bia valle

Um dia alguém me contou um segredo sobre os contos de fadas. Ele me disse que eu não deveria esperar que a vida me desse um final feliz. Justificou que os contos precisavam daquilo, mas eu não. O final ainda não havia chegado pra mim. Ele me pediu que aquele momento fosse especial, mesmo que nem tudo corresse como esperávamos. Afinal, se nós dois não déssemos certo, aquela noite ainda teria seu valor. Eu acreditei. Entendi que muitas vezes sofri por escolha. Exigi da vida algo que não era da sua natureza me oferecer. Esqueci que os ciclos fazem parte de nós e que há coisas que precisamos perder. Esqueci que é isso que nos faz crescer. E agora, vendo a lua assim, que de tão brilhante me lembra o seu sorriso, entendi que há coisas - sentimentos e desejos e lembranças e fotos - que devemos deixar pra trás, por mais que nosso coração ainda espere por um final feliz. Talvez se ele entendesse isso, tudo seria diferente. Mas quem entendeu fui eu, o que significa que é hora de seguir em frente.

Bia Valle

"Eu sonho acordada..."
Já me chamaram de sensível. Também já ouvi filosófica, dramática, sonhadora, chorona. Isso sempre me doeu muito, porque me considerava fraca por receber essas características. Nunca neguei ser um pouco de cada uma dessas coisas. Eu admito: sempre preferi ver o mundo um pouco mais novelesco do que deveria. Sempre acreditei que as pessoas pudessem mudar. Sempre preferi os livros de romance e ficção científica. Sempre confiei nos que me amavam. Sempre apostei todas as fichas nos que eu amava. Confesso. Já quebrei a cara muitas vezes. Já dei tiro no pé, tomei facada nas costas, levei tapa na cara. Já me decepcionei tantas vezes que já perdi as contas. Já amei tanto que cheguei a duvidar de ter amado de verdade um dia.

Toda vez que eu acordo e coloco o pé na rua eu me lembro de que o mundo não é misericordioso e de que as pessoas que o habitam não fazem muita força para mudar essa realidade. A maldade já nos esmaga por todos os lados antes mesmo da gente se entender por gente. E talvez seja por isso que eu prefira o meu mundo de cavaleiros, dragões, vampiros e mutantes. A vida me provou com todas as fórmulas possíveis que a maioria não gosta desse mundo meio mágico. Preferem a realidade malvada e esmagadora. No entanto, quando tudo está ruindo, sempre sou eu quem consigo segurar as pontas e manter o edifício em pé. As mesmas pessoas que me chamam de sensíveis, são as que me procuram quando sentem-se sem chão. Talvez por que sempre se mantiveram no mesmo solo, nunca tiveram a sensação de perdê-lo e por isso quase enlouquecem quando o veem se esfacelar por baixo de seus pés.

Eu posso ser sensível e ter sempre uma lágrima reserva pra cair, mas não tenho medo de agulhas nem de relacionamentos. Eu não perco o equilíbrio diante de insultos ou críticas. Os monstros debaixo da cama são meus amigos de infância. Sou forte como um cavaleiro e sou protegida por um magnífico rei que mora dentro de mim. E por isso tudo meu amigo, sei que sou forte. O mundo pode tentar me convencer do contrário, mas eu aprendi que a força está no coração, na mente e na alma. Quem não sabe sonhar, não sabe viver. E eu, sonho acordada…

Bia Valle