balelas

bem, eu tive que ir embora e espero que um dia você me perdoe por ser um pouco covarde e não muito bem resolvida. tudo bem, não precisa ser agora, pode ser daqui uns meses ou até mesmo alguns anos. tenho aprendido que há pausas dentro dos adeus que damos. não precisa ser pra sempre. tudo bem você desligar na minha cara, mudar de calçada, dizer que me odeia e beijar minha amiga. tenho aprendido que o tchau às vezes é só um até logo pra não doer tanto, entende? antes eu pensava que se fosse ali naquela momento não seria nunca mais, ou cê ia jogar os dados pra mim ali na minha frente ou eu ia embora e você nunca mais ia poder jogar os dados, mas isso é balela. após a gente sair da adolescência a gente entende que essa de agora-ou-nunca-mais é só pra filme. na vida real as pessoas se encontram com a roupa amassada e a cara inchada na fila do mercado e as vezes elas se falam, às vezes não, mas elas não terem se cumprimentado hoje não quer dizer que não se gostam e não vão se cumprimentar nunca mais. um dia por vez, nenê, que cê vai perceber o quão grande é o mundo e que a gente não precisa de presa não. não deu hoje, amanhã vai acontecer algo diferente. não precisa chorar e pensar que já que o namoro acabou nada mais existe. não é porque sua amiga sumiu que ela não volta. as pessoas voltam. há sempre recomeços. quem diz se acabou é só um senhor velhinho chamado destino. a gente é só obra do acaso.

Quis te ligar, azucrinar com mensagens sem fim. Queria que, nem por um segundo, tu me esquecesse, da mesma forma que não consigo te tirar do pensamento. Achava pura balela, conversa fiada, quando eu lia, naqueles romances de banca, a mocinha suspirando por seu amado. Pois veja onde estou agora, querendo morrer só com o pensamento de tu sumir, de não aparecer, não responder, nem que seja num curto tempo. É, agora entendi que a vida não é um romance, percebi que não é nada lindo a dor de te querer a todo momento, intensamente, como se eu dependesse disso pra viver. A vida não tem nada de romance, o mocinho não vai voltar pra os meus braços, chorando, implorando por mim, na vida real ele volta, mas nos braços de outra, arrebentando ainda mais meu coração. Que coisa não? Aquelas noites sombrias, ouvindo músicas, tomando café forte e pensando em ti, imaginando se estava fazendo o mesmo, essas noites, péssimas, destruidoras, não valem de nada, a essa hora, com certeza tu deve estar aos amassos com uma qualquer no banco de trás do seu carro, ouvindo um bom blues, quanto à mim? Fico aqui martirizada, com uma dor que não se vai, que permanece, pungente e me dilacerando cada vez mais. Mas, querendo ou não, entendendo ou não, as coisas só dão certo quando as duas pessoas buscam e lutam na mesma intensidade, buscam da mesma forma, e isso é tão simples quanto 1 + 1. Não existe uma fórmula matemática para o amor ou qualquer outro tipo de relacionamento durar. Não existe fórmula matemática para cessar a dor, assim como também não existe para a felicidade eterna, porque nada, nenhuma coisinha na vida é exata, tudo aqui é humano. E, tudo bem, vou superar, quero ser capaz, de te amar, se tu deixar, ou de ir de vez se tu não mais sentir algo por nós. Juro que dessa vez farei isso, e se caso o amor enfim abrir mão de nós dois, eu seguirei em frente da mesma forma que aparentemente, tu tem seguido. Farei isso, afinal, não será justo continuar amando quem não mais deseja ser amado por mim. Não sei se  sabe, mas o amor só tem sentido quando se é a dois e quando um deixa de amar, tudo perde a graça e o encanto do sentimento. E falando sério, sou apaixonada por amores que me roubam o riso e o olhar mais bonito.
—  Escrito por Paula, Andreza, Dai e Danielle em Julietário.
O problema dela é medo, medo de sair do eixo, do sério, do chão, medo de enlouquecer de amor, de dar e não receber, de se entregar e nunca mais se ter de volta. É medo, rapaz, é o medo que prende o coração dessa menina maluquinha bem fundo no peito, que nem baú do tesouro, sabe? E quem quiser que vá a luta, brigue, conquiste. Precisa ter coragem pra ultrapassar as barreiras que ela nem sabe que criou, pular os desafios e chegar no ponto certo, na hora certa. Pra ganhar o amor dela só roubando, vindo de repente sem ser convidado e invadindo o peito e a alma com sede de romance. Não pode pedir licença, nem desistir no meio da batalha, ela precisa de alguém que vá até o fim, que vença seu medo e destrua a armadura que ela inventou pra impedir que qualquer um entre, só pra ela ter certeza de que vale a pena ir também, precisa de alguém que segure com força sua mão e não a deixe cair. Ela tem essa marra toda e essa mania de parecer mais forte do que é, e isso até assusta, mas, cara, é pura pose. Ela vai falar que não nasceu pro amor e que não quer ser picada por esse bicho, balela, historinha de quem quer fugir, mas também quer ser achada. Sorte de quem descobri-la primeiro. Ela é birrenta, indiferente e complicada. Cheia de problemas e desculpas e manias. Diz o que quer acreditar e finge que acredita. Bate o pé quando o assunto é se entregar, ela não quer, nem admite que talvez, só talvez, queira muito. Não confessa, mas espera, quase sem perceber, por esse cara que vai mudar suas visões e seu discurso desprendido. E ele vem, ela sabe, lá no fundo, um dia ele vem. E ela quer, mesmo que não diga, ela quer como um desses desejos mudos que a gente esconde do mundo só pelo prazer de ninguém saber. E quando ele chegar, ela vai fingir que nunca quis. Um amor desses, pra que? Ela diria, e sorriria depois com aquela mania de mudar a direção da conversa pra evitar algum equívoco, vai que sem querer admite que não é falta de vontade, é só medo de não valer a pena. Porque ela já ouviu algumas vezes que amor é jogo de azar, uma roleta russa às avessas, e ela não quer desperdiçar a única bala com uma dessas histórias destinadas ao fracasso. Não vai se permitir cair de joelho por quem ela sabe que não vale a pena, nem se destruir nesses romances imaginários que a gente inventa por desejar demais ser amado, sem ser. Ela não vai, nem é, fácil de conquistar. É desafio dos grandes, mas se você não desistir, rapaz, pode ser que seja você. E se for, ela vai saber fazer valer a pena. Eu sei que vai. Porque ela acredita, desacreditando, que o amor pode ser bonito, sim, e que, talvez, se alguém tiver coragem, ela pode ter também. Coração vale ouro, ela é que está certa. Que vença o melhor pirata.
—  Gabriela Freitas.
Liberdade?

Dizem que o amor não presta, não serve e que é banal ou é desperdício de liberdade. Balela!
O amor é liberdade que se encontra na expressão de um olhar e eu grito que te amo apenas nesse gesto, eu grito que te amo para os quatro cantos do mundo e mesmo assim não é o bastante. Eu falo no pé do ouvido, quase sussurrando e só me calo com o teu beijo que escreve na ponta da minha boca o mesmo, com as letras que só nós dois conseguimos decifrar. Eu só encontro minha liberdade colada na sua pele, sentindo o seu suor que me excita e me da sensações que eu chamo de: Amor!

Ops! Engravidei - Mãe de Primeira Viagem

O que eu diria às mamães de primeira viagem, com base no que eu vivi e no que eu gostaria de ter vivido:
Faça um chá de bebê.
Não pelos presentes que você irá ganhar, mas para ter um momento descontraído entre amigas.
Por um tempo você sentirá falta disso.
Tire muitas fotos grávida.
Esse barrigão deixará muita saudade. Acredite.
Converse com seu bebê na barriga e quando ele mexer, pare tudo o que está fazendo e curta esse momento.
Amamentar não é tão fácil quanto parece.
Se for preciso busque orientação de um especialista.
Mas não desista.
Cheire seu bebê logo que ele nascer.
É o cheiro mais maravilhoso do mundo.
Sua vida irá mudar, você passará por momentos difíceis, mas se sentirá extremamente feliz.
Diga não às visitas quando estiver cansada. As pessoas entenderão.
Bebês choram.
Não se desespere com o choro.
Sua calma transmite calma a seu filho.
Escove os dentes e faça xixi logo ao acordar, mesmo que para isso seu bebê precise esperar um pouquinho.
Muitas vezes quando você se envolve em atender seu pequeno você não terá tempo pra isso.
Sentimentos contraditórios são absolutamente normais.
Não espere que seu esposo compreenda o que você está sentindo.
A maioria não entende e jamais entenderá os sentimentos de uma mãe.
Seus banhos não serão mais os mesmos, por isso sempre que tiver ajuda com o bebê tome um banho tranquilo.
Isso ajuda a descansar e se recuperar das noites mal dormidas.
Palpites enchem o saco, mas não se desgaste por conta deles.
As pessoas não fazem por mal.
Faça cara de paisagem e ouça apenas seu coração.
Não se queixe pelas renúncias que terá que fazer, tudo é apenas uma fase e logo as coisas voltam a ser como antes.
A única coisa que não volta é o tempo com seu bebê.
Essa história de contar até dez é balela. Conte até um milhão.
Chorar de cansaço faz parte.
Enxergue o mundo com os olhos de uma criança e serás uma mãe mais leve.
Jamais compare seu filho com outros bebês. Cada um tem seu tempo.
Não se frustre a toa.
Seu bebê é normal.
Nenhum filho é igual ao outro.
Você será mãe de primeira viagem independente de quantos filhos tiver.
Ore pelos seus filhos.
A oração de uma mãe é poderosa.
Certo é aquilo que traz paz ao coração.

(texto lindo e verdadeiro que encontrei na página Jeitinho de Mãe)

Bloqueio Criativo: O Hábito da Escrita

Esta matéria é para você que escreve de caju em caju. Você mesmo que mosca enquanto espera a inspiração divina sorrir ocasionalmente. Você que aguarda a chuveirada milagrosa no seu banho iluminar sua mente. Você que acredita que a escrita é 100% inspiração e o restante é balela. E o melhor: você que acha que um escritor profissional é um ser iluminado das ideias que nunca tem um bloqueio criativo na vida, pois seu estoque de desfechos é infinito e estar inspirado é um estado permanente da alma dele.

Lá vai o primeiro balde de água fria: na vida real, inspiração é luxo, motivação é tão passageira quanto chuva de verão e aquela produtividade que lhe fará ficar sentado das 7 da manhã às 7 da noite em frente à tela de um computador provavelmente fará você implorar por férias no restante da semana.

Li uma frase meio autoajuda essa semana no Instagram (não faço ideia quem seja o autor), que era assim: “Nunca use a falta de motivação como desculpa. Na vida, muitas coisas têm que ser realizadas através do compromisso, e não da motivação”. Isso casa perfeitamente com um vídeo que assisti mês passado¹ sobre a ação vir antes da motivação. Quantas vezes você pelejou para iniciar algo, procrastinou tanto para no final ser vencido pelo cansaço ou o medo das consequências² de não fazer tal coisa, e depois viu que aquilo não era um bicho de sete cabeças como você fez parecer? E mais: quantas vezes a tal da motivação, que agora chamarei de concentração, não apareceu no meio da bendita atividade e te impulsionou a finalizá-la?

Nem sempre um bloqueio criativo é de fato um bloqueio criativo.

A motivação/inspiração pode até fazer você iniciar um projeto novo, mas tenha em mente que ela irá lhe abandonar mais cedo ou mais tarde. E o que irá fazer com que você não desista do que está fazendo? A disciplina. E a boa disciplina sem sombra de dúvida é um bom hábito enraizado. Com certeza você deve conhecer alguém que faça algo religiosamente todos os dias (ou na maioria deles), talvez você mesmo tenha algo assim para contar. Pode ser uma coisa boa ou ruim. Uma mania, uma comida, um lugar… Algo que faça falta quando você termina o dia e não fez aquilo. Na maioria das vezes, essa tal coisa a pessoa, ou você mesmo, faz sem esforço algum, sai praticamente no automático. Quer um exemplo simples? Escovar os dentes. Você com certeza o faz diariamente, sem nem pensar.

Tenho um conhecido que conseguiu terminar um livro de 400 páginas em pouco mais de três meses. Óbvio que quando ele me disse que faria tal proeza lá no início eu não acreditei… Quem conseguiria isso estudando, estagiando e ainda tendo que dividir o tempo livre entre amigos, família, descanso e vida social? Ele conseguiu. E não abriu mão de nada para chegar lá. A mesma história se repete em novembro com várias pessoas, no desafio do NaNoWriMo, no qual o escritor deve escrever 50 mil palavras em um mês.

Quantas não batem a meta e ainda conseguem ultrapassá-la sem rodeios? Por que você mal consegue chegar a 10 mil? Eles têm o hábito da escrita; você, provavelmente não. Isso só piora se você também não tiver senso de organização algum. Aí, meu amigo, é quase um game over.

Mas afinal, como consigo esse bendito hábito?! Praticando diariamente sem falta.

Algumas pessoas dizem que é preciso apenas 21 dias para que algo vire um hábito. Já vi outras dizerem que o mínimo eram 40, e até rolou seis meses. Está claro que o tempo varia de pessoa para pessoa, da meta a ser conquistada, do quão interessado se está na recompensa… Uma série de fatores. Mas a unanimidade é que, uma hora, essa atividade se torna mais fácil de ser feita, pois o hábito nasceu dentro de si. E é aí que queremos chegar.

Criar um novo hábito não é só sentar e fazer. Há todo um processo por trás e, se não for bem bolado, você provavelmente estará frustrado (a) antes do final da primeira semana. De acordo com o livro O Poder do Hábito, de Charles Duhigg (recomendo muitíssimo!), para que um hábito dure, é preciso que haja a deixa, rotina e a recompensa. É o que ele chama de “Looping do Hábito”.

A deixa nada mais é o que te faz iniciar o hábito, o gatilho inicial. A rotina é o que você faz para receber a recompensa, e a recompensa é o prêmio que você recebe no final do looping. Um belo exemplo disso é você que está tentando escrever a horas, mas até agora não passou de 100 palavras no Word. Você resolve fazer uma pausa para pesquisar algo (sua deixa). Então, encontra vários resultados no Google, abre diversas abas no navegador e começa a ler (rotina). A recompensa é a sensação imediata de prazer que você sente por não ter mais que se forçar a escrever, e pode enfim fazer “grandes nadas” como seu cérebro está implorando no momento.

Sabe essa sua vontade insaciável de procrastinar que você tem quando começa a fazer algo que exija um pouco mais de esforço da sua parte? Um hábito ruim que você adquiriu e precisa urgentemente desfazê-lo. E acredite: desfazer-se dele pode ser tão difícil quanto um viciado largar o cigarro ou parar de beber.

Duhigg diz que pode ser mais fácil você mudar um hábito já enraizado a criar um novo. Isso acontece quando você utiliza um looping existente do seu dia, modifica a deixa, a rotina ou a recompensa, e troca um dos três por algo novo. Depois é só testar, detectar se o hábito irá funcionar e continuar de olho no prêmio final, pois ele quem irá lhe mover para que chegue a algum lugar.

Antes que diga que não tem tempo de escrever todos os dias, isso é mentira. Você não passa 24 horas fazendo várias atividades seguidas. Obviamente, deve fazer pausas para comer, ir ao banheiro, se deslocar de um lugar a outro, na fila de algum estabelecimento ou o tempo que gasta respondendo alguém nas redes sociais e vendo a vida dos outros… Tempo você tem sim. Suas prioridades que devem ser outras, provavelmente.

Digo mais: escrever 50 ou 100 palavras por dia é melhor que não escrever nada, tá? É o que você precisa ter em mente na hora de criar um novo hábito/reciclar algum. Não queira escrever 2.000 ou 5.000 mil palavras por dia se seu tempo é realmente limitado. E mesmo que o tenha de sobra, não será todo dia que você estará disposto (a) a cumprir tal meta. Afinal, somos seres humanos, não máquinas, vivemos de altos e baixos. Estipular uma meta diária é legal sim, mas dentro da sua realidade.

Ainda que não bata a meta sempre, faça o que consegue. E se perceber que isso se repete com frequência, talvez deva diminuir o número de palavras estipulado inicialmente. Mas escreva, sério. Pense nos dias que estará tão empolgado (a) que produzirá acima da meta. A motivação pode ir embora em algum momento e você ter de viver com a realidade do esforço, porém, de vez em quando ela aparece para dar um “oi”. O importante é não criar expectativas na sua chegada, mas ficar feliz quando ela resolve fazer uma visitinha surpresa.

Escritores profissionais não têm inspiração infinita, e sim, o hábito da escrita. Stephen King já disse em entrevistas que escreve diariamente cerca de 10 páginas por dia, o que dá mais ou menos 2.000 palavras. Em Sobre a Escrita, livro de sua autoria, ele explica mais como funciona o processo criativo dele. Vale a pena a leitura.

E você? Já alimentou seu hábito da escrita hoje?


Referências:

¹ Como se sentir motivado: https://www.youtube.com/watch?v=OxPSjNvsWb0&t=16s

² TED: Dentro da mente de um mestre da procrastinação - Tim Urban:  

https://www.youtube.com/watch?v=su42HCVDPNk

Livro: “O Poder do Hábito”, de Charles Duhigg.

Carta de autoajuda

Eii, você…

Acho que nunca escrevi um texto realmente direcionado a mim e a uma fase positiva na minha vida, as inspirações sempre chegam de mansinho nas horas mais improváveis e sorrateiramente quando vem aquela maré de azar que invade as ideias- seja no amor ou no cenário em geral- que todos estão sujeitos a  passar.

Logo, decidi escrever uma carta para me lembrar o quão positivo foram as reviravoltas nesse ano. Você criou voz! Sim, sempre falou muito, mas nunca colocou sua vontade a frente das coisas ou pessoas; mas esse ano, você conseguiu bater as asas e expressar verdadeiramente o que conturbava a sua vida, retirou as mágoas e fez aquela faxina que todos deveriam fazer: retirou a poeira (passado), organizou os móveis (amigos) e deixou o essencial (a felicidade). Lógico que foi um processo lento e árduo, você permitiu que pessoas lessem o seu lado mais secreto com seus textos que jurou jamais mostrar a alguém- Veja, cá estamos!

Acredita que nesse ano a espiritualidade falou mais alto? Justo ela foi a responsável por te acolher nas horas mais complicadas, então a agradeça de joelhos no chão por ter estendido a mão e não ter desistido de você mesmo quando não teve fé o suficiente. Às vezes, o que não se pode ver é mais verdadeiro do que se imagina.

Você está fazendo o seu papel, ok? Não pira com o fato de não conseguir agradar o Universo 24 horas em todos os 365 dias do ano, é normal falhar, e você consegue acertar na maioria das vezes, se sai uma ótima amiga e está presente do seu jeito, a felicidade alheia te deixa feliz…. Continua assim!

Seus horários foram conturbados, mas sabe que a recompensa virá logo, talvez demore um pouco mais (mas ela vai chegar) e valerá a pena todo o estresse, as lágrimas e a ansiedade que só você conhece. Que se dane os olhares de julgamento, os dedos apontados por você ainda não ter atingido o teu sonho, ninguém tem noção do que você faz e o tanto que se esforça e se desdobra. Eles não podem te colocar pra baixo. Sonhar não tem data de validade e depende exclusivamente de você fazer com que eles se tornem realidade. Você é capaz de tudo, nunca duvide disso se quer por um instante.

Família: sim, esses são seus melhores amigos; mesmo com as intrigas, a alteração de voz e algumas divergências ideológicas- são com eles que você pode contar, pedir um colo, um refúgio. Tudo acaba em uma  bela macarronada de domingo com todos em volta da mesa rindo. Seus amigos diminuíram significativamente. mas isso é bom! Ficaram os verdadeiros, aqueles que estão contigo até no fundo do poço e isso sim é importante. Qualidade acima de quantidade.

Você passou por tanta dor pessoal que ninguém faz noção, bateu a cabeça na parede e sorria para os que te cercavam para não os preocupar, enquanto isso, gemia em silêncio com tanta dor e angústia que pareciam incuráveis. Você aguentou coisas que não é qualquer um que aguenta, escutou em silêncio, aceitou acusações esdrúxulas, passou a mão na cabeça de quem mais te machucou, foi deixada de lado e mesmo assim esperou e aceitou pela milésima vez as desculpas que não passavam de balelas e ladainhas. Mas a recompensa veio, parabéns por tomar uma atitude. Você não precisava esperar mais e não falhou colocando-se em primeiro plano. Era necessário, você estava se perdendo e esse caminho não teria volta.

Ahhh’ nesse ano você permitiu a entrada de pessoas incríveis no seu universo e talvez a mais surpreendente de todas (mentira, não é talvez não…. É CERTEZA) surgiu do nada e por onde você menos esperava. E garota; fazia tempo que você não se sentia assim: tão leve, feliz e livre como agora (aliás, nunca se sentiu ). Queira cultivar sentimentos como esses e jamais se diminua para caber no mundo de ninguém. Quem te quiser vai aceitar o pacote completo (dramas, histórias, loucuras, marcas e sonhos). Se apaixonar faz bem, e os empecilhos as vezes é bom para saber que é de verdade. Aliás, o que são quilômetros perto da tua euforia? Se permita mesmo e continue com tamanha sinceridade, ela sempre será a parte fundamental de tudo! A verdade pode doer, mas ela sempre nos liberta. Faça esse coração ficar maluco de tanto pulsar! Nada mais gratificante que um abraço acompanhado de um sorriso após tanto tempo,

Bom, venho em suma agradecer a mulher maravilhosa que a cada dia você se torna, venho admirando silenciosamente o teu reflexo e vejo que emite uma luz própria que antes vinha se perdendo. Você amadureceu muito. A vida e as pessoas podem sim tentar dar altas rasteiras em você e aplaudir seus fracassos esperando que os lamente, mas o que diferencia um vencedor de um perdedor é a velocidade com que esse se levanta de uma queda. E você: aprendeu bem rápido que levantar é fácil, difícil é lamentar e esperar lá, jogada no chão, que te levantem.

Parabéns por esse âmago tão singular, continue assim: exalando tua essência.


                                                                          -Atenciosamente, você.


-EuGirassol

EXO THEORY - the true behind exoplanet

NOTEPrimeiro de tudo essa teoria foi feita por mim, ou seja, nada do que está aqui é confirmado, são apenas as minhas interpretações sobre os acontecimentos. Comecei essa teoria desde o EX’ACT junto com alguns amigos, e depois dos acontecimentos recentes envolvendo EXO e os eclipses me pediram pra vir fazer isso, então cá estou eu. Ninguém é obrigado a concordar com as coisas que vou dizer, por isso a ASK está aberta pros seus pontos de vista sobre teoria, seja para complementar ou discordar.

Feito de fã para fã

CAPÍTULO 1: O COMEÇO DE TUDO 

O que simboliza mais o começo de um grupo que o DEBUT?
 É com os teasers de debut do EXO que começaremos nossa jornada. Todos acharam na época os 23 teasers soltados (você pode ter acesso a playlist dos teasers aqui), era muito e pouca informação ao mesmo tempo pra conseguir entender as mensagens passadas através dos mesmos. 

Dos 23 soltados eu escolhi focar mais nos respectivos: 1 - 8 - 9 - 11 - 15 -16 - 17 - 19 - 20

O motivo não é tão especial, eu fiz isso pois preferi dar certezas em alguns do que tentar incluir todos e acabar inventando coisa só pra “encher a linguiça”, já que a maior parte dos outros teasers são os meninos apenas dançando.

Antes de começarmos a teorizar, queria deixar claro que os eclipses sempre estiveram muito presentes no EXO, e que eles vão ser pontos cruciais para entender a teoria. 

imagens cr. karuisoo

Todos os MVs do EXO foram publicados em dia e mês que já houve ou houverá eclipses. Isso mostra como os eclipses são tão importantes pra história do EXO. 

Enfim, respirem fundo, vamos começar!

KAI em chines significa OPEN/OPENING THE WAY. Kai foi o primeiro membro a ser apresentado (não só nos teasers debut, mas também em pathcodes e os teasers de KOKOBOP) e também o primeiro a chegar a sair do EXOPLANET e chegar a Terra. Ele abriu o caminho para que os outros membros pudessem vir também. A passagem do tempo de Kai na Terra antes que os outros membros chegassem é longa. Isso é claramente demonstrado pelos carros atrás de si, nos dando uma ideia de quando ele chegou aqui e de como ele ficou tanto tempo sem os outros membros. 

Os teasers para fazerem sentido não seguem um ordem crescente no caso a ordem em que foram postados. Mas por hora, vamos para o nosso segundo teaser listado: TEASER 8.

Até então eu não tinha entendido o porque dos eclipses dos teasers, ou o significado dos mesmos, mas ao focar mais nesse teaser em específico (onde o primeiro eclipse apareceu) eu cheguei a uma conclusão: os eclipses representam a chegada dos membros na terra. 

Confuso? Bom, vou explicar:- ajuda se vocês verem os teasers junto com as explicações -  A palavra eclipse tem origem no grego ékleipsis, que indicava o ato de sair ou não aparecer em algum lugar. O ato de SAIR do EXOPLANET e CHEGAR na Terra é remetido através do eclipse, e é assim que os membros sabem quando outro chega/sai (bom a questão da saída da Terra eu vou abordar mais pra frente com os pathcodes). 

Sehun em seu teaser parece confuso e um tanto quanto desesperado, porque ele soube que teria que ir em busca dos outros membros quando os mesmos chegassem. Ele também é o primeiro a entender o significado dos eclipses, antes mesmo que Kai. O eclipse nesse teaser, portanto, representa a chegada de um novo membro na terra: Luhan. 

Sehun e Luhan estão procurando por algo, mais especificamente por alguém, o membro que está por vir. O fato do Sehun ter esse instinto de sair em busca dos membros de se certificar sobre eles vai ser importante para entendermos o pathcode, pois bem, lembre-se disso.

Eu não sabia como afirmar a ordem de chegada de cada membro depois de Luhan, mas quem tanto procura uma hora acha. Em cada teaser dos eclipses tem uma dica do próximo membro, é bem sutil, mas ela está lá. 

Um pouco antes do eclipse se completar é mostrado um relógio 

Relógio… Tempo… Controle do tempo… Isso lembra vocês de alguém? Controle do tempo é o poder de Tao, e é por isso que ele é o membro que está a chegar na Terra. 
Sei que parece besteira e vocês podem estar pensando que é apenas um relógio qualquer, mas acreditem em mim, as outras dicas vão fazer mais sentido, dando a nós uma ordem plausível de chegada. 

Como eu disse a chegada dos membros não segue exatamente a ordem de postagem dos teasers. Não há muito o que se falar sobre esse teaser do Tao. É a terceira vez que que o eclipse aparece (Já que os eclipses que representam a chegada de Kai e Sehun não foram mostrados) 

Pra ser sincera, ao ver esse vídeo eu já estava achando que minha suposição de ter dicas sobre cada membro que viria era balela, já que não tinha nada que mostrasse qual membro seria. Mas só parecia não ter nada mesmo. 

Tao nesse teaser luta contra alguns caras mascarados. Quando eu penso em luta a primeira coisa que me vem a cabeça são pessoas que acabaram por se machucar. Só o machucado pode ser curado, não tem como curar algo que esteja bem. Lay tem o poder de cura, e ele é o nosso 5 membro a chegar na Terra.

Vocês estavam esperando que agora fosse o teaser do Lay certo? Bem… Desculpa decepcionar, mas os teasers mesmo em ordem não seguem uma ordem contínua. Calma, deixa eu explicar melhor. 

Como eu disse, tudo apontava que assim como ocorreu anteriormente, o teaser que tem o eclipse que o Lay presencia seria o próximo, mas a nos teasers realizados “buracos” na cronologia, onde 1 ou 2 acontecimentos não são mostrados, mas isso não afeta em nada então não há porque se importar tanto com isso.

Tal buraco que me refiro é que não há exatamente a retratação de um eclipse que mostre a chegada do D.O e Suho, mas de qualquer maneira o eclipse aconteceu (os eclipses do Kai e Sehun também não foram mostrados e isso não torna a teoria menos coerente)

Mas enfim, foco no teaser 16. D.O e Suho chegaram juntos em um só eclipse. O lugar que eles estão é um lugar repleto de Terra (poder do D.O) e Água (poder do Suho), esses dois elementos - terra e água - estão juntos em um só lugar o que me faz ter certeza de que chegaram juntos em um só eclipse. 

No teaser o D.O ta empinando/soltando seja lá qual é o jeito que você fala onde mora uma pipa. Teoricamente a pipa está voando. Voo… poder do Kris… Ah, vocês já entenderam como funciona. 

Kris é o nosso próximo membro a chegar, nosso 8° membro. 

Não há nada de relevante para falar desse teaser. Não há dicas do próximo membro (apesar de ser óbvio qual será o próximo, acredito que seja por isso que não fizeram questão de colocar alguma)

Não irei me prolongar aqui, apenas direi que o próximo membro que o eclipse aqui retrata é o Xiumin. Vocês vão entender o porque assim que eu terminar de falar sobre os teasers que nos resta: 11, 19, 20.

Assim como D.O e Suho mais uma vez dois membros chegaram juntos: Baekhyun e Chen. Não falo isso só porque eles foram apresentados pela primeira vez como membros do EXO juntos, mas sim por causa de coisas que aparecem nesse teaser que me fazem chegar a essa conclusão

Kai e Xiumin não estão fugindo dos carros (como eu já cheguei a pensar um dia) dentro dos carros estão os outros membros, e todos estão correndo para ver o eclipse acontecer.

Nos exatos 0:35 / 0:36 do teaser a luz dos faróis piscam, e se você for pensar fora da caixinha, lembra o “movimento” que um raio faria. Luz (poder do Baekhyun). Raio/Relâmpago (poder do Chen). Nossos 10° e 11° membros chegaram a Terra. 

Chegamos ao nosso penúltimo teaser. Não tem muito o que falar sobre ele também, já que tão próximo do fim muitas coisas eu já expliquei, então bora direto pro sinal de quem será o próximo membro. 

Obviamente será o Chanyeol já que ele é o último restante, mas de qualquer forma, aqui está o porque de eu achar que o eclipse que acontece nesse teaser 19 é para o Chanyeol e não para qualquer outro membro. 

Lay é o primeiro a notar que o eclipse está acontecendo e chama o Baekhyun e Chen para ver - já que ele é mais experiente devido ao fato que chegou a mais tempo que os dois -. 

Assim como no teaser de Luhan e Sehun (teaser 9) no momento que está ocorrendo o eclipse a câmera foca em um objeto, no caso deste vídeo, em uma chalera fervendo (fogo). Fogo é o poder de Chanyeol, por isso sei que o eclipse em questão é sobre a chegada de Chanyeol a terra. 

Nosso último teaser e nosso último membro. Chanyeol além de ter sido o último membro a ser apresentado, chego a Terra, também é o final do primeiro capítulo da minha teoria. 

Acho que o que vocês mais vão se perguntar agora é: “se o Chanyeol é o último membro a chegr por que acontece um eclipse no teaser dele?” 

O fogo em muitas culturas representa “o fim” o “final” (obrigada ao Gabriel por isso) logo o Chanyeol representará o fim dessa jornada de chegada dos meninos. 

Bom, agora sobre o eclipse. Chanyeol se mostrou muito ciente de conhecimento quando achou a pedra com o simbolo de Suho (mais uma vez me provando que D.O e Suho chegaram juntos pois pedra = D.O, simbolo da água = Suho)

Com o mesmo simbolo anotado em seu caderno, digamos que Chanyeol fez sua lição de casa, pesquisando e tentando entender sobre o que aconteceu e o que iria acontecer mesmo antes de chegar a Terra. Chanyeol conhecia tanto que ele acabou por chegar antes mesmo do seu eclipse acontecer. Sim, o eclipse retratado no teaser do Chanyeol é da chegada dele mesmo, podendo presenciar seu próprio eclipse. E é assim que concluo o primeiro capítulo da minha teoria e a ordem de chegada: Kai, Sehun, Luhan, Tao, Yixing, D.O e Suho, Kris, Xiumin, Baekhyun e Chen, Chanyeol. 

Pode parecer meio desnecessário toda essa falação só pra explicar qual membro chegou por último e qual não, MAS como eu disse, muita coisa aqui vai poder ser usada para explicar coisas que virão como por exemplo os PATHCODES, então sim, foi necessário. 

Muita coisa ainda tem que ser explicada, então vamos lá para o nosso próximo capítulo. Preparados? 

CAPÍTULO 2:

(isto será removido/editado futuramente: o segundo capítulo da teoria sairá esse final de semana)

uma vez me perguntaram: por que você escreve sobre corações partidos e solidão?

eu lembrei de você.

não pelo coração partido e os sentimentos de explosão que brotaram nas entrelinhas da pergunta, mas porque meu peito arde quando perguntam sobre solidão.

eu te entreguei a melhor parte da melhor parte de mim. aquela que fica escondida lá no fundo, onde só o mar calmo e o afago que você trazia com seus dedos brancos e gelados, conseguiam fazê-la aparecer. tudo aqui virou escombros. desde que o governo nos atrapalhou de crescermos, com essas ideias loucas de propostas para melhorias do ensino médio até essa nova reforma da previdência que faz a gente pensar em morrer todos os dias, eu acredito que “é o fim do mundo todo dia da semana”, desde que a humanidade se conhece por humanidade. e as guerras que aconteceram por coisas mínimas e tão chulas que ainda são relembradas nos papeis para que a gente jamais faça igual. é o que me dizem, me dizem tão pouco sobre tudo e eu sou obrigada a correr na direção contrária dos meus sonhos só pra entender o que aconteceu no passado. é o mundo querendo incorporar Zygmunt Bauman e nos fazendo cogitar a possibilidade de um novo holocausto, já que a modernidade anda tão mais moderna com suas tecnologias de ponta e toda essa inteligência artificial brotando no dia a dia, que faz a gente esquecer quem somos e onde devemos nos procurar quando não nos encontramos em nós mesmos.

eu sei lá onde você se encontra. e eu me encontrava em você.

desde que comecei a apreciar a ressaca de vinho barato às 9am tudo aqui virou balela, o vizinho de cima mal sabe meu nome mas me dá bom dia toda segunda-feira quando saio atrasada para o serviço e me deparo com ele nas escadas. eu costumava gostar de acordar segunda-feira às seis e meia, porque você sempre passava o domingo aqui comigo ouvindo a trilha sonora de juno do começo ao fim e assim a semana começava sempre bem. agora eu nem sei que dia é hoje.

e não faço a menor ideia sobre qual dia você vai voltar.

Desabafo

“Já tem um tempo que tenho visto em redes sociais diversas postagens de cunho reflexivo, umas com mensagens de puro amor, outras com palavras de "motivação”, e explanando as mais diversas realidades de pessoas que, eram frígidas e que se tornaram pessoas mais amáveis, de pessoas que eram amáveis, e por consequência dos desígnios da vida se tornaram mais frígidas (ou atentas e precavidas como alguns queiram chamar).
Há um bom tempo tenho me abstido de comentários irrelevantes para a sociedade (ou não), porém, em momento algum esses comentários e reflexões deixaram de pairar ou de obstruir a minha mente!
Pois bem, a cada obstrução, eu percebia o quão necessário era que eu me dedicasse a escrita, que eu me dedicasse a me expressar, que eu ao menos tentasse mesmo que sem me entender as vezes, e claro, também que eu colocasse pra fora um mundo completamente meu, e que muitas das vezes outras pessoas não entenderiam ou não procurariam entender se não fosse por via de um texto com algumas palavras bonitas, propriamente para a reflexão.

Pois bem, está decidido, esse texto soa como um “freestyle” na minha mente, e que eu não vou corrigir e nem modificar nada para quem tiver interesse de ler, afinal, como ouvi recentemente em um evento que presenciei, “algo que sai da mente e do coração não pode estar errado” e peço pra quem um dia for ler isso, somente uma coisa: “POR FAVOR, APRENDA A OUVIR, A ENTENDER, A REFLETIR SOBRE A ARTE E O PENSAMENTO DE OUTREM, NÃO CRITIQUE, PORQUÊ GRAÇAS A ESSE TIPO DE GENTE QUE CRITICA DE MANEIRA DEGENERATIVA, QUE CAGA REGRA E QUE VIVE NUM MUNDINHO FECHADO, QUE MUITA GENTE FOI DEIXANDO DE SE EXPRESSAR”.
E sim, muitas pessoas deixaram de se expressar por quê? Alguém poderia me responder? Pode deixar, eu arrisco um palpite sobre uma pergunta retórica que eu mesmo não tenho uma resposta fundamentada.

Pessoas deixaram de se expressar muitas das vezes por não ter uma escrita que encante os olhos de um leitor de obras literárias, deixaram de escrever por não ter conhecimento das escolas literárias ou até mesmo porquê pessoas tem medos dos julgamentos alheios e descartes desnecessários de sentimentos (afinal, uma escrita é a transcrição dos seus sentimentos no momento em que se escreve), ou ainda que, como um mal que me atormenta há anos, o medo de não ser compreendido e que você acabe tendo outras interpretações em cima de um texto pelo qual você mesmo criou, menos o que de fato você quis passar quando realmente sentiu.
Por mais que seja interessante e enriquecedor para muitos escritores, criar um texto e ver que outras pessoas conseguiram sacar a sua ideia, ou que tomaram as mais variadas interpretações sobre a sua escrita, mas quando trata-se de sentimentos expressos em forma de desabafo, pode não ser tão enriquecedor e encantador assim!

SIM, AS VEZES TODO MUNDO IMPLORA PARA QUE FOSSE OUVIDO, OU PARA QUE PUDESSE, POR UM MOMENTO, SER ENTENDIDO! QUEM NUNCA SE SENTIU ASSIM? Eu sou o único louco que se sente só em determinados momentos ou que não encontra palavras pra expressar o que sente muitas das vezes?

Sabe, sobre todo esse sentimentalismo, sobre as relações falaciosas do século XXI, sobre os descartes de sentimentos e sobre cada fantasia que a própria mídia corrompida e hollywoodiana te induz a repercutir , pois bem, isso que tem me atormentado bastante e já não tenho conseguido ser obstruído todos os dias por pensamentos como estes que leio nas mais diversificadas redes sociais!
Quem nunca leu por aí, que você deve demonstrar sentimento, que você deve amar, que deve sentir, QUE NÃO DEVE LIGAR PARA A RECIPROCIDADE, e que o mal do século são as pessoas que preferem abstruir seus sentimentos? (Ou para muitos, aqueles que esperam uma determinada “hora certa” para serem explanados) Quem nunca aqui tentou por um momento fugir dessa realidade frígida e se entregar novamente como se fosse a primeira vez? QUEM NUNCA?
E É AÍ QUE A GENTE PECA! PECAMOS COMO SE FOSSEMOS INGÊNUOS, COMO SE NÃO TIVÉSSEMOS SEQUER ALGUMA VIVÊNCIA OU EXPERIÊNCIA DE VIDA, PECAMOS EM ACREDITAR QUE, EXATAMENTE COMO SE FOSSE PRIMEIRA VEZ, DEIXARIA DE DOER! E certamente que não…
Aonde colocaram na cabeça que você não precisa da reciprocidade? Em que parte que isso se perdeu? Ah, eu já sei, NA MALDITA PARTE DO INDIVIDUALISMO FAMIGERADO, onde perdemos essência e que, através de discursos eloquentes de pessoas encantadoras, acreditamos nisso! Isso pode ser bonitinho no discurso utópico, mas isso incomoda SIM, e NÃO, ISSO NÃO DÁ PRA ENGOLIR!
Sabe, eu juro não tenho necessidade de um amor Hollywoodiano, não preciso daquela balela toda pra ser feliz, não preciso colocar meu relacionamento em um pedestal, mas apenas tirar essa importância exacerbada de que um relacionamento amoroso precisa ser especial (ou que seja especial a maneira única e não algo tão padronizado e falacioso como nos filmes que assistimos ao longo da vida) e muito mais importante que qualquer outra convivência que temos. Sabe, não precisa existir a ilusão onde tudo tem que ser perfeito, não haverão discussões ou desentendimentos, não! Eu nem almejo isso…

Eu quero alguém que discuta comigo, alguém que tenha opinião própria, que mude a cada dia (sem esse discurso de “peço para que não mude, pois te amo assim” sabe?) e que eu aprenda com cada mudança e com o roteiro que a vida nos trouxe.

Não quero ter que dormir e acordar príncipe encantado todos os dias pra agradar alguém, muito menos alguém que deixe de ser quem é para poder me agradar, MAS EU QUERO SIM, MESMO QUE NA SIMPLICIDADE, A TÃO ALMEJADA RECIPROCIDADE! E ALGUÉM PODERIA SER MAIS ELUCIDATIVO E ME EXPLICAR ONDE ESTÁ O ERRO NISSO? Porque sinceramente, eu não consigo compreender…

Eu particularmente não entendo o mal que existe nisso, e não caio na esparrela de dizer que seja errôneo esperar por essa tão sonhada reciprocidade! Afinal, alguém discorda que um amor, paixão, sentimento, seja lá que raios quiserem chamar, NÃO CORRESPONDIDO, machuca? E aí surte a indagação na minha mente: “Como essas baboseiras de internet, em fotos com frases bonitinhas, ou textos de uma realidade utópica, PEDEM PARA QUE TENHAMOS E SINTAMOS TUDO, MESMO SEM SER RECÍPROCO? VOCÊ QUE ESTÁ LENDO ISSO, JÁ TENTOU? DOEU, NÉ? POIS BEM!  NO DISCURSO DE "NÃO ME INCOMODA” PODE ATÉ SER BONITINHO, MAS NA REALIDADE APLICADA, A COISA MUDA.

Eu acredito que realmente, como me disse um amigo em uma reflexão: “nós só precisamos de um romance sem firulas, isento da magia do cinema, acredito que isso é amor de verdade. A felicidade da sua vida vai ser definida nos dias de tédio. Porque eles vão definitivamente acontecer e suas fugas com mimos especiais não vão se sustentar até que a morte os separe.”

Acredito que mesmo que gradual essa reciprocidade torna-se necessária, porquê É ESSA RECIPROCIDADE que vai sustentar nos dias de tédio, quando as coisas parecerem sem sentido! Caso contrário, torna-se frigidez ou descaso, e aí esse medo de rejeição não é só prejudicial pra pessoa mas a quem sente algo por ela também, entende? Isso sim tem a ver com pensar no próximo!

Eu sei que nem sempre conseguimos ser recíprocos, porém, em momentos como estes devemos minimamente sermos sinceros e explanar isso pra pessoa, porquê deixar essas lacunas, pode ser ainda mais intenso e deixar com quem a pessoa fique nessa eterna confusão e obstruindo a sua vida, de tentar com outro alguém e ser feliz

E é exatamente com isso que eu tenho implicado, não precisa ser como em um enredo de filme, não precisa ter todas essas coisas, mas que minimamente seja recíproco, e que assim como supracitado, nos dias de tédio que eu realmente tenha motivos para transcrever sentimentos, porém não com esse tom de DESABAFO, mas que em dias como esse, eu possa lembrar que o verdadeiro amor está sim nas pequenas coisas recíprocas da vida.“ - CIRQUEIRA, Guilherme.

assim olha, fácil não tá e talvez piore. tem algum problema com o relógio, as horas não passam e o dia é feito de pausa intermináveis e o cigarro acaba rápido demais, junto com o dinheiro e a disposição após uma noite toda procurando algum pôrno legal no xvídeos. algo aconteceu em algum canto e chegou até mim. sei lá. sabe aquele gosto de ferro na boca e estômago doendo bem no início dele? então. meus olhos também pioraram. aconteceu alguma coisa enquanto eu dobrava a esquina que mudou todo meu destino, sabe. cê acredita em carma? nessas filosofias baratas de facebook? as penso que só vai melhorar quando for bem tarde, e quando é muito tarde as ruas ficam perigosas e não dá pra enxergar direito o rosto de ninguém e tudo fica distante, o neon engana a gente direitinho, igual todas aquelas luzes em shoppings e cassinos, é pra gente não saber qual o período do dia é. e as vezes a gente padece assim, sem saber o motivo da vida ter sido tão cruel e a gente se mata todo dia pra nada sem saber que morre, só querendo viver mais um pouquinho. sei lá. dói demais, sabe. a gente nunca vai se aposentar, não vai ter dinheiro pro meu pai visitar seu pai no interior do maranhão e a gente fica apático. belchior morreu um mês depois de eu começar a ouvi-lo e aí eu pensei que a gente sempre acha que quanto mais longe aquilo estar de nós mais difícil será pra nós afetar, é balela, sabe. muitas vezes o que os olhos não vêm, o coração sente com tremenda angústia.

Não, ele não é o amor da sua vida só porque um teste genérico e idiota da revista Capricho disse que vocês vão casar e viver numa mansão situada em alguma ilha particular sem graça no oceano pacífico. É tudo balela. Qualquer pessoa sensata saberia que mesmo morando debaixo da ponte e usando havaianas velhas e desgastadas, qualquer cara seria feliz só por poder acordar e olhar para você.
—  Bye, friendzone. Descriar.

O dia em que eu descobri que ela é livre

É preciso coragem pra começar com um título, hoje, quase que cômico. Já me explico. A gente vive nessa redoma de quem compreende a liberdade individual e coletiva de cada um. É uma geração marcada por uma porrada de tanta coisa complicada, por depressão, ansiedade e gastrite, mas que compreende perfeitamente toda a liberdade alheia… Balela! Ninguém sabe de fato até onde o outro é livre (e sequer se é). Não até conectar-se. Não até experimentar a liberdade do outro.

Hoje lembrei de quando eu descobri que as mulheres são livres. Parece bobo. Parece tolo. E de fato é. Lembrei da primeira vez que experimentei a liberdade alheia, e foi de uma mulher. Era a primeira vez que eu tinha uma cintura feminina em minhas mãos. Na minha infinita incompetência descritiva, narro agora em brevíssimos períodos: Cama. Ela. Eu. Boca. Boca. Cintura. Curva. Suspiro. Mão. Curva. Freio de mão!

A cintura de uma mulher, pra mim, marcou uma descoberta (não só de um outro corpo). Quissá essa tenha sido uma das sensações mais incríveis que já tive e foi tão simples (fisicamente falando). A forma como ela vai e vem simplesmente ainda me encanta e eu redescubro a liberdade de toda mulher no mundo quando, mesmo com as mãos firmes naquelas curvas, não consigo sequer deduzir pra onda elas vão me levar e aonde elas acabam.

A liberdade feminina está nisso: no vai e vem inesperado e indomável. Parece sujo; depende da perspectiva. A mulher que vive ao meu lado é incrível, é inesperada e é indomável (ainda bem!). Ela quem me fez beber da liberdade do outro e foi e é encantador. A sensação tola de que a gente tem um domínio sobre alguém que é livre é o que nos faz enxergar as correntes que não existem no próximo. Quando das muitas vezes, deitado, a vejo ir e vir em meio aos risos percebo a beleza que há na liberdade dela e o quão gratificante é saber que mesmo que eu a segure com toda a força, quem decide pra onde mexe a cintura (e minha cabeça, mente e coração) é ela.

Afirmar para si mesmo a liberdade do outro ainda é uma das melhores solturas de grilhões mentais que o homem pode alcançar. Sai da redoma!

Liberta-te da prisão em que pões o outro.

—  Gabriel Heitor
diários noturnos #(?)

as ondas batem na bunda quando a gente senta perto do mar - tipo o chuá molhadinho da bosta - mas a referência foi desnecessária, né? eu sei. eu sou desnecessário. não da forma mais sintética possível, eu gosto, na verdade, do contrário: sou a negatividade dialética por contra-opção. sabe quem eu sou na turma da mônica?

durmo tarde. eu terminei um relatório final e um parcial de iniciação científica, fiquei meio obcecado com o tensionamento (que só eu vejo) entre utopia e distopia. isso porque minha criação na leitura se deu por conta da ficção. eu amo ficção, já disse isso? não pela mentira que ela representa: mas o lefebvre foi genial, trata-se da constituição de uma virtualidade a partir (e sobre ela) da materialidade, uma abstração possível, observável. eu amei a ideia de poder, literalmente, inventar o futuro: é o que faço no papel há tanto tempo… poesia… crônicas…. sabe, o diários de morte, meu livro-em-gaveta, ou o inferno astral, porra… tenho tantas histórias para contar…

Mas é culpa minha. eu me relaciono de forma intensa porque a intensidade do meu toque é incompreensível - não quero dizer que não te olho de volta, mas.. eu não sei falar em códigos. só em metáforas. vamos voltar às ondas batendo na bunda. o que acontece quando - literalmente desnecessário - a sua bosta, isto é, o seu troço, é um grande meteoro? é.. aquela sensação de que fez merda grande, dificílima de limpar.. que mata.. dinossauros.. sabe?

pessoas morrem, maremotos, terraços em chamas, tsunamis..

para. olha bem aí em volta. eu tô ouvindo “guilty” do All Bowlly tem alguns momentos - desde meia noite e cinquenta. já disse que vicio em trilhas sonoras momentâneas? fixação.. eu preciso capturar o sentimento para metamorfoseá-lo em metáfora, capturá-lo num contexto incognoscível, que não fique tão na cara, que não seja muito pala, porque minha sobrevivência literária se dá pelos meus posts.. as pessoas vão sacar, eu fico me lamentando, as pessoas sempre sacam.. isso vai me foder hora ou outra..

mas elas não me entendem. é da natureza da minha intensidade. “eu sei o que você está pensando”, “você acha isso ou aquilo”, “não sente minha falta”, “esse olhar…”, é tudo balela. ninguém nunca saca. não sei se meus poemas são tão aleatórios e bizarros, ou pouco compreensíveis, ou um lixo mesmo - questã que passa com frequência - a ponto de vocês nunca realmente sacarem o que vibra ali. mas é normal, do ponto de vista prático, o poeta ardiloso vive no exercício traíra da tradução: sentimentos em palavras, sentimentos em palavras, a sensação de culpa…

eu sou silencioso, apesar de tudo. Shut up. não quero mostrar que estou felizão porque, no fim das contas, não estou felizão - e não é uma necessidade orgânica. ação e teoria, aqui dentro vem a teoria e depois a ação. Acreditar primeiro e depois sendo, vir-a-sendo, quase-sendo, não são máscaras inquietas que me fazem crer.. mas isso me torna, ah, um ser ainda mais individualista. a emancipação coletiva me pega como um tiro pela tangente. eu assumo, não estou pronto para viver no pós-revolução, mas talvez eu esteja pronto para o conflito armado… ora ora… que rapaz pragmático eu sou, não?

não, é claro. a merda cai na água e mata muitos dinossauros e mamíferos evoluem por, veja só, EXCLUSÃO, é quase um dialetismo natural, veja bem, nada monocromático: podia ser qualquer coisa, nosso amor, nossa vida, meu dente siso.. qualquer coisa. Maybe I’m wrong. Dreaming of you. Dreaming the lonely night through. If it’s a crime, then I’m guilty. Guilty of dreaming of you.

A culpa, invariavelmente, queira eu ou não que o meteoro-merda chafurde no belo oceano, é minha. porque meus dedos sorrateiros tocam sentimentos aí no fundo - mas também aqui - eu fiquei mexido com tudo isso. desde que a água começou a bater na bunda eu fiquei mexido. quem não ficaria? é egoísmo pensar que, num diarinho de merda (literalmente - já fiz essa piada? droga, repetitivo), com algumas estrofes/poestrofes NEM UM POUCO sinceras e irônicas, eu conseguiria acalentar meu cerebrinho chateadinho? esse cuti-cuti pensadorzinho inconveniente? esse abestalhadozinho? ah.. se sentimentos fossem só essas reações químicas. eu não ouviria tanto All Bowlly. Eu nem sentiria nada ouvindo “georgia on my mind” do grande Rei.

foi fácil e difícil terminar o relatório. não levei muito tempo. eu tatuei uma coruja no braço esquerdo porque, eu sinto por aí, que me conectar com algum aspecto xamã presente nesse meu corpitcho federal estadual e bonito seria um jeito de alcançar a animalidade do selvagem que, eventualmente, nos acompanha em momentos lascivos ou colerosos. coisa de louco né? são dois universos - a razão e a magia - se debatendo incansavelmente no meu subcontente (ou subconsciente) e se não bastasse eu andei lendo o camus… porra, cara, essa coruja não vai me salvar de nada. a dor da tatuagem não ajuda em nada. eu vi o seu olhar quando o criolo subiu no palco, eu só não olhei de volta porque me dói.. me corrói a alma largar o meteoro por aí, em qualquer cratera, em qualquer lugar que minimamente vai ser apagado em milhões de anos..

o tempo geológico é uma merda. eu adoro os nanossegundos, vislumbres, imediatismos.. adoro romper com a ilusão de passado e futuro. a morte é inevitável, assim como o presente descabido e a água batendo na bunda. é uma arte viver sob pressão. aliás, vocês deviam assistir deuses americanos, a forma como eu balanceio os constructos intelectuais - seja em sigilos mágicos ou conceitos - se aproxima da materialização da crença praticamente desenhada pelo Gaiman. como a porra da utopia concreta que a luciana genro falava nos debates e eu (e todos vocês) achavam uma porcaria. até o miltão santos falou disso no “por uma outra globalização”, o possível é uma dimensão, ora, POSSÍVEL. caralho.. é por isso que fiquei obcecado pelo tal tensionamento..

Desculpe pelo fluxo de consciência. Eu sei que irrita. É que eu ando meio.. conscientemente chateado.

(não corrigirei - aceite os erros. a vida é feita de erros. aceita, porra.)

ela, menina

ela, menina
menina que tanto se reprimia
não tinha voz
não se dava a voz
ela, menina
menina envergonhada
menina que achava que tinha alguma coisa errada
alguma coisa errada com sua pele
com seu cabelo
com a sua história
com sua família
com o lugar onde moravam seus parentes
ela já nem mais sorria
só ficava a pensar
que azar
essa vida minha!
menina que pedia a Deus
pra na próxima vida nascer branca
nascer com cabelo liso
nascer com tudo aquilo que ela sempre quis ter
até que depois de todo mundo já ter dito o que lhe convinha à ela
ela se tocou
cansei dessa balela
cansei de falarem que meu cabelo é ruim
cansei de me chamarem de mulata
cansei de ser verbalmente violentada
cansei de ter vergonha da minha ancestralidade
cansei desse racismo disfarçado de opinião
cansei dessa invisibilidade

“você nunca esquece seu primeiro namorado”, eu achava isso uma balela. achava impossível me lembrar de lucas e esquecer de junior. lucas toca numa banda e nunca me olha quando tá no palco, mas quando todo mundo sai e eu converso com alguém ele não tira os olhos de mim. em dias que nada faz sentindo e eu gasto minha existência olhando o teto e passando calor, ele me manda mensagem perguntado se eu tô bem e quando ele não tá, ele diz “tô triste” e eu sei que tá, mas ele nunca fala com o que tá triste e eu não insisto na pergunta, aí nossa conversa vira um jogo de quem ignora mais o outro e eu ou ele deixamos de nos responder, aí as vezes a gente se encontrar em algum bar, as vezes a gente se olha, as vezes se cumprimenta, outras vezes - ainda mais raro, a gente divide a mesa e eu olho pra lucas e sei que tem um monte de coisa acontecendo com ele e ele nunca conta isso a ninguém. lucas nunca confiou em ninguém como confiou em mim, nunca amou ninguém como me amou, nunca fez sexo com ninguém como fez comigo, nunca planejou morar em curitiba e ter filhos com ninguém além de mim. ele me leva pra tomar sorvete quando eu estava triste e deixou que eu colocasse girafas como papel de parede em todos os aparelhos dele, me explicou “velho e o moço” repetidas vezes e a gente sempre ouvia “ventura” aos finais de semana. nunca consegui corresponder lucas. infelizmente. mas ninguém foi como ele pra mim e ninguém foi como eu pra ele e as vezes a gente se encontra e não se fala, e um sempre tenta saber como tá o outro e as vezes, as vezes a gente sabe, isso muitas vezes dói. a gente não pode ir e colocar a mão dentro do peito, nem perguntar “tu tá bem mesmo?” sem soar estranho pra todo mundo. então, eu tava errada. eu já esqueci junior. eu nunca esqueci foi lucas. nem vou esquecer. o que a gente recebeu da primeira pessoa que nos amou a gente guarda pelo resto da vida. na pele, na memória, no espírito.

Uma garrafa de vinho pendendo na ponta da mesa, algumas cinzas de cigarro espalhadas pelo chão e no noticiário as mesmas balelas de sempre: o mundo anda um caos. Eu não estou preocupado com as consequências da modernidade, os gritos da vizinha que não sabe educar o filho, o irritante barulho que vem da casa ao lado. Eu não estou dando a mínima para as incontáveis correspondências que tem chegado a minha casa, pouco me importam as ligações que recebo, o telefone está quebrado e nesta altura a operadora de telefonia já deve ter cortado minha linha por inadimplência. Eu não quero carregar os problemas do mundo, já estou desgastado o suficiente carregando os meus, e bem sabemos que não existe ninguém neste universo capaz de fazer o mesmo. Me deram conselhos de como viver a vida. Compraram-me livros de auto-ajuda, me levaram a sessões de terapia, me pagaram deliciosas garrafas de vinho; fizeram por mim tudo aquilo que se faz por um homem fodido, mas de nada adiantou, os artifícios que me proporcionaram me deram esperanças efêmeras, prazeres momentâneos, motivações ilusórias. Eu não me encaixo nesta caixa cheia de ratos que chamam de sociedade. Eu não nasci para ser um homem de virtude e carregar sobre o peito uma medalha de bom cidadão. Meu habitat natural é o fundo do abismo, muito cedo cortaram-me as asas de homem sonhador. Sou assim, que problema há nisso? De que me adiantariam fórmulas de padrões sociais? Catálogos de esteriótipos? Modelos de como ser comum? Falho, não por ser falho, mas por falhar como ninguém falha.  Vão para o inferno, seus filhos da puta! Eu não sei viver a vida, mas não é com vocês que irei aprender.
—  Gabriel Vargas

Gostaria de perguntar

O que você sente quando olha pra luz?

Sem dores, sem destino…

Sem sacrifícios, sem cruz?


O vento assovia na noite de hoje

Nem sei o que sinto, se é calor ou frio

Sinto o peito cheio

Não sei se de tudo ou de vazio.


Não que seja incompreensível

Nem demasiado louco

Só meus sentidos anormais

O que os outros não vêem, vejo de tudo um pouco.


Dizem a noite das trevas e o dia da luz

Isso é balela, acredite

Seja Sol, ilumine

Assim não há lugar que tua alma não brilhe


Por fim, lhe digo besteira

Por louco que seja, é verdade verdadeira

Seja humilde, seja pouco

E deixe a melhor lembrança quando chegar tua hora derradeira.

Paulo César Martimiano