boneca

Boneca de Pano

Jogada de um lado pro outro; vestida para os olhos críticos julgarem, treinada para dizer apenas o que os outros querem ouvir.
Ela é daquelas que chega na mesinha do bar e fica horas sentada, não notada e sem poder reclamar. Daquelas que quando fala alguma coisa, ninguém para pra escutar.
Ela só queria ser igual as outras pessoas que ao chegar em um lugar, seus amigos vem cumprimentar, elogiar, puxar uma conversa gostosa que você nem vê a hora passar. Sabe? Aquelas agradáveis, que é só chegar e parece que o mundo faz o resto por elas.
Mas ela não pode. Não se deve desejar aquilo que não tem, deve-se conformar com aquilo que possui.
Ela nasceu pra enfeitar, parar em um lugar e ficar. Bonecas de pano não podem opinar, são feitas para obedecer sem questionar.
Quieta e vazia ela existe, andando pelas ruas como uma bomba relógio, pronta para estourar.

Tulipa