bivar

(in)segura

Poema de Rebeca Bivar

Na inércia da insegurança
Me arrisco
Na demência do prazer
Me jogo
Me mato
Me cobro
Me entrego: a incerteza
Se tu quiser, eu quero
Se tu não quiser, me viro
Se for pra ser, será
Se não for pra ser, haverá
Mais e mais
Amor