atraiu

Outlander: romance e sangue na Escócia

(este texto ainda está disponível no Bacanudo)

Fechando sua primeira temporada com 91% no Rotten Tomatoes, Outlander ainda não atraiu muitos espectadores, o que é uma vergonha. Muita gente não gostou dos livros porque foi querendo ler Cinquenta Tons de Cinza e encontrou 300 páginas de impostos, traição e morte entre cada cena de sexo. Os livros também possuem um público majoritariamente feminino, parte dele um tanto exaltado, e ficava a dúvida se o programa de TV conseguiria apelar para toda a audiência possível.

A maior fraqueza dos livros foi ser uma bagunça de gêneros. Embora seja classificado como uma história de romance, também tem espaço para sci-fi e é também épica ao retratar com precisão o cenário e costumes da Escócia do século XVIII.

A boa notícia é que sim, a versão de TV de Outlander é um drama mais competente e eficiente do que encarar as 900 páginas de cada livro e é visualmente estonteante, de deixar todo cenário renderizado em CGI de Game of Thrones se mordendo de inveja. Falta descobrir se este é o seu tipo de série.

De volta para o futuro

Baseada na série de livros escrita por Diana Gabaldon, gira em torno de Claire Beauchamp, uma enfermeira de campanha inglesa da Segunda Guerra Mundial, que foi criada por seu tio arqueologista. Claire decide tirar umas férias com seu marido, Frank Randall, nas Highlands escosesas, após o final da guerra, para que eles voltem a se aproximar depois de passarem quase cinco anos separados no front. As coisas vão bem até que, por motivos de ~magia, Claire é enviada para o passado, para o século XVIII, bem em meio à revolta jacobita (um dos tantos levantes fracassados escoceses contra a Grã-Bretanha, que terminou com o fim dos clãs e o banimento do gaélico e do kilt).

Como se viajar no tempo já não fosse ruim, Claire acaba nas mãos do clã MacKenzie, dividido entre acolhê-la ou prendê-la como espiã inglesa. E mais: o capitão inglês sádico que aterroriza toda a região é ninguém mais que Jack Randall, antepassado direto de seu marido. Tá pouco? Então mais: para evitar a forca nas mãos do capitão, ela acaba tendo que se casar com um escocês dos clãs, o bonitão e ruivo James Fraser, cuja cabeça está a prêmio pela Coroa. Tá bom de treta ou quer mais?

Com exceção da viagem no tempo, não há mais nada de sobrenatural da série que, a partir daí, se foca no romance crescente entre Claire e Jamie, sua divisão em tentar achar uma forma de voltar para 1946, e na constante ameaça da guerra, dos ingleses, e principalmente do capitão Randall.

Ritmo

Devo contar aqui que até mesmo minha amada namorada e parceira de vida há 3 anos me zoa por gostar dessa série “de mulherzinha“. Pensando nisso, os criadores investiram no valor histórico para atrair o público masculino. Assim como Game of Thrones, espere muitas batalhas de espada, alguns tiroteios e uma quantidade razoável de sangue e pontos. Não chega a ser uma série de ação, é mais um esforço por parte da produção para não deixar o tom descambar para um romance piegas.

A confusão de estilos não é tão pesada no seriado, mas se faz sentir de outra forma: problemas de ritmo. Alguns dos 16 episódios da primeira temporada são maravilhosos, bem estruturados, cheios de progressão e passam rápidos. Outros, são fillers disfarçados e outros, ainda que importantes, acabam pesando em exposição e diálogos, quebrando completamente o ritmo da série. Ou seja, tem grandes chances de você se pegar em um episódio chato pensando se deve ou não abandonar este seriado, e isso é um problema.

Mão na massa

O elenco é muito bom, com destaque para Caitriona Balfe como Claire e Sam Heughan como Jamie, mas vale mencionar também Tobias Menzies que conseguiu ser tão odiável como o Randall literário. Os livros também possuem uma certa fama de serem feministas, embora eu discorde em parte disso. De qualquer forma, os personagens e seus comportamentos foram bem transferidos de uma mídia para outra, apesar de terem tirado uma das melhores partes do primeiro livro da série por ser um pouco exagerada (quando Claire mata um lobo na porrada, imagina quão legal seria ver isso?).

O que enche os olhos é a produção de cena. O seriado foi TODO filmado em locação. Temos cenários belíssimos e castelos centenários maravilhosos por todos os lados. Como Mad Max nos ensinou recentemente, quanto mais real, melhor, e ver cenas gravadas em meio a construções e pastagens de séculos passados tem um efeito visual mais do que satisfatório. É scenary porn total.

O mesmo se estende para o figurino, armas e outros elementos de cena, tão fiéis quanto possível e que conferem pontos e autenticidade para os episódios. A produção realmente não poupou despesas em nenhum destes quesitos. Por exemplo, a abertura, gravada com instrumentos rústicos, se tornou a mais cara da história da televisão. Isso é que é dedicação!

Enfim, com exceção dos problemas de ritmo, a primeira temporada me envolveu o bastante para que eu queira ver a segunda, que já está sendo rodada. É uma pena que pouca gente tenha ouvido falar nessa série e espero que mais pessoas lhe deem uma chance.

Estou seguindo meu caminho, me guio por Teus passos. Minha vontade eu apoiei na Tua lei. Na tua identidade eu descobri quem sou, Você me atraiu com cordas de amor.
—  Você me leva ao deserto
Eu nunca fiz senão sonhar. Tem sido esse, e esse apenas, o sentido da minha vida. Nunca tive outra preocupação verdadeira senão a minha vida interior. As maiores dores da minha vida esbatem-se-me quando, abrindo a janela para dentro de mim pude esquecer-me na visão do seu movimento.
Nunca pretendi ser senão um sonhador. A quem me falou de viver nunca prestei atenção. Pertenci sempre ao que não está onde estou e ao que nunca pude ser. Tudo o que não é meu, por baixo que seja, teve sempre poesia para mim. Nunca amei senão coisa nenhuma. Nunca desejei senão o que nem podia imaginar. À vida nunca pedi senão que passasse por mim sem que eu a sentisse. Do amor apenas exigi que nunca deixasse de ser um sonho longínquo. Nas minhas próprias paisagens interiores, irreais todas elas, foi sempre o longínquo que me atraiu, e os aquedutos que se esfumam — quase na distância das minhas paisagens sonhadas, tinham uma doçura de sonho em relação às outras partes de paisagem — uma doçura que fazia com que eu as pudesse amar.[…]
—  (Livro do Desassossego, Bernardo Soares)
Eu to gostando de você e sei que não adianta te dizer, confessar que mexe comigo e que quando sorri meu coração palpita, confessar que eu aguento muita coisa pra estar perto de você não importa como, confessar que gosto quando seus lábios tocam o meu e então você me abraça e lá, la eu me sinto segura. Confesso que gosto quando sente ciúmes de mim mesmo por brincadeira, confesso que foi o único cara que me atraiu depois que tive a minha ultima decepção e também o último que me decepcionou por fim eu não queria confessar, não queria pra não muda nada entre nós, não queria porque quero estar perto de você mesmo sabendo que te encho na maioria das vezes, sei também que sou pouco pra alguém “tão muito” mas a gente não escolhe tentei me enganar mas nesses últimos tempos você mexeu comigo mas por fim agora que finalmente pude confessar vou te deixar em paz porque também não aguento mais , eu to sim indo embora e nao quero voltar só quero que seja feliz porque eu gosto de ver seu sorriso e sua cara de bobo.
—  Allycia Isabelle

● Nome da Web: This Girl Is A Problem.
● Autora: Natasha Wherlock.
● Gênero: Romance.
● Resumo:Christopher Uckermann é um homem de rotina. Onde tudo o que faz é programado. Mas por influência de seu melhor amigo ele resolve abrir exceção em sua agenda e sair para tomar uns drinques na noite de terça-feira. Seu primeiro erro estava aí: ele não deveria ter saído aquele dia. Só que ele não esperava conhecer lá uma jovem e atrevida ruiva, que o atraiu desde o primeiro momento que a viu. Seu segundo erro era que ele não deveria ter-se deixado levar pelas provocações daquela mulher, esquecendo-se completamente de sua esposa que jazia irritada em casa. Mas o momento ficou assim, lembrado apenas em sua memória. Afinal, eles não conheciam e não se veriam mais. O problema é que o destino lhe prega uma peça e a ruiva reaparece novamente em sua vida, só que dessa vez como a namorada do irmão de sua esposa. Em outras palavras, como sua cunhada. E, então, outro erro acontece: ele se deixa envolver pelos encantos da jovem novamente. E sua vida perde todo o controle, ficando uma bagunça sem fim. Por isso, que afirma com todas as letras que essa garota é um problema. Um problema dos grandes, mas, ainda assim, é o seu problema, e ele se vê perdido por ela e sem saber o que fazer, afinal, o romance entre eles não poderia dar certo nunca, visto as circunstâncias.
● Link: http://www.yoble.com.br/Main/communities/1322/topic/221014

BFF: Best Fuck Forever - Capítulo 10 - A Night To Remember

O cheirinho de ovos com bacon me atraiu até a cozinha a partir do momento em que saí do quarto. Arthur parecia se divertir bastante cozinhando.
Estava tocando Maroon Five e ele estava dançando enquanto mexia na frigideira, de costas nuas pra mim. Por que ele insiste em deixar a camisa de lado?
- Você acordou inspirado ein? - comentei. Ele se assustou com a minha presença.
- Minha nossa. Nem te vi aí, fofa.
- Bom dia. - ri. - Sabe, eu já tô até me acostumando em acordar com o café pronto pra me engordar. Não acontece isso desde que saí da casa dos meus pais. - roubei uma tirinha de bacon.
- Seu digníssimo ex-namorado não fazia isso pra você?
- Ele estava chegando em casa quando eu estava acordando. Difícil né? - fiz uma careta. Arthur deu um sorrisinho.
Eu estava achando muito estranha aquela sucessão de movimentos. Ele estava agindo como se nada estivesse acontecido.
- Então tá explicado. - disse, me servindo um ovo perfeitamente frito. Exibido.
- Explicado o quê? - franzi a testa.
- Ele ligou pra você meia hora atrás. Deve ter acabado de chegar em casa.
- Ele me ligou seis da manhã? - levantei, catando meu celular. Arthur me indicou a bancada.
Conferi a ligação perdida de Daniel. Senti até vontade de ligar pra ver o que ele queria, mas desisti. Ele deveria ter chegado de uma festa, o que significa que estaria bêbado quando ligou.

- E aí? - Arthur perguntou. Eu dei de ombros.
- Eu não quero saber. Ele já deve estar dormindo feito uma pedra e nem vai lembrar que me ligou até pegar o celular.
- Muito bem. - bateu palmas. Sentou na minha frente e se serviu. - Agora vamos ao que interessa. A ligação desse bunda mole me lembrou que eu te prometi uma baladinha pra afogar as mágoas. - começou. Eu levantei uma sobrancelha. - Então nós vamos sair hoje à noite. Já desmarquei todos os meus compromissos.
- Hoje? Mas é terça-feira, Arthur. Eu nem sei se tenho algum lugar pra ir.
- Eu já vi. Me perdoa linda, mas fuxiquei sua agenda. Você só tem compromisso na quinta, o que significa que pode sair hoje e acordar de ressaca amanhã sem problemas.
- Você mexeu no meu celulaaaaar? - minha voz saiu esganiçada e eu desbloqueei a tela, verificando a agenda. Realmente não tinha nada pra fazer hoje. Nenhum teste ou evento. - Como foi que você conseguiu isso?
- Deixa de frescura, você colocou o seu aniversário como senha. - deu de ombros. Eu fiz uma careta e troquei a combinação. Ele riu. - Então. Chamei o pessoal da república, mas acho que só a Sophia vem. Não sei se ela consegue arrastar o Chay não.
- Calma, Arthur. - Eu ri. - Onde a gente vai numa terça à noite?
- Meu amor, você não faz ideia de quantos lugares nós temos pra ir. - ele levantou o canto dos lábios.
- Eu NÃO VOU numa boate gay, Arthur! - disse. Ele deu risada.
- Poxa! Que preconceito! - fingiu reclamar. - Não é uma boate gay, tá bem? É uma balada comum, é ótimo, você vai adorar. Para de reclamar, eu estou sendo um amigo legal.
- Hum. - semi cerrei os olhos. Terminamos o café da manhã com a empolgação de Arthur com a noite.

Não posso negar que estou precisando me divertir, mas estava sendo estranho demais aquela proposta depois do “incidente” da noite anterior. Eu tinha que perguntar.
- Arthur. - chamei. Ele me olhou enquanto passava a louça para que eu secasse. - O Anthony disse algo sobre o dia que vai entregar o book?
- Não. Mas deve ser na média comum né? Você que deve saber. - respondeu, um pouco menos animado do que antes.
- Ele deve ligar quando estiver pronto. - disse. - Você - pigarreei - gostou de ser modelo por uma noite?
- Foi divertido. - respondeu, quase roboticamente. - Mas prefiro ficar no meu estúdio. Vou te levar pra cantar lá e fazer você passar a mesma vergonha.
- Eu canto muito bem!
- Você canta no chuveiro. E eu sou obrigado a colocar fones de ouvido até você sair do banho. - ele sorriu falso pra mim e eu lhe dei língua.
Terminando com a louça, Arthur avisou que iria para o quarto se vestir para correr. Eu disse o mesmo, correndo para colocar uma roupa bem justinha.
Quem sabe eu não o animo o suficiente para virar a folha dele hoje à noite?

Depois de ontem tudo é possível.

***

- Lu, você já ta pronta? - Arthur berrou. Eu berrei um “não”. - Puta que pariu, fofa. Eu já estou te esperando há meia hora.
- Então vê logo se falta alguma coisa em você pra não em fazer esperar dez minutos porque esqueceu do perfume. - reclamei. Ele tinha feito isso mais cedo.
- Ainda sim eu estou na vantagem. - a voz dele estava mais perto agora, o que significava que ele tinha esquecido algo mesmo.
Eu estava terminando de me maquiar. Já estava com a saia, mas não tinha vestido a blusa ainda, o que me fez dar um pulo quando Arthur enfiou a cara dentro do meu quarto.
- Você nem tá vestida ainda! - ele ralhou, se pondo para a fora, parecendo incomodado em me ver semi nua.
- Ah, me ajuda aqui! - inventei, me enfiando no guarda roupa e catando uma blusa qualquer, pegando na mão direita o cropped branco em renda que já estava separado em cima da cama. Arthur se arrastou e empurrou a porta, sem entrar. - Qual você prefere? - levantei as duas peças, uma de cada lado na direção do busto. Arthur levantou uma sobrancelha. Apontou para a direita e eu sorri. - Obrigada.

Vesti o cropped. Não tinha nem chance de que ele escolhesse a outra blusa roxa. Não tinha nada a ver com a saia preta de cintura alta que eu vestia e eu não duvido que ele tenha desconfiado dessa minha “dúvida”.
Saí do quarto calçando os saltos e sorrindo para Arthur, que levantou logo do sofá. Me elogiou, porque é cavalheiro demais para não fazer isso, e fomos para o carro. Visualizei a mensagem de Sophia e avisei a Arthur que ela estava pronta.
Estou sentindo que essa noite promete.

anonymous asked:

O que você acha das pessoas que se cortam por prazer,por gostar de ver o proprio sangue e de colecionar cicatrizes?

Ah vey eu acho estranho, mas cmo o estranho sempre me atraiu eu amaria ser amiga dessa pessoa 😍

Amor …  Aqui estamos novamente,  mais um mês de felicidade ao seu lado ..  Caramba o tempo tá passando voando, não é ? Já são 695 dias, meu amor ..  E nesses 695 dias, quero que saiba que eu fui muito amado .. Eu não sei ao certo o que em você me atraiu, na verdade acho que foi o conjunto todo, da mulher incrível que você é .. Quem diria que hoje, estaríamos com todo esse caminho percorrido, e com tantos sonhos e planos em mente, não é ?  … Logo eu, que nunca imaginei amar alguém como EUTEAMO, que nunca pensei que um dia fosse fazer de alguém a minha VIDA, como VOCÊ é a minha .. Mesmo sem ter muita noção do que era amor, do que era amar, eu descobri isso ao seu lado, foi perfeito, e a cada dia só aumenta, viu ??.. Eu não imagino mais a minha vida longe de você, meu amor… Quero que você saiba, que você deu cor ao meu mundo cinza … E mesmo com todas as nossas brigas, nossas dificuldades, é ao seu lado que eu quero estar até o último fôlego de vida .. E seremos muito felizes, eu prometo, tá ? Porque só a gente sabe o quanto a gente espera, o quanto a gente sonha com nosso dia … Obrigado por ser essa pessoa linda, de alma pura, e que sorri com os olhos … Você mostrou o lado mais perfeito da vida, eu prometo fazer isso valer a pena, até os nossos últimos dias .. Enfim obrigado por ser essa mulher única, maravilhosa .. Por me cobrir de tanto amor, e cuidar tão bem de mim assim .. Eu nem sei se te mereço, mas vou agradecer a Deus todos os dias, pelo presente que ele me mandou … VOCÊ .. Eu amo muito você meu amor, você é a melhor parte de mim .. Feliz 1 ano e 11 meses pra nós dois, que essa data se repita por inúmeras vezes, e que a gente esteja tão feliz quanto estamos agora … TEAMOMUITO .. #MinhaMulher #MinhaMelhor #MeuAmor #NossoDia22 suhfernandess❤👑

Pela cruz me chamou
Gentilmente me atraiu e eu
Sem palavras me aproximo
Quebrantado por Seu amor
—  Vineyard

anonymous asked:

oi gatu vamo sofrer uma colisao inelastica

Oi anonima
Eu tenho massa, vc tbm
Acho q vc me atraiu

anonymous asked:

Nossa, perto de tu sou um novato, tenho só desde 2012. O que mais me atraiu no tumblr foi o fato de ser uma rede social que você expressar o que realmente quer, e a tu?

Demorei porque tive que sair, mas então, eu gosto do tumblr justamente por isso, você pode ser você mesmo, é como se fosse um diário, sua vida está ali, seus gostos, particularidades. Existem tumblrs parecidos, mas cada um tem sua essência

Não sei o motivo deu estar aqui, não quero pedir uma nova chance, não quero brigar nem nada, só quero conversar. Você me mudou, me mudou por inteira, me fez virar uma mulher, me mostrou o mundo do jeito que ele é, hoje não sou mais aquela garotinha vivendo em contos de fadas, você me mostrou o mundo real e me ensinou a viver nele, lembra no inicio de tudo, eu tão inocente e você era tão experiente, no inicio você só queria brincar comigo, mas dai minha inocência te atraiu e eu fui me apegando a você e você se apegando a mim, lá no inicio eu falava que você era perfeito pra mim e você dizia que tinha um monte de defeitos, mas eu ainda meio inocente não acreditei, achava você o melhor cara do mundo, aquele que nunca fosse me machucar. É eu tava totalmente errada. Com o tempo você foi mostrando seus defeitos pra mim e as brigas foram surgindo e foi ficando chato e eu não sabia como lidar com tudo aquilo, fazia coisas que não queria fazer, falava coisas que não queria falar e daí isso te magoava, a gente ficava separado por um tempo, mas depois a gente já tava juntos de novo porque o desejo um do outro era grande e a gente não aguentava ficar longe. Eu uma filhinha de papai, você um ‘vagabundo’ que não ta nem ai pra nada, estilo a Dama e o Vagabundo do Oriente, eu não podia levar você pra minha casa e não podia sair com você nos finais de semana e a gente já brigou muito por causa disso né? Mas eu não tenho culpa se meus pais são da moda antiga. Depois de muitos beijos apaixonados, depois de tantas expressões de amor, depois de tudo que a gente viveu, nós estamos separados, lembra que a gente falava que 'lutava contra o vento’, e esse vento é o vento mais forte que eu já vi, cansamos de lutar só que eu não sei se estamos apenas descansando ou se desistimos de vez, pra te falar a verdade eu continuaria enfrentando ele só pra poder sentir o teu beijo de novo, sinto sua falta até penso em te ligar, mas daí eu te encontro em outros corpos, não sei qual é a vontade de Deus para nós, mas eu ainda espero por você.
Tigre Branco

Não havia nada, nem ninguém me influenciando.
O errado sempre me atraiu. O impossível, o mágico, o heróico. E mesmo assim era romântica. Apaixonada e ao mesmo tempo guerreira. Nunca com os quatro pneus arriados. Mas mesmo assim penando por amor. Não cometi nenhuma loucura egoísta, sempre passional. E ainda assim, me arrependo de ter me doado pouco. Por ter me permitido ser só uma lembrança da infância. @umavampirachamadamuna

Wanessa se veste de noiva caipira em festa de São Paulo

Cantora pop marca presença em Festa Julina (AgNews)

Wanessa, 32, esteve presente na Festa Julina Fashion que aconteceu em São Paulo na noite desta quarta-feira (22). Vestida de noiva caipira, a cantora pop atraiu os flashes durante o evento.

Com véu, saia curtinha e enfeites coloridos no look, a filha de Zezé Di Camargo, 52, exibiu o corpo em forma. “Minha cintura é o que menos muda no meu corpo e eu amo isso! Até quando eu estava grávida eu tinha cinturinha”, disse ela para a revista “Quem”.

Leia mais:
Ex de Susana Vieira engravida filha de Leonardo
De barba, Thammy Miranda curte Festa Julina

Ao se vestir de noiva, Wanessa comentou que lembrou do seu casamento com Marcus Buaiz, 36, com quem trocou alianças em 2007. “Gostei tanto do meu casamento, da festa, da viagem de lua de mel, que tenho até medo de fazer de novo. Achei que foi tudo perfeito da primeira vez. Viajei a Roma com meu marido e tenho medo de voltar e, sei lá, querer que seja tudo perfeito de novo, sabe?“, declarou a famosa.