biatavares

Eu não sei se hoje o dia amanheceu mais gelado ou se é a tua falta que tá me causando esses arrepios, essas tremedeiras. Aquelas cadeiras, hoje vazias, na varanda, clamam por tua presença novamente. Passávamos horas ali, você lembra? Falando de nossa infância, acompanhados de uma xícara de chá. Vem pra cá, meu amor. Sanar esse meu frio. Me apertar e me aquecer daquele jeito que só você sabia fazer. Venha, sente-se comigo na varanda novamente. Admirar cada gota da chuva caindo no nosso roseiral. Posso fazer aquele chá de camomila que lhe fazia adormecer rapidamente em meus braços. Não importa. Mas venha. Eu cuido de você. Posso ler uma história, se o sono não vier. Ou podemos nos deitar e imaginar a nossa própria daqui há 15 ou 20 anos quando já formos casados e tivermos nossas crianças correndo pela casa. Venha amor. Não me deixe à tua espera ainda mais. Tá doendo esse vazio que você deixou no meu peito. Volta pra cá. Ainda têm muito espaço pra você aqui. Na nossa varanda. Ainda temos muitas rosas florescendo. Ainda tem muita chuva pra cair. Muitas xícaras de chá a serem servidas. Bia Tavares {s-a-l-g}

fuckthescheibe:Awn, Bia! Como você é linda e perfeita. Divertida e super amiga, está esperando um lindo bebê que será perfeito como a mãe. Quando nascer será tão lindo e perfeito como sua mãe. Deve estar anciosa e ouvindo o bater do coração de seu ou sua criança todos os dias, deitar e fechar os olhos e pensar como será essa linda pessoa, imaginar qual será sua primeira palavrinha, como será seu primeiro passo; sua voz. Você sempre estará no meu coração, e de todas as pessoas que você conhece, desejo tudo de bom a você e ao seu lindo ou lindinha filinha/filinho que irá nascer. Que tenha saúde, e seja fofo como você você é linda e continue assim. Te amo. ♥

Bruno Passos [fuckthescheibe] | Tumblr

Sabe, ultimamente tenho parado de me preocupar tanto com a vida. Já guardei expectativas demais à ela, e nada deu certo. Hoje, eu procuro deixá-la me levar pra onde ela quiser. Tenho parado pra prestar mais atenção nas coisas simples. No cantar de um passarinho que me acorda de manhã, nos peixinhos do meu aquário, no ronronar de um gato. Na folha que cai da árvore e até mesmo, no caminhar de cada um. É possível ver a preocupação que cada um leva. As pessoas sempre andam correndo demais, com os olhares cansados e olheiras profundas e por muitas vezes, deixam essas pequenas coisas passarem despercebidas. Elas deixam que o mundo gire em torno delas, quando na verdade nós que deveríamos correr à volta dele, correr atrás de nossos objetivos, admirando as coisas simples, sem muito materialismo e coisas banais.Bia Tavares {s-a-l-g}

E se alguém batesse na porta de seu quarto, lhe encontraria em um estado sub-humano. Cercada por fumaça e exalando um cheiro insuportável de álcool, ela estava ali, sorrindo para quem quisesse ver. Ela temia demonstrar que estava mal, mas todos sabiam que aquela sua amiga a tal decepção, havia lhe visitado novamente. Na verdade, ela temia demonstrar que estava mal a si mesma, ela que sempre foi uma garota madura, uma boa amiga, uma filha responsável e uma aluna exemplar estava perdida em suas próprias atitudes. Agora, enchia sua boca de palavrões para quem lhe fosse perturbar o juízo. Fingia não estar nem aí para a vida. Mas ela sentia falta do que era antes. Ela sentava, na beira da cama, e se lembrava de todo o orgulho que seus pais diziam sentir. E olha só, como ela estava hoje. Perdida, num mar de vícios que só a puxavam para o fundo. E ela deixava se afogar. Não tinha forças para nadar até a margem novamente. E por ali ela ficou, envolta na fumaça, sob as cinzas de seus cigarros, segurando uma garrafa de whisky, apenas pensando no que poderia fazer para voltar a ser o que era. Apenas pensando. Pensando e agonizando. Bia Tavares {s-a-l-g}

Então ele veio com uma rosa na mão, me dizendo que não dava mais para continuar, deu meia volta e foi embora. Foi a coisa mais dolorosa da minha vida. Pobre rosa, taquei-a no chão e pisei em cima. Maldita rosa, seus espinhos vieram daquele idiota a quem tinha confiado todo meu amor. E como se já não bastasse, veio tentar amenizar as coisas com aquela linda flor. Afinal, ele sabia que eu amava rosa cor de chá. Na verdade, é uma raridade encontrar dessas hoje em dia. Mas o fato de ele ter caçado uma somente pra terminar comigo, me fizeram ter horror à rosas. Agora a minha preferida é a vermelha. Cor do sangue. Cor da dor. Da dor que aquele infeliz me causou. E agora por causa dele, passo longe dessas benditas, com medo de me furar com seus espinhos novamente.

“O tempo é o melhor remédio para tudo” É o que andam dizendo por aí.
E o que fazer quando até mesmo o tempo resolve virar tua vida de cabeça pra baixo?(Such a Lonely Girl)

Agora lembrara que desde pequena, dizia a sua mãe que queria passar sua lua-de-mel em Veneza. Talvez ela nem soubesse onde ficava essa tal de Veneza, mas sentia uma forte simpatia por aquele lugar. Sua mãe sempre lhe dizia: “Deixe de bobeira, menina.”, “Pare de sonhar.”, “Amor não enche barriga.”. E de certa forma aquilo a deixava pra baixo. Ora, afinal, o que é a vida sem sonhos? Sua mãe lhe dizia que quando sonhamos muito, deixamos de viver. Talvez seja verdade, talvez realmente nos prendamos numa realidade paralela. Mas se isto irá fazer-te feliz de alguma forma, não há porque se esquivar disto.
E então assim ela vivia, assistia a todas as reportagens e comprava as revistas que falavam daquele lugar cujo tinha verdadeira adoração e sonhava em poder um dia estar lá, passeando de gôndola por aquele rio que já presenciou a alegria de tantos casais. Ah, ela sonhava demais. Queria demais. Pedia demais.
“Que menina sonhadora eu era” ela pensava alto, agora.
E interrompida por uma grossa e apaixonante voz, voltou a si. Olhava em volta e estava justamente naquele lugar cujo sempre sonhara, estava na foto de seu cartão-postal que há muito tempo guardara. E a seu lado, o homem o qual amava. Em sua mão esquerda, um lindo representante do amor verdadeiro. E fechando os olhos e sorrindo discretamente, viu o quanto sonhar valeu à pena. Bia Tavares {s-a-l-g}

2

História Real de um Casal Irreal.

Ela amava. Ele amava. […]


Ela se doava. Ele ignorava. Ele se escondia. Ela o procurava. Ele se esbanjava. Ela não entendia. Ela ligava. Ela procurava. Ele não atendia. Ela o amava. Ele concordava. Ele a traía. Ela perdoava. Ela o amava. Ele mentia. Ela acreditava. […]
Ela se doava. Ele esnobava. Ela sofria. Ele se embebedava. Com outras garotas conversava. Ela não o merecia.

Ela despertou. Ela o chutou. E agora ele corria. Ela o esnobou. Ele a procurou. E ela só saía. Ele ligava. Ele a procurava. Ela não atendia. Ele a amava. Ela o esnobava. Ele se arrependia. Ela dançava. Ela com outros conversava. Ele sofria. Ele chorava. Ela esnobava. Ele se conformaria... (S-A-L-G)

Então liberte-se. Livre-se dessa dor que ainda aperta o seu coração. Livre-se das lembranças que continuam perturbando o teu sono. Esqueça. Ignore. Você nasceu para ser feliz. Não se ponha para baixo. Lute. Viva. Você é forte, não esqueça disso. Sorria. Seja feliz. E deixa o que te faz mal de lado, porque Deus tá guardando o melhor da vida pra você. (Such a Lonely Girl)

E eu escolhi recomeçar. Zerar tudo o que já me aconteceu de ruim até hoje e focar nos meus propósitos. Sem me deixar abalar por nada. Hoje, eu acordei querendo ser feliz, querendo viver por mim mesma. Querendo seguir em frente com um sorriso franco no rosto. Sem temer nada nem ninguém. Visando somente a mim, e a minha felicidade. Sem esperar tanto dos outros, e sem cobrar muito de mim. Escolhi viver um dia de cada vez, mas vivê-los intensamente, sem pesos na consciência, sem temer a nada. Eu decidi acreditar na felicidade e no poder que, daqui pra frente, ela terá sobre minha vida. Eu escolhi acreditar mais em mim e me dar uma segunda chance. Hoje eu escolhi viver! (Such a Lonely Girl)

Coloque a mão no meu peito. Sinta meu coração bater por você. Sinta-o clamando pelo teu amor. Sinta-o te gritando. No ritmo do seu nome. No ritmo com que caminha se afastando de mim. Sinta a dor que assola meu peito. Sinta minhas esperanças indo embora. E sinta esse orgulho a deixando ir. Sinta todas as lembranças se esvaindo. Todo o amor que eu depositei indo por água abaixo. Sinta também raiva, sinta mágoa, sinta peso na tua consciência por ter deixado tudo se perder. Por ter soltado minha mão e ter me deixado ir. Sinta dor, sinta solidão. Assim como você me fez sentir. (Such a Lonely Girl)

Nossos filhos deverão puxar a cor da sua pele. Os seus olhinhos meio esbugalhados, seu nariz grandinho, a sua boca rosada e o jeito com que a usa tão bem para falar as coisas certas. Sua orelha tão miúda, e sempre tão dispostas a ouvir. Deverão puxar seu cabelo bem escuro, suas mãos tão perfeitamente desenhadas, capazes de entrelaçar tão suavemente. Deverão puxar teus braços e teu corpo, tão quentes, capazes de aquecer em qualquer frio de -2 graus. Deverão puxar suas pernas meio tortinhas e os seus pés grandes que você odeia. Deverão puxar o teu coração e o jeito fácil de fazer alguém se apaixonar.
E de mim, apenas a sorte. Sorte essa que me fez encontar você e te ter em minha vida.
—  O melhor de você — Ana Beatriz Tavares (fireflies-s)

Tenho tanta coisa pra fazer. Mas estou presa na preguiça de me espreguiçar. Meu corpo dói de tanto eu ser involuntária na minha vida, mas tá bom assim. Quanto mais tempo eu ficar aqui, trancada no meu quarto, menos as pessoas me verão, e menos me magoarão. Deixe que pensem que eu sumi. Quero mesmo sumir, dentro do meu sono. Lá eu posso ser tudo. Lá as pessoas também não são como aqui fora. E talvez quando eu acordar pela vigésima oitava vez, eu pense em fazer um café pra me despertar. Mas tá tão bom assim, viver sem vontade, sem ter gente pra me recriminar, pra me questionar. Me deixa aqui por mais cinco minutinhos. O Sol lá fora tá me chamando, mas eu não quero ir. — Ana Beatriz Tavares (fireflies-s)

Cansada. Farta. Esgotada. Inútil. Desmotivada. Desesperançosa… Tantos adjetivos caracterizavam uma pessoa só. Aquela mesmo, que está sentada naquela pedra há horas.
“Pobre coitada” — as pessoas diziam quando passavam por ela. E sibilando um sorriso, levava as mãos à testa para cobrir o Sol que lhe ardia os olhos. Ela achava mesmo muita graça daquelas pessoas que não a conheciam, e que mesmo assim, insistiam em lhe perturbar o juízo. Mas cansou de se importar. Agora, ela apenas ria. “Deixa que falem.” Achava que seria melhor se deixasse entrar por um ouvido e saísse pelo outro.
Ninguém sabia também porquê todos os dias ela ficava ali, com o Sol torrando os seus neurônios. “Ora, será que essa menina não tem mais o que fazer?”
Porém, do mesmo jeito que algumas pessoas forçam sorrisos quando não está bem, ela preferia não transparecer a alegria que a sua vida lhe proporcionava. Afinal, nossa própria felicidade incomoda muita gente.
E pra evitar, ela guardava pra si mesma, compartilhava suas histórias com o Sol, que estava ali sempre a brilhar pra ela. Ele sim sabia que ela era especial, única, corajosa e… feliz. — Ana Beatriz Tavares (fireflies-s)

Que meu amor alegre teus dias, tuas noites e teu coração.
Que conforte teus momentos difíceis, teus pensamentos e tua ira.
Que aumente tua capacidade de amar, de me amar.
Que entregue tudo de melhor e verdadeiro.
Que te conduza, te mude, te enlouqueça.
Que meu amor seja somente e pra sempre seu!
—  Ana Beatriz Tavares                  (via fireflies-s)
Lembro de quando eu sofria por amor. De quando sentava no chão do box e deixava a água lavar a minha alma. De quando deitava minha cabeça no travesseiro e me desabava de chorar por aquele idiota que nem olhava pra mim… Ainda bem que tudo permaneceu apenas na lembrança, hoje eu olho pra trás e rio do quão boba eu era. Olho pra frente e vejo meu futuro de braços abertos me esperando. Olho pro meu lado direito e vejo uma linda aliança prateada em meu dedo anelar. E ao meu lado esquerdo, aquele que tem meu coração por inteiro.
—  Fo®am-se as dores. Fo(d)am-se as dores. — Ana Beatriz Tavares
Ás vezes eu fico pensando como tudo começou, nossa timidez no início e antes mesmo do início escondia um amor verdadeiro que eu nunca senti por ninguém. Daí quando comecei a passar boa parte do tempo com você, tudo começou a fazer sentido pra mim, TODO SENTIDO. Fazer eu esperar tanto tempo para ter a minha primeira e ÚNICA namorada, que no dia 4 de janeiro de 2012 com o seu amor, me fez tomar a 2ª decisão mais feliz que eu já tomei em toda a minha vida. E todo esse amor que cresce absurdamente a cada mês, dia, hora, minuto e segundo, me faz o homem mais feliz do mundo ao seu lado. E o meu maior objetivo eu sempre te disse e sempre vou dizer: É te fazer feliz! Sou capaz de fazer tudo por um sorriso teu, por ver a alegria em seu rosto.. quantas vezes eu estava mal por diversos motivos - trabalho, amigos e etc - e com apenas a sua voz, você me fez esquecer de tudo e lembrar o motivo pelo qual sou tão feliz. E esse motivo sempre foi VOCÊ e SEMPRE será. E você deve estar se perguntando como é que eu pude escrever mais acima, que quando eu te pedi em namoro foi a 2ª decisão mais feliz que eu tomei em toda minha vida, né!? A resposta é bem simples, é que a 1ª desisão ocorrerá no dia mais feliz da minha vida, quando nós estivermos em uma Igreja, na frente de um padre, e você me ouvirá dizer : “Eu Italo da Silva Barbosa, recebo-te por minha esposa, Ana Beatriz Tavares Costa, e prometo ser-te fiel, amar-te e respeitar-te, na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, todos os dias de nossas vidas.” E nem a morte vai separar meu amor por você. Meu amor por você é incondicional, e sempre vai ser!
—  Com Amor, Italo Barbosa. (fireflies-s)
Já tentei de todas as formas te esquecer
Mas suas cartas continuam na última página daquele livro que me destes, suas rosas continuam a murchar no jarro da sala, sua risada continua presente em minha casa quando a TV está ligada em Friends. Suas roupas que ficavam aqui, continuam no meu armário. E nosso porta-retrato com a foto do nosso primeiro encontro, continua na minha mesinha de cabeceira.
A vida não foi feita para ser triste, mas desde que você se foi, chorar tem sido minha ação preferida. É como se comida alguma saciasse mais minha fome, ou água alguma cessasse minha sede. É como uma lua sem brilho ou uma estrela sem sua importância no céu. É como uma lágrima escorrendo dos olhos até chegar de encontro à boca. Boca essa que ainda guarda o seu gosto doce, capaz de fazer uma pessoa sofrer de diabetes. Não minto, muito menos exagero quando digo que nada mais faz sentido sem você. Preciso de você para dar-me novamente vontade de viver. Se não quiser pensar em mim, pense pelo menos na lua, que sem o seu olhar sobre mim, tornou-se gélida e apagada.
—  Ana Beatriz Tavares (fireflies-s)