choques

me pongo re navideña

Pirotecnia cero

Papi insiste

en comprar dos globos

de papel

año tras año

que suspiran

hacia el cielo

lejos del tímpano

de los perros

y que al minuto

para variar

frente a los choques

de nuestro brindis

se prenden fuego

contra la copa

ahora naranja

de cualquier árbol

como quien dice

 

che

hoy tampoco

vas a poder

ocurrir sin daño.

vine

Cuando cambias de idea en el último momento y al final la cagas del todo

Não foi desejo. Nem vontade, nem curiosidade, nem nada disso. Foi um choque elétrico meio que de surpresa, desses que te deixa com o corpo arrepiado, coração batendo acelerado e cabelo em pé. Foi sentimento. Não foi planejado, nem premeditado. Foi só um querer estar perto e cuidar, tomar todas as dores e lágrimas como se fossem suas. A vontade e o desejo vieram depois, bem depois. Não foi um lance de corpo, foi um lance de alma. Não foram os olhos, nem os sorrisos, nem o jeito de andar ou de se vestir, foram as palavras. Uma saudade e uma urgência daquilo que nunca se teve, mas era como se já tivesse tido antes. Foi amor. É amor.
—  Tati Bernardi.
No estaba preparada para eso.
No estaba preparada para chocar con su sonrisa de frente, su mirada de lleno y sin cinturón de seguridad que protegiera mi corazón.
Era como presenciar un accidente automovilístico, de frente y sin oportunidad de frenar a tiempo.
Paró mi corazón por un instante.
—  La sinfonía del alma.
Parece exagero, mas é que você, poxa vida, só você conseguiu pular o muro de dificuldades que levantei em volta de mim quando as palavras dor, saudade, ausência, falta e despedida fizeram de mim uma menina de lata. Você e seus cabelos escuros e sempre meio ensebados de vir da rua, seu abraço com cheiro de confiança e seus sorrisos nada comerciais. Eu, menina com os pés no chão e sem teto, acabei de decidir que vou levar um choque térmico, atravessando bruscamente pro lado quente da calçada. Conto contigo.
—  Gabito Nunes.