capas de revista

Louis - I can't believe!

Faz um do Louis que ela é filha dele e ele descobre que ela n é mais virgem ai ele surta!


     Suspirei já de saco cheio, mais uma discussão com meu pai, que dessa vez diz que sair com caras mais velhos vão sujar minha reputação, quando na verdade ele ta preocupado com o que suas fãs vão pensar dele sabendo que “A filha de Louis Tomlinson de apenas 17 anos é vista saindo com um cara de 24 anos!”
-Não adianta defender ela Briana! ELE TEM 24 ANOS. - Ele gritou com minha mãe me fazendo rolar os olhos-
-Certo Louis mas qual o problema dela sair com um cara de 24 anos? - Minha mãe tentou manter a calma -
-Ela é de menor, ele de maior, e com apenas 17 anos sai na capa de uma revista beijando um cara com idade pra ser seu pai. - Meu pai tentava se acalmar esfregando as mãos no rosto-
-Ta e você ta realmente preocupado com o meu rosto na revista ou com o que as pessoas vão pensar? Ta preocupado com a minha imagem ou a sua? - perguntei me levantando já não respondendo por mim-
-Não quero mais você saindo com esse cara. - Ele virou as costas enchendo o seu copo com água-
-MÃE. - Gritei pedindo socorro-
-Louis ta pegando pesado, ela tem direito de amar quem ela quiser.
-FALA ISSO AGORA, MAS QUANDO ELA APARECER CHORANDO DIZENDO MÃE PERDI A VIRGINDADE AI VOCÊ QUEM NÃO VAI GOSTAR DA COMPANHIA DELA.
-Fala baixo Louis ninguém ta surdo.
-PARECE QUE VOCÊS DUAS ESTÃO. PORRA BRIANA VOCÊ MAIS DO QUE NINGUÉM SABE QUE HOMENS NESSA IDADE QUEREM COMER E BOTAR NO LIXO. - Encarei minha mãe que se segurava para não falar nada-
-Louis s/n não é mais virgem se essa é sua preocupação! - me sentei no chão sem força nas pernas, ela havia contado, era agora que ele me mataria e ai sim sua reputação ia por água baixo-
-É o que? - sua voz falhou e seus olhos tinham fúria olhando em minha direção- VOCÊ TEM O QUE? MERDA NA CABEÇA? - Ele me puxou pelo braço me fazendo levantar e me encostou na parede, manti minha cabeça baixa evitando olhar em seus olhos-
-Louis solta ela. - a voz da minha mãe calma porem determinada fez com que meu pai se afastasse de mim-
-Aposto que foi com esse merdinha de 24 anos não foi? - o encarei sem dizer nada- ME RESPONDE CARALHO! - Ele gritou me assustando, concordei sentindo uma lagrima cair pelo meu rosto-
-Se encontra com ele escondido de mim a quanto tempo? - perguntou após um longo suspiro-
-1 mês. - respondi com a voz tremula-
-E ABRIU AS PERNAS PRA ELE COM O QUE 1 SEMANA SAINDO COM ELE? - Me encolhi assim que ele jogou o copo da mesa no chão o quebrando em mil-
-Amor não vai adiantar ficar gritando com ela. - minha mãe se aproximou de mim me puxando para um abraço-
-MAS QUE MERDA! ONDE FOI QUE EU ERREI COM VOCÊ? - Ele gritou mais para si mesmo me fazendo soluçar no abraço com minha mãe- Meu Deus… Você tem só 17 anos.
-Pai por favor..
     Eu falava entre soluços tentando me desculpar, ele se aproximou de mim negou com a cabeça e saiu de casa completamente desnorteado, eu não sabia onde ele iria e minha mãe pareceu não se importar, ela apenas me abraçou sussurrando “Vai ficar tudo bem, ele ama você”

-BabeZ
Acho que esse ficou pequeno, pelo o que eu entendi no pedido ele é pai da principal e foi o que fiz, mas caso seja que ele tem uma filha com a principal e descobre, só mandar outra ask que eu faço outro shot!

:/

A TV faz eu sentir raiva do meu corpo. As capas de revista também, os olhares na rua, nem comento. Meu corpo é de mulher. De mulher lésbica. Mas que ódio que tenha que ser assim. Quando nasci não fazia ideia que pra jogar futebol tinha que ser homem. Caso tivesse calor, deveria andar de camisa. O privilégio de poder estar sem ela era apenas deles. Depois entendi que o corpo da mulher é sexualizado e culpado, como se fosse o próprio pecado. Que ódio! Quanto ódio que um dia irá me engolir. Nunca fui feminina ou gostei de saia, maquiagem, saltos, homens. Sempre gostei de carros, bola, cabelo curto, garotas, atividade, ser independente, ficar pelada (Minha cidade é tropical, parecia óbvio entender a nudez). Mas que ódio que vim com uma buceta. Foi a sentença para humilhação, culpa, submissão e inferioridade. Ninguém respeita a mulher. Ninguém enxerga a lésbica. Não somos nós que estamos no poder. Não somos nós que tomamos as decisões. Eu sei que sou capaz de realizar qualquer coisa que eu sonhar. É que é complicado que essa certeza esteja só em mim. O mundo tenta me contestar ou diminuir como pode. Como na Segunda Temporada de The 100, quando mataram a personagem lésbica ou nos filmes em que a “lésbica feminina” sempre trai a companheira com um cara (a presença deles parece que não pode faltar na temática lésbica) Quanto ódio! Ódio, ódio, ódio, ódio.

‘Mercúrio