me deixam em paz.


May:Ai que você se engana loira.(receosa)

Clara:Ué mas porque?(confusa)

May:Seu pai está se candidatando Clarete,e parece que todo esse “escândalo” o ajudou nas campanhas.

Clara:Ai meu pai,e lá vamos nós de novo.(revirando os olhos)

May:Bom,isso a gente conversa em casa,vamos que eu já to com fome,seu voo demorou demais.(lhe entregando Max)

Clara:Vamos!

Fomos para a casa de Mayra,no caminho ela me contava tudo sobre essa história de politica envolvendo meu pai,queria saber de uma pessoa mas preferi não perguntar para evitar as piadinhas dela. Não demorou muito e chegamos,Thais estava a nossa espera,ficou um pouco sem graça quando me viu,hahahaha será que ela nunca vai mudar isso?

Lu:Chegoooou.(abraçando Clara) saudades loira.

Clara:Nem parece que conversamos todos os dias pelo what’s.

Lu:Não é a mesma coisa.(u.u)

Clara:Thais…(sorrindo) e ai como tá esse baby?

Thais:Ah tá bem…(sorrindo sem graça)

Clara:Já começou a mexer?

Thais:Não,ainda não senti nada.

Clara:sinal que vai ser uma criança tranquila,diferente do Max né filho?(rindo)

Thais:Talvez não né?! dizem que meninas mexem que é uma beleza.

Lu:Chega desse papo.(revirando os olhos) então Clarete como foi lá?

Clara:Ah gente foi…difícil.(suspirando) eu penso como contar pro meu filho quando ele crescer mais.

Lu:Antes de começar a sofrência será que a gente pode almoçar?

Conversamos mais um pouco e fomos almoçar,o clima estava agradável,apesar da minha cabeça estar longe,especificamente em Pirituba,era incrível,apesar de toda raiva que eu sentia por ela ter me traído,e todo o resto….eu sentia saudades.

A semana começou sem muitas surpresas para mim,o caso “A morte do francês"havia esfriado e eu estava começando em um novo emprego,com as recomendações que tinha e por ter trabalhado na maior empresa de marketing do Brasil,foi fácil conseguir algo rápido. A empresa não era grande,era de pequeno porte,estava começando no ramo,todos ali pareciam ser pessoas bem legais,eu estava sentindo muito a falta dela,todas as noticias que chegavam até mim,eram vindas pela Thais,mas no final eu sabia que era melhor assim.

Fabricia:(olhando os papeis) isso não é da Thais.

Clara:Imaginei…como pode um profissional fazer uma coisa assim?(irritada)

Fabrcia:Clara eles estão trabalhando da forma que eles acreditam que devem.(receosa)tá faltando liderança ali.

Clara:E o Patrick,eu não dei essa função pra ele?

Fabricia:Ele tá inseguro é difícil pra el…

Clara:Fabricia,pede pro Patrick vir a minha sala.

Fabricia:A Lu também não está conseguindo dar conta de tudo.

Clara:A Luana é outro caso,ela está em fase de aprendizado ainda.

Patrick:Com licença don…quer dizer…Clara!

Clara:Patrick,você quer me explicar o que é isso?

Patrick:Clara eu tentei reproduzir o que você me pediu.

Clara:(respirando fundo) quer me explicar o que tá acontecendo com a sua equipe?

Patrick:Clara,vou ser sincero,aquilo tá uma bagunça,eu não consigo dirigir aquilo,sem a Vanes…

Clara:A Vanessa não trabalha mais aqui,portanto…pode ir Patrick.(desistindo de articular)

Patrick:Com licença.

Fabricia:Clara…ér…posso sugerir uma coisa?(assim que ele saiu)

Clara:Pode falar…(a observando)

Fabricia:Acho que será preciso contratar alguém.

Clara:Eu sei,mas não tenho ninguém em mente.pensativa) você conhece alguém?

Fabricia:A minha irmã,ela se formou em marketing o ano passado e ta vindo pra São Paulo…

Clara:Já trabalhou em algum lugar?preciso de referencias.

Fabricia:Sim,inclusive fora do Brasil.

Clara:Peça pra ela vir aqui assim que ela chegar.(olhando para o celular) agora eu preciso dar uma saída.

Fabricia:Ok,com licença.(saindo)

A semana foi corrida eu ainda estava enrolada com a história do Fabian,e mais algumas coisas da empresa,havia fechado o contrato com a irmã de Fabricia e as coisas pareciam começar a voltar ao normal. Falei com dona Solange,e combinamos de eu levar o Max para vê-la,afinal ela não tinha nada a ver com o nosso termino.

Diretor:Primeiramente Vanessa,estou impressionado com o seu desempenho,meus parabéns.(sorrindo)

Van:Ah…muito obrigada! Fico feliz.(sorrindo tímida)

Diretor:Em uma semana você conseguiu mostrar o que muitos aqui demoraram quase um ano.

Van:Eu fico feliz em saber.(sorrindo)

Diretor:A presidente da viva la vida não sabe a profissional que perdeu.(sorrindo)

O diretor da empresa havia me chamado em sua sala,para conversar,ele estava muito satisfeito com o meu desempenho dentro da empresa,eu estava feliz,mas não completa. O assunto daquela empresa era a Clara,por mais que eu tentasse esquece-la sempre tinha alguém me lembrando,o objetivo de todos que ali trabalhavam era chegar um dia a ser uma viva la vida ou até mesmo derrubar a mesma,e mesmo não chegando aos pés,tinham seus objetivos.

Van:Mas afinal o senhor me chamou aqui pra…?

Diretor:Graças ao seu desempenho conseguimos uma ótima promoção,e eu queria te fazer uma proposta.

Van:Que proposta?

Diretor:Inaugurar uma de nossas marcas na França.

Van:Hã…?(surpresa)

Diretor:Eu sei que tudo é novo,você está aqui a pouco mas não vejo em outro funcionário tanta competência quanto vejo em você.

Van: sair do Brasil agora?não está nos meus planos.

Diretor:Mas concorda comigo que seria uma oportunidade incrível para o seu crescimento profissional?

Van:Sim…disso eu sei,mas não é algo que penso por agora.

Diretor:Bom Vanessa,não quero que decida nada agora,até sexta feira que vem eu espero uma resposta sua,pode ser?

Van:Tudo bem,prometo pensar.

Diretor:Serão somente três meses,pense com carinho.(sorrindo)
Van:Com licença.(saindo)

Sair do país estava fora dos meus planos,prometi pensar para poder sair daquela sala,estava dando o meu horário e eu sabia que Clara iria na minha casa,com sorte eu conseguiria vê-la.

Sol:Nossa mas esse menino cresceu.(o pegando no colo) oi Clara!

Clara:Oi dona Solange.(a cumprimentando) desculpa pela demora.
Sol:Que isso minha filha,eu estava a espera de vocês.(sorrindo)

Fiquei um tempo conversando com dona Solange,enquanto Max brincava com um gatinho que lá estava,ou melhor o gato fugia dele,enquanto ele tentava puxar suas orelhas,conversa vai,conversa vem e ouvimos um barulho de buzina,meu coração acelerou eu sabia que era ela.

Van:Cheguei m…(surpresa) Clara.

Max:Vã…(correndo em sua direção)

Van:Oi pequeno.(o pegando) você tá bem?

Max:datinho..(apontando para o gato)

Van:É o gatinho,você gostou dele?(o colocando no chão)

Max correu novamente para brincar com o gatinho que eu havia pego na clinica da Dessa para ele,ela me encarava,não e lançava mais aquele olhar de magoa de um tempo atrás,seu olhar era igual ao meu,de saudade,assim que eu olhei ela desviou o olhar.

Sol:Bom eu vou preparar um suco pra vocês,já volto.(indo para a cozinha)

Van:Oi.(a cumprimentando com um beijo no rosto)

Clara:Tudo bem?(observando Max brincar)

Van:Tudo e vocês como estão?

Clara:Bem…(tímida) muito fofo o gatinho é seu?

Van:Eu fui pega-lo ontem na clinica da minha prima,como eu sabia que vocês viriam aqui,eu queria dar ele para o Max.

Clara:Nem preciso dizer que ele vai adorar né?(sorrindo)

Van:Então não tem problema?

Clara:Claro que não Van…essa.(pigarreando) já tava na hora de ele ter um bichinho.

Ficamos um bom tempo conversando,nada sobre nós,o clima estava ótimo,bom,pelo menos ela não estava me atacando,parecia um sonho,achei que quando chegasse em casa ela se levantaria e fosse embora,mas ela não fez,e isso me deu uma imensa alegria e uma ponta de esperança.

(Na casa de May)

Lu:mas que coisa,vocês não tem outra coisa pra fazer não?(entrando na sala)

Thais:Desculpa Lu.(parando o beijo)

May:Na verdade a gente até tinha,mas você acabou de atrapalhar…

Thais:Mayra…(lhe dando um tapa)

Lu:(revirando os olhos) que tédioo.(se jogando no sofá)

Thais:Segunda-feira né Lu,normal.(colocando a mão sobre barriga)

May:Tá com dor?

Thais:Desconforto,parece que tá mexendo mas não tá.(fazendo careta)

Lu:Vai ver é um mutante.(rindo)

May:Ha ha ha,como ela é engraçada.(lhe jogando uma almofada)

Lu:Mas falando sério,não é melhor você ir a um médico?

May:Também acho anjo.(a encarando)

Thais:Não gente,a Clara disse que é normal…

Lu:Não disse não,ela disse que sentia uns incômodos mas era leves e passageiros,você tá sentindo isso há dias.

May:É,a Lu tem razão,é melhor ir.

Thais:Nenem…daqui a pouco passa,e se não passar eu prometo que vou.(iniciando um beijo)

Lu:Não comecem.(observando as duas que não paravam) 

May:O que é isso?

Lu:Ah é um biscoito da sorte,ridículo.(revirando os olhos)

Thais:Eu acho legal,é tipo horoscopo.(rindo)

Lu:O futuro de ninguém vai estar escrito dentro de um biscoito japonês,acorda.

May:Vai saber…

Thais:Posso abrir pra você Lu?

Lu:Vai em frente!(lhe entregando)

Thais"O amor está mais próximo do que se imagina”(lendo)

Lu:Tá vendo?sem sentido o que isso pode significar? 

May:Que você vai se apaixonar por alguém próximo.(rindo)

Lu:Fica rindo ai engraçadinha,quem abriu o treco foi a Thais,ou seja a sorte ou azar é dela.

Thais:mas ele era seu,e a minha sorte eu já encontrei.(beijando Mayra)

Lu:Olha sinceramente…(indo para o quarto)

Estava ficando tarde,Max havia cochilado e infelizmente ela queria ir embora,minha mãe ainda insistiu para que ela ficasse um pouco mais,porém sem exito. Na hora de ir foi um sacrifício faze-la aceitar a minha carona,mas no final eu venci,fui o caminho todo em velocidade reduzida para poder ficar mais tempo ao lado dela,naquele clima sem brigas e acusações.

Van:Chegamos.(sorrindo fraco)

Clara:Obrigada Vanessa.(abrindo a porta)vou pega-lo lá trás.

Van:Quer ajuda?não dá para entrar com os dois.

Ela pegou Max e eu o gato,entramos em total silêncio na mansão,la subiu para deixar Max no quarto e eu esperei ela descer,na verdade tudo o que eu mais queria era prorrogar mais esse momento ao lado dela.

Clara:Obrigada,eu realmente não ia conseguir.(rindo)

Van:E ainda queria vir e táxi,teimosa desde de sempre,não é mesmo?!(rindo)

Clara:Eu queria te incomodar,afinal não fica bem você sair com sua ex-namorada da sua casa.

Van:Acho que nunca vou me acostumar em te ter como ex.(fazendo carinho em seu rosto)

Clara:Acredito que a sua namorada,não ia gostar de ouvir isso.(fechando os olhos)

Van:Ela não é minha namorada…(aproximando os rosto) e você sabe disso.

Clara:Na verdade,eu não sei de nada.(com a respiração acelerada)

Van:Deveria saber ao menos uma coisa…

Clara:Não faz isso..(entregue)

Van:Que eu quero você,e mais ninguém.(roçando os lábios)

==========Twitter:@ShowYourMiley==========

Capitulo 63

Van:Oi Clara…(sorrindo forçada) que bom ver vocês.

Max:Vâ…(estendendo os bracinhos)

Van:Oi príncipe…(o pegando) ah,agora tá um gatão.

Clara:Em vista do que ele estava ontem.(sorrindo)

Sol:Graças a Deus foi só um susto né Max.(sorrindo)

Clara:É…Van,será que eu posso falar com você.

Van:Ér…Clara eu vou exp…

Pepa:Van acho que já vou indo e…(descendo as escadas) oi Clara.

Eu não estava acreditando no que vi,Vanessa não tinha aonde enfiar a cara,e a ridícula sorria vitoriosa para mim,parecia que mil facadas estavam sendo enfiadas no meu peito,então era verdade,ela mentiu para mim,me segurei o máximo para principalmente não chorar,ainda estava em choque,mas fui despertada por Max que gritava e se debatia no colo dela.

Clara;vem filho.(o pegando) que foi?

Sol:Deixa eu levar ele pra tomar uma água.

Clara:Não precisa tia Sol.(sorrindo forçado) eu já to indo.

Van:Clara,espera ai…ér,a gente precisa conversar.(desesperada)

Clara:Não mais Vanessa.(magoada)

Pepa:Ér Clara se for por minha causa a gente só ta…

Clara:Não foi,eu realmente tenho que ir.(ninando Max) tchau tia Sol.

Sol:Acabou de chegar minha filha…

Clara:(encarando Vanessa) depois eu trago ele novamente para ver a senhora.

Sol:Tudo bem,então tchau!

Clara:Tchau pra vocês.

Sai de lá ainda incrédula,não segurei mais e chorei,eu precisava disso na verdade,como ela pode fazer isso quando dizia que me amava?depois que me recompus dei partida no carro,eu não queria vê-la e nem ouvi-la.

(Na casa de May)

May:Nossa mas que loucura gente.(assustada)

Lu:Pois é,isso porque a Clara nem sabia que o peste tava no Brasil.

Thais:Mas e o Fabian?

Lu:Ninguém sabe,tadinha da Clara já tá sofrendo pacas,pelo menos algo bom aconteceu pra ela.

Thais:Será que ela e a Van se acertam?

May:Tomara né?! o momento é ótimo pra isso.

Lu:Bom a fofoca tá boa,mas eu tenho que sair.(se levantando)

May:Ah não precisa,faltou na faculdade,mas também não vai sair.

Lu:Começou…(revirando os olhos) May eu marquei de encontrar com uns amigos….

May:Eu não quero saber Luana,você tem que ser mais responsável mana,já está no final do ano,você vai entrar em semana de prova e fica faltando,assim não dá.

Thais:May…deixa ela ir.(se levantando) já faltou mesmo.

Lu:É May e tipo.eu to muito bem na facul,e foi só hoje.

May:A questão é essa,não foi só hoje.

Thais:Mas ela ficando em casa não vai fazer ela ficar com presença lá..

May:Tá bom Luana,mas olha é pra voltar antes de anoitecer,tá ouvindo?

Lu:Valeu mana.(animada) Thais,continue assim e teremos uma linda relação de cunhadas.(correndo pro quarto)

May:Ouviu isso né?(rindo)

Thais:Deixa May,ela tem mais é que curtir mesmo.(sentando em seu colo)

As semanas foram passando e eu fui focando mais no trabalho,ela até tentou algumas vezes conversar comigo mas eu a cortava antes mesmo dela falar algo,até enfim ela desistir.

Lu:Vê ai se ficou bom…(lhe mostrando)

Clara:Nossa Lu,ficou show.(sorrindo) esse ai é o principal?

Lu:Não Clara,isso aqui eu fiz só pra treinar,esse evento é da…

Clara:É dela mas no final quem decide sou eu.

Lu:Mas a profissional é ela e não eu,eu sou só uma…

Clara:Mera estagiaria e blah blah blah whiskas sachê.(rindo)

Lu:Ai tá aprendendo direitinho.(rindo) sou ótima professora.

Clara:Olha só acabei de decidir,você assume esse evento,ok?

Lu:Que? eu? não Clara eu não posso,eu não sei o que faz…

Clara:Luana Dias Gomes,não começa,já falamos sobre isso,nada melhor do que aprender na pratica.

Lu:mas Cl…

Clara:Sem “mas"você vai fazer e vai ahazar que eu sei.

Lu:Só que tem uma pessoa que vai ficar muito puta com isso porque ela está trabalhando nisso faz meses,e eu vou assumir de onde ela parou,assim?

Clara:Se ela ficar puta,que venha falar comigo,e sim você vai assumir de onde ela parou.

Lu:Mas Clara…

Clara:Eu não vou falar de novo.(se irritando)você pode chamar qualquer pessoa pra te ajudar.

Lu:Até ela?(arqueando as sobrancelha) afinal ela é a cabeça nessa área.

Clara:Qualquer pessoa…

Ela estava me ignorando e eu aprendendo a ser ignorada,quase não a via,nem mesmo a empresa,e quando via ela simplesmente….me ignorava. Foquei no trabalho e resolvi deixar ela agir como achasse melhor,ia ficar correndo atrás,Pepa e eu estávamos cada dia mais próximas,mas não da forma como vocês estão pensando,mas sim como amiga.

Thais:Oi Van.(entrando em sua sala)

Van:Oi amiga,e ai como tá?(a cumprimentando)

Thais:Bem e você.

Van:Tõ aqui mais que enrolada nesse evento…

Thais:hm..você fala assim mas se bem te conheço,tá bem adiantado vai.

Van:Mas tem que ficar perfeito,né Thata…mas e ai me conta como tá esse baby ai.

Thais:Tá bem,amanhã eu vou fazer o exame de ultra-som.

Van:Mas já…(surpresa)

Thais:Claro Van,to com 3 meses já,olha esse bucho.

Van:Hahahaha para de drama,nem tá parecendo.

Thais:Magina se tivesse…

Van:E você e a May,como tá as coisas?

Thais:Tá ótimo.(sorrindo) a May é incrível…

Van:Bom pelo menos uma de nós está tendo sorte no amor.

Thais:Mas Van você falou com ela?

Van:Não,ela nem me dá abertura.(respirando fundo) mas eu já desencanei,não vou mais correr atrás,vou dar um tempo a ela.

Thais:Não entendo vocês,ai fica cada uma no seu canto sofrendo sozinha.

Van:Ela está com ódio de mim,não sofrendo por mim.

Thais:ódio não,magoada,é diferente,isso não significa que ela não esteja sofrendo.

Era finalzinho de tarde,enfim eu ia embora,ja havia passado o meu expediente mas eu resolvi ficar mais um pouco para terminar o meu planejamento,estava saindo da minha sala quando ouço a voz de Clara vindo do corredor,ela ria e falava um tanto quanto alto.

Clara:Você é besta hein.(rindo)

Lu:Não é sério,você é mais ou menos isso que eu acabei de fazer.

Clara:Mas eu não faço essas caras e bocas ai.(rindo)

Lu:Claro que faz…(olhando o celular) aff,que coisa chata.

Clara:Que foi?tá brigando com a namorada?

Lu:Que namorada mulher,eu lá namoro.

Clara:Deveria,assim não perderia tempo imitando as pessoas.(revirando os olhos)

Lu:Você gosta que eu sei…

Clara:Gosto nada,sou sua chefe e você nem respeita isso.(u.u)

Lu:Então Clara…(se levantando) eu não saio mais da sua sala,a gente podia me dar uma chance,afinal é sonho de consumo de qualquer um pegar a chefinha.(beijando seu rosto)

Clara e Luana?não eu não podia estar ouvindo direito,depois do que vi e ouvi não quis nem saber do resto sai de lá muito puta,pra quem todos diziam que estava sofrendo a fila dela andou bem rapidinho.

Clara:Ridícula…(rindo)

Lu:Sexta-feira dia de balada,e ai Clarete bora?

Clara:Não sei não Lu,tenho muitas coisas pra fazer.

Lu:Ah para de ser velha,assim distrai um pouco e você volta a fazer um som.

Clara:Seria bom mesmo…(pensativa)mas vou pensar no seu caso.

Dia seguinte cheguei super atrasada na empresa,e para o meu azar ela estava na recepção conversando com Fabrícia,não me viu entrar,e como eu ainda estava puta com o que vi ontem resolvi passar reto.

Clara:Tá atrasada!

Van:Eu sei,eu tenho relógio.(seca) bom dia Fabs.

Fabricia:Bom dia!

Clara:Só ter não é o bastante,usar é importante.(debochada)

Van:Desculpa,não vai acontecer de novo.(se virando)

Clara:Vanessa…(a chamando) quando a Luana chegar,quero você na minha sala.

Fiquei Puta,nem respondi,entrei na minha sala e bati a porta com a maior força do mundo,sim eu estava com ciumes,e muito. Assim que deu o horário,fui para sua sala,Luana já estava lá,aliás era só o que ela fazia ultimante,ficar enfurnada lá dentro.

(MayThai)

May:Tá nervosa?(segurando sua mão)

Thais:Um pouco…(pondo a mão na barriga)

May:Tá sentindo alguma coisa?

Thais:Ansiedade…será que vai demorar?

May:Acabamos de chegar.(rindo) mas acho que logo te chamam.(fazendo carinho em sua mão)

Thais:Espero que não demore.(massageando a barriga)

May:Não vai…(beijando seu rosto) você tá sentindo dor Thata?

Thais:Não é dor,é um desconforto.

May:Eu vou chamar o méd…

Ray:Thais…

Thais:O que você tá fazendo aqui?(surpresa)

Ray:A Clara me disse que hoje seria o ultra-som do bebê.

Thais:É sim,mas você não tem nada a ver com isso.(se levantando)

May:Thata,calma!

Ray:É meu filho Thais.(calmo)

Thais:Não,é meu filho.(irritada)

May:Ray agora não é o momento el…

Ray:Meu assunto não é com você.(ríspido)

Thais:E nem comigo eu quero que você saia daqui agora.

Ray:A gente precisa conversar Thais.

Thais:Eu não tenho nada pra falar com você.

(Na empresa)

Tivemos uma pequena reunião,ela seguia me dando gelo,a surpresa veio quando ela disse que a Luana ficaria com um projeto que eu havia me dedicado o máximo que pude,a minha indignação nem foi com isso,quer dizer também foi,mas eu e todos nós sabíamos que ela só estava fazendo isso por birra.

Van:Como?(incrédula)

Clara:Você não vai me fazer repetir tudo de novo né?

Van:Clara você tem noção do quanto eu venho trabalhando nisso?

Clara:Tenho,e admiro isso,só que a Luana tem se destacado.

Van:Imagino o quanto…(irônica)

Clara:Como você já começou,você só auxilia ela agora.

Van:Qual o proposito disso hein?

Lu:Van a Clara acha qu…

Van:Pera ai que eu não falei com você.(grossa)

Clara:Lu,você pode ir,depois eu te chamo.(apontando pra porta)

Lu:Licença…(saindo)

Clara:Não precisa descontar nela,porque quem decidiu isso foi eu.

Van:Não era você a mulher que não trazia problemas pessoais para a empresa?

Clara:Não to trazendo nada,só acho importante para o crescimento profissional da garota Vanessa.(se irritando)

Van:Porque no crescimento pessoal você está sendo peça importante né?(irônica)

Clara:Do que você tá falando?(confusa)

Van:Eu to fal…

Clara:Também não me interessa Vanessa,eu já tomei minha decisão e não vou voltar atrás,fim de papo,pode sair!

Van:Bom,então você pede ao seu brinquedinho que ela arrume outra pessoa para ajuda-la porque eu me recuso.

Clara:Brinquedinho?Vanessa tá enlouquecendo?o que você tá querendo insinuar?

Van:Eu? nada,afinal você tá solteira né?sua fila tem que andar mesmo.

Clara:Exatamente a vida é minha,e você não tem nada a ver com isso.

Van:Você tá ficando com ela?(magoada)

Clara:Eu fico te perguntando o que você faz com a sua namoradinha:?não…

Van:Ela não é a minha namorada.(irritada)

Clara:Isso não é da minha conta,como o que eu faço da minha vida não é da sua,agora se você me dá licença.(apontando para a porta)

Sai de lá batendo porta,muito puta da vida mesmo,fui para minha sala muito chateada,e com uma unica certeza,ela nunca me perdoaria,estava na hora de seguir,eu havia a perdido,não tinha mais o que fazer,não queria sofrer e nem faze-la sofrer,eu já havia tomado a minha decisão.

Clara:Vanessa com licença..(entrando)

Van:….

Clara:Eu vim me desculpar pela forma que falei com você,talvez eu tenha sido um pouco grosa.

Van:Rsrs um pouco?(arqueando as sobrancelhas) tudo bem,já foi né?!

Clara:Bom eu tive a humildade de vir aqui pedir desculpas então…(a observando) o que você está fazendo?

Van:Acabando com o meu problema e o seu.(terminando de guardar as coisas) estou indo embora.

Clara:Mas ainda não deu o seu horário e não temos problema nenhum aqui.

Van:Não estou falando da empresa,e sim de nós duas.

Clara:Não entendi…

Van:Estou indo embora Clara,me demito.(saindo da sala)

==========Twitter:@ShowYourMiley==========