brittianismo

2

Pense num evento especial. Não é o suficiente. Pensa mais. Mais ainda. Não adianta: você nunca vai alcançar o nível de um encontro de nosso querido Romero Britto com nosso mago Paulo Coelho. ISSO é especial.

O que é marcante dessa nova obra de Britto é o encontro do Brittianismo com o universo místico Coelhiano.

É Britto se lançando pelo Caminho de Santiago de Compostela.

Veja só o poder da iluminação. Britto explorando todo um novo manancial de símbolos… Para além de #hearts e #flowers, vemos aqui #sun, #moon e #stars

Isso é ou não é especial?

Há muito tempo guardamos essa imagem. Nosso receio era de difundir a prática do Britt-Tattoo.

Mas concluímos que os Britt-Lovers têm alto poder de apreciação estética e saberão da importância de contratar os melhores profissionais tatuadores para aplicar a marca do Brittianismo em suas próprias peles.

Viva o Britt-Tattoo! Brittianismo à flor da pele.

Em sua passagem pelo Brasil, Papa Francisco foi motivo de inspiração para muita gente. Não podia ter sido diferente com nosso artista tão sensível, Romero Britto. O impacto do Papa foi tanto que Romero revirou uma série de técnicas que fizeram sua marca.

Em primeiro lugar, nota-se uma grande diferença na questão cromática. O artista deixa em branco vastas áreas da tela, transmitindo a simplicidade e humildade do papa Franciscano.

Percebemos em seguida uma mudança no traço, que deixa de ser feito em linhas grossas pretas para delicadas linhas azuladas. Parece até caneta bic - um resultado que transmite a modéstia e a simplicidade -, mas um exame mais minucioso revela se tratar de uma possível técnica de aquarela digital (verifique a imagem em alta http://estatico.redeglobo.globo.com/2013/07/28/Fantastico/Papa_Romero_Vale.pdf).

De todo modo, Britto deixa sua marca nas texturas em regiões delimitadas, como na gola (o que críticos de mal com a vida dizem se tratar da gola do Palhaço Carequinha), no cabelo e nos lábios. E, claro, personagens carismáticos requerem um #heart na bochecha! <3

O choque de texturas, o predomínio do verde de nossas matas, o rarefeito amarelo do ouro expropriado pela Metrópole, a terra crua por onde anda e samba a nossa gente, a alegria do casal de mestre-salas e porta-bandeira. A grande expressão da brasilidade nesta obra-síntese do brittianismo, que substitui os lemas da bandeira nacional por sua assinatura, numa utopia de brittianização para além das artes.