bst

As you’d expect, the entire line-up had some kind of connection to Taylor Swift, from her mate Ellie Goulding, to John Newman, who by his own admission is “very good friends with her boyfriend.”

John Newman featured on Calvin Harris’s track Blame which reached number one in the official UK singles chart last September.

Despite being a “little bit star-struck” the first time they met, John thinks it’s simple why Taylor Swift is such a big star right now.

“Because she works very, very, very hard. And she’s genuinely a very nice person, she’s got no ego.“

Vance Joy is 13 shows into his support slot on Taylor Swift’s 1989 world tour, with another 62 still to go.

Taylor covered his track Riptide in Radio 1’s Live Lounge in October 2014.

“She did a fantastic job and I was totally flattered,” Vance Joy said.

“Now I’m 13 shows in with her and I’ve learnt a lot about performing from watching her. She’s super composed and gives a lot of herself every night, she’s super poised.”

He doesn’t know if he’s made it into Taylor’s inner circle quite yet, but is confident that he’s “in one of the circles.”

They hung out after a gig in Pittsburgh recently that ended up with a guitar being passed around between Taylor Swift, Vance Joy and some other bands that had been on stage.

“We sang Blink 182,” Vance Joy recalled, “and we all didn’t know the lyrics to What’s My Age Again?”

—  John Newman & Vance Joy discuss Taylor Swift at BST.
E mais uma vez a história se repete: “Duas pessoas que não sabiam viver uma sem a outra num piscar de olhos simplesmente aprenderam a fazer isso. A despedida aconteceu da pior forma possível: A briga que antes terminava em beijos desta vez teve fim em xingamentos. Eu vou esquecer você, disse ela. Cada um pro seu lado, disse ele. E os dois se obedeceram. Ambos sabiam que a pior forma de terminar o relacionamento na verdade seria a melhor. “É impossível me controlar quando tô perto de você, vai ser melhor assim, digo, sem despedidas, sem contatos.” Disse ele no sms às 3:17 da madrugada. “Talvez fomos feitos um para o outro, mas não para ficarmos juntos. Vai ser melhor assim.” Respondeu ela 3 minutos depois. E desse jeito ambas das partes foram levando, mentindo para si mesmas, dia após dia, semana após semana, mês após mês. E de  repente quando menos se esperava, já havia se passado um ano da maldita briga e a mesma  machucava como se tivesse sido ontem. E todos os dias eu ouço a mesma coisa, ainda que seja baixinho, sussurrando, quase que pedindo por pensamento: Por favor, destino, cruze nós dois mais uma vez, eu imploro, nem que seja só por essa vez, pode ser até mesmo na fila do supermercado ou na esquina daquele bar que ela frequenta. Eu só preciso vê-la mais uma vez, olhar naqueles olhos cor de mel e ver se eles ainda brilham ao me ver. Dessa vez não é pra aumentar meu ego, é pra fazer meu coração voltar a bater. Dias depois eu o ouvi interromper seu melhor amigo durante uma conversa qualquer, na mesa de um bar michuruca da cidade, com uma voz baixa e trêmula, dizer as seguintes palavras:
– Sinto falta dela a cada minuto do dia. Eu juro por Deus, cara, não tô exagerando. Todos os dias antes de dormir eu penso no sorriso dela, eu lembro da voz dela sussurrando baixinho no meu ouvido dizendo que me ama. Você não sabe como eu me sinto, é como se a cada tic-tica que o relógio fizesse de madrugada, eu sentisse uma marretada no peito… Eu penso que eu poderia ter feito diferente, sabe? Que eu poderia ter sei lá, evitado, ou dito que eu a amava no meio da discussão… Talvez se eu tivesse feito, eu estaria do lado dela agora, não do seu, não aqui, não nesse bar.
No mesmo dia, eu a vi chorar ao perceber que tinha excluído acindentalmente a última foto dos dois juntos que lhe restara no celular. Foi de partir o coração, sério. Mas eu não posso fazer nada, por mais que eu tente, eles nunca vão conseguir ficar juntos. É a lei da natureza, algumas coisas simplesmente nunca darão certo, como água e óleo, Romeu e Julieta.
Agora vem o mais bonito: Eles contrariaram à todas as leis da natureza para poderem ficar juntos, mesmo que fora por pouco tempo, mesmo que vezenquando soltassem faíscas numa briga ou outra, eles foram o impossível que se concretizou. É lindo, não?! Digo, nada como um amor assim, do tipo que renova a alma, que te corrompe por inteiro, que faz bater o coração mais forte, que desestabiliza todo o sistema nervoso. Pois bem, volto a dizer: escaparam de todas as leis e regras existentes, exceto uma, a maior e mais inevitável delas: A natureza tende a buscar o equilíbrio, e eles dois juntos estão longe de ser isso. A boa notícia é que eles ainda podem ficar juntos, mas só se o Edward Lorenz estiver certo, porque se o universo realmente tender ao caos, eles vão formar o mais lindo dos universos, e o amor deles, será o mais potente dos Big Bangs.
—  Nossa história narrada pelos olhos do destino. Osvaldo Fernandes.
Só pra deixar bem claro: a partir de hoje eu não vou mais deixar que você controle meu humor, muito menos dite as horas da minha felicidade. Agora minha rota mudou, tem sentido oposto à sua e meu objetivo daqui pra frente é buscar tudo aquilo que você foi incapaz de me proporcionar: reciprocidade, equilíbrio, paz e amor verdadeiro.
—  Osvaldo Fernandes