balelas

bem, eu tive que ir embora e espero que um dia você me perdoe por ser um pouco covarde e não muito bem resolvida. tudo bem, não precisa ser agora, pode ser daqui uns meses ou até mesmo alguns anos. tenho aprendido que há pausas dentro dos adeus que damos. não precisa ser pra sempre. tudo bem você desligar na minha cara, mudar de calçada, dizer que me odeia e beijar minha amiga. tenho aprendido que o tchau às vezes é só um até logo pra não doer tanto, entende? antes eu pensava que se fosse ali naquela momento não seria nunca mais, ou cê ia jogar os dados pra mim ali na minha frente ou eu ia embora e você nunca mais ia poder jogar os dados, mas isso é balela. após a gente sair da adolescência a gente entende que essa de agora-ou-nunca-mais é só pra filme. na vida real as pessoas se encontram com a roupa amassada e a cara inchada na fila do mercado e as vezes elas se falam, às vezes não, mas elas não terem se cumprimentado hoje não quer dizer que não se gostam e não vão se cumprimentar nunca mais. um dia por vez, nenê, que cê vai perceber o quão grande é o mundo e que a gente não precisa de presa não. não deu hoje, amanhã vai acontecer algo diferente. não precisa chorar e pensar que já que o namoro acabou nada mais existe. não é porque sua amiga sumiu que ela não volta. as pessoas voltam. há sempre recomeços. quem diz se acabou é só um senhor velhinho chamado destino. a gente é só obra do acaso.

Quis te ligar, azucrinar com mensagens sem fim. Queria que, nem por um segundo, tu me esquecesse, da mesma forma que não consigo te tirar do pensamento. Achava pura balela, conversa fiada, quando eu lia, naqueles romances de banca, a mocinha suspirando por seu amado. Pois veja onde estou agora, querendo morrer só com o pensamento de tu sumir, de não aparecer, não responder, nem que seja num curto tempo. É, agora entendi que a vida não é um romance, percebi que não é nada lindo a dor de te querer a todo momento, intensamente, como se eu dependesse disso pra viver. A vida não tem nada de romance, o mocinho não vai voltar pra os meus braços, chorando, implorando por mim, na vida real ele volta, mas nos braços de outra, arrebentando ainda mais meu coração. Que coisa não? Aquelas noites sombrias, ouvindo músicas, tomando café forte e pensando em ti, imaginando se estava fazendo o mesmo, essas noites, péssimas, destruidoras, não valem de nada, a essa hora, com certeza tu deve estar aos amassos com uma qualquer no banco de trás do seu carro, ouvindo um bom blues, quanto à mim? Fico aqui martirizada, com uma dor que não se vai, que permanece, pungente e me dilacerando cada vez mais. Mas, querendo ou não, entendendo ou não, as coisas só dão certo quando as duas pessoas buscam e lutam na mesma intensidade, buscam da mesma forma, e isso é tão simples quanto 1 + 1. Não existe uma fórmula matemática para o amor ou qualquer outro tipo de relacionamento durar. Não existe fórmula matemática para cessar a dor, assim como também não existe para a felicidade eterna, porque nada, nenhuma coisinha na vida é exata, tudo aqui é humano. E, tudo bem, vou superar, quero ser capaz, de te amar, se tu deixar, ou de ir de vez se tu não mais sentir algo por nós. Juro que dessa vez farei isso, e se caso o amor enfim abrir mão de nós dois, eu seguirei em frente da mesma forma que aparentemente, tu tem seguido. Farei isso, afinal, não será justo continuar amando quem não mais deseja ser amado por mim. Não sei se  sabe, mas o amor só tem sentido quando se é a dois e quando um deixa de amar, tudo perde a graça e o encanto do sentimento. E falando sério, sou apaixonada por amores que me roubam o riso e o olhar mais bonito.
—  Escrito por Paula, Andreza, Dai e Danielle em Julietário.
Liberdade?

Dizem que o amor não presta, não serve e que é banal ou é desperdício de liberdade. Balela!
O amor é liberdade que se encontra na expressão de um olhar e eu grito que te amo apenas nesse gesto, eu grito que te amo para os quatro cantos do mundo e mesmo assim não é o bastante. Eu falo no pé do ouvido, quase sussurrando e só me calo com o teu beijo que escreve na ponta da minha boca o mesmo, com as letras que só nós dois conseguimos decifrar. Eu só encontro minha liberdade colada na sua pele, sentindo o seu suor que me excita e me da sensações que eu chamo de: Amor!

O problema dela é medo, medo de sair do eixo, do sério, do chão, medo de enlouquecer de amor, de dar e não receber, de se entregar e nunca mais se ter de volta. É medo, rapaz, é o medo que prende o coração dessa menina maluquinha bem fundo no peito, que nem baú do tesouro, sabe? E quem quiser que vá a luta, brigue, conquiste. Precisa ter coragem pra ultrapassar as barreiras que ela nem sabe que criou, pular os desafios e chegar no ponto certo, na hora certa. Pra ganhar o amor dela só roubando, vindo de repente sem ser convidado e invadindo o peito e a alma com sede de romance. Não pode pedir licença, nem desistir no meio da batalha, ela precisa de alguém que vá até o fim, que vença seu medo e destrua a armadura que ela inventou pra impedir que qualquer um entre, só pra ela ter certeza de que vale a pena ir também, precisa de alguém que segure com força sua mão e não a deixe cair. Ela tem essa marra toda e essa mania de parecer mais forte do que é, e isso até assusta, mas, cara, é pura pose. Ela vai falar que não nasceu pro amor e que não quer ser picada por esse bicho, balela, historinha de quem quer fugir, mas também quer ser achada. Sorte de quem descobri-la primeiro. Ela é birrenta, indiferente e complicada. Cheia de problemas e desculpas e manias. Diz o que quer acreditar e finge que acredita. Bate o pé quando o assunto é se entregar, ela não quer, nem admite que talvez, só talvez, queira muito. Não confessa, mas espera, quase sem perceber, por esse cara que vai mudar suas visões e seu discurso desprendido. E ele vem, ela sabe, lá no fundo, um dia ele vem. E ela quer, mesmo que não diga, ela quer como um desses desejos mudos que a gente esconde do mundo só pelo prazer de ninguém saber. E quando ele chegar, ela vai fingir que nunca quis. Um amor desses, pra que? Ela diria, e sorriria depois com aquela mania de mudar a direção da conversa pra evitar algum equívoco, vai que sem querer admite que não é falta de vontade, é só medo de não valer a pena. Porque ela já ouviu algumas vezes que amor é jogo de azar, uma roleta russa às avessas, e ela não quer desperdiçar a única bala com uma dessas histórias destinadas ao fracasso. Não vai se permitir cair de joelho por quem ela sabe que não vale a pena, nem se destruir nesses romances imaginários que a gente inventa por desejar demais ser amado, sem ser. Ela não vai, nem é, fácil de conquistar. É desafio dos grandes, mas se você não desistir, rapaz, pode ser que seja você. E se for, ela vai saber fazer valer a pena. Eu sei que vai. Porque ela acredita, desacreditando, que o amor pode ser bonito, sim, e que, talvez, se alguém tiver coragem, ela pode ter também. Coração vale ouro, ela é que está certa. Que vença o melhor pirata.
—  Gabriela Freitas.
Bloqueio Criativo: O Hábito da Escrita

Esta matéria é para você que escreve de caju em caju. Você mesmo que mosca enquanto espera a inspiração divina sorrir ocasionalmente. Você que aguarda a chuveirada milagrosa no seu banho iluminar sua mente. Você que acredita que a escrita é 100% inspiração e o restante é balela. E o melhor: você que acha que um escritor profissional é um ser iluminado das ideias que nunca tem um bloqueio criativo na vida, pois seu estoque de desfechos é infinito e estar inspirado é um estado permanente da alma dele.

Keep reading

Ops! Engravidei - Mãe de Primeira Viagem

O que eu diria às mamães de primeira viagem, com base no que eu vivi e no que eu gostaria de ter vivido:
Faça um chá de bebê.
Não pelos presentes que você irá ganhar, mas para ter um momento descontraído entre amigas.
Por um tempo você sentirá falta disso.
Tire muitas fotos grávida.
Esse barrigão deixará muita saudade. Acredite.
Converse com seu bebê na barriga e quando ele mexer, pare tudo o que está fazendo e curta esse momento.
Amamentar não é tão fácil quanto parece.
Se for preciso busque orientação de um especialista.
Mas não desista.
Cheire seu bebê logo que ele nascer.
É o cheiro mais maravilhoso do mundo.
Sua vida irá mudar, você passará por momentos difíceis, mas se sentirá extremamente feliz.
Diga não às visitas quando estiver cansada. As pessoas entenderão.
Bebês choram.
Não se desespere com o choro.
Sua calma transmite calma a seu filho.
Escove os dentes e faça xixi logo ao acordar, mesmo que para isso seu bebê precise esperar um pouquinho.
Muitas vezes quando você se envolve em atender seu pequeno você não terá tempo pra isso.
Sentimentos contraditórios são absolutamente normais.
Não espere que seu esposo compreenda o que você está sentindo.
A maioria não entende e jamais entenderá os sentimentos de uma mãe.
Seus banhos não serão mais os mesmos, por isso sempre que tiver ajuda com o bebê tome um banho tranquilo.
Isso ajuda a descansar e se recuperar das noites mal dormidas.
Palpites enchem o saco, mas não se desgaste por conta deles.
As pessoas não fazem por mal.
Faça cara de paisagem e ouça apenas seu coração.
Não se queixe pelas renúncias que terá que fazer, tudo é apenas uma fase e logo as coisas voltam a ser como antes.
A única coisa que não volta é o tempo com seu bebê.
Essa história de contar até dez é balela. Conte até um milhão.
Chorar de cansaço faz parte.
Enxergue o mundo com os olhos de uma criança e serás uma mãe mais leve.
Jamais compare seu filho com outros bebês. Cada um tem seu tempo.
Não se frustre a toa.
Seu bebê é normal.
Nenhum filho é igual ao outro.
Você será mãe de primeira viagem independente de quantos filhos tiver.
Ore pelos seus filhos.
A oração de uma mãe é poderosa.
Certo é aquilo que traz paz ao coração.

(texto lindo e verdadeiro que encontrei na página Jeitinho de Mãe)

Desabafo

“Já tem um tempo que tenho visto em redes sociais diversas postagens de cunho reflexivo, umas com mensagens de puro amor, outras com palavras de "motivação”, e explanando as mais diversas realidades de pessoas que, eram frígidas e que se tornaram pessoas mais amáveis, de pessoas que eram amáveis, e por consequência dos desígnios da vida se tornaram mais frígidas (ou atentas e precavidas como alguns queiram chamar).
Há um bom tempo tenho me abstido de comentários irrelevantes para a sociedade (ou não), porém, em momento algum esses comentários e reflexões deixaram de pairar ou de obstruir a minha mente!
Pois bem, a cada obstrução, eu percebia o quão necessário era que eu me dedicasse a escrita, que eu me dedicasse a me expressar, que eu ao menos tentasse mesmo que sem me entender as vezes, e claro, também que eu colocasse pra fora um mundo completamente meu, e que muitas das vezes outras pessoas não entenderiam ou não procurariam entender se não fosse por via de um texto com algumas palavras bonitas, propriamente para a reflexão.

Pois bem, está decidido, esse texto soa como um “freestyle” na minha mente, e que eu não vou corrigir e nem modificar nada para quem tiver interesse de ler, afinal, como ouvi recentemente em um evento que presenciei, “algo que sai da mente e do coração não pode estar errado” e peço pra quem um dia for ler isso, somente uma coisa: “POR FAVOR, APRENDA A OUVIR, A ENTENDER, A REFLETIR SOBRE A ARTE E O PENSAMENTO DE OUTREM, NÃO CRITIQUE, PORQUÊ GRAÇAS A ESSE TIPO DE GENTE QUE CRITICA DE MANEIRA DEGENERATIVA, QUE CAGA REGRA E QUE VIVE NUM MUNDINHO FECHADO, QUE MUITA GENTE FOI DEIXANDO DE SE EXPRESSAR”.
E sim, muitas pessoas deixaram de se expressar por quê? Alguém poderia me responder? Pode deixar, eu arrisco um palpite sobre uma pergunta retórica que eu mesmo não tenho uma resposta fundamentada.

Pessoas deixaram de se expressar muitas das vezes por não ter uma escrita que encante os olhos de um leitor de obras literárias, deixaram de escrever por não ter conhecimento das escolas literárias ou até mesmo porquê pessoas tem medos dos julgamentos alheios e descartes desnecessários de sentimentos (afinal, uma escrita é a transcrição dos seus sentimentos no momento em que se escreve), ou ainda que, como um mal que me atormenta há anos, o medo de não ser compreendido e que você acabe tendo outras interpretações em cima de um texto pelo qual você mesmo criou, menos o que de fato você quis passar quando realmente sentiu.
Por mais que seja interessante e enriquecedor para muitos escritores, criar um texto e ver que outras pessoas conseguiram sacar a sua ideia, ou que tomaram as mais variadas interpretações sobre a sua escrita, mas quando trata-se de sentimentos expressos em forma de desabafo, pode não ser tão enriquecedor e encantador assim!

SIM, AS VEZES TODO MUNDO IMPLORA PARA QUE FOSSE OUVIDO, OU PARA QUE PUDESSE, POR UM MOMENTO, SER ENTENDIDO! QUEM NUNCA SE SENTIU ASSIM? Eu sou o único louco que se sente só em determinados momentos ou que não encontra palavras pra expressar o que sente muitas das vezes?

Sabe, sobre todo esse sentimentalismo, sobre as relações falaciosas do século XXI, sobre os descartes de sentimentos e sobre cada fantasia que a própria mídia corrompida e hollywoodiana te induz a repercutir , pois bem, isso que tem me atormentado bastante e já não tenho conseguido ser obstruído todos os dias por pensamentos como estes que leio nas mais diversificadas redes sociais!
Quem nunca leu por aí, que você deve demonstrar sentimento, que você deve amar, que deve sentir, QUE NÃO DEVE LIGAR PARA A RECIPROCIDADE, e que o mal do século são as pessoas que preferem abstruir seus sentimentos? (Ou para muitos, aqueles que esperam uma determinada “hora certa” para serem explanados) Quem nunca aqui tentou por um momento fugir dessa realidade frígida e se entregar novamente como se fosse a primeira vez? QUEM NUNCA?
E É AÍ QUE A GENTE PECA! PECAMOS COMO SE FOSSEMOS INGÊNUOS, COMO SE NÃO TIVÉSSEMOS SEQUER ALGUMA VIVÊNCIA OU EXPERIÊNCIA DE VIDA, PECAMOS EM ACREDITAR QUE, EXATAMENTE COMO SE FOSSE PRIMEIRA VEZ, DEIXARIA DE DOER! E certamente que não…
Aonde colocaram na cabeça que você não precisa da reciprocidade? Em que parte que isso se perdeu? Ah, eu já sei, NA MALDITA PARTE DO INDIVIDUALISMO FAMIGERADO, onde perdemos essência e que, através de discursos eloquentes de pessoas encantadoras, acreditamos nisso! Isso pode ser bonitinho no discurso utópico, mas isso incomoda SIM, e NÃO, ISSO NÃO DÁ PRA ENGOLIR!
Sabe, eu juro não tenho necessidade de um amor Hollywoodiano, não preciso daquela balela toda pra ser feliz, não preciso colocar meu relacionamento em um pedestal, mas apenas tirar essa importância exacerbada de que um relacionamento amoroso precisa ser especial (ou que seja especial a maneira única e não algo tão padronizado e falacioso como nos filmes que assistimos ao longo da vida) e muito mais importante que qualquer outra convivência que temos. Sabe, não precisa existir a ilusão onde tudo tem que ser perfeito, não haverão discussões ou desentendimentos, não! Eu nem almejo isso…

Eu quero alguém que discuta comigo, alguém que tenha opinião própria, que mude a cada dia (sem esse discurso de “peço para que não mude, pois te amo assim” sabe?) e que eu aprenda com cada mudança e com o roteiro que a vida nos trouxe.

Não quero ter que dormir e acordar príncipe encantado todos os dias pra agradar alguém, muito menos alguém que deixe de ser quem é para poder me agradar, MAS EU QUERO SIM, MESMO QUE NA SIMPLICIDADE, A TÃO ALMEJADA RECIPROCIDADE! E ALGUÉM PODERIA SER MAIS ELUCIDATIVO E ME EXPLICAR ONDE ESTÁ O ERRO NISSO? Porque sinceramente, eu não consigo compreender…

Eu particularmente não entendo o mal que existe nisso, e não caio na esparrela de dizer que seja errôneo esperar por essa tão sonhada reciprocidade! Afinal, alguém discorda que um amor, paixão, sentimento, seja lá que raios quiserem chamar, NÃO CORRESPONDIDO, machuca? E aí surte a indagação na minha mente: “Como essas baboseiras de internet, em fotos com frases bonitinhas, ou textos de uma realidade utópica, PEDEM PARA QUE TENHAMOS E SINTAMOS TUDO, MESMO SEM SER RECÍPROCO? VOCÊ QUE ESTÁ LENDO ISSO, JÁ TENTOU? DOEU, NÉ? POIS BEM!  NO DISCURSO DE "NÃO ME INCOMODA” PODE ATÉ SER BONITINHO, MAS NA REALIDADE APLICADA, A COISA MUDA.

Eu acredito que realmente, como me disse um amigo em uma reflexão: “nós só precisamos de um romance sem firulas, isento da magia do cinema, acredito que isso é amor de verdade. A felicidade da sua vida vai ser definida nos dias de tédio. Porque eles vão definitivamente acontecer e suas fugas com mimos especiais não vão se sustentar até que a morte os separe.”

Acredito que mesmo que gradual essa reciprocidade torna-se necessária, porquê É ESSA RECIPROCIDADE que vai sustentar nos dias de tédio, quando as coisas parecerem sem sentido! Caso contrário, torna-se frigidez ou descaso, e aí esse medo de rejeição não é só prejudicial pra pessoa mas a quem sente algo por ela também, entende? Isso sim tem a ver com pensar no próximo!

Eu sei que nem sempre conseguimos ser recíprocos, porém, em momentos como estes devemos minimamente sermos sinceros e explanar isso pra pessoa, porquê deixar essas lacunas, pode ser ainda mais intenso e deixar com quem a pessoa fique nessa eterna confusão e obstruindo a sua vida, de tentar com outro alguém e ser feliz

E é exatamente com isso que eu tenho implicado, não precisa ser como em um enredo de filme, não precisa ter todas essas coisas, mas que minimamente seja recíproco, e que assim como supracitado, nos dias de tédio que eu realmente tenha motivos para transcrever sentimentos, porém não com esse tom de DESABAFO, mas que em dias como esse, eu possa lembrar que o verdadeiro amor está sim nas pequenas coisas recíprocas da vida.“ - CIRQUEIRA, Guilherme.

Não, ele não é o amor da sua vida só porque um teste genérico e idiota da revista Capricho disse que vocês vão casar e viver numa mansão situada em alguma ilha particular sem graça no oceano pacífico. É tudo balela. Qualquer pessoa sensata saberia que mesmo morando debaixo da ponte e usando havaianas velhas e desgastadas, qualquer cara seria feliz só por poder acordar e olhar para você.
—  Bye, friendzone. Descriar.

assim olha, fácil não tá e talvez piore. tem algum problema com o relógio, as horas não passam e o dia é feito de pausa intermináveis e o cigarro acaba rápido demais, junto com o dinheiro e a disposição após uma noite toda procurando algum pôrno legal no xvídeos. algo aconteceu em algum canto e chegou até mim. sei lá. sabe aquele gosto de ferro na boca e estômago doendo bem no início dele? então. meus olhos também pioraram. aconteceu alguma coisa enquanto eu dobrava a esquina que mudou todo meu destino, sabe. cê acredita em carma? nessas filosofias baratas de facebook? as penso que só vai melhorar quando for bem tarde, e quando é muito tarde as ruas ficam perigosas e não dá pra enxergar direito o rosto de ninguém e tudo fica distante, o neon engana a gente direitinho, igual todas aquelas luzes em shoppings e cassinos, é pra gente não saber qual o período do dia é. e as vezes a gente padece assim, sem saber o motivo da vida ter sido tão cruel e a gente se mata todo dia pra nada sem saber que morre, só querendo viver mais um pouquinho. sei lá. dói demais, sabe. a gente nunca vai se aposentar, não vai ter dinheiro pro meu pai visitar seu pai no interior do maranhão e a gente fica apático. belchior morreu um mês depois de eu começar a ouvi-lo e aí eu pensei que a gente sempre acha que quanto mais longe aquilo estar de nós mais difícil será pra nós afetar, é balela, sabe. muitas vezes o que os olhos não vêm, o coração sente com tremenda angústia.

Uma garrafa de vinho pendendo na ponta da mesa, algumas cinzas de cigarro espalhadas pelo chão e no noticiário as mesmas balelas de sempre: o mundo anda um caos. Eu não estou preocupado com as consequências da modernidade, os gritos da vizinha que não sabe educar o filho, o irritante barulho que vem da casa ao lado. Eu não estou dando a mínima para as incontáveis correspondências que tem chegado a minha casa, pouco me importam as ligações que recebo, o telefone está quebrado e nesta altura a operadora de telefonia já deve ter cortado minha linha por inadimplência. Eu não quero carregar os problemas do mundo, já estou desgastado o suficiente carregando os meus, e bem sabemos que não existe ninguém neste universo capaz de fazer o mesmo. Me deram conselhos de como viver a vida. Compraram-me livros de auto-ajuda, me levaram a sessões de terapia, me pagaram deliciosas garrafas de vinho; fizeram por mim tudo aquilo que se faz por um homem fodido, mas de nada adiantou, os artifícios que me proporcionaram me deram esperanças efêmeras, prazeres momentâneos, motivações ilusórias. Eu não me encaixo nesta caixa cheia de ratos que chamam de sociedade. Eu não nasci para ser um homem de virtude e carregar sobre o peito uma medalha de bom cidadão. Meu habitat natural é o fundo do abismo, muito cedo cortaram-me as asas de homem sonhador. Sou assim, que problema há nisso? De que me adiantariam fórmulas de padrões sociais? Catálogos de esteriótipos? Modelos de como ser comum? Falho, não por ser falho, mas por falhar como ninguém falha.  Vão para o inferno, seus filhos da puta! Eu não sei viver a vida, mas não é com vocês que irei aprender.
—  Gabriel Vargas
Eu te amo. Porém eu me cansei. Cansei de suportar suas idas e vindas constantes, cansei de suportar você olhando com amor para todos os outros, menos para mim. Sabe esse papo de que o amor suporta tudo é balela, aliás o amor pode até suportar, mas nós somos seres humanos e certas coisas nos destroem. Eu te amei, eu te amo, na verdade. Eu ainda sei de cor aquela sua musica preferida que também passou a ser a minha, eu ainda sei recitar aquele poema de Camões que diz o quanto a cor dos teus olhos me encanta, eu ainda sei dançar tango, axé e até mesmo funk, pois sei que você gosta. Eu ainda me lembro da sua mania de mexer no cabelo quando está nervoso, ainda sei imitar sua voz irritada, sei até mesmo a placa do seu carro, seu cpf e rg, que você nunca decorou. É meu bem, sim eu te amo, mas eu cansei de esperar por você, pois esperar por você é como esperar que floresça margaridas no deserto, é triste e decepcionante.
—  Ele é Primavera

Quimera na panela
Dissecada e mutilada
Com a missão de salgar a boca doce
Pois até mesmo em banquetes o amargo vira buquê


Quimera balela
Pedindo perdão, legitimado pelo seu deus
Criticando o martírio do mesmo
Por bolsões insones que carregava consigo


Quimera mordendo a bala
E estragando a arcada dentária
Seria a metáfora do renascimento
Ou o clamor da missa de sétimo de dia de outra estrela?


O Peter-Pan espera o mascar do chiclete
Doce como o primeiro amor
Elástico como um término,
Como orelha de quimera


A vida há de parar à ti fora do ponto
Pronto para atender-te os desejos
Os jornais irão confabular:
A rifa digere a espada


Quimera formulando o caminho
Pedindo bases teóricas à alquimistas
Lucinéia renegando o apóstrofo de donzela
As autorizadas rangiam dentes e afrouxavam mandíbulas


O norte é um vento
Os olhos são vazio
Os dentes são um viveiro
O amor um vulto qualquer


Palmas para a adaga cega do cavaleiro
Alucinara junto sob o ventre do moinho
Aos efeitos do sopro de algum anticristo
E a quimera fora agraciada com o remédio para afagar-se da febre…

—  Quimera Na Panela, Pierrot Ruivo
ela, menina

ela, menina
menina que tanto se reprimia
não tinha voz
não se dava a voz
ela, menina
menina envergonhada
menina que achava que tinha alguma coisa errada
alguma coisa errada com sua pele
com seu cabelo
com a sua história
com sua família
com o lugar onde moravam seus parentes
ela já nem mais sorria
só ficava a pensar
que azar
essa vida minha!
menina que pedia a Deus
pra na próxima vida nascer branca
nascer com cabelo liso
nascer com tudo aquilo que ela sempre quis ter
até que depois de todo mundo já ter dito o que lhe convinha à ela
ela se tocou
cansei dessa balela
cansei de falarem que meu cabelo é ruim
cansei de me chamarem de mulata
cansei de ser verbalmente violentada
cansei de ter vergonha da minha ancestralidade
cansei desse racismo disfarçado de opinião
cansei dessa invisibilidade

Mãe eu nunca poderia lhe descrever em meras palavras, o que eu sinto por ti vai além de todas as explicações existenciais. Preciso de mais alguns corações já não cabe em um só esse amor que tenho por ti. Obrigada primeiramente por ser minha mãe, não por ter me esperado por 9 meses, não por ter me dado a luz, mas sim por me criar por 19 anos, por me ensinar que o amor é a coisa mais importante do mundo, por me ensinar a ser melhor a cada dia, por me corrigir com tapas e castigos, te agradeço até por aquelas varinhas doloridas, eu aprendi muito com cada tapa seu, pode ter certeza. Te agradeço por me abraçar sempre, e enxugar minhas lagrimas. Sei que brigamos as vezes (quase nunca) e na hora da raiva falo que não vou te escrever mais nada, que você não ta merecendo presente mas é tudo balela, mãe você merece o mundo inteiro. Se eu pudesse te daria tudo que quer só pra ver esse teu lindo sorriso estampado em teu rosto. Não posso deixar de agradecer dos dias quando criança ficava assistindo “O pequeno urso” comigo e me trazia leite gelado e fazia todo aquele ritual de elogios (porque sem esse ritual eu não beberia o leite) e até hoje sou uma bezerra como você mesmo diz né? Rs ! Mãe você é perfeita mesmo com suas imperfeições, você é guerreira, eu tenho muito orgulho de ser sua filha nunca se esqueça disso. Posso tentar fazer tudo para retribuir o que você fez por mim, mas sei que nunca vou conseguir nem chegar perto. Mãe, que Deus te proteja, sempre. Para que eu possa comemorar essa data por anos e anos. O seu dia não é só hoje o seu dia é todo dia. Eu te amo.
—  Larissa Freschi - Feliz dia das mães
Reeducação alimentar

As pessoas são mal informadas, isso é triste. Mais triste ainda é que a culpa não é totalmente delas: é da nossa mídia. Não só com política, com o que acontece no mundo hoje, mas ainda mais com dieta. As revistas de emagrecimento, sim, essas mesmas que eu compro toda semana, estampam uma notícia diferente a cada edição: “Emagreça com o chá x”, “Fique magro com a pílula y!”, “O segredo de um corpo enxuto: dieta do não-alimento p”. Dietas, métodos, jeitos diferentes. Balelas diferentes, no fim. As pessoas adoram ser reconfortadas. Elas adoram ter um método fácil. Estou gordo? Então tenho que fazer a dieta da lua, a dieta do sol, a dieta de não comer gorduras na segunda, quarta e quinta, a dieta da raiz de batata azul. Eu tenho que ser radical, tenho que passar fome. Meu Deus, o que a mídia faz com as pessoas?

Me diga: quem aqui, adepto a reeducação alimentar, conheceu em alguma revista? Desculpa, tenho uma coleção de revistas que vão desde março de 2010 mais ou menos. Eu nunca vi nada disso. Sabe o que eu vi? Um monte de alimentos esquisitos, pilulas malucas, novidades excêntricas conhecidas por emagrecer. Eu sempre rio quando vejo a matéria. Ninguém emagrece por causa disso. Alguns, repito, ALGUNS auxiliam: desincham, essas coisas. Mas para desinchar é só dar uma maneirada no sódio. Liberar toxinas e limpar o organismo? Você não precisa de tomar água e limão, só de beber bastante água durante o dia que ainda te mantém hidratado, com a pele brilhante. Mas essas coisas a mídia nunca nos conta. Só os alimentos caros, as iguarias mais difíceis de arranjar que causam emagrecimento. Eu sou contra isso. Eu sou absolutamente contra essas informações erradas. Por que emagrecer não depende só de comer salada e dizer adeus ao brigadeiro. Emagrecer é simples: comer menos do que se gasta.

Todos aqui já tivemos aula de física. O que é uma caloria? Não é uma célula de gordura, não é a razão dos seus problemas: uma caloria é a unidade de energia para seu corpo. 1kcal = 1000 calorias. É o que te mantém respirando, é o que te mantém até sentado. Dizem que se perde calorias até pensando. Seu corpo, toda a composição dele, altura, peso, atividade física, define o quanto de energia ele precisa. Para manter, para perder, para ganhar. Meio quilo de gordura possuí 3500 calorias, um quilo possuí 7700 calorias. Por isso que quando você exagera e se pesa no dia seguinte, não engordou 1 ou 2 kg. Isso NÃO existe, é peso de água ou dos alimentos. Você só engorda passando do seu limite várias vezes. Aí o organismo usa as calorias para encher as células de gordura. Acho que muitos não sabem disso,mas derreter gordura não existe. Você não perde gordura. Ah não ser que faça lipoaspiração, aí já é outra coisa. O que acontece? Você possuí celulas de gordura. Umas pessoas mais, outras menos. Se você é gordo, é por que elas estão cheias de calorias que seu corpo não precisou, então as estocou. É isso que acontece quando você emagrece: cria um déficit de energia, e então seu corpo retira-a do estoque. É por isso que quem emagrece tem tanta predisposição para engordar: as células ainda estão ali. Enchê-las é muito mais fácil quando elas já estiveram cheias.

Dietas que prometem perder muito peso em pouco tempo: não tenho nada contra elas. É, isso mesmo. Se você quer perder pouco peso como 1-5 kg, então beleza! Fica a seu próprio risco, principalmente o de passar tanta fome e depois exagerar nas quantidades e engordar tudo de novo - isso se não achar outros kg no caminho. Agora se você quer perder 10, 15 kg…não dá. Por que não fazer a coisa toda de forma correta? Emagrecer é matemática e mente. Você come mateticamente e alimenta a sua cabeça também, vencendo a gula e a compulsão e escutando o sinal mais legítimo do seu corpo: a fome. Por isso a reeducação alimentar. Você reaprende a comer, reaprende os sabores. E joga essa sua mente-de-dieta no lixo: essa que prega, dentro de você, que nunca mais poderá comer o que gosta. A alimentação deve ser combinada entre o que te faz bem e o que te mantém saudável. Isso é reeducação alimentar. É comer seus vegetais, suas frutas e no final do dia, o seu sagrado chocolate. É comer suas proteínas, seus carboidratos - cujas pessoas pregam fazer mal, mas vamos combinar: carboidrato é tudo de bom e é energia - e sair para jantar fora com seus amigos, ou ir ao cinema e comer uma pipoca. Reeducação é mudar de vida e manter-se para sempre magro. Para mim, é fazer minha alimentação saudável e comer um salgado na escola, só por puro prazer. Não é banir da alimentação: é saber o momento certo de comer. Por que comer e emagrecer não são martírios, são prazeres e devem ser honrados!

Peço perdão pelo tamanho do post e se tiver informação errada, perdão. O que eu quero dizer com esse post é: sempre busquem informação. Sempre busquem saber o que é melhor para você. Vamos emagrecer para sempre, gente. Chega de dietas milagrosas! Chega de promessas falsas e frustrações! 

Comer menos do que você gosta = emagrecer. Simples. Não é fácil, mas é simples. Aí entra a atividade física, que traz zilhões de benefícios ao corpo e também te permite comer um pouco mais e acelera seu emagrecimento. Não existe milagres e nem a dieta certa. Todas levam ao mesmo método: déficit de energia. Finalizando o post, logo postarei uns exemplos.

“Não adianta argumento doutrinário, não adianta modelo reformado, não adianta Tomás de Aquino, Agostinho, Lutero. É tudo balela. Se você não tiver um relacionamento vivo com a pessoa de Jesus Cristo, é TUDO INÚTIL. Se o Espírito Santo não por você de joelhos a chorar pelo seu próprio pecado, é nula a nossa, a minha, a sua fé.”

— Paulo Junior | Citação da mensagem Nascer de Novo

Me admira o modo com que tudo se esvai e termina com tanta facilidade nessa minha caminhada. E me amedronta tanto saber que estou fadado a isso acontecer com frequência. E o pior, é saber que as consequências de tudo parte de mim, do meu modo de ser e agir. Aquela história de que tudo cura com o tempo é balela. Não consigo lidar muito bem com finais e terminologias. E ainda que os olhos vaguem sem destino na multidão, garanta-te, procurar-te-ei por incessantes minutos nessa vasta solidão.
—  JJ, Literato Sensato
Balela

Esse negócio de regionalismo, provincianismo ou nacionalidade é uma balela. O cara pode ser brasileiro e escrever como inglês. Morar em Manaus e escrever com a ficção ancorada em São Paulo ou vice-versa. O lirismo não tem aldeia ou logradouro. A literatura é uma puta nômade. Escritor brasileiro, português, amazonense, paraibano, americano e o cacete a quatro não passa de rótulos. Escritor de verdade não tem cidade fixa ou carimbo de cidade na identidade. Tudo pode ser reinventado no campo da imaginação e da linguagem.

Diego Moraes