burca

Joana, com 17
namorando a mais de um mês
Já pagou até boquete
Mas sexo ela não fez
“Não quero putaria”
Falava o papai
Mas o namoradinho ria
Haha
“Não quero nem saber
Você vai fazer, se me ama
Só quero saber de papai
Com mamãe
Na minha cama”
No outro dia
O pai tava por baixo
A Joana também! Por baixo do namorado
Ela sendo despida
Ele pelado
E apesar de tudo que diziam
Ela sabia que não era um pecado
“Coloca a camisinha”
“Sem é mais gostoso,
É só reza pra Deus:
Ele benze o meu gozo”
Joana não queria, mas acabaram fazendo
Fizeram na fé
“Deus, eu fico te devendo”
Mas Deus não perdoou…
A pílula falhou!
Chazinho não funcionou!
Joana enjoou!
Será que engravidou????
(Será, amor? Amor?)
Namorado fugiu
Puta que pariu!
“ O que eu vou fazer?
Pra quem eu vou contar?
Não quero esse filho, eu vou me matar!
Não…vou falar pra Maria, do salão
Ela vai entender a minha situação”
Joana contou os lances
“Não conta pra ninguém”
“Não conta pra ninguém”
“Não conta pra ninguém”
“Não conta pra ninguém”
“Não conta pra ninguém!”
Joana…
Todo mundo já sabe do seu neném!
“Vagabunda, engravidou na adolescência!
Na hora tava bom?
Vadia sem consciência!
Olha lá? ela falou em abortar!
Abortar?
Será que ela pensou em se matar?
Assume (assume!)
Assume (assume!)
Assume (assume!)
Assume (assume!)
E lava esse teu perfume de vagabunda
Esconde essa buceta
Cobre essa tua bunda!
Cala essa boca e ANDA DE BURCA!”
Joana chorava,
Não tem mais ninguém
Tá pior que prostituta
Sem família, e com neném
E agora? E agora?
Papai vai me espancar
Mas ah, tem jeito
….
Mamãe me ensinou a tricotar.
Sangue e choro… No chão do banheiro morreu mais uma vagabunda
Aos olhos do Brasil inteiro
Aborto sem sucesso
País sem progresso
….
Me trás mais um chá de canela
Que a próxima vai ser a Gabriela.

Vini Giordane

Joana, com 17
namorando a mais de um mês
já pagou até boquete
mas sexo ela não fez
“não quero putaria”
falava o papai
mas o namoradinho ria
haha
“não quero nem saber
você vai fazer, se me ama
só quero saber de papai
com mamãe
na minha cama”
no outro dia
o pai tava por baixo
a Joana também! por baixo do namorado!
ela sendo despida
ele pelado
e apesar de tudo que diziam
ela sabia que não era um pecado
“coloca a camisinha”
“sem é mais gostoso,
é só reza pra deus:
ele benze o meu gozo”
Joana não queria, mas acabaram fazendo
fizeram na fé
“Deus, eu fico te devendo”
mas Deus não perdoou…
a pílula falhou!
chazinho não funcionou!
Joana enjoou!
será que engravidou???
(será, amor? amor?)
namorado fugiu
puta que me pariu!
“o que eu vou fazer?
pra quem eu vou contar?
não quero esse filho, eu vou é me matar!
não… vou falar pra Maria, do salão
ela vai entender a minha situação”
Joana contou todos os lances
“não conta pra ninguém”
“não conta pra ninguém”
“não conta pra ninguém”
“não conta pra ninguém”
“não conta pra ninguém!”
Joana…
todo mundo já sabe do teu neném!
“vagabunda, engravidou na adolescência!
na hora tava bom?
vadia sem consciência!
olha lá? ela falou em abortar!
abortar?
será que ela pensou em se matar?
assume (assume!)
assume (assume!)
assume (assume!)
assume (assume!)
e lava esse teu perfume de vagabunda
esconde essa buceta
cobre a essa tua bunda!
cala essa boca e ANDA DE BURCA!”
Joana chorava,
não tem mais ninguém
tá pior que prostituta
sem família, e com neném
e agora? e agora?
papai vai me espancar
mas ah, tem jeito

mamãe me ensinou a tricotar.
sangue e choro… no chão do banheiro
morreu mais uma vagabunda
aos olhos do Brasil inteiro
aborto sem sucesso
país sem progresso

me trás mais um chá de canela
que a próxima vai ser a Gabriela.
—  Karyna Rangel .
“Joana, com 17
namorando a mais de um mês
Já pagou até boquete
Mas sexo ela não fez
"Não quero putaria”
Falava o papai
Mas o namoradinho ria
Haha
“Não quero nem saber
Você vai fazer, se me ama
Só quero saber de papai
Com mamãe
Na minha cama”
No outro dia
O pai tava por baixo
A Joana também! Por baixo do namorado
Ela sendo despida
Ele pelado
E apesar de tudo que diziam
Ela sabia que não era um pecado
“Coloca a camisinha”
“Sem é mais gostoso,
É só reza pra Deus:
Ele benze o meu gozo”
Joana não queria, mas acabaram fazendo
Fizeram na fé
“Deus, eu fico te devendo”
Mas Deus não perdoou…
A pílula falhou!
Chazinho não funcionou!
Joana enjoou!
Será que engravidou ????
(Será, amor? Amor ?)
Namorado fugiu
Puta que pariu!
“ O que eu vou fazer?
Pra quem eu vou contar ?
Não quero esse filho, eu vou me matar!
Não…vou falar pra Maria, do salão
Ela vai entender a minha situação”
Joana contou os lances
“Não conta pra ninguém”
“Não conta pra ninguém”
“Não conta pra ninguém”
“Não conta pra ninguém”
“Não conta pra ninguém!”
Joana…
Todo mundo já sabe do seu neném!
“Vagabunda, engravidou na adolescência!
Na hora tava bom ?
Vadia sem consciência!
Olha lá? ela falou em abortar!
Abortar?
Será que ela pensou em se matar?
Assume (assume!)
Assume (assume!)
Assume (assume!)
Assume (assume!)
E lava esse teu perfume de vagabunda
Esconde essa buceta
Cobre essa tua bunda!
Cala essa boca e ANDA DE BURCA!”
Joana chorava,
Não tem mais ninguém
Tá pior que prostituta
Sem família, e com neném
E agora? E agora?
Papai vai me espancar
Mas ah, tem jeito
….
Mamãe me ensinou a tricotar.
Sangue e choro… No chão do banheiro morreu mais uma vagabunda
Aos olhos do Brasil inteiro
Aborto sem sucesso
País sem progresso
….
Me trás mais um chá de canela
Que a próxima vai ser a Gabriela.“
—  Karina Rangel

Her şeyi burca bağlayan insanlar var üzgünüm dediğimde e sen aslan burcusun egonda üzülmüştür diyorlar ben sana sinsisin diyor muyum peki

Mesmo que você morasse no Afeganistão, usasse burca e não falássemos o mesmo idioma, de alguma forma eu te amaria. O brilho dos teus olhos e a leveza que eles possuem me atrairia a ti. Sua voz mansa, doce e amena faria cada partícula do meu corpo desejar o seu cautelosamente. Conseguiria ver tuas mãos, e por meio delas a cor de sua pele, essa que combina perfeitamente com a minha. Todo o resto eu imaginaria: Seu sorriso maior que o rosto. Seus lábios carnudos. Teus cabelos que te caem tão bem. Seu coração eu já conheceria de cor, mesmo que opinasse por esconder o que há de mais precioso nele, teus atos te entregam; a sua meiguice capaz de achar belo um simples cumprimento, a maneira como enxergas tudo mais colorido e com um tom de felicidade impossível de ser visto por olhos de pessoas comuns. Tu foges do comum. És um criatura admirável, encantadora e completa, por esse e vários outros motivos inenarráveis és minha, é do meio de tudo isso que floresceu meu amor por ti.
—  Flor de Lis
Feminismo: não só mais uma frescura.

não sou suficiente. não fui suficiente para o meu agressor, para o meu marido, para o meu Estado, para a minha polícia, para os meus governantes, para a minha família, para o meu colega de trabalho, para o meu líder religioso, para sociedade. fui julgada quando assumi meus preceitos e julgada quando não os assumi. não fui suficiente quando apontaram minhas inseguranças e me fizeram mudar. não fui suficiente quando minhas amigas me empurraram para um cara que eu jamais ficaria. não fui suficiente quando perdi a minha vaga de emprego por ser quem eu sou.

não sou louca. não sou contra raspar a perna. não testemunho contra o uso de maquiagem. sei sim o que é um rímel. tenho namorado, marido, ficante, peguete e o que eu bem entender. sou amiga de homem e tenho ótimas risadas agregadas com histórias excepcionais. não sou homossexual. sou homossexual. sou o que quiser. sou livre. não devo satisfação a ninguém. ando com as minhas próprias pernas.

sou brasileira, argentina, chilena, paraguaia, americana, canadense, francesa, afegã, marroquina, israelense, palestina, japonesa, inglesa. sou todas. sou o mundo. escolhi ser assim. sou a piadinha do dia. a falta de respeito. o estupro. a saia curta. a burca. o vestido. a piriguete. a santa. a puritana. a vadia. a inteligente. a engraçada. a bonita. a atleta. a gorda. a magra. a ruiva, loira, morena, careca e cabeluda. sou todas. sou a força. sou a união. sou a urgência. sou a filosofia. sou a política. sou a história. sou o feminismo.

Joana, com 17
namorando a mais de um mês
já pagou até boquete
mas sexo ela não fez
"não quero putaria”
falava o papai
mas o namoradinho ria
haha
“não quero nem saber
você vai fazer, se me ama
só quero saber de papai
com mamãe
na minha cama”
no outro dia
o pai tava por baixo
a Joana também! por baixo do namorado!
ela sendo despida
ele pelado
e apesar de tudo que diziam
ela sabia que não era um pecado
"coloca a camisinha”
“sem é mais gostoso,
é só reza pra deus:
ele benze o meu gozo”
Joana não queria, mas acabaram fazendo
fizeram na fé
"Deus, eu fico te devendo”
mas Deus não perdoou…
a pílula falhou!
chazinho não funcionou!
Joana enjoou!
será que engravidou???
(será, amor? amor?)
namorado fugiu
puta que me pariu!
“o que eu vou fazer?
pra quem eu vou contar?
não quero esse filho, eu vou é me matar!
não… vou falar pra Maria, do salão
ela vai entender a minha situação”
Joana contou todos os lances
"não conta pra ninguém”
“não conta pra ninguém”
“não conta pra ninguém”
“não conta pra ninguém”
“não conta pra ninguém!”
Joana…
todo mundo já sabe do teu neném!
“vagabunda, engravidou na adolescência!
na hora tava bom?
vadia sem consciência!
olha lá? ela falou em abortar!
abortar?
será que ela pensou em se matar?
assume (assume!)
assume (assume!)
assume (assume!)
assume (assume!)
e lava esse teu perfume de vagabunda
esconde essa buceta
cobre a essa tua bunda!
cala essa boca e ANDA DE BURCA!”
Joana chorava,
não tem mais ninguém
tá pior que prostituta
sem família, e com neném
e agora? e agora?
papai vai me espancar
mas ah, tem jeito

mamãe me ensinou a tricotar.
sangue e choro… no chão do banheiro
morreu mais uma vagabunda
aos olhos do Brasil inteiro
aborto sem sucesso
país sem progresso

me trás mais um chá de canela
que a próxima vai ser a Gabriela.
—  Por: Vini Giordani.