bem ness

As vezes penso que sou meio besta, me preocupo com as pessoas, tenho medo de perde-las, faço de tudo para ficarem bem, mas acho que nesse mundo de hoje ninguém valoriza isso, quantas e quantas vezes tentei ser o “perfeito” e sair como o mais “errado”, pretendo mudar, mudar de amigos, mudar de amores, mudar de vida, hoje olho pro lado e vejo que ainda posso ter um futuro bom, olha pra frente e ainda me vejo sendo feliz, mas quando olho pra trás vejo quanto tempo eu perdi, queria conseguir descrever cada coisa que está acontecendo, mas isso eu não consigo, apenas escrevo o que dá  pra descrever em poucas palavras.
—  Cleidison Santos
Paixão ilusória

Essa madrugada me fez imaginar o quanto nós seríamos felizes juntos. Pode ser exagero meu comparar uma simples conversa com uma paixão que desperta a vontade que tenho de ser inteiramente teu. Seria generoso da sua parte me dar aquela oportunidade de nossos corpos se cruzarem. E se for o caso até se amarem também. Conheço uma cidade que cairia muito bem nesse nosso encontro imaginário. Fica há alguns quilômetros das batidas do nosso coração, se quer saber. Não é fácil achar um lugarzinho que nos traga uma paz de estarmos sozinhos e longe daquele barulho importuno. Tenho um prazer desconhecido de tocar tua pele; de te acariciar lentamente, coberto por carinhos pertinentes. É isso. Mas por enquanto eu demonstro em palavras de vontades sem fim. Esse teu sorriso de meia boca é tão importante quanto aquele bilhete deixado na porta da geladeira. Sabe, eu sempre acabo persistindo nesse vício que é gostar de você. Eu sempre acabo nesse vício que é te querer cada vez mais. Estive pensando como sou ingênuo em não perceber que tudo não passa de uma conversa. Que tudo não passa de uma simples conversa que passará depressa. Me deparo com essa situação completamente óbvia e ainda assim continuo acreditando que pode virar amor. Que loucura minha, não é? E pra ser bem sincero não uma atração despercebida, se és que me entende. Porque na verdade, dói saber que tudo isso não passa de uma grande paixão ilusória.

Deve ser só uma atração.

Andando por ai, ouvi uma garota dizer para uma amiga forçar um sorriso e dizer que estava tudo bem. E foi nesse momento que eu percebi o quão cheia de sentimentos eu sou, que eu não consigo forçar sorriso pra ninguém, se não to bem, não to e pronto, se estou amando, amo com todas as minhas forças, me entrego sem medo, me deixo ser levada. A questão é que, no meio desse teatro todo no dia a dia, as pessoas acabam deixando tudo de lado mesmo, acabam evitando falar em sentimento porque acabam achando também que ninguém se importa com elas e que se quiserem saber de algum sentimento, vai ser pra usar contra a mesma no futuro. E no fim, acaba acontecendo a mesma rotina, pessoas forçando sorrisos pra ficar tudo bem e passar batido.
—  DEZEMBRO, 24.
Coração acelerou, mãos gelaram, nervosismo a flor da pele… Isso tudo resultado de um “quase reencontro” se é que eu posso chamar o que aconteceu disso. Por que raios eu fiquei assim se estava tudo bem? Foi nesse momento que eu tive certeza, não te superei nem um pouco, e muito menos me acostumei com sua ausência. Aquele momento entrou para a lista de lembranças suas, aquela imagem sua observando seriamente enquanto eu olhei bem em sua direção por um segundo, é claro, lembrei-me que tenho que te esquecer, nada de fazer coisas que aumente esse sentimento. Pena que só basta te olhar por um segundo, para o mesmo ficar em minha mente o tempo todo.
—   Um quase reencontro, 03-11 (Jessica Mikaela)
Vivemos momentos que parecem não ter saída, onde á tristeza vem e tenta nos parar. Nossas forças se esgotam, e pensamos não ter ninguém em quem confiar. São tantas decepções, traições, e, você sente-se sozinho. Trancado em seu quarto, em um canto escondido, você derrama milhares de lágrimas, pensando que ninguém vê.  Mas, posso lhe dizer, com toda certeza; Deus está vendo tudo. Ele nunca lhe deixou sozinho. Ele é o seu melhor amigo. Abra o seu coração, e o sinta. Ele está bem ao seu lado. Nesses momentos ruins, você pode contar com Ele. Quando se sentir afundando, lembre-se que você tem uma ancora em Deus. Agarre-se a Ele. Deposite toda confiança que você ainda tiver, nEle, apenas. Ele é bom. Ele é refúgio, em tempos de angústia. E, Ele protege, aqueles que confiam nEle.
—  Bruna Miguel, Versando com Letícia Camargo
Seria necessário refletir sobre isso seriamente: por que saltamos à água para socorrer alguém que está se afogando, embora não tenhamos por ele qualquer simpatia particular? Por compaixão: só pensamos no próximo — responde o irrefletido. Por que sentimos a dor e o mal-estar daquele que cospe sangue, embora na realidade não lhe queiramos bem? Por compaixão: nesse momento não pensamos mais em nós — responde o mesmo irrefletido. A verdade é que na compaixão — quero dizer, no que costumamos chamar erradamente compaixão — não pensamos certamente em nós de modo consciente, mas inconscientemente pensamos e pensamos muito, da mesma maneira que, quando escorregamos, executamos inconscientemente os movimentos contrários que restabelecem o equilíbrio, pondo nisso todo o nosso bom senso. O acidente do outro nos toca e faria sentir nossa impotência, talvez nossa covardia, se não o socorrêssemos. Ou então traz consigo mesmo uma diminuição de nossa honra perante os outros ou diante de nós mesmos. Ou ainda vemos nos acidentes e no sofrimento dos outros um aviso do perigo que também nos espia; mesmo que fosse como simples indício da incerteza e da fragilidade humanas que pode produzir em nós um efeito penoso. Rechaçamos esse tipo de miséria e de ofensa e respondemos com um ato de compaixão que pode encerrar uma sutil defesa ou até uma vingança. Podemos imaginar que no fundo é em nós que pensamos, considerando a decisão que tomamos em todos os casos em que podemos evitar o espetáculo daqueles que sofrem, gemem e estão na miséria: decidimos não deixar de evitar, sempre que podemos vir a desempenhar o papel de homens fortes e salvadores, certos da aprovação, sempre que queremos experimentar o inverso de nossa felicidade ou mesmo quando esperamos nos divertir com nosso aborrecimento. Fazemos confusão ao chamar compaixão (Mitleid) ao sofrimento (Leid) que nos causa um tal espetáculo e que pode ser de natureza muito variada, pois em todos os casos é um sofrimento de que está isento aquele que sofre diante de nós: diz-nos respeito a nós tal como o dele diz respeito a ele. Ora, só nos libertamos desse sofrimento pessoal quando nos entregamos a atos de compaixão. Todavia, nunca agimos assim por um só motivo: tão certo é que queremos assim nos libertar de um sofrimento, como é certo também que, pela mesma ação, cedemos a um impulso de prazer — prazer provocado pelo aspecto de uma situação contrária à nossa, à ideia de que podemos ajudar se o quisermos, ao pensamento dos elogios e do reconhecimento que recolheremos no caso de auxiliarmos; provocado pela própria atividade de ajudar, na medida em que é o ato tenha êxito (e o sucesso causa progressivamente prazer por si mesmo ao executor), mas sobretudo provocado pelo sentimento de que nossa ação põe termo a urna injustiça revoltante (dar livre curso à própria indignação já é suficiente para reconfortar). Tudo isso, incluindo elementos ainda mais sutis, faz parte da “compaixão”: — com que peso a língua se lança, com esta palavra contra um organismo tão complexo! — Que, pelo contrario, a compaixão seja uma só com o sofrimento, cujo aspecto a suscita ou que tenha por esta uma compreensão particularmente sutil e penetrante — são duas afirmações em contradição com a experiência e aquele que glorificou a compaixão sob esses dois aspectos carece de experiência suficiente no domínio da moral. É por isso que levanto dúvidas ao ler as coisas incríveis que Schopenhauer escreve sobre a compaixão: ele que gostaria com isso nos levar a crer na grande novidade de sua descoberta, segundo a qual a compaixão — essa compaixão que observa tão imperfeitamente e que descreve tão mal descrita — seria a fonte de toda ação moral presente e futura — e justamente graças às atribuições que teve de começar a inventar para ela. — O que é que distingue, no final das contas, os homens sem compaixão dos homens compassivos? Antes de tudo — para dar apenas um esboço em grandes linhas — eles não têm a imaginação irritadiça do temor, a sutil faculdade de pressentir o perigo; por isso é que sua vaidade é ferida menos depressa se ocorrer alguma coisa que tivessem podido evitar (a precaução de sua altivez lhes ordena que não se metam inutilmente nos assuntos alheios, e gostam mesmo que cada um a começar por eles se ajude a si próprio e jogue suas próprias cartas). Além disso, estão geralmente mais habituados que os compassivos a suportar a dor e não lhes parece injusto que outros sofram, pois eles mesmos já sofreram. Enfim, o aspecto dos corações sensíveis lhes causa pena, como o aspecto da estóica impassibilidade a causa aos homens compassivos; não têm, para os corações sensíveis, senão palavras desdenhosas e temem que seu espírito viril e sua fria bravura estejam em perigo, escondem suas lágrimas diante dos outros e as enxugam, irritados consigo mesmos. Fazem parte de outro tipo de egoístas, diferentes dos compassivos; — mas chamá-los maus num sentido distintivo e bons os homens compassivos, isso não passa de uma moda moral que faz época: precisamente como a moda contrária teve sua época, uma época muito longa!
—  Friedrich Nietzsche.
Há alguns dias eu comecei a perceber que algumas vezes na vida, alguns males realmente vem para o bem. Nesses dois últimos anos que eu passei antes de te conhecer eu cometi erros terríveis, que por muito tempo eu pensei que nunca fosse me perdoar por isso, eu cometi erros que mudaram totalmente o curso de toda minha vida, e não foi de uma forma positiva. E eu passei muito, muito tempo mesmo, me culpando e pensando quanto eu fui burra por não ter escolhido o curso certo na faculdade, por ter lutado por um sonho que não era meu, por ter viajado pra tão longe, por ter bebido demais, por ter estragado um relacionamento que aparentemente era com meu futuro marido. Mas sabe, além de todos esses erros terem me levado a você, ele me fez encontrar pessoas maravilhosas durante esse longo caminho cheio de pedras. E agora aqui estou eu, de frente com um pedra enorme, maior que eu, maior que nós dois juntos. E sempre que me deparo com ela todos os dias ao acordar e então eu olho pra trás, mas hoje eu acordei e não quis olhar pra trás com arrependimento, eu acordei olhei pra trás e agradeci, porque talvez se eu tivesse feito uma única coisa diferente, talvez, bem talvez eu não tivesse te conhecido, talvez você não se tornasse parte de nós e eu nunca tivesse aprendido que as vezes alguns erros tem que ser cometidos. Todos os dias eu encontro motivos pra desistir de tudo, de mim, de você, de nós, da vida, mas todos os dias você me dá motivos pra não desistir de mim, eu não sei como você faz isso, geralmente é com uma frase, e não, não é “eu te amo” é algo mais que isso, é alguma coisa  que me faz acreditar que eu ainda preciso continuar mesmo sem forças. E quando eu olho pro lado e vejo você lá, mesmo que só observando, você está ali, e sempre que sabe que eu vou cometer um grande erro, me avisa, nunca me impede, apenas diz, e quando vê que eu fiz bobagem, pensa “eu já sabia”, porque você sempre sabe. Mas nada disso importa, sabe o que importa mesmo? É que tudo sempre vai ficar bem se você segurar a minha mão, porque tudo sempre fica bem quando você segura minha mão, e se você puder fazer isso pro resto dos meus dias, eu acho que posso continuar mesmo com erros, com pedras grandes ou pequenas, eu posso continuar, por nós, por mim e por você.
—  Bianca Autran

cê continua sendo esse fantasma que assombra os meus sonhos bons. o vento que resta de ti quando passas por aqui, dilacera cada pedaço frágil que permanecia inteiro. não queria abrir mão daquela tua blusa quentinha que caia tão bem nesse inverno. nem da tua boca que permanecia em febre mesmo fazendo quatro graus lá fora. mas eu não tinha nada e esse nada era dividido por dois. você me disse que o que passou, passou e o que importa é o que fica. mas cê não ficou. queria falar das faltas, de todas as faltas que transbordavam de você. mas não vale a cena contar nos dedos cada erro.
eu te deixo
mas te deixo com uma marca
o mundo, as vezes, é mais bonito quando olhado de longe
lembra disso.

Então você se torna egoísta. Tão idiotamente egoísta que não percebe que não se deve pensar apenas na outra pessoa. Você é egoísta o suficiente para fechar os olhos e imaginar que está tudo bem. É nesse momento que você se torna vulnerável ao amor,tão vulnerável ao ponto de realmente não saber o quanto você gosta de uma pessoa, até que você percebe que é dependente dela.
—  Milena M.

Pedido: Faz um do Louis que ela está grávida e ele se recusa a ir atrás de um desejo dela e eles brigam e a Jay briga cm ele fala um monte! Bem fofo! – Anônimo

*Aqui nesse link http://hot-1d-imagine.tumblr.com/pedidos vocês podem ver quais e a ordem que em os imagines vão ser postados, se o seu não estiver na lista é porque infelizmente não chegou, vou estar sempre atualizando a lista*
***

Imagine do Louis:

Eu estava grávida de 5 meses e vivia tendo desejos.

Em uma madrugada, eu acordei sentindo muita vontade de comer morango com chocolate, só de pensar minha boca enchia de água e minha barriga roncava .

Louis estava deitado do meu lado dormindo lindamente.

- Amor? … Louis – O chamei e nada dele acordar – LOUIS – dei um grito e ele acordou assustando .

- O que foi? O que houve? – Perguntou ele com cara de sono me olhando .

- Eu estou com desejo de comer morango com chocolate – Digo e ele me encara sério .

- Ah, (S/n) olha que horas são, já são quase 4 horas da manhã, pelo amor de Deus, estou cansado de ir atrás dos seus desejos, preciso descansar, não aguento mais isso, que porra – Ele diz com certa raiva e eu sinto meus olhos marejarem .

- Então você “não agüenta mais isso” ok, se é assim que você quer, vai ser assim, na hora de querer um filho junto comigo você quer né, fazer um filho quis mais ainda, mas me ajudar durante a gravidez você diz que “não agüenta mais isso” imagina como vai ser quando a NOSSA filha nascer e começar a chorar a noite precisando da gente, você provavelmente não ira me ajudar em nada, tudo bem, Tomlinson, fora do meu quarto agora – Digo e Louis me olha sem reação .

- O que? – Ele pergunta sem acreditar.

- Eu disse FORA DO MEU QUARTO, vá dormir no quarto de hospedes, não quero ver o seu rosto hoje – Digo com as lágrimas caindo, essa gravidez me deixa tão emotiva.

- (S/n) tudo isso por causa de um desejo estúpido, isso é tudo coisa da sua cabeça – Louis diz .

- Você está grávido por acaso? – Pergunto.

- Não…- Ele responde.

- ENTÃO VOCÊ NÃO TEM OPINIÃO AQUI, SAI DO QUARTO – Digo me levantando e ele não se move – Quer saber, foda-se você, eu que saio daqui – Digo e saio levando meu travesseiro e arranco o lençol deixando ele sem nada e vou andando até a porta do quarto .

- (S/n) volta aqui, por favor – Ele diz e eu o ignoro .

- Não quero escutar a sua voz, eu estou puta com você, Louis – Digo e saio do quarto e entro no quarto de hospedes e tranco a porta e fico lá deitada com minha barriga roncando por vontade de comer meus morangos com chocolate .

Ótimo marido que eu fui arrumar .

***
(POV Louis)

A (S/n) estava fazendo birra, eu sei que fui rude e o que eu falei foi errado e me sinto culpado, hoje de manhã ela nem olhou na minha cara . Me sinto péssimo por  isso.

Minha mulher sobe para o quarto e eu resolvo ligar para minha mãe para pedir a opinião dela .

- Meu filho, como vão vocês? E o meu netinho? – Ela pergunta.

- Ah mãe, a (S/n) brigou comigo por besteira – Digo me sentando no sofá .

- Como assim? Me explique direito isso – Ela manda e eu conto tudo, que eu recusei de trazer o desejo dela ontem e explicando o meu cansaço .

- LOUIS TOMLINSON, NÃO FOI ASSIM QUE EU TE CRIEI – Minha mãe fala gritado – Você sabe o quanto de desejos eu tive quando fiquei grávida de você? EU NEM CONSIGO CONTAR PORQUE FORAM MUITOS, isso não é coisa da nossa cabeça, Louis, isso é real, e o que a (S/n) pediu é simples e fácil de achar em qualquer supermercado 24 horas, um dia eu tive vontade de comer peixe frito com sorvete de menta, pois é eu sei totalmente estranho,mas pelo menos você não nasceu com cara de peixe graças ao seu pai, agora vá se desculpar com a (S/n) porque ela não fez esse bebê sozinha – Ela termina e eu me sinto extremamente culpado agora.

- Obrigado, mãe – Digo e desligo .

Rapidamente entro no carro e vou até o supermercado mais próximo e compro um pote de nutella e morango e depois vou correndo para casa .

(POV S/n)

Eu estava deitada na cama passando a mão pela minha barriga enquanto lia um livro, ainda estava com raiva do Louis, e meu desejo ainda estava ali .

Escuto a porta do quarto se abrir e vejo que é o meu marido entrando com um prato onde tem vários morangos e um pote de nutella em cima, do um sorriso e ele sorri lindamente para mim.

- Trouxe o que as minhas meninas queriam – Ele diz se referindo a mim e a nossa filha.

- Obrigada – Digo pegando o prato e passando o morango no chocolate e eu gemo de prazer, finalmente estou saciando meu desejo .

- Meu amor, me desculpa, eu fui um idiota, eu prometo que irei ajudar em tudo, irei cuidar da nossa filha junto com você, eu ontem estava fora de mim, quando eu disse aquilo no mesmo momento me arrependi, você e o nosso bebê são as coisas mais importantes que eu tenho em toda a minha vida, me perdoa – Louis diz me beijando na testa .

- Tudo bem, eu te perdôo, mas dá próxima vez que você der esse chilique eu não falo mais com você, você quis tanto esse filho, mas reclama quando precisa ajudar e isso me deixa extremamente triste, Louis, eu só quero que curta a minha gestação junto comigo – Digo passando a mão pelo rosto do meu homem .

- Me desculpa, prometo não fazer mais isso- Ele diz me beijando nos lábios – Hum, está com gosto de chocolate – Ele diz malicioso e me beija com mais ferocidade me fazendo rir entre os beijos dele .

Espero que gostem, se sim, mande uma ask me falando ;D

Uma novka integrante foi revelada, e dessa vez a escolhida foi a japonesa Park Kara. ‘K’ ocupada as posições de Sub-líder, Visual, Vocal e dancer.

Veja abaixo alguns comentários dos netizens:

“Ela parece ser uma pessoa extremamente sexy, com certeza é a mais sensual do grupo, já se tornou minha bias”

“Linda como sempre, esse conceito parece ser um clássico antigo”

“Sem cor. Está faltando coisas animadas.”

“Não combinou com ela, realmente K’ não fica bem nesse conceito”

“A Kara é sem duvidas a visual do grupo. A representa de todas as formas! Bonita, mas sempre se esquece que é uma ídol.”

“Kara tem uma beleza incomum, para mim ela parece uma gata pelo formato de seus olhos e boca. Parece ser bonita nem maquiagem e sou simplesmente apaixonada pelo seu cabelo.”

“Não gosto dela e me parece ser extremamente vulgar. Certeza que só debutou por causa de sua família. BigHit deveria ter escolhido uma trainee melhor e com toda certeza ela parece ser um tanto egoísta sendo sub-líder”

“PARK KARA UNNIE É TÃO BONITA. Sua sensualidade é extremamente natural e ela fica extremamente linda em qualquer momento/conceito. Não é a toa que faz parte da visual Line.”

anonymous asked:

Sa, antes de namorar o David, você orou? Fez o pré-namoro?

Eu e o David tivemos que esperar 1 ano para namorarmos porque eu era bem novinha. Nesse período nós já gostávamos um do outro e oramos sim para que Deus nos orientasse e nos guiasse conforme a Sua vontade ❤

anonymous asked:

Oi, poderia me dar um conselho/ajuda? Namorei com um cara de 22 anos e foi o pior relacionamento da minha vida. Ele ñ estava nem ai pra mim, só queria festar, não estudava/trabalhava. Conheci um carinha de 16, ele tem todas as qualidades que eu desejava em uma pessoa, ele tem me feito tão bem nesses ultimos dias, todo o preconceito que eu tinha com esse lance de idade sumiu quando ele apareceu pra mim, minha mãe não aprova. Ela tem vergonha que eu (20) namore uma "criança". Não sei o que eu faço

Olha, pra mim quem tem que decidir o que fazer em relação aos próprios sentimentos é exclusivamente quem está sentindo. Se ele te faz bem, te faz feliz e você sente que pode dar certo, vai em frente.

Abaixo do read more você encontrará um guide sobre como fazer seu char finalmente dizer ‘’Eu te amo.‘’ !! Bom, eu não sei voces mas sempre quis encontrar alguma ocasião e um modo fofo do meu char dizer oque sentia, então eu procurei que nem uma louca alguns jeitos bem legais e coloquei nesse guide. 

 Esse guide foi feito por mim, e peço que não copie/clame como seu. Por favor, dê like/reblogue se achar útil.

Keep reading

E hoje chego a me perguntar: onde está aquela menina doce que um dia eu já fui? Não consigo explicar o que houve comigo, sempre fui rodeada de muitas pessoas, sempre fui sorrisos e simpatia pura, mas o tempo foi passando, e depois de tantos tapas que a vida me deu, parece que eu me isolei em mundo apenas meu. Nesse meu novo mundo às vezes me sinto só, mas consigo ter a segurança de que apenas as pessoas que querem o meu bem estão nesse meu mundo. Alguns me chamam de grossa, fria, mal amada e muitos outros “adjetivos”, mas eu simplesmente não me importo, me sinto bem estando assim, imersa e cuidando apenas do bem estar da minha vida. Não preciso de falso amigos, não preciso de cordialidade forçada. Cansei de me doar à alguém, ou à algo, e acabar seca e vazia, murcha e sem energia para algo que eu realmente queria. Cansei de não lutar pelo que realmente sinto, que eu preciso, que eu quero, que eu goste, que eu chegue a amar. Eu não mudei, eu me descobri, tirei de mim uma camada que não me pertencia, uma capa que me fazia pertencer ao mundo em que eu estive, porém eu sou do tipo que tem um mundinho próprio. E isso é algo que poucos entendem. Nunca precisei de tanto fingimento como a maioria das pessoas parece usar, eu sempre preferi a sinceridade. Por isso, acabava sendo julgada pelo meu jeito de ser. Não posso andar como querem, não posso viver como os outros esperam. Eu tenho que seguir minhas próprias escolhas, sem me preocupar com o pensamento de quem não liga pra minha felicidade. Quem me ama, está comigo e me respeita. É isso que realmente importa.
—  Escrito por Andreza, Paula e Juliana em Julieta-s.