cara ela e muito linda

To pegando sua ex.
Porra, parabéns cara! A gente terminou, cada um segue a sua vida, mas queria te dar uns conselhos, já que tá pegando minha ex. Sempre que possível vai ver ela depois das aulas, e depois das provas também, porque ela adora, quando passar alguma garota na rua e você estiver com ela, para e diz: Olha amor, que menina linda! Ela vai apelar e dizer: Vai lá ficar com ela então! Aí você puxa ela, dá um abraço bem forte e diz: Você é melhor que ela e todas as outras. Quando ela parar na sua frente e começar a balançar o pé, imite-a! Ela vai começar a rir mais ainda. Sem avisar, dê um beijo na testa dela, ela vai olhar pra você com uma cara muito linda, e depois vai te dar um abraço forte. Ela não é de ficar conversando com você no telefone ou por sms até de madrugada, então lá pelas 21:00 mande um “ Boa noite linda! ” Para ela, aposto que ela vai curtir muito! Ela acostuma acordar as 06:00, então mande um bom dia sempre que possível. Ela adora falar de cachorros, a raça preferida dela é o golden retriever, então se estiver pensando em algum presente de aniversário ou etc, já tem uma dica. Ela não gosta muito de Homens meloso, então não fique o tempo todo chamando ela de lindinha, amorzinho ou algo do gênero. Quando vocês brigarem, comece a falar coisas mais gays que vierem na sua cabeça, fala que não vive sem ela e tal, ela vai esquecer na hora que vocês estão brigando. NUNCA! NUNCA faça ela chorar, pois vai ser a pior coisa que você vai fazer em tua vida! Enfim cara, te desejo sorte com ela, e que vocês possam ser felizes!
—  Vi no twitter.
Cap 30

Enquanto isso na casa de Clara….
Fabian – Bom dia linda (dando um beijo na testa de Clara)
Clara – e ai meu amor? Como foi a noite?
Fabian – muito boa, estava com meu amor (já estavam sentados na mesa) só vim pra casa porque tenho que resolver uma coisas no hotel…
Clara – foram pra boate?
Fabian – fomos sim, a de sempre…
Clara – só foram vocês? ( Fabian comia seu pão e a olhou)
Fabian – não. A Vanessa também foi…
Clara - ………humm, sozinha?
Fabian – cara, não entendo vocês, ela estava com uma loira linda e parecia muito feliz… agora você ta aqui, numa depressão total, pra que isso?
Clara – Fabian, as coisas não são tão fáceis assim…
Fabian – porque vocês complicam, cara o Edu tava me falando que você ficou com a namorada da Van, você passou do limite Clara, essa sua obsessão por querer a todos vai te deixar sozinha…
Clara – nossa, porque você ta me tratando assim?
Fabian – porque eu quero te ver feliz e a única pessoa que te deixava feliz esta com outra pessoa e você não esta fazendo nada….
Clara – eu não sei o que fazer…
Fabian – (se levantando) luta por ela, conserta as burradas que você fez, já seria um bom começo (beijando a testa dela) eu tenho que trabalhar minha linda, mais tarde conversamos.


Voltando a casa de Vanessa…

Cheguei com aquele sono básico, noite agradável, corridinha da manha, só queria minha cama, minha rotina de domingo era essa, chegava e já queria dormir, fui pra cama, dessa vez lembrei de desligar meu celular pra não ser incomodada.

Na casa de Clara…

Clara estava inquieta com aquela situação, levou um fora de Claudia porque ela estava afim de Vanessa, já estava imaginando que tinham passado a noite juntas, aquilo atormentava ela de todas as formas possíveis, andava de um lado pro outro dentro de casa pensando em tudo que Fabian havia lhe dito, ela tinha que fazer algo, foi até sua cozinha falar com os empregados, pediu que fizessem um jantar e que arrumassem tudo em seu quarto, queria uma coisa bem romântica, seria sua ultima chance, ia tentar reconquistar Vanessa.

Casa de Vanessa…

Quase 5 da tarde e eu acordo achando que era segunda feira, tinha dormido demais, acordei com uma fome de 50 mendigos, fui direto pra cozinha comer qualquer coisa, levei o celular comigo, assim que o liguei vi umas 15 ligações perdidas, sendo que 12 era de Clara, me assustei com a insistência dela, as outras ligações era de Claudia, a primeira coisa que fiz foi ligar pra Claudia, nos falamos um pouco, disse que tinha dormido o dia todo, não marcamos nada por causa do trabalho, era melhor a gente não se ver mesmo se não seria outra noite sem dormir.

Logo depois liguei pra Clara pra saber o que tinha acontecido, assim que deu o primeiro toque me arrependi de ter ligado e desliguei o telefone, que estupidez, ela veria mesmo que eu liguei, em menos de 10 segundos o telefone toca de volta, quando olhei o nome dela na tela, tremi, juro que tremi, relutei em atender, depois do sexto toque atendi, não devia ter atendido, ao ouvir aquela voz rouca meu mundo caiu e ela só tinha dito ‘Vanessa’, se eu ouvisse mais duas palavras eu morreria, ela insistiu..

Clara – Vanessa?
Vanessa – oi, fala. (tremendo da cabeça aos pés, me sentindo uma adolescente idiota)
Clara – tudo bem?
Vanessa – tudo… o que você quer?
Clara – eu queria conversar com você…
Vanessa – haha… fala então.
Clara – pessoalmente (morri de novo)
Vanessa - ……………………… pra que? (minha voz saiu como um sussurro)
Clara – será que a gente pode conversar? Eu só quero que você me ouça, se quiser ir embora depois que eu falar tudo você pode, mas só me ouve, por favor!
Vanessa – ta bom, você quer me encontrar aonde?(qualquer lugar bem movimentado por favor)
Clara – vem aqui na minha casa, eu mando o motorista te buscar…
Vanessa – não é melhor um bar, restaurante…sei lá
Clara – Vanessa, aqui na minha casa, a gente janta aqui, já mandei preparar tudo…(meu deus preparar tudo o que?)
Vanessa – ta ok, que horas? Eu vou de carro, não precisa mandar o motorista aqui não.
Clara – chega aqui as 20 hrs, eu vou estar esperando você. Beijos.

Ela desligou rapidamente, acho que estava com medo de eu mudar de idéia, eu fiquei meio perdida, não sabia o que vestir, o que esperar e muito menos o que ela queria me dizer, muita calma nessa hora, fui tomar um banho, liguei a banheira. Muito tempo que não ficava ali, fiquei por meia hora, relaxando, sai de lá com outro astral, comecei a fumar, eu estava ansiosa com a conversa, ainda mais sendo na casa dela, fato é, eu não podia ficar em nenhum lugar que tivesse 4 paredes, porque a tensão aumentava, não queria mais sentir aquela estranha sensação, tesão ou qualquer coisa parecida e perto dela isso era inevitável.

Comecei a me arrumar calmamente, não queria chegar lá na hora pra não parecer ansiosa, sem pressa fui escolhendo minha roupa, coloquei uma calça preta e blusa rosa bem justa, sai de casa quase 20 hrs, realmente estava atrasada, cheguei la e fui recebida pela sua simpática governanta…

Governanta(esqueci o nome dela) – Como vai Dona Vanessa?
Vanessa – muito bem e a senhora?
Governanta – muito bem também, a senhora Aguilar espera por você no quarto…
Vanessa – no quarto?
Governanta – o jantar vai ser servido lá…
Vanessa - ah sei…


Subi aquelas escadas com minhas pernas tremendo mais que não sei o que, a governanta ia na minha frente, eu queria voltar correndo com uma adolescente apaixonada que estava com vergonha de ver a paixão na escola, eu queria sair dali agora, assim que chegamos em frente a porta do quarto dela, aquela porra de sensação, meu estomago parecia estar se contorcendo dentro de mim e não era fome, isso que era foda. Ela bateu na porta e Clara de lá de dentro mandou entrar, ela me deu passagem e eu entrei, eu não preciso comentar que ela estava perfeita, que isso já esta até ficando chato, de vestido preto, simplesmente linda, me senti até mal porque não estava bem arrumada como ela, mas enfim, ela me recebeu com um sorriso, não aquele sorriso, não estava feliz, seu olhar estava triste, ela estava parada perto de uma mesa que colocaram ali, eu olhei tudo a minha volta, havia uma mesa perto da janela, redonda e já estava posta, tinha velas, a toalha era vermelha, ela colocava champanhe em duas taças e veio em minha direção, eu continuava parada perto da porta…

Clara – fica a vontade Vanessa (ultima coisa que queria era ficar a vontade)
Vanessa – eu to bem…(fui indo em direção a ela)
Clara – você esta linda…
Vanessa – Obrigada. Mas então, qual o motivo disso tudo?
Clara – vamos nos sentar…

Fui caminhando até a mesa, nos sentamos, alguns minutos depois duas empregadas entraram no quarto trazendo o jantar, ela tinha mandado preparar um prato maravilhoso de camarão, nos servimos, não falávamos muita coisa, como sempre a saída era falar sobre comida, no meio do jantar eu já não aguentava mais aquela situação…

Vanessa – Clara, fala logo o que você quer falar…
Clara – bem…eu não sei por onde começar, mas eu queria explicar o beijo na sua namorada…
Vanessa – ex…
Clara – sua ex… então, eu queria dizer, aquele beijo foi um engano, ela começou a dizer que você só estava comigo pra transar, eu fiquei transtornada…
Vanessa – nossa, você ficou tão transtornada que beijou ela….(debochei mesmo) quando eu ficar transtornada agora eu vou beijar as pessoas…. hahaha
Clara – Vanessa, eu não queria ter feito aquilo, eu juro…
Vanessa – você não me deve explicações de nada Clara, quem tinha que me explicar algo era ela, que era minha namorada…mas isso já passou… suas mentiras não fazem sentido, pelo simples fato de você usá-las de graça, você mente por prazer, gosta de enganar as pessoas, eu to cansada disso…
Clara – eu não sou uma mentirosa como você esta dizendo…
Vanessa – ah não? Aquela noite que você disse que ficou em casa porque sua mãe estava te alugando…. você estava jantando com Mayra num restaurante…ninguém me contou não Clara, eu vi! Você mente… (eu me levantei e fui até a janela)
Clara – me perdoa (se levantando e ficando atrás de mim na janela, segurou meus braços) por favor, eu não queria mentir pra você mas…eu… (me virei pra ela, tremia com seu toque)
Vanessa – o que você quer agora Clara? Por favor, me diz de uma vez e acaba logo com isso…

Ela me beijou, eu não movia minhas mãos, retribui o beijo não querendo fazer aquilo, empurrei ela com calma…

Vanessa – não Clara, as coisas não são assim, você me beijando ou me tendo em sua cama não vão mudar as coisas, o problema é você.
Clara – cara, vamos nos dar essa chance, eu gosto de você… você sabe disso! (segurava minha mãos)
Vanessa – não, eu não sei…
Clara - Vanessa…

Ela disse meu nome e veio me abraçar, a musica tocava bem baixa, eu nem tinha reparado nela ate aquele momento, ficamos abraçadas, ela passava seu rosto junto ao meu, sentia meu cheiro, estava de olhos fechados, eu comecei a entrar num estado de transe, sentir seu cheiro, toda aquela aproximação estava me tirando o ar, minha mão suava muito, eu coloquei elas em volta de sua cintura, encostamos nossas testas, a musica nos embalava de uma forma, eu só queria tê-la mais uma vez, mas na minha cabeça veio a lembrança de Claudia, de como ela tinha sido legal comigo, tinha me respeitado…

Vanessa – é tarde demais Clara…é tarde demais…(eu dei um passo pra trás)
Clara – não faz isso comigo, por favor!
Vanessa – eu sinto muito.