atrofios

Deixa eu me desfazer de você.
Não gruda assim em mim. Fica aonde eu te colocar. De lado, por baixo, ao avesso. Cego para errar o caminho de volta. Desacordado para esquecer tudo o que não foi suficiente para te fazer ficar. Eu te quero, mas desejos unilaterais corroem nosso coração e encarceram nossos planos. É errôneo desejar tanto assim quem não se permite, quem não se libera. 
É errado querer pertencer a quem é livre, a quem não se prende. 
Sou pássaro solto buscando o quente da gaiola do teu peito. Mas esta está sempre trancada. E eu sempre cansado. E nossas coincidências nunca se cruzam. Nossos acasos não se encaixam. 
Você é sol, quando sou inverno.
E quando tu é primavera, eu murcho.
Seguimos sentidos contrários. Erramos sempre a hora do relógio. Se tu infla, eu atrofio. Somos o universo inverso: acanhados em contradição.
—  Jadson Lemos.