casa grande

CARTA A MI FUTURA HIJA:

Ojala pudiera preguntarte qué nombre quieres usar el resto de tu vida. Si te gusta ponerte medias en las noches. Cuál palabra prefieres aprender primero.

Cuando ya puedas decirme todo eso, te voy a enseñar a que no construyas una casa grande para sentirte más pequeña. Que no seas una refugiada de guerra dentro de ti misma, con un miedo constante por no saber cuánto tamaño mereces ocupar.

A que no pidas una taza de sopa fría, cuando tu novio se devora el lugar entero, incluyéndote a ti.

A que nuestros cuerpos no son frutas, “figura manzana”, “figura pera”, “media naranja”. Eres entera, completa, intacta, ininterrumpida, de carne y huesos que sobresalen o se esconden como el sol que no tiene que decidir en qué lugar del cielo quedarse.

A que no resientas que tus fronteras no son suaves como chicle de fresa, como las niñas de las películas de amor. Son pedazos de caramelos rotos, que rompen dientes al masticar y cuestan más deshacer.

A que no tienes que ser chupón rosado, lazo rosado, Barbie rosada, cuaderno rosado, vestido rosado, Power Ranger rosado, aparatos rosados, cabello rosado, chequera rosada, tacones rosados, muebles rosados, ataúd rosado.  Pero que si lo eres, yo misma te teñiré el pelo.

Quiero que sepas que cuando un niño llamado Carlitos te empuje en tu salón de preescolar no quiere decir que le gustas.

Que cuando Juan te diga nombres en clases de literatura no quiere decir que trata de esconder  su atracción por ti.

Que cuando tu primer novio Gabriel te grite en frente de tus amigos no quiere decir que es apasionado y se preocupa por ti.

Que cuando Andrés te presione tan fuerte contra el volante del carro, que puedes sentir tus costillas saliendo de tu pecho, no quiere decir que te quiere.

Que cuando un adulto llamado Tomás te empuje en la sala de tu casa, no quiere decir que te ama.

Cuando tu corazón sea lo más pesado que llevas encima, no lo dejes convertirse en piedras dentro de tus bolsillos mientras caminas al agua. Cuando comparen tus ojos con el cielo, recuerda que eres una tormenta. Cuando traten de llenar tus vacíos con una boca de ron y promesas, asegúrale que no necesitas las promesas. Cuando te hagan un cumplido, no lo dudes, no te pongas roja.  Cuando te encierren en el cuarto, rompe la ventana. Cuando te toquen y no sientas nada, bésate las palmas y afirma que no eres tú el fantasma. Cuando el profesor se equivoque, corrígelo. Cuando te llamen en la calle, no sonrías, por nadie. Cuando te enamores de un artista, no lo dejes convertirte en su musa: tus pecas no son un cuadro de Jackson Pollock. Cuando tus amigas te digan “los hombres son así”,  tranca la puerta.

Y cuando estés sola en tu cama pensando en la curvatura de la espalda de aquel que pudo haber contado los lunares entre tus piernas pero no lo hizo, llora. Pero no por él. Llora por todas las veces que oíste “No llores, eso es de niñas” a tus hermanos, primos, vecinos, amigos. Llora por todo lo que ellos no lloraron. Llora hasta que inundes tus sabanas. Haz un océano. Ahógalos.

A pesar de todo, quiero que sepas que siempre vale la pena pasar noches despierta pensando en la memoria de un rostro hasta desgastarla. Que las semanas que pasaste con el olor de su piel como vestido no fueron un desperdicio. Que no te arrepientas de crear un idioma secreto con sus besos o de leer braille en su piel.  Que dejar en órbita algunas lunas  nombradas con partes de su cuerpo no es grave.  Que no importa cuánto tiempo pasaste tratando de limpiar los espejos de tus adentros, empañados por su respiración; esconde el vodka, cierra las ventanas, porque te voy a enseñar que el romance más importante es el de tu sangre como ríos, constantemente buscando salidas en tu cuerpo, para tejer nueva piel sobre tus heridas y poder mantenerte toda, completa, adentro.

[Long spanish post] - Jakei, ¿Por qué haces tus videos/cómics/blogs en inglés?

Desde que Underverse y en general muchos de mis trabajos recibieron un poco de reconocimiento en internet, este tipo de preguntas han sido como el pan de cada día. Existe gente muy inteligente y amable que me pregunta de buena manera, a lo cual yo les explico con toda la paciencia del mundo las razones por las cuales uso el inglés como idioma principal en mi trabajo - Que daré a conocer más abajo en este post y que tal vez aclare dudas con la gente que recién sigue este blog. - 

Sin embargo, también han aparecido joyitas, que a pesar de mantener la calma y simplemente ignorarlos, en serio que dan ganas de darles un chanclazo en las manos y en ese trasero ubicado en su rostro que llaman boca para que aprendan a expresarse antes de usar un computador. 

(Y hay más de eso, pero no quiero ridiculizar a más personas)

Pues afortunadamente este par de personitas que tienen internet gracias a sus papis tocaron un tema muy importante con respecto a la razón de este post.

¿Saben por qué hay tan pocos artistas latinos que terminan dependiendo de un trabajo de oficina para poder continuar con sus proyectos? Porque desgraciadamente, nuestra cultura considera que ganarse la vida de esta manera es imposible y no vas a poder cumplir las cosas que todos los latinos soñamos que es tener una casa grande, casarse, tener hijos, armar un ranchito y que los demás trabajen para uno. 

Ah, y que algún día seas bien macho. Porque las mujeres sólo sirven de secretarias.

Cuando corres con la suerte de tener éxito con tu proyecto en tu mismo idioma, y tienes incluso la oportunidad de vender productos muy bonitos, ya sea hecho por tus propias manos o dependiendo de un tercero, te vas a dar cuenta que no todo era tan fácil como parecía. ¿Por qué? Porque incluso gente que puede llegar a pagarte ya sea una simple comisión, te va a resultar con esto:
- “Oye, eso está muy caro ¿Quién carajos va a pagarte por eso?”
- “Dibujas igual que este artista, eres un plagiador”
- “When eres pobre :v”
- “¿Por qué pagar por algo que se puede conseguir gratis en internet?
- “Dibujas bonito pero puedes empezar a regalar dibujos gratis para que la gente te reconozca”

Sin contar que pueden llegar a meterse con la apariencia física del artista y de buscar cualquier defecto que tenga para humillarle. Por simple envidia, o bien, por la cultura que forma parte de nosotros los latinos, los “pobres” del continente.

Muy pocas veces se puede encontrar gente de habla hispana que realmente apoye a los artistas y no necesariamente con dinero. Ese tipo de gente, termina convirtiéndose en un gran amigo para nosotros los artistas, porque no nos sentimos solos cuando tenemos que estar hablando en otro idioma con gente de otras culturas y países. Se podría decir que aún nos falta mucho por aprender de otras comunidades de diferentes idiomas en internet.

Ahora bien, tomando este breve resumen de las fallas de nosotros los latinos como comunidad en internet, es más fácil para mí explicarles la razón por la cual el inglés es primordial en mi trabajo, aún cuando ni siquiera lo hablo y escribo bien a la perfección.

El inglés es por ahora el idioma universal. Si te encuentras en un país X, y al menos conoces un poco de inglés básico, te aseguro que podrás salir de algún aprieto. Lo mismo ocurre con los videojuegos, no creo que todos los videojuegos que nos marcaron de por vida estaban ya traducidos el día de su lanzamiento, ¿o sí? De alguna u otra manera nos ayudaron también a conocer un poco el inglés, y no fue un impedimento para terminar el juego.

Al ser un idioma universal, es más sencillo poder usar este idioma para comunicarse en otros países del mundo, donde este idioma se enseña estrictamente en la mayoría de los casos, no es como en latinoamérica que es sólo una opción, y que supuestamente es sólo para los “ricos” y la gente “engreída, súper dotada y popular” de la clase.

Por consiguiente, siendo un artista deseoso de enseñar tu historia al mundo entero, puedes contar con esta opción. El español es uno de los idiomas más hablados en el internet, pero, a diferencia del inglés o incluso el japonés, que también es otro de los idiomas más usados en internet, no tienen una reputación tan tóxica y desmotivante como la nuestra. Es la cruel realidad.
En otras partes del mundo aprecian a los artistas en internet, así como la industria de los videojuegos, es algo que puede explotarse cuantas veces se desee porque existe gran variedad de entretenimiento, y la gente es capaz de pagar por ello, inclusive sin recibir algún tipo de recompensa, siempre y cuando exista eso que los quiera entretener. 

¿Esa podría ser una razón por la cual hay tanta presión hacia un artista o animador para entregar un nuevo capítulo? Eso tal vez, y que de verdad hay gente tonta.

Yo, al igual que otros artistas de otras partes del mundo, han tenido la oportunidad de dedicarse a esto, y al podernos comunicar en un mismo idioma, es que nuestro trabajo se puede ver en cualquier lugar y llamar la atención de gente que esté interesada en ayudarnos económicamente para continuar, puesto que, no todos contamos con un trabajo fijo para subsistir… y pues… ya. Esa es la razón.

En resumen: Lo hago todo en inglés porque así me llega más dinero.
Y aparte de obtener un ingreso económico aceptable, también he podido conocer gente asombrosa que me motiva a seguir con esto.

Si no tuviera motivación y no pudiera obtener alguna remuneración, estaría haciéndolo todo en español. Sería posible conseguirlo, pero la dificultad aumenta cuando no se puede tener un fanbase estable y que de verdad pueda apoyarte y ayudarte a seguir adelante.

El que haga mi trabajo en inglés no significa que ignore a la gente que habla mi dioma. Por supuesto que me encanta hablar mi idioma, joder, tenemos tantas palabras para insultar y eso es hermoso (Ok, no). Me encanta haber nacido como una persona latina porque a más de un “adulto” le he callado la boca y le he hecho cambiar sus pensamientos acerca de nosotros los artistas, y lo hago también para motivar a la gente que hasta ahora está empezando. Quien sabe, con el tiempo pueda hacer contenido exclusivo para el habla hispana, y que los de allá afuera puedan interesarse así como nosotros lo hacemos con ellos, pero es algo que tomará tiempo, pues muy pocas cosas que no tengan que ver con sexo, chistes políticos y groserías han logrado ser reconocidas en nuestra cultura.

Por el momento, dependeré del idioma que me ha ayudado a recuperar mis energías como artista, y de poder darme a conocer en muchos países por lo que amo hacer.

Fin.
Y buenas noches/días/tardes para todos.

 Você vai viver sua vida e eu vou viver a minha. Conhecer outras pessoas e se apaixonar algumas vezes. A gente vai se envolver e ter relacionamentos com pessoas incríveis e talvez até pensar em casar e ter uma família, uma casa grande com um quintal pros cachorros brincarem e filhos correndo pela casa. Você vai comemorar mais um ano de namoro e eu vou procurar a melhor forma pra demonstrar o que eu sinto. Vamos acordar ao lado de outras pessoas e ser felizes com elas. Comprar presentes e dizer “eu te amo” com toda a sinceridade de um coração. Mas um dia isso vai acabar, a gente vai se reencontrar. Você e eu, como era pra ser. Como sempre foi. A gente vai se olhar na multidão e perceber que não importa a distância, o tempo ou as outras pessoas; no final tem que ser eu e você. No final só nós seremos “nós” de verdade. Não dá pra evitar. A gente se pertence. 

Domande inusuali 🙌🏻

• Spotify, SoundCloud, o Apple Music?
• La tua stanza è ordinata o disordinata?
• Di che colore sono i tuoi occhi?
• Ti piace il tuo nome? Perché?
• Sei fidanzato/a?
• descrivi la tua personalità in 3 parole o meno
• Di che colore sono i tuoi capelli?
• Dove vai a fare la spesa?
• Social network preferito?
• Quante piazze ha il tuo letto?
• Hai fratelli o sorelle?
• Dove vorresti vivere? Perché?
• filtro di snapchat preferito?
• Brand di make up preferito/i?
• Quante volte alla settimana ti fai la doccia?
• Serie tv preferita?
• Numero di scarpe?
• Quanto sei alto/a?
• Sandali o sneakers?
• Vai in palestra?
• descrivi l'appuntamento dei tuoi sogni
• Quanti soldi hai nel portafoglio in questo momento?
• Di che colore sono le calze che stai indossando in questo momento?
• Quanti cuscini hai sul letto?
• Hai un lavoro? Se sì, quale? Se no, cosa fai?
• Quanti amici hai?
• Qual è la cosa peggiore che tu abbia mai fatto?
• Qual è la tua profumazione preferita per le candele?
• I tuoi 3 nomi preferiti maschili
• I tuoi 3 nomi preferiti femminili
• Attore preferito?
• Attrice preferita?
• Chi è la tua crush tra le celebrità?
• Film preferito?
• Ti piace leggere? Qual è il tuo libro preferito?
• soldi o mentalità?
• Hai un soprannome? Qual è?
• Quante volte sei stato all'opedale?
• le tue dieci canzoni preferite di sempre?
• ci sono dei medicinali che prendi quotidianamente?
• Che tipo di pelle hai? (Grassa, secca, etc)
• La tua più grande paura?
• Quanti figli vorresti avere?
• Qual è la tua acconciatura di tutti i giorni?
• In che tipo di casa vivi? (Grande, piccola, etc)
• Qual è stato l'ultimo complimento che hai ricevuto?
• L'ultimo messaggio che hai mandato? A chi?
• Quanti anni avevi quando hai scoperto che Babbo Natale non esiste?
• Qual è l'auto dei tuoi sogni?
• La tua opinione sul fumo (da sigarette)?
• Vai (o hai intenzione di andare) all'università?
• Qual è il lavoro dei tuoi sogni?
• Preferiresti vivere in periferia o in centro?
• Prendi bottiglie di shampoo (o saponette) quando vai in hotel?
• Hai le lentiggini?
• Sorridi nelle foto?
• Quante foto hai nel telefono?
• Hai mai urinato in un bosco?
• Guardi ancora i cartoni animati?
• Burger king o Mc Donald’s?
• Condimento per la pasta preferito?
• Cosa ti metti per andare a dormire?
• Quali sono i tuoi hobby?
• Sei bravo/a a disegnare?
• Suoni qualche strumento?
• Qual è stato l'ultimo concerto che hai visto?
• Tè o caffè?
• Ciambelle o krapfen?
• Ti vorresti sposare? In chiesa o in comune?
• Quali sono le iniziali della tua crush?
• Quale colore ti si addice di più?
• Ti manca qualcuno?
• dormi con la porta aperta o chiusa?
• Credi nei fantasmi?
• L'ultima persona che hai chiamato?
• Gusto di gelato preferito?
• Ringo o Oreo?
• gocce di cioccolato o zuccherini arcobaleno?
• Cosa indossi in questo momento?
• Cosa c'é sullo sfondo del tuo telefono?
• Sei una persona timida o estroversa?
• Ti piace quando qualcuno gioca con i tuoi capelli?
• Ti piacciono i tuoi vicini di casa?
• Ti lavi la faccia? Di notte? Alla mattina?
• Hai mai fumato erba?
• Sei mai stato ubriaco?
•L'ultima cosa che hai mangiato?
• La tua lyrics preferita? (Le lyrics sono i testi delle canzoni)
• Estate o inverno?
• Giorno o notte?
• Cioccolato al latte, bianco o fondente?
• Mese preferito?
• Segno zodiacale?
• Qual è l'ultima persona che ti ha visto piangere?
- Le ho tradotte con tanto amore, divertitevi! -

flickr
O amor é como uma grande casa que tem que ser construída por você. Ele pode sofrer com as tempestades, entretanto continuara ali. Você não pode deixá-lo morrer quebrar ou vender por qualquer casa que já esteja pronta porque assim não descobrirá o valor de tê-la, assim é o amor. A casa suportara se estiver ali nas alegrias, tristezas, raiva, ciúmes e todos os seus sentimentos tudo o que envolva o coração. Construa esta casa, deixe-a transformar-se em uma mansão, pois esse é o verdadeiro amor o que escuta e compreende e vive dentro de cada pessoa que se deseja amar.
—  Diário de uma Paixão.

CASA GRANDE — Oddity seekers will find a bonanza  when they come across a set of round relics squatting in the desert south of Casa Grande. At first glance, they look like abandoned UFOs. Closer inspection reveals they’re manmade, and they’re sort of spooky. They’re a series of domes. Some stand (or squat) alone; others are connected so they resemble a giant caterpillar. All are abandoned and have been severely vandalized, so there are no doors or windows left.

The domes are concrete covered with chemical foam. They were built to house an electronics circuit board factory but the project never got off the ground. Now it’s a merely gathering place for underage beer drinkers, graffiti artists and a wind that howls through the emptiness.

Eu acho que sexo é algo importante, que teu primeiro sexo não deve ser com qualquer pessoa ou só porque sentiu vontade. Eu acho que os garotos tem que dar o primeiro passo numa paquera. Eu gosto de buquê de flores, jantar a luz de velas, pétalas de rosas em cima da cama. Eu gosto de músicas antigas que falam de amor e comédias romanticas. Eu quero casar, ter filhos e uma cozinha americana. Quero uma casa grande, jardim e cercas brancas ao redor da casa. Eu quero um cachorro, e um gatinho também e cozinhar juntos no jantar.
Eu sou antiquada. Eu sou uma literatura romântica antiga. Por isso você não pode entrar na minha vida, me fazer acreditar nisso, planejar isso e partir em seguida. Você é o único que sabe me ler e, se você partir, serei apenas um livro empoeirado no canto da prateleira.
—  Meu erro foi ter me apaixonado por você, Charlie.

One Shot Harry Styles

  • Pedido - Oii vc poderia fazer um com o Harry que eles são casados e ele é um empresário muitoo rico, so que ela não é feliz no casamento pq ele a trata com frieza e como esposa troféu e dai ela pede um filho pra ele e ele nega, so que acaba que ela engravida ( de um menino) e quando o bebe nasce ele percebe tudo que ele fazia com ela e se torna um ótimo marido, desde de ja obrigada, amo seu tumblr ❤❤


Os dias de (seu nome) se resumiam em ficar em casa lendo algumas revistas e raras vezes ela saia para comprar alguma coisa, não gostava de gastar um dinheiro que ela não ajudava a ganhar para que isso não fosse passado em sua cara sempre que o marido tivesse a oportunidade.

A casa que mora com o marido é bem grande, mas para ocupar seu tempo ela o pediu para dispensar os empregados e deixar que ela faça todas as tarefas domésticas. A princípio foi negado, mas depois o homem deixou contanto que ninguém mais soubesse sobre isso, ele não queria que as pessoas pensassem que ele não pode pagar empregados e que sua mulher serve de uma.

Sentada no sofá com uma revista de moda sobre o colo, (seu nome) assistiu Harry, seu marido, entrar em casa e caminhar até o sofá deixando o paletó de lado antes de se jogar com a cabeça apoiada no encosto do sofá.

— Temos um jantar beneficente hoje, eu ainda não sei explicar porque marcam essas merdas no meio da semana. — (seu nome) nada disse sobre o assunto. Ela achava uma causa nobre, mas não sabia se o marido fazia por gosto ou obrigação — Se arrume da melhor maneira que puder, terá pessoas importantes nesse jantar e eu quero você bem apresentável ao meu lado.

— Darei o meu melhor. — (seu nome) disse baixo sentindo-se como um produto ou troféu que Harry faz questão de exibir em festas e jantares. É sempre assim.

— Ótimo! — Harry se livrou da gravata e abriu os botões da camisa social.

Encarando a revista (seu nome) tentava se decidir se fala ou não para o marido o que tanto pensou durante a semana, sua mente trabalhou em diversas formas de abordar o assunto, mas nenhuma delas parecia boa o suficiente para ser apresentada ao Styles. Ele não era muito família e (seu nome) sabe muito bem disso ao ver como é tratada.

— Você pode conversar agora? Eu realmente gostaria de falar sobre um assunto com você. — decidida a falar, ela fechou a revista colocando sobre a mesinha.

— Se não for ocupar muito do meu tempo, pode dizer. — (seu nome) mordeu o lábio por alguns segundos antes de começar.

— Eu estava pensando… Essa casa é bem grande só para nós dois e eu passo os dias sozinha e fica ainda maior só comigo aqui dentro e-

— Sem rodeios, direto ao assunto. — Harry finalmente olhou a mulher.

— Eu queria saber se podemos tentar ter um bebê, seria ótimo ter companhia. — (seu nome) sorriu.

— Primeiro, você pediu para dispensar os empregados, então se está sozinha a culpa não é minha. — o sorriso da mulher murchou — Segundo, eu não quero ter um filho agora. A casa está ótima assim, não preciso de gritos em minha cabeça quando eu estiver tentando dormir.

— Mas Harry, eu não posso esperar para sempre… Mulheres não são férteis a vida inteira. — (seu nome) tentou argumentar.

— Mas homens são e eu não quero ter filhos agora. Assunto encerrado. — Harry se levantou do sofá e sumiu escada a cima deixando (seu nome) na sala perdida em pensamentos.

“Ele disse que vai me deixar? Caso eu não possa mais ter filhos quando ele quiser, ele vai atrás de outra?“

A respiração de (seu nome) estava pesada, falar com Harry sempre a deixava assim por não ter como saber de que jeito ele reagirá e dessa vez foi do pior jeito. (Seu nome) se sentiu ainda mais usada, como se servisse apenas para ser levada de um lado para o outro em festas importantes onde Harry precisa estar bem acompanhado.

[…]

Já haviam se passado dois meses desde o jantar beneficente e (seu nome) não estava se sentindo bem há alguns dias, ela pensou em ir ao médico, mas achou que era apenas um mal estar e por isso desistiu da ideia, bem, pelo menos até o dia quase desmaiou no mercado.

Desviando o caminho depois de sair do mercado, (seu nome) pediu um táxi indo até o hospital para saber o que havia de errado, fez os exames pedidos pelo médico e esperou pelo resultado pacientemente na sala de espera até que seu nome fosse chamado.

— A senhora me disse que é casada, não é?! — o dr. Ackles perguntou enquanto olhava mais uma vez o exame de sangue.

— Eu disse sim…

— Bem, então acho que essa é uma ótima notícia… — ele disse sorrindo e entregou os exames a mulher — A senhora está grávida de dois meses.

Após a notícia, (seu nome) agiu no automático, desde agradecer ao médico quando ele lhe deu os parabéns, até chamar um táxi e voltar para casa. Ela não acreditava que estava grávida, isso aconteceu provavelmente na noite depois do jantar quando ela e Harry fizeram sexo quando estavam de volta em casa, ela sempre se esquecia de tomar o anticoncepcional alguns dias, mas não se preocupava com isso porque Harry sempre usava camisinha. Na última vez ele não usou e com certeza a culparia por ter engravidado.

O melhor a fazer seria adiar a reação de Harry, decidida, (seu nome) esconderia essa gravidez o máximo que pudesse, ela usaria roupas mais folgadas e passaria a deitar na beirada da cama para que Harry não a abraçasse durante a noite.

— Harry… Você pode, por favor, contratar novamente a empregada? Eu não estou conseguindo mais dar conta de tudo. — (seu nome) pediu enquanto estavam cada um sentado em um sofá. Já haviam se passado dois meses desde que (seu nome) recebeu a notícia e estava tendo sucesso em esconder de Harry, ele mal prestava atenção nela mesmo, ele deve achar que ela está acima do peso. Assim ela pensa.

— Por que você mesma não faz isso? Foi você que mandou eu dispensá-la, se sabia que não daria conta do serviço pensasse bem antes de vir ocupar meu tempo com besteiras.

— Tudo bem… Me desculpe. — a voz de (seu nome) quase não saiu enquanto ela se esforçava para manter as lágrimas em seus olhos.

— Eu só quero entender por que caralhos você não quer transar comigo. — Harry estava com seu tom de voz um pouco mais alterado que o normal de frente a mulher sentada na cama de cabeça baixa — Você é a merda da minha mulher e eu estou sem sexo há quase dois meses. Como você quer que eu não traia você quando minha secretária faz de um tudo para que eu foda com ela enquanto você fica aqui dentro dessas roupas horríveis me negando algo que eu preciso?

(Seu nome) estava chorando silenciosamente para não deixar o marido mais irritado, ela não podia mais fazer sexo com ele em seus cinco meses de gravidez porque ele perceberia as mudanças em seu corpo, ela não queria que ele soubesse mesmo ela que esteja ficando sem escapatória.

— Você está ficando com sua secretária? — (seu nome) perguntou com a voz completamente quebrada enquanto levantava seu rosto para encarar o marido sendo embaçado pelas lágrimas em seus olhos.

— Não! Eu ainda não a fodi sobre a minha mesa por mais que eu queira. — Harry disse esbanjando sinceridade — Eu estou casado com você e não vou te trair.

Soluçando de tanto chorar, (seu nome) passou os braços sobre a barriga de forma que abraçasse seu bebê, havia pego essa mania desde que começou a se sentir ainda mais sozinha para se lembrar que seu bebê estava ali com ela sempre. Após a declaração do marido, ela não sabia se ficava alegre ou triste. Alegre por saber que ele não irá traí-la ou triste por ele admitir que deseja foder a secretária sobre a mesa de seu escritório.

— Agora eu que pergunto… Você por um acaso está me traindo? Se você estiver saib-

— Eu estou grávida! — (seu nome) usou toda a força para dizer o mais alto que podia.

— Você está o quê? — Harry perguntou incrédulo.

— Grávida… De cinco meses.

Sem acreditar que foi cego esse tempo todo, Harry se aproxima da mulher tirando os braços dela que estão em volta da barriga e levanta a blusa folgada que ela passou a usar há alguns meses e lá estava a barriga. Ele não podia entender como não notou isso antes, como pode ser tão cego em se deixar enganar por ela.

Sem dizer nada ele saiu do quarto deixando (seu nome) para trás chorando encolhida na cama.

“Por favor, não liga para o meu marido.“

Foi o que (seu nome) falou quando passou pela recepção sendo levada a sala de parto, agora ela já estava com o seu bebê em seus braços em um dos quartos do hospital, sorrindo enquanto admira o quão lindo e delicado é seu pequeno bebê. Nem as batidas na porta foram capazes de tirá-la do seu pequeno mundo, ela só percebeu que havia alguém no quarto ao ouvir a voz da enfermeira.

— Me desculpe, eu tive que comunicar o seu marido.

(Seu nome) virou o rosto para o lado vendo Harry parado na porta atrás da mulher que ainda a olhava e aos poucos o sorriso que estava em seu rosto foi sumindo ao que Harry começou a andar em sua direção. Em um ato instintivo, (seu nome) apertou o filho contra seu corpo - com cuidado para não machucá-lo - como se alguma ameaça estivesse por perto, como se Harry fosse arrancá-lo dela.

— Eu…

Harry começou a falar, mas desistiu sentindo seus olhos se encherem de lágrimas enquanto ele olhava nos olhos assustados da esposa, ela estava claramente com medo do que ele faria ou de como agiria e ele sabia disso. Ele sabia que ele era o único culpado, ela nem ao menos queria que ele fosse avisado sobre o nascimento do filho e não a culpa por isso, ele não foi capaz de dar o apoio necessário durante a gravidez dela, ele nem ao menos a deu segurança para contar seu estado antes dos cinco meses de gestação.

— Eu não vou fazer nada contra vocês… Não vou dizer nada que a machuque também… — ele disse enquanto sentia as lágrimas deixarem seus olhos e rolarem pelo seu rosto — Me desculpe por tudo… Por favor, me desculpe por não ser um bom marido. — ele ainda continuou a manter distância.

(Seu nome) não disse nada, ela ainda estava com medo de tudo voltar a ser o que era antes, medo de que esse pedido de desculpas fosse a esperança de hoje e a frustração de amanhã. Ela não queria acreditar que seriam uma família para que com o passar do tempo volte a ser somente ela e seu filho novamente. Deixando todo o medo e receio de lado, ela folgou o aperto do filho para que Harry pudesse vê-lo, mesmo depois de tudo ele ainda era o pai. Levantando a mão no ar, ela fez o sinal para que ele se aproximasse.

— Ele tem a sua boca… — ela comentou baixinho enquanto Harry se colocava de pé ao lado da cama olhando o bebê com sorriso no rosto coberto por lágrimas.

— Ele é tão lindo… Tão pequeno também. — Harry passou o polegar sobre a mãozinha minúscula comparada a sua — Eu estou tão feliz em tê-lo, agora eu posso sentir o quão bom é ter um filho… O sentimento é tão bom.

(Seu nome) se sentia da mesma forma, desde quando soube que o esperava, desde o primeiro chute, o primeiro movimento. Ela esteve experimentando esse sentimento há meses.

— Eu serei um marido melhor e um pai melhor, eu prometo. Só me dê a chance… Você ainda vai ficar? — Harry olhou nos olhos da mulher mostrando toda a sinceridade em seus olhos e palavras.

— Eu ainda estou aqui, não estou?! Eu teria ido embora antes de não fosse te dar outra chance.

(Seu nome) sorriu fraco, ela ainda estava cansada do parto que teve, mas ela estava aliviada como se uma carga muito pesada tivesse sido retirada de suas costas. Ela só espera que essa carga não volte com o tempo, mesmo que Harry esteja com os lábios dele sobre os dela nesse momento, ela não pode deixar de desejar que tudo tenha se acertado para sempre.



Espero que tenham gostado… ❤

- Tay

Leo en las doce casas

LEO casa I.- Exterioridad imponente, noble y orgullosa. Otorga las cualidades de Leo (Ver libro I).
LEO casa II.- Finanzas por especulación, éxito económico por protecciones. Organización financiera. Ingresos elevados pero gastos considerables. Beneficios por negocios relacionados con el arte y las diversiones.
LEO casa III.- Espíritu de síntesis, conceptos amplios y facultad de organización. Educación. Hermanos o parientes consanguíneos bien situados. Viajes provechosos.
LEO casa IV.- Atavismo sólido y moral. Familia noble o bien situada. Autoridad y organización en el hogar. Exitos al final de la vida.
LEO casa V.- Educación, negocios, especulaciones, arte teatral. Amores ardientes pero fieles, relaciones sentimentales con personas dignas.
LEO casa VI.- Enfermedades del corazón. Hiperemia e hipertrofia, tensión arterial. Autoridad en el empleo.
LEO casa VII.- Compañero o cónyuge noble y generoso, franco y sincero. Enemigos poderosos.
LEO casa VIII.- Honores póstumos. Posibilidad de muerte por enfermedad del corazón. Cónyuge generoso.
LEO casa IX.- Ideal noble; ideas amplias y sintéticas. Opiniones estables y sinceras. Honores en el extranjero. Apoyos legales.
LEO casa X.- Honor y crédito. Altos cargos por protección. Organización. Autoridad. Posibilidad de éxito por el arte y la educación.
LEO casa XI.- Amigos fieles, entusiastas, serviciales pero algo dominantes. Amistad con personas importantes y protecciones.
LEO casa XII.- Enemigos poderosos, problemas con la autoridad; desgracia. Peligro por animales grandes.
-Airastrology

Originally posted by thewitchystuff