brasil arte

Eu posso ser intenso,
Mas também posso ser vazio.
Eu posso ser amável,
E ao mesmo tempo doentio.
Eu posso ser tempestade,
E de vez em quando calmaria.
Eu posso te amar a noite,
E te odiar de dia.
Eu posso chorar com a alma,
E depois rir em desespero.
Eu posso te enlouquecer com o olhar,
E te destruir com o mesmo.
Eu posso ser muitos em um só,
Ou talvez eu seja um só entre muitos.
Eu posso ser tudo na sua vida,
Ou talvez, no fundo, eu nem ao menos exista.
—  Gino Cantão.