bernardo e isabella

— Isa, posso te contar um segredo?
— Pode, Bê.
Ele susurra no ouvido dela — Eu acredito em anjos.
— Por que você acredita nisso?
— Porque eu tenho um.
— Sério? E cade esse teu anjo?
— Tá aqui na minha frente, vestindo o meu moletom que é o dobro de maior que ela e tá com um lindo sorriso no rosto, e sabe por que você é o meu anjo? Porque não tem sorriso no mundo que me de mais forças pra continuar caminhando do que o seu, por que é por você que eu levanto todos os dias disposto a te fazer sorrir e sorrir também, mesmo tendo que enfrentar milhões de problemas.
—  Contigo do meu lado o mundo é mais bonito, pequena. — Bê e Isa (via me-afastei)
— Não acredito que a gente vai continuar fazendo isso…
— Mas você concordou.
— Eu sei, mas é que isso é brega.
Ela então sorriu. Não costumava sorrir, mas, quando o fazia, nossa! atingia em cheio meu coração.
— É romântico. — insistiu ela.
— É brega.
— Adoro romantismo.
— Você adora é uma breguice.
— E você só pensa em sexo.
— Que nada amor, eu te amo.
— Calma, você já vai conseguir o que quer.
— Ah graças a Deus.
—  Que nada! No fundo, sou um romântico, mas quero sexo. — Bê e Isa. (via me-afastei)
Isabella, então pergunta:
— Mas, quando tivermos morrido e partido, você continuará me amando, o amor continua?
Bernardo à abraça carinhosamente enquanto contemplavam a noite, a lua na escuridão e as estrelas brilhantes.
— Isa, olhe as estrelas, como brilham: algumas delas já morreram faz tempo. Mas elas continuam brilhando no céu noturno, pra você ver.. o amor é como a luz das estrelas, elas nunca morrem.
—  Bê e Isa. (via me-afastei)