cabum ' '

TALVEZ UMA DESPEDIDA

A uns meses atrás, venho pensando muito em suicídio, mas uns dias atrás esse pensamento domina minha cabeça, os meus dias estão se tornando cada vez mais insuportáveis, eu sinto vontade de chorar mas não sai nada, não tenho mais vontade de viver, eu olho para os lados e não sinto prazer, eu passo dias e madrugadas pensando em suicídio, a vida está se tornando amarga, está me deixando triste quando eu deveria estar feliz, eu já pensei em fazer as cartas de despedida, eu me sinto sozinha, abandonada, as consultas não estão me deixando melhor, eu quero desistir, não aguento viver mais, eu quero apagar, não quero mais sentir dor, não quero sentir nada, esse tumblr é o melhor site que fiz pra me abrir, e perceber que existe pessoas assim como eu, mas eu não gosto de fzr parte disso, não gosto de ser triste, eu não aguento mais viver EU NÃO SUPORTO MAIS eu quero apagar e vou acabar com essa dor dessa vez, eu estou sentindo tanto medo de como vai ser, mas não tenho outra opção, não sei ate quando continuarei entrando no tumblr, não tenho muito tempo mas logo não vou sentir mais dor, só preciso dos remédios e cabum ou talvez eu pense em algo melhor, senão vai ser assim mesmo

Eu tô aqui (finalmente) escrevendo para você. Eu juntei forças a semana inteira, os dias inteiros, quase um mês inteiro para vir te escrever e sinceramente, eu tô mal hoje. Você me deixou mal hoje. E não sei porque eu tô me deixando ficar assim..
Eu li o seu texto e não pude deixar de me comover, de chorar no banho baixinho e de sentir cada palavra entrando no meu peito e tirando o máximo de sangue possível. Eu sei que a sua vida anda agitada, anda de cabeça para baixo e está muito Foda. Mas, é uma fase. Não sou lá especialista para te falar coisas do tipo, não sei nem lidar com os meus próprios problemas e não sei como eu posso te ajudar a não ser te dando palavras de incentivo. Incentivo esses que sempre te dei, né? Mas, nao consigo entender como alguém pode fazer tão bem e tão mal para alguém ao mesmo tempo. Não consigo entender. Não dá. Eu te machuco, eu te machuquei, eu te dei esperanças e parti e por que ainda está aqui? Não, eu não quero que isso seja uma despedida ou que eu esteja te chutando do meu coração tipo “ou, vai embora que você não é mais útil”, não é isso não.. mas é que eu tento entender como te faço mal e você está ali ainda. Eu não quero. Hoje, não mais, ser uma pedra no caminho de alguém. Quero que você seja tão livre, quero que você sinta o ar no seu rosto e tenha a sensação de estar andando de bicicleta. Quero que você voe e conheça novos ares, tantos mais tantos ares que você não vai ter tempo nem para pensar em sofrer. Quero que você se ame tanto que não vai mais se reconhecer no espelho. Quero que o amor te encontre da mesma maneira como ele encontrou nós dois. E ei, não tô querendo falar que você deva encontrar alguém e *cabum* me esqueceu, eu só quero que você seja tão feliz e que quando menos esperar encontre alguém. Mesmo que não esteja procurando.
[Respira fundo]
Eu sei que está complicado pra ti, o tempo, as cobranças, as notas, amizades, família e etc mas te peço por favor que não desista. Não seja fraco. Não se deixe levar por pensamentos negativos e coisas do tipo. Só se seja! Seja o Xam que eu conheci ha anos atrás. Aquele que me fez tão bem e tão feliz a ponto de ter ficado ao meu lado por 5 anos. Você é você. Você se ama e você é capaz! Pensa nisso sempre.
Enfim.. pulando o assunto, acho que ce conseguiu entender o que eu tentei te falar. Porque você sabe né que não sou mt boa com as palavras. Apesar de meu sonho ainda é escrever um livro sobre nós. Quem sabe um dia. Esta na listinha das coisas para fazer antes de morrer. Vualá…

[Parte 2]
Eu sei que eu, J. não fui a melhor parceira, a menos ciumenta, a mais compreensiva e a menos paranóica. Eu não fui lá a melhor mas eu dei o meu melhor. Apesar de fraquejar em alguns momentos.
Eu queria citar nosso relacionamento como algo natural, algo tão saudável que poderia ter continuado até hoje. Mas, não fomos la o casal mais perfeito. Eu estava esses dias lendo muito sobre relacionamentos e sobre várias formas de relacionamentos que existem e o que me chamou mt a atenção é que nós, dsclp mesmo falar isso e espero que não bole cmg como da última vez, mas nós tivemos um relacionamento abusivo sim. 😖. Dói falar isso, logo agora e logo hoje isso, J.? É que eu precisava falar sobre isso, ha algum tempo já, e precisava ser com você. Eu te trai, eu te julguei, desconfiei, inúmeras vezes te xinguei, te pedia para não sair com os amigos, privava de certa forma, te bati e isso são só uns dos detalhes de um relacionamento assim. Você também fez o mesmo comigo. Isso não é natural. Isso não é legal e isso não é algo normal. Depois de ler mt, mt sobre isso, eu absorvi o que não queria mais para a minha vida e fui jogando cada memória ruim disso tudo no lixo, fui mudando algumas atitudes (e você não via rsrs), e hoje, tô há uns meses com uma pessoa que espero que não faça nd que eu fiz com você comigo. É… Mas, pera, xô segurar mais ainda o choro. Você me traiu! Você me traiu inúmeras vezes. Verdade? Hoje, hoje dia 16/7/17 essa verdade veio a tona para mim e por terceiros. Você me traia no seu condomínio, na pizzaria, no parque, no carro, em qualquer lugar mas você me traia. Você me julgava tanto e eu me culpava tanto. Meu caráter. Seu caráter. Nao fui eu quem te fez fazer isso, foi você mesmo. E eu não sei se quero chorar por você. Porque mesmo separados isso me dói. Ta doendo muito!!!!!

[Parte 3]

Agradecimentos: quero te agradecer por ter sido meu amigo, meu anjo protetor, por ter feito todos os esforços para mim, por ter me ajudado, ter sido a minha base e ter sido, e continuar mesmo que não pareça sendo o meu mundo.


Por favor, não desista de nada na sua vida. Continue firme. Coisas melhores virão!

Edit1: eu tô c alguém mas isso n significa que eu o amo, eu só dei espaço para alguém estar na minha vida.
Edit2: se fala isso td mas todo fds está no insta da T.
Edit3:Espero que sejas bem feliz. Até mais meu gigante ainda está escrito Maktub.
Edit4-final: ainda vamos nos casar! ❤


Depois apareço novamente! Preciso espairecer essas idéias.

E antes que eu fique sozinho mais uma vez, eu preciso destrancar todas estas palavras presas no fundo da minha garganta. 
Primeiro, eu tenho este grande desastre pessoal em não saber demonstrar os sentimentos nas horas necessárias, eu repilo tudo que me é bem-vindo, como se eu não fosse apto aos bons sentimentos. Talvez eu tenha criado uma autoproteção, por nunca conseguir distinguir o autentico do falso. Não faço por mal, é involuntário.
Segundo, eu sou como um campo minado, diferente de uma bomba relógio que tem hora marcada para explodir; eu sempre me autodestruo nos momentos mais inoportunos, não suporto que me façam mal, basta que alguém me pise em falso e CABUM, mando tudo pelos ares e afasto ainda mais as pessoas. 
Terceiro, mesmo eu demonstrando uma total repugnância para com as pessoas que me rodeiam, eu preciso delas tanto quanto preciso de mim, pois, mesmo sendo solitário, eu não consigo viver sozinho. Sou como um pássaro que alça voo em plena solitude, mas está a mercê dos ventos para voar tranquilo. As pessoas me são como o vento, por isso me encontro sempre perdido, voando contra elas.
E mesmo que eu diga que cansei de tudo, que não quero mais nada, eu ainda transbordo esperança e queimo fogos de artifício por dentro quando alguém ultrapassa toda esta muralha protetiva.
Meu único problema é não saber o que fazer após isso, pois sempre acabo sendo uma decepção, sempre acabo cobrando muito, querendo muito, sem mensurar meus almejos, e nunca me satisfaço. 
Mas sou assim mesmo: um desajuste emocional.
A vida sempre me distribuiu as cartas, eu que nunca soube jogar.
—  Jadson Lemos. 

✧*:・゚✫ credits to deathcurie like if u use/save ✧*:・゚✫ 

uma vez nogitsune sempre nogitsune

comecei a shippar stydia achando que não ia ser otário fui otário

comecei a shippar stydia achando que não ia ser otária fui otária

existe gente que nasce otário e existe gente que cresce assiste teen wolf shippa stydia e vira otário

achei que meus ovarios estavam a salvo mas ai apareceu o dylan sprayberry e CABUM 

se eu soubesse que ia dar no que deu teria shippado jydia desde o começo pra ver se não caia na armadilha stydia 

se eu imaginei que ia sofrer tanto por uma série flop de lobinhos da mtv? clAro que não

ah voce acha que eu sou fã daquela série merdinha de lobos da mtv? pois é, achou certo.

ô mãe, eh tudo culpa do jeff davis.

Bomba interior

isso é sobre como falta pouco para essa bomba interior explodir. isto é pra dizer que sufocar não tem sido a melhor forma de fazer passar. isto é pra te mostrar que deixarei de existir em poucos segundos. isto é pra dizer que virar um nada não é opção, era a última escolha que eu poderia fazer. isto é pra lembrar que não só essa minha bomba interior irá explodir, como outras já estão explodindo por todo universo. isto é pra relatar que estou um caos. isto é pra dizer que estou sofrendo um colapso. isto é pra dizer que explodir é o mesmo que morrer.
isto é pra dizer que isso é meu último suspiro, último verso.
os segundos do relógio se aproximaram a zero.
e cabum!
explodi aqui, ali.
o som barulhento me descrevia
pois o silêncio já nem cabia em mim.

e.c

anonymous asked:

oh yessssss valentine prompts *rub hands* yesss excelent. HOW ABOUT Dean goes to a cooking class bc he wants to bake/make chocolates or something for his crush but the teacher is Cas and they become friends [CABUM] destiel explosion and in the last day they're "oh no he's not giving those things he made to me i'm so sad" and dean "oh no he doesn't like me what do I do yada yada man-angst" BUT in the end Dean makes a surprise and gives Cas a very ugly cupcake but it tastes good when they kiss

The drawback of these Valentine’s workshops was that everyone who attended had a significant other who they made the sweet treats for. That was a problem especially when they were exactly Castiel’s type. Like Dean. Dean was easygoing, funny and ridiculously gorgeous. He was even quite skilled in the kitchen, which was really really bad because Castiel had to shake his head every five minutes to stop himself from imagining licking chocolate off Dean’s fingers.

When Dean heard about the workshop in Cupid’s Cupcakes - his favorite bakery and sweet shop, he knew it was the exact thing he needed. He actually didn’t have a Valentine, but the girls’ soccer team he’s coaching had a match on Sunday and he was sure they would love some Valentine’s sweets. Well, if Dean was being totally honest with himself, he would have to admit that it was just an excuse to finally try something like this. He always wanted to learn to bake, but never had the opportunity. On top of that Castiel, the owner of the bakery who was also a teacher at the workshop was damn hot.

Actually he looked hot, but he was cold as ice. No, that wasn’t true. He was lovely, willing to help with even the smallest problem, offering encouragement and shooting bright smiles. At everyone but Dean. When it came to Dean he pretended he was blind. When Dean addressed him directly, usually to ask for help, it was clear Cas tried to get over with the interaction as quickly as possible. At one moment, when Cas was handing Dean a whisk, their fingers brushed and Castiel literally jumped back. It was really weird and made Dean feel terrible. Castiel wasn’t why he came though, so he focused on the cake pops he was making.

They actually turned out pretty well. He had made several different kinds and they were all decorated with sugar hearts and edible glitter. He might even save some for Sam.

He was carrying the tray with his creation to an empty counter to leave it to dry. Castiel passed him and Dean driven by his instinct to check out every ass ever turned after him. It was just a second of inattention, but he tripped and bumped into one of the ladies making cake pops for her hubby. The tray was knocked out of his arms, the pops flied into the air. Dean himself stumbled and fell on his ass.

“Son of a bitch,” he breathed out looking around at his work scattered on the ground. He realized the room was dead-silent and looked up. There was a semicircle of ladies looking at him with shock and worry and Castiel - blue eyes wide and concerned.

The baker offered Dean a hand and helped him get on his feet.

“Dean, I’m so sorry!” the lady who was part of the incident said, grabbing Dean’s shoulder.

“It wasn’t your fault, Gladys. I should have looked under my feet,” Dean said.

He could pretend he was okay, but he was actually pretty upset. He had spent almost two hours making the treats and now they were ruined.

“Dean.” Castiel’s deep voice snapped him out of his thoughts. “I’m sorry. If you have time, you can stay after the workshop. I’m have some cupcakes to make, so I can help you do some. As a consolation.”

Dean had to try really hard to keep his jaw from dropping to the ground.

“I… ugh. Yeah. Okay, that’s really nice of you. Thank you.”

Castiel’s full pink lips that Dean definitely hadn’t been staring at quirked up into a small smile.

“I can’t let you go home without a gift for your Valentine, can I?” There was something sad about the way he said it.

Why had he done that? He must had lost his mind. It had been hard enough to have Dean in the room full of other people and Castiel offered to be alone with him for at least another hour.

Of course his crush on Dean had only grown harder. Dean tried to break the awkward silence that fell on them every time Castiel wasn’t giving baking instruction with small chat which led to Castiel learning that Dean was a teacher and a classic cars’ lover.

By the time the first batch of cupcakes was cooling and they were preparing the cream, they were already joking and laughing as if they had known each other for years.

Castiel was totally screwed.

Well, so when he was alone with Dean, Castiel’s icy facade seemed to melt. And Dean liked it. He liked it maybe a little too much. He felt so comfortable around him, it was hard to believe they had met today. He also felt a weird pull towards the man, it was hard not to stare at his skilled hands as he was whisking eggs, or watching him biting his lower lip as he focused on decorating the cupcakes.

When they were done, Dean having his batch of cupcakes for his team and Cas having all the cupcakes he was about to deliver to a retire house (the man was an actual angel), Dean felt sudden sadness. He didn’t want to leave just like that, to be just a customer and a baker again. He believed they had become friends with Castiel, but that still wasn’t enough. He decided to try his luck; it was almost Valentine’s day after all.

The room was silent, Cas was cleaning the counters and Dean had just placed his cupcakes into a paper box. All but one.

Castiel turned when he heard Dean clearing his throat behind him. His eyes widened when they falled to the cupcake Dean was holding. The cream was all askew and there was too many little red hearts on it. Castiel recognized it as the first cupcake Dean had made.

“It’s for you,” Dean said softly with his green eyes sparkling. Castiel’s heart picked up its pace.

He carefully took the cupcake from Dean’s hand.

“It looks terrible,” he said, but there was fondness in his tone.

Dean chuckled. “Yeah, I know. But I bet it tastes great, I had a recipe from a real master.”

Trying not to blush, Castiel took a bite of the cupcake, moaning appreciatively as he tasted the cream. The recipe was one of his best.

“It’s amazing,” he said. “Take a bite,” he ordered and almost smashed the cupcake on Dean’s face. The man chuckled again and opened his mouth.

“Hm, wow,” he muttered as he chewed. “It’s even better than I expected,” he said but Castiel hardly paid any attention. His eyes were fixed on Dean’s lips and the fleck of pink cream on them.

“Y- you have a little,” he stuttered and barely stopped himself from wiping it off Dean’s lips with his thumb.

“Oh,” Dean breathed out and licked his lips. That was the exact moment when Castiel lost control. He leaned in and pressed his lips to Dean’s. Right when he was about to panic and pull away, Dean kissed back, opening his mouth and letting Cas taste the sweetness on his tongue.

“Wait!” Castiel yelped, pushing Dean away.

“We- I can’t do this! There’s someone you were baking the cupcakes for and I… I can’t.”

Dean blinked at him, his lips apart. Then he bursted into laugher.

“What?” Castiel barked, crossing his arms on his chest.

“You thought… oh my god, I’m sorry, Cas. I should have told you.” Dean took a deep breath to steady himself before he looked Castiel in the eyes.

“They’re for girls from a soccer team I couch. I don’t… I don’t have a Valentine.”

Castiel gaped at him, making Dean chuckle softly again.

“You have,” he said eventually. Dean frowned.

“I mean, if you want a Valentine, you can have me.”

A wide grin spread on Dean’s lips.

“Of course I do,” he said grabbing Castiel’s hips and pulling him closer.

The second kiss was even sweeter.