butterflys

Sou insegura, eu sei. 
 Me perdoe por ser assim, mas é que eu não consigo evitar, eu tenho esse complexo de inferioridade impregnado em mim. Eu não sou uma pessoa boa, eu sei demonstrar, me fecho para o mundo, guardando todas as mágoas dentro de mim, matando meu coração todos os dias, sou confusa, bagunçada, um verdadeiro caos, um labirinto do qual as pessoas se perdem e desistem antes de chegar ao fim. Eu não me acho suficiente para ninguém e vivo no constante medo de ser trocada por uma pessoa que seja realmente especial. Eu não acho que as coisas vão dar certo pra mim, porque sinceramente, por que daria? Não fui feita para ser um caso de amor longo, fui feita para pequenas fases de amor. Eu finjo que não dói, que suporto, mas dói, é uma dor insuportável no peito. Tenho uma dificuldade gigantesca em expressar meus sentimentos, mas sou cheia deles. Sou cheia de amor, ciúmes e insegurança. Mas tenho medo. Medo de demonstrar pras pessoas o quanto eu amo elas e sufocá-las. Medo de demonstrar meu ciúmes exagerado e minha insegurança quando “aparece” pessoas novas. Odeio pensar que posso ser trocada e possa existir pessoas que façam com que a minha presença não seja notada. Meu medo é que você encontre alguém melhor que eu. Alguém mais seguro de si e sem tantos defeitos. Alguém com mais amor próprio e sem tantas complicações. Que ao contrário de mim, simplifica as coisas. Por isso me fecho, me isolo, é meu jeito que proteger meu coração do que pode acontecer. Eu espero que você entenda toda essa minha insegurança, todo esse meu ciúme, toda essa bagunça que sou, mas não desiste e por favor nunca se separe de mim, você é tudo que existe de bom na minha vida.
—  Karen Teixeira. Obscenizar.