bradford bad boys

2

To my boys on the stairs, I’ve been there since WMYB. However, I feel like I’ve been there since day one. All 5 of you have made me a better person, with your stupid jokes and crazy laughs. I would never be able to repay anyone that, let alone the most popular people in the world right now. 

Superman, you never cease to amaze me. When you said you thought you were always left out, or the most unappreciated it absolutely broke my heart. You don’t know about all the YouTube videos and Tumblr pages dedicated to you. Everyone in the One Direction fandom loves you. You just don’t realize it. You’re forever our little but mighty Superman, Louis.

Hazza, where do I start with you? You’ve always been this nervous cheeky little boy that everyone was drawn to since the beginning. You and your cheeky little smile always had the ladies losing it. You were always the front man, the leader. You kept your ground on your privacy. You stood up for us when we were all being put down. You’re always going to be our caring, cheeky Hazzabear.

Nialler, you’re our ‘happy, go-lucky’ Irishman. You always brought the laughter when it was defiantly needed. You always one hundred percent made us feel comfortable. Your beautiful laughter never ceased to turn a bad day into a good day. You’ve always been grateful for everything that went your way. You would always tell us ‘thank you’. It was just a nice touch you added for us. Thank you, Nialler for everything you’ve done for us.

Lima Bean, how could I forget about Daddy Direction?  You’ve always been Mr.Responsible. I’m glad you’ve loosened up a bit, Lima. However, in the days before the hiatus, you were the backbone. You held the rest of the boys together when they got down. You held US up when we got down. You would care about everything we said. You took our opinion into matters. On the behalf of the whole 1D fandom, thank you for holding us together, Lima. 

Bradford Bad Boi, Just because you left the band it doesn’t mean you’re any less important. You were the shy little British boy in the corner of so many flamboyant and outgoing people. But, guess what? You blew us all away with your vocal skills. You’re quiet but cute laughter always made us smile. YOU made us laugh. YOU made us happy, and you still do Zaynie. 

To all the boys, thank you for being everything and anything to us. We have had faith in you since day one. You did it, guys. You made it, together.

Who knew the boys on the stairs would make it to the top of the world?

Us, the Directioners.

One Shot Zayn: pt 4.

NOTA: Digam olá para a parte 4 hehehe.

Aqui eu revelo o filme, que algumas pessoas acertaram qual é rs. E eu acho que já podemos começar a nos despedir do Bradford Bad Boy…

Espero que gostem.

12 345


Peguei o primeiro voo para Bradford, com uma pequena mala e poucas roupas. Fiz questão de ajudar as famílias de Isla e Ethan, já que os pais de ambos eram também falecidos. O velório aconteceu em uma pequena capela, tentei me manter o mais firme possível. Zayn assistiu tudo de longe. Não nos falamos. Horas depois, nos direcionamos ao cemitério, onde os sepultamos e os enterramos. Suspirei ao me dar conta de que não teria mais os conselhos de Isla e nem as preocupações de Ethan, meus irmãos de coração.

Entrei na sala, me sentei em uma das cadeiras que envolvia a grande mesa, ainda cansada do dia anterior. — Podemos começar? — pronunciei.

— Hm, não, ainda falta o Senhor… — Lorenzo disse olhando o relógio.

— Bom dia desculpe o atraso. — Zayn entrou, tirando o boné da cabeça. Ajeitou o cabelo enquanto sentava.

Richard Lorenzo leu um longo texto, que eu era incapaz de entender. — Finalizando… Senhor Malik e senhorita Patel. — me ajeitei na cadeira para prestar atenção, suei frio em ouvir nossos nomes juntos. — Vocês fizeram algum tipo de “pré acordo tutelar” com Isla e Ethan? — fez as aspas com a mão.

— Ham? — Zayn estava confuso. — Que? — perguntamos juntos.

— Vocês prometeram cuidar de Alice, caso algo acontecesse?

— Não! — meu coração estava a um fio de sair pela boca.

Richard aproximou um papel da gente, Zayn não parava de coçar a cabeça enquanto lia e relia. — É uma petição, que reque a concessão da guarda de Alice a vocês dois. Notem que tem seus nomes, seus documentos. E tem as assinaturas deles também. E agora, só falta a de vocês…

Zayn e eu nos olhamos ao mesmo tempo, pasmos. — Zayn, tudo bem se você não quiser… — eu disse fraca. — Posso fazer isso sozinha. Peguei uma caneta.

— Você acha que sou tão insensível assim? — disse incrédulo.

— Eu só quis dizer que você não é obrigado.

— Você acha que eu não penso em nossa afilhada? — aumentou o tom da voz.

— Eu não disse isso Zayn. — fraca.

— Ela está lá naquela droga de abrigo, sentindo falta de casa, dos pais dela!

Não o respondi, ele tinha razão. Apenas assinei. Zayn fez o mesmo.

— E bom, eles deixaram a casa para vocês dois, o ultimo pedido deles é que Alice cresça naquela casa.

O juiz não demorou a nos conceder a guarda de nossa afilhada. Minha mente ainda estava muito confusa, meu coração pulsava sem compasso, era uma mistura de sentimentos, que eu não sei explicar. Zayn e eu não conversamos no caminho até o abrigo. Eu teria que me acostumar com essa frieza. Sorri ao ter Alice em meu colo.

— Minha princesa, você está tão cansada… — Zayn beijou a mãozinha dela.

Alice o observou por um tempo, fiz o mesmo. Em seguida ela bocejou, coçando os olhinhos e logo se encaixou entre meu pescoço e ombro. Claramente, cansada.

Zayn tirou o casaco. — É melhor cobrirmos ela, está ventando lá fora.

Concordei. — Deixa eu te ajudar. — Zayn a ajeitou em meu colo, fazendo com que nos tocássemos, nos olhamos assustados, em seguida Zayn voltou sua atenção a Alice, cobrindo-a com seu casaco.

Partimos para casa dos Phillips, onde ali, teríamos que nos aturar e o mais importante, dar um ótimo futuro a Alice. A pus no berço.

— Será que ela sente fome? — tentei um dialogo.

— Se tivesse, pediria comida… — Zayn se virou, me deixando sozinha.

Não estava abalada só com a situação, e sim também com o fato de Zayn estar lidando com tudo com mais facilidade que eu. De fato, ele a via com mais frequência, por morar perto. Me sinto uma fracassada, por não saber ser mãe.  Desci em busca de algo para comer, ao abrir a geladeira, Zayn apareceu. — A pizza chegou, venha comer.

Assenti, fomos para sala, a TV estava ligada quase no mudo, eu só ouvia Zayn mastigar e lamber os dedos. — O que você vai fazer agora (S/n)?

— Dormir, estou cansada…

— Eu falo do seu trabalho.

— Ah, ainda não sei bem… Cancelei todos os desfiles, farei apenas algumas fotos por aqui mesmo. Acho que vou desistir das passarelas.

— Hm… Sabe que a gente pode dar um jeito né? Você não precisa desistir de tudo. — Fixou os olhos em mim.

— Eu quero estar presente Zayn. — me levantei, levando a louça para a cozinha.

Enquanto eu a lavava, Zayn surgiu, novamente. — Eu vou ficar no quarto de hospedes, tudo bem para você ficar com o quarto do casal?

Assenti. Dormimos. No meio da noite escuto um choro, me lembrei de Alice… Corri para o quarto dela, me deparo com Zayn a aninhando em seu colo. Sorri, foi inevitável.  — Acho que ela tem fome. — me olhou.

Voltei com uma mamadeira morna. — Acho que está bom. — o entreguei.

Zayn a alimentava como se fosse um pai experiente. Ao fim da mamadeira, Alice caiu no sono novamente. Voltamos a dormir.

Era domingo a tarde, quando desci e me deparei com uma cena das trevas. Zayn apenas vestido de samba canção, jogado no sofá. Uma garrafa de cerveja na mão e o cigarro na outra.  — VÁ FUMAR ESSA MERDA LÁ FORA.  — gritei o assustando. Zayn tirou os pés da mesa de centro.

— Pare de gritar, louca.

— Que cheiro horrível, o louco aqui é você.

Saiu, sem nenhuma vontade de discutir. O segui mais calma, respirei fundo. — Me desculpe.

— Ok. — tragou.

— Eu me preocupo com a saúde dela.

— Tudo bem.

— Com a sua também. — disse baixo.

— Enquanto a isso, não perca seu tempo. Já Alice, pode deixar, não fumo mais lá dentro.

— Obrigada.

 Passaram dois meses, eu e Zayn ainda não havíamos nos acostumados com essa vida de pais. Nosso relacionamento havia melhorado, conversávamos sobre nossos trabalhos, sobre o futuro de Alice.

 Zayn precisou fazer uma pequena viagem de negócios, eu e Alice ficamos sozinhas, não tive nenhum problema.

 Ouvi a campainha tocar, abri a porta com Alice no colo. Era Aidan.

— Ainda não tive tempo de me desculpar… — entrou. — Eu queria que ele se afastasse de você, ele sempre te fez mal.

— Como teve coragem de filmar tudo?

— Você quem pediu. Desculpe, você estava bêbada, eu deveria ter recusado, mas fui fraco e não resisti.

— Tudo bem Aidan, já passou, agora tenho outras prioridades.

Ele sorriu ao saber que havia sido perdoado. — Posso pegá-la?

— Sim. — a entreguei.


— SOLTE A ALICE AGORA! — ouvi um grito grosso vindo da porta.

— Zayn, calma… — me aproximei dele. Em vão, Zayn foi até Aidan e a arrancou de seu colo.

— Calma cara, você vai machucar ela assim. — Aidan levantou os braços.

— Saia da minha casa. — disse ríspido. Aidan obedeceu.

— Há quanto tempo esse babaca está aqui?

 Zayn a colocou em um andador, cruzou os braços esperando a resposta.

— Menos de vinte minutos.

— Veio fazer o que aqui?

— Me pedir desculpas, pelo video…

— E você aceitou? — riu debochado.

— Sim… — me escorei na parede, já sem força.

Zayn pôs de volta sua mochila, pegou as malas que largou pelo caminho. — (S/n), ele ou eu, os dois não pisam nessa casa juntos. — se virou para a porta, pronto para ir embora.

— Você. — eu disse tremula.

Zayn se virou, sem dizer nada. — Eu não vou conseguir sem você. — minhas lágrimas saltaram. — Por favor, não vá. Não me deixe sozinha nessa.

Ele correu em minha direção, me abraçou apertado. — Me desculpe, perdi a cabeça vendo ele aqui. — o apertei ainda chorando.

WHAT ABOUT :

VAS HAPPENING
DJ MALIK
BRADFORD BAD BOY
ZOUIS
ZIAM
ZIALL
ZARRY
HIGH NOTES
SINGLE STRAND
STICKING OUT HIS TOUNG IN PICS
HIS LITTLE DANCE
‘MY NAME IS ZAIN, IM GONNA BE SINGING LET ME LOVE YOU BY MARIO’
'SIMON I CAN’T DANCE’
WHERE’S ZAYN?

WHAT ABOUT THE MEMORIES….