ce sabe que eu to na sua

o professor de desenho nos mandou desenhar janelas.
eu quero esboçar uma ponte entre a minha alma e a sua. de portas sempre abertas. pra gente se visitar de madrugada em sonho. ou num fim de semana corrido com 12 horas de viagens somadas. por você eu atravesso um mundo.
fico olhando a foto nossa debaixo d’água. por muito tempo pra mim água era uma metáfora ruim. lembrava afogamento. ‘ce sabe que eu sou claustrofóbica, né? e eu também fujo de relacionamentos. tenho medo de ser sufocada na pressa de alguém. mas pra sua não me falta tempo. e a foto nossa debaixo d’água me lembra liberdade.
há mais de ano eu não sentia frio na barriga por ninguém. medo tive. vontade tive. tesão tive. beijo tive. tudo tive. mas não frio na barriga, daquele que você sabe exatamente o que significam. só não admite nunca. eu não admito. só quero me afogar na sua coragem de tudo. isso te torna tão lindo.
é muito difícil desenhar janelas quando quero desenhar tudo isso que sinto.