beijos quentes

Pra um beijo ser bom mesmo, tem que significar alguma coisa, tem que ser com alguém que não sai da sua cabeça. Então quando os lábios se tocam você sente no corpo todo, um beijo tão quente e profundo que você não quer parar pra respirar.
—  Grey’s Anatomy
Imagine descobrir teu cheiro no travesseiro durante as manhãs. Passar as horas enroscada em teu corpo, me perdendo no seu beijo. Sentindo a respiração quente, próxima ao pescoço. Embriagar com teu gosto. Me deliciar a cada minuto com o simples fato de ter você ali, comigo.
—  Morena

Ela é de escorpião e prefere cachorros aos seres humanos, os cachorros são mais confiáveis. Ela é simpática, faz as conversas fluírem, mas nem por isso ela quer algo contigo, ela só é assim. Odeia gente fácil, ela tem o pensamento que o que vem fácil, vai fácil, gosta das pessoas complicadas, assim ela pode manter a sua cabeça ocupada. Prefere a vagarosidade de um amor tranquilo, não que ela não goste de emoção, ela só prefere a calmaria, foi feita para a calmaria, agitação a deixa tensa e ela tem uma propensão para descontar a raiva nos outros.

Ela é de escorpião e possui um veneno que deixa as vítimas apaixonadas, é um veneno escasso e usado poucas vezes, normalmente ela usa seus toques calmos e beijos quentes, às vezes é necessário um pouco mais, mas ela dá seu jeito, não é uma pessoa de negar desafios. Ela é extremamente esforçada e é capaz de feitos inacreditáveis. Ela se encanta com buquês e pelúcias, chocolates também, mas depois aguente as reclamações sobre seu peso… Ela é ciumenta, ela é carente, ela é apaixonante.

Ela não é uma pessoa de explodir, mas não a teste, Hiroshima seria pequeno para o estrago. Costuma ver as situações sempre com um olhar externo o que a faz uma ótima mediadora de conflitos, é boa em conselhos, reconhece a hora de te fazer insistir e a hora que ela deve te ajudar a seguir em frente. Ela é uma parceira fiel, tanto no amor quanto na amizade, não te deixará só e conseguirá pelo teu tom de voz saber todos os aspectos sobre o seu humor no dia, ela tem um faro para esse tipo de coisa. Bem realista, não acredita em amores idealizados, ela é pé no chão e sabe o que vai conseguir, mas isso não é motivo para ela cortar as asas das outras pessoas, ela acredita que quem faz por merecer acaba em algum momento sendo recompensado…

Imagine Harry Styles

Continuação do imagine que ele pressiona ela a ter sua primeira vez antes do casamento, ela engravida, ele abandona ela; depois de uns anos se reencontram e ele consegue reconquistá-la. Pedido pela fofa do srabieberEu espero que vocês gostem, do fundo do meu coração! Beijos. 

(anterior)

*******


- Eu já disse, nós não temos nada para conversar. Já foi tudo conversado e resolvido a anos atrás. – disse sem paciência.

- Você acha mesmo? – arqueou a sobrancelha.

- Por que você me procurou?

- Pra gente conversar.

- Sobre o quê? Sobre o quanto você foi um ordinário? Um cachorro? Um infantil, irresponsável? O quanto você não foi homem o suficiente para arcar com as consequências das suas ações? – me exaltei. – Sobre o que você quer falar primeiro?

- Pega leve, por favor.

- Não, eu não vou pegar leve; porque você não pegou leve comigo. Você me forçou a fazer algo que eu não queria, você me abandonou quando eu mais precisei, você disse que eu estava mentindo sobre a minha gravidez, por sua causa todos na minha família viraram a cara pra mim; incluindo meus pais. Então eu não vou pegar leve.

- Eu não te forcei a fazer nada. Eu apenas insisti para que você fizesse. Você fez por vontade sua também. – o encarei raivosa.

- Eu tinha medo de te perder. Você disse que se eu não fizesse, você iria terminar comigo. – respirei fundo.

- Eu não fui o único errado dessa história, S/N.

- Tá, deixa eu ver se entendi. Você se deu o trabalho de vir até a minha casa pra dizer que eu sou a culpada de tudo que aconteceu? – falei sem paciência. - Era isso que você tinha pra conversar comigo, Harry? – ele não disse nada. – Se era só isso, pode ir embora. – abri a porta.

- S/N…

- Vai embora, Harry.

- Não, me desculpa. Vamos conversar, por favor. – respirei fundo e fechei a porta.

- Você tem razão. Você não é o único errado dessa história toda. – ele franziu o cenho. – Eu fui errada e uma boba de ceder aos seus caprichos. Eu fiquei com tanto medo, e olha só no que deu.

- Não! – se aproximou de mim. – Eu fui o errado. Eu sabia o quão importante era pra você manter sua integridade, se casar virgem. Eu que não te respeitei e fui o errado. – ele suspirou. – Me perdoa. Por favor. – ele olhava nos meus olhos.

- Você tem noção do quão difícil foi pra mim aguentar tudo isso sozinha? – se formou um nó na minha garganta. Eu só queria chorar. – Eu fiquei sozinha, Harry. Eu fui abandonada pelas pessoas que eu mais amava. – funguei. – A única pessoa que se dispôs a me ajudar e me estendeu a mão foi a sua mãe. A única. E ela nada tinha a ver comigo.

- Eu sei. – uma lágrima escorreu pelo seu rosto. – Não existem palavras para descrever minha atitude. Eu fui um cachorro, irresponsável, egoísta. Só pensei em mim, nas minhas vontades. Eu sei disso, admito. Mas eu me arrependi dos meus erros. Eles me fizeram amadurecer e a crescer. Eu mudei. – segurou meu rosto com suas mãos. – Eu só preciso do seu perdão. Só isso vai me fazer me sentir melhor. Porque, nesses anos todos, eu tenho me sentido um lixo.

- Eu te perdoou, Harry. – ele sorriu. – Mas é só isso que eu posso fazer por você. Todos nós erramos. E se você está dizendo que se arrependeu, eu acredito em você e te perdoo. – me afastei dele. – Mas é só isso.

- Tudo bem. Mas não me deixa longe da nossa filha. Eu imploro. Eu não quero perder ainda mais tempo longe dela. – assenti.

- Jamais te privaria disso. É um direito seu como pai dela. – ele sorriu e me abraçou.

- Obrigada!

***


Com o passar dos dias, eu e Harry fomos nos aproximando. Foi que que involuntário. Ele realmente parece ter mudado, ter amadurecido.

Fiorella amou a ideia de ter um pai e de ter ele por perto. Ele está sempre presente, e muito ligado à ela.

Anne está completamente animada com isso, e está cheia de esperanças sobre eu e Harry. Eu já falei que ela pode tirar o cavalinho da chuva; mas ela diz que a esperança é a última que morre!

Eu abaixei a guarda, tirei a armadura que eu vestia toda vez que ele se aproximava. E isso aumentou nossa aproximação. Várias vezes levávamos Fiorella no parque e ficávamos conversando por horas. Ou, muitas vezes, ficávamos apenas sentado lado a lado; sentido a presença e a companhia um do outro. 

O medo de tudo que aconteceu se repetir me faz ficar um pé atrás com ele e não dar tanta abertura. Sei que não posso julgá-lo por um erro do passado, ainda mais se ele diz que se arrependeu. Mas é difícil pra mim.

Ele tem feito algumas coisas, tem tomado algumas atitudes que me faz questionar se deveria mesmo dar uma chance. Mas não só pra ele, mas para mim, para nós dois. Nós dois temos que concertar nossos erros, e temos a oportunidade de fazer certo dessa vez; ou ao menos tentar.

Além do mais, ele tem se mostrado um pai zeloso, presente e perfeito para Fiorella. 

E foi isso que conversei com Anne, e isso fica martelando na minha cabeça. 

O que está havendo comigo, Deus? Por que eu não para de pensar nisso? E o pior: por que eu não paro de pensar nele?

- No que você tanto pensa?  - a voz de Anne me tirou dos meus devaneios.

- Em tudo que tem acontecido na minha vida. Mas principalmente na nossa conversa… – confessei suspirando e ela sorriu.

- Ah, eu sabia! – franzi o cenho confusa.

- Sabia? Como assim? – ela sorriu ainda mais.

- Você ainda gosta dele, minha querida. E sabe que, de alguma forma, tudo que nós conversamos, faz sentido. – segurou minha mão. – Se não tivesse nada, nenhum sentimento, ai dentro de você; essa conversa entraria por um lado e sairia pelo outro. – sorri fraco.

- É, talvez você tenha razão! – ela comemorou e eu sorri sem graça. 

- Por que vocês não saem juntos? Pra conversar, espairecer, e se reaproximarem. Isso vai fazer bem pra você, pra ele… 

- Tipo um encontro? – perguntei rindo  e ela assentiu.

- Eu iria adorar. – a voz de Harry se fez presente e meu corpo gelou. Ele estava ouvindo?

Me virei para ele e o encarei surpresa. Anne saiu de fininho, sorrindo animada. Isso, com certeza, tinha o dedo dela!

- E então, S/N? – ele se aproximou de mim. – Você aceita sair comigo? – sorriu.

- É, acho que não me resta outra alternativa… – ele riu. – Eu aceito! - sorri. 

****

Eu estava nervosa. Com um frio na barriga, mão trêmulas. Mas que diabos é isso!? 

Anne se comprometeu de ficar com Fiorella enquanto eu e Harry fomos jantar.

Foi tranquila toda a nossa noite, e muito agradável. Para minha surpresa. A conversa fluía naturalmente, sem ser forçada. Na volta, ele me deixou em casa.

- S/N, eu… – ele desligou o carro. – Eu gostei muito da nossa noite. E eu queria muito que ela se repetisse! – sorri.

- Eu também gostei, muito. E iria amar se ela se repetisse! – ele sorriu aliviado. – Bom, eu vou indo. – ele segurou meu braço.

- Espera! – o olhei. – S/N, eu sei que errei muito com você no passado. Mas eu me arrependi, muito. Eu quero concertar as burradas que eu fiz, eu quero poder ficar com você e com a Fiorella. Sempre. – ele suspirou. – Eu quero poder te reconquistar e…

Não deixei que ele continuasse. Grudei nossos lábios, iniciando um beijo quente, um tanto desesperado. Como eu senti falta…

- Talvez você já esteja conseguindo fazer isso! – disse com nosso lábios ainda grudados, e pude ver ele sorrir.


***


Continua? Sim? Não?

One Shot Harry Styles

  • Pedido - Moça eu gostaria de um imagine do Harry em que ele é completamente apaixonado por ela, tipo, muito mesmo aquelas paixões que mesmo que vc não queira a pessoa vc não consegue a evitar e a s/n se aproveita dele porque no passado quando eles tinhas 15/16 anos e namoravam ele traiu ela e agora que ele realmente tá apaixonado por ela, ela fica negando ele, ficando com outros homens, enquanto ele fica na bad querendo que ela volte a ser dele. Depois dela muito maltratar ele (MUITO MESMO) eles voltam.


Sabe quando dizem que as pessoas só dão valor quando perdem? Eu não acreditava nisso, mas eu passei a acreditar quando essa situação aconteceu comigo. Eu subestimei os meus sentimentos e não dei valor a uma pessoa que eu não sabia ser tão importante para mim, então eu a perdi aos meus quinze anos.

Três anos se passaram e eles foram insuficientes para que eu a esquecesse, mesmo que ela tenha se mudado do nosso estado, eu ainda nutria um amor ainda mais forte do que quando nós estávamos juntos. Sempre que eu ia dormir, ela ocupava os meus pensamentos e a distância deixava meu coração pequenininho.

Agora com dezoito anos eu vejo o quão moleque eu era aos quinze anos, eu já gostava dela, mas preferi ficar com outra garota enquanto éramos namorados e isso a tirou de mim. Ela descobriu a traição e dois dias depois, quando eu achei que ela estava mais calma, descobri que ela havia se mudado para morar com o pai em outra cidade.

Eu até tentei contato de todos os jeitos, mas nunca obtive sucesso até no dia que a encontrei na frente da casa de sua mãe completamente diferente de quando se mudou.

— (Seu nome)? — sussurrei me aproximando e repeti seu nome mais alto a vendo virar em minha direção. Seu cabelo estava mais escuro e suas roupas não pareciam em nada os vestidos floridos que ela costumava usar, ela estava mais mulher.

— Harry Styles. — Ela disse meu nome com certo desdém me olhando de cima a baixo.

— Que bom que você está de volta… — falei meio que automático, ainda não acreditando que era ela ali bem na minha frente.

— Não vejo nada demais… Essa cidade continua bem mal frequentada. — talvez tenha sido uma indireta para mim, mas eu nunca saberia.

— Só… É bom te ver por aqui.

— Infelizmente não posso dizer o mesmo. — ela disse enquanto me dava as costas ao que um rapaz a chamou um pouco afastado. Eu a assistir se distanciar e consequentemente ela abraçando o rapaz pelo pescoço dando-o um beijo um pouco quente até para quem assiste de fora.

Eu só consegui pensar o quanto deveria ser eu a receber aquele beijo.

Até agora relembrar esse reencontro me dá arrepios e um certo desgosto, eu não esperava reencontrá-lá e muito menos acompanhada. Fiquei dois dias inteiros remoendo em minha mente que eu a tinha perdido por ser um tolo, até que descobri que o rapaz a beijando não era seu namorado.

— Então… Você trouxe seu namorado ou ele é daqui? — iniciei a conversa ansioso para saber a resposta. Ela riu e nem se quer me olhou.

— Não que seja da sua conta, mas eu não tenho namorado. — eu quase suspirei aliviado. Talvez eu ainda pudesse ter uma chance.

— Oh… Isso é legal.

— Legal para quem? — ela enfim me olhou, seus olhos desafiadores.

— Não sei… Só… Legal.

— Não ache que você alguma vez vai conseguir algo comigo, eu não sou para o seu bico, Styles. — ela se levantou da calçada e caminhou para longe de mim ao encontro de um rapaz diferente do que estava com ela no outro dia, mas ela o beijou da mesma forma. Eu fiquei confuso e tive quase a certeza de que uma parte do meu coração estava jogado e pisado no chão.

Mas alguns dias de reflexão se passaram depois de mais um episódio que acabava com minhas pouquíssimas esperanças, eu agora tinha me encarregado de pensar no sentimento que minha escolha do passado a causou. Será que minhas desculpas foram o suficiente? Será que ao menos remediou a dor? Eu acho que não. Ela não tem mais nada comigo e saber que ela está com outros caras me deixa quebrado, nem posso imaginar o que uma traição faria.

Eu não sabia se eu deveria me aproximar dela quando a via sentada na calçada sozinha. Ela claramente não queria falar comigo e sempre me respondia de forma áspera, mas eu apenas não podia ficar longe, quando ela está tão perto.

— Você está bem diferente de quando você foi embora… — comentei ao me aproximar dela.

— Um babaca do passado me fez abrir os olhos… Agradeço a ele. — eu sou o babaca.

— Talvez ele tenha apenas estragado tudo, você era bem doce.

— Eu era tola, agora sei me defender sozinha e sou muito mais forte do que antes. — pude ver um sorriso pequeno no canto de seus lábios.

— Ele apenas machucou você… Foi uma péssima forma de te fazer forte, ele te causou dor.

— Cala a sua boca, o que você sabe sobre dor?! — ela se levantou assim como o tom de sua voz — Você é apenas um molde defeituoso de uma pessoa arrependida. Vá se foder!

E mais uma vez ela me deixou para trás indo em direção a um cara diferente qualquer, o beijando como era para ser comigo.

E mais uma vez eu me encontrei analisando toda a conversa que tivemos, ela não acreditava que eu estava arrependido e eu cheguei a conclusão de que nunca tinha experimentado a dor, mas agora eu sei como ela é amarga. Ver (seu nome) sair com caras diferentes todas as vezes que nos encontramos é uma coisa horrível, dói na minha alma porque eu a amo como nunca amei antes.

Eu também passei a me perguntar o porque desses rapazes só aparecerem quando estamos juntos. Às vezes eu a observo escondido dentro da minha casa, mas nenhum deles aparece.

No outro dia lá estava ela de volta a calçada e eu resolvi ir tentar expressar meus sentimentos, mesmo que ela não desse a mínima.

— Sabe quando você é novo demais para entender que escolhas erradas trazem consequências dolorosas? Que quando a sua mãe dizia “Não exagere na bebida porque você ainda não é maduro o suficiente para fazer tal tipo de coisa.“ e você apenas ignora e faz tudo ao contrário do que ela disse para no dia seguinte ter uma ressaca horrível e descobrir que você fez um monte de coisas que não devia por estar alcoolizado? Esse era eu quando eu fiz aquilo com você… Um pirralho inconsequente que não sabia as consequências que viriam a seguir. — eu disse tudo e suspirei aliviado por não ter sido interrompido.

— E o que isso tem a ver comigo e com você aqui despejando toda essa merda nos meus ouvidos?

— Tem tudo a ver com você e você sabe disso… Eu quebrei a garota doce que você era por uma aventura estúpida e inconsequente. Eu fiz você se mudar para longe da sua mãe porque você queria me evitar. Eu fiz com que meu coração fosse apertado por três anos por não ter percebido o quanto eu te amava antes de errar com você. — e ela apenas riu.

— Você me ama? É isso que está dizendo? — ela riu ainda mais fazendo meu coração doer — Você é tão patético.

— Por te amar?

— Por achar que eu vou cair nesse seu sentimentalismo barato e voltar para você correndo como uma idiota. Não, Harry! Você não vai me ter, porque você não é mais o suficiente para mim. — Ela disse todas as palavras com facilidade — Você viu os meninos que eu tenho saído? São todos do mesmo padrão atlético e gostoso e você não se encaixa nele. Caia fora antes que eu mesma tenha que te chutar.

Eu nunca me senti tão para baixo na minha vida, nunca me senti um saco de nada como me senti ao ouvir todas aquelas palavras. Tenho quase certeza que antes de eu me virar, ela viu uma lágrima correr do meu olho até o meu queixo.

▿▾▿✧▿▾▿

Uma semana se passou e ainda estava em mim o sentimento ruim que eu havia começado a sentir quando me abri para (seu nome), eu desejava nunca ter ido atrás dela aquele dia porque a dor de não tê-la era menos dolorosa do que a dor de se sentir insuficiente ao ouvir todas aquelas palavras que mais pareceram lâminas afiadas.

Agora eu posso dizer que eu experimentei a mesma dor que eu a causei no maldito dia que eu beijei outra garota.

Batidas na porta me tiraram a concentração do filme que eu estava assistindo e ao caminhar e abrir a porta, me deparei com (seu nome). Não a nova. A minha (seu nome) de três anos atrás. A mesma aparência e a mesma feição doce de antes.

— Oi… — ela estava nervosa, eu podia notar.

— Oi… — eu apenas repeti ainda sem ar por vê-la desarmada dessa forma.

— Aquele dia você me disse umas coisas e eu te disse outras, hoje estou aqui para esclarecer o motivo de tudo aquilo… — ela disse de forma embolada, mas eu entendi perfeitamente — Em três anos eu não fui capaz de matar o sentimento que sinto por você que ainda vive em mim, eu tentei de todas as formas usar a dor que eu sentia como arma, mas nunca foi o suficiente. — ela suspirou abaixando a cabeça — Eu então resolvi voltar e fazer você se sentir da mesma forma que eu me senti quando soube o que você tinha feito e acho que eu consegui. Então me desculpe… Mas eu precisava.

Eu ainda estava surpreso demais para dar a ela alguma resposta, eu entendo o que ela fez e não julgo por isso. De certa forma foi como um acerto de contas e eu espero que possamos retomar o que tínhamos.

— E todos aqueles caras bonitões? — perguntei depois de algum tempo.

— Contratados. — ela olhou em meus olhos dando a curta respostas.

— Eu deveria estar muito irritado agora, mas acho que sentir tudo isso foi necessário para mim… Eu nunca mais farei isso com você por saber a dor que pode causar e por saber que eu te amo mais que qualquer coisa.

Sem esperar mais nada a tomei em meus braços acabando com a distância de nossos lábios com um beijo apressado e cheio de saudade. Para a minha alegria e satisfação, ela retribuiu o beijo sem nem pestanejar me dando a certeza que eu tinha a segunda chance para fazer tudo dar certo dessa vez.



Espero que tenham gostado

Desculpem a super demora ♡♡

Feliz Páscoa a todos 🐰❤

- Tay

Eu quero você, nossa casa, nossos filhos correndo pela casa fazendo a maior baderna, nossa vida, nossas conversas, nossos beijos, nossas viagens a lugares novos, nossos abraços com tristeza em dizer adeus novamente. Quero você fazendo presença em cada milésimo de segundo em minha vida, tornando-a mais alegre. Quero que nossas brigas terminem em beijos quentes e nós dois deitados em uma cama na madrugada, fazendo juras de amor para a eternidade. Quero que a gente não perca toda essa vontade de viver, de lutar, e de querer conquistar cada alvo que sonhamos. Quero isso tudo, mas preciso de você ao meu lado. Você vem?
—  Amavos

Pedido: faz um imagine com o liam que a s/n é fotógrafa e faz as fotos daquela parte sensual de strip that down que ele ta sem camisa e ela começa a ficar com tesão ai o liam vê e começa a jogar charme pra ela e no final rola um hot

           Coloquei minha câmera envolta do pescoço e respirei fundo. Minha primeira sessão de fotos depois de formada não poderia está mais nervosa com isso eu não sabia o que me esperava, mas sabia que a tarefa não iria ser fácil, já que todos no estudo estavam bem agitados e tinha muita gente para uma simples sensação de foto, até mesmo alguns seguranças estavam presentes no local. Sera que é algum famoso? Essa pergunta rondava minha mente e isso me deixava ainda mais nervosa. Não conseguia parar de tremer por um só segundo e eu precisava para com isso precisava de concentração.

           Após alguns minutos vi Liam Payne entrando no estúdio. Ele usava uma camisa branca e uma calça jeans. Não acreditava que isso estava acontecendo, minha primeira sensação de fotos e um famoso. Respirei fundo, em questão de segundos o estúdio foi se esvaziando, apenas os seguranças e as pessoas que iriam filmar a sensação de fotos e eu ficamos no estúdio. Liam olhou para mim e sorriu e eu fiz o mesmo. Ok, isso é apenas uma sessão de fotos já fiz isso na faculdade e agora aqui, só que com um famoso.

- Ok, todos prontos? – As pessoas que estavam ali e incluindo Liam fez um sinal que sim com a cabeça.

           O primeiro click foi. Uma foto simples dele olhando para o lado e depois mais algumas, mas pelo o que eu sabia a musica tinha uma pegada mais sexy, então essas fotos também teriam que ser sexy.

- Liam você poderia tirar a camisa? – Minha voz saiu tremula eu parecia uma idiota falando aquilo.

- Você quer que eu tire? – Liam sorriu.

           Ele estava me provando ou era impressão minha? – Sim, quer disse não, sim você tem que tirar para as fotos. – Meu Deus o que eu estava fazendo? Liam sorriu e tirou a camisa olhando diretamente para câmera.

           Caralho! Ele é muito gostoso. Em uma reação involuntária mordi os lábios. Eu só queria que essa sessão acabasse logo ou não iria aguentar olhar para esse homem por muito tempo. Liam sabia muito bem o que eu estava sentido e começou me provocar. Continuei fazendo meu trabalho até que finalmente acabou, todos que estavam na sala saiam, coloquei minha câmera encima da mesa e conectei no computador e esperei todas as fotos serem passadas para o computador. Liam do outro lado do estúdio colocava sua camisa. Tentei não olhar muito, mas era quase impossível. Senti as mãos dele no meu ombro.

- Espero que as fotos tenham ficado boas. – Liam falou perto do meu ouvido.

- Eu confio no meu trabalho. – Tentei ser dura, mas não conseguia ele tinha alguma coisa que mexia comigo.

- Espero que você confiei no seu corpo então. – Sem dizer mais nenhuma palavra Liam caminhou até a porta e a trancou colocando a chave encima da mesa ao meu lado.

- O que… – Liam puxou-me pelo o pulso e olhou nossos corpos e puxando-me para um beijo quente, suas mãos passam em torno do meu corpo assim chegando ao pano fino da minha blusa, suas mãos quentes tocaram meu seio frio.

           Puxei sua blusa para cima relevando novamente seu peitoral definido, passei a mão no local e mordi os lábios. – É melhor você não fazer isso novamente. – Liam disse puxando minha blusa para cima. – Ótimo sem sutiã. – Liam atacou meus seios.

- É melhor irmos um pouco mais rápido, não temos todo o tempo do mundo. – Falei puxando sua calça para baixo. Seu membro já estava reto e duro, apenas de imaginar ele dentro do meu corpo poderia ter um orgasmo.

           Liam virou meu corpo com brutalidade e colocou-me de quatro segurando na mesa, minha sai foi abaixada em segundos, um tapa atingiu minha bunda de uma só vez, poderia dizer que todos escutaram meu grito.

- Você esta louca para dá para mim não é? – Meus cabelos foram puxados para trás, fazendo todo o meu corpo se inclinar em sua direção.·.

           Senti os dedos do Liam tocando a minha intimidade de uma forma lenta e delicada, mordi os lábios para evitar que meus gemidos escapassem. Sua língua tocou meu clitóris e começou a fazer movimentos torturantes e a cada segundo ficava mais rápido e mais difícil de segurar, pude sentir que meu orgasmo se aproximava, mas ele não deixou e eu gozar e sem dizer mais nada penetrou seu membro no meu corpo de forma lenta. Nossos corpos se chocavam a cada estocada forte e rápida, Liam segurava meus cabelos enquanto metia em mim.

- Isso Liam… – Disse com a voz tremula. Segurei na barra da mesa.

- Você é tão gostosa. – Meu corpo começou a tremer e aquela sensação gostosa estava voltando e um liquido quente desceu pelo o meu corpo, mas algumas estocadas Liam também gozou.

- Isso fica apenas entre nos dois. – Beijei seus lábios.

- Espero encontrar você mais vezes. – Liam deu um tapa na minha bunda.

Amo os olhos dele, nunca me cansarei de admirá-los. Ele sabe disso, já disse várias vezes. Amo quando seu cabelo está um pouco grande e meio bagunçado, isso o deixa naturalmente mais lindo. E quando lhe disse que adoro o seu queixo, ele me perguntou o que tem de tão especial naquele queixo. Eu também não sei. Só que, acho que quando se ama muito alguém, encontramos detalhes que talvez ninguém nunca tenha reparado e tornamos em algo especial, para que aquele pequeno detalhe seja o diferencial que faz nos apaixonarmos por esse alguém todos os dias. E esse garoto é cheio de pequenos detalhes. Cada dia que se passa eu o amo mais e mais. Adoro o jeito que sua boca se movimenta ao falar, e amo mais ainda o som de sua voz. Ah, e que voz! É de me dar arrepios. Adoraria ser acordada todos os dias com um sussurro dele ao pé do ouvido, com um abraço quente, um beijo morno e me deparar com aqueles lindos olhos verdes. Eu adoro a mania que ele tem de exagerar e reclamar de tudo. Mas todo esse exagero faz eu amá-lo ainda mais. Isso desperta o meu desejo de cuidar. Às vezes ele parece uma criança precisando de colo, e eu adoro oferecer-lhe o meu colo. Ele é tão meu e eu sou tão dele. Quando penso como seria minha vida sem tê-lo, é como se o tempo parasse e a vida me impedisse de continuar. Foi o que eu senti no momento em que estive confusa, tive dúvidas e pensei em deixá-lo. Doeu tanto. Nossa, como doeu. Jamais quero sentir aquela dor novamente. O que eu sinto por ele é maior que qualquer confusão que possa existir em mim. Mesmo às vezes ele me bagunçando tanto, só ele é capaz de me arrumar, de me acalmar, e de me fazer tão bem de um jeito que só ele sabe. E mesmo que esse jeito seja meio torto, é um jeito só da gente que só a gente entende. Há aqueles que dizem que entre nós não existe amor. Mas quem são eles para falar sobre o que a gente sente? O que a gente sente é da gente. E mais uma vez eu digo: Só a gente entende. Pois só quem ama sabe quão bem nos faz a pessoa amada. E como uma música diz: deixe que digam, que pensem, que falem.
—  Je t’aime, mon amour. Jackelaine L. Pinto.