ator global

O dia em que Tony Ramos infelizmente perdeu o controle

Uma da tarde: Cristóvam tirava a segunda bandeja de linguiça e servia para o resto da família, reunida em torno da grande mesa do churrasco dominical. Michel Teló berrava suas profanidades no rádio instalado no parapeito da janela, e todos davam ótimas risadas com as anedotas contadas por Lúcio Flávio, o tio solteiro de 50 anos.

- Aquela lá, noooossa!!

Todo mundo rindo muito, se divertindo. Cristóvam não podia esperar para finalmente abandonar a picanha assando e continuar o processo de “entortamento” - vulgo, a lenta inserção de álcool em suas veias.

Foi quando estava enfiando o espeto no pedaço de boi morto, que sentiu uma mão masculina, peluda, apertar o seu ombro. Olhou para o lado, e lá estava ele:

- Tony Ramos??

- He he he!! Tudo bom, meu amigo Cristóvam! Vejo que você está aqui hoje, reunido com sua família… - olhando para a mesa, Tony acenou para a senhora sentada em uma das cadeiras da esquerda, que imediatamente ficou branca de espanto. - Olá, dona Angélica! Bonita a maionese!

- O… obrigado! - respondeu Angélica, lançando um olhar desesperado ao seu marido.

- Pois é, Tony - respondeu Cristóvam, sem jeito. - Que surpresa você por aqui, se eu soubesse que você apareceria de novo eu te… hmmm… ggh…

Cristóvam não conseguiu terminar a frase. O ator global, com um sorriso, apertava seu mamilo com um pouco de força.

- Me fala uma coisa aqui, Cristóvam. Fala aqui pra mim um negócio. Essa carne aí, esse… esse CADÁVER aí que você tá espetando, Cristóvam. É FRIBOI??

Cristóvam gelou. Não era FRIBOI. Sabe deus que porra de carne Angélica tinha comprado. Ouviu as vozes silenciarem-se. Todos sabiam, todos eram cúmplices.

- N… não, senhor Tony… essa é uma… é outra carne que… que a… - o mamilo de Cristóvam já devia estar roxo como uma azeitona preta… ou preto, tanto faz. Tony ramos largou o churrasqueiro e, com as mãos no bolso, começou a caminhar ao lado da mesa.

- Não é Friboi então.

Silêncio.

- Não é Friboi. Ou é? - perguntou Tony, inclinando-se próximo ao ouvido de Angélica. 

- Não… - começou Angélica, enquanto chorava. Agarrando a travessa de maionese com as duas mãos, o ator global afastou-se da mesa e atirou-a contra a parede, criando uma chuva de cacos de vidro e pedaços de ovo pelo quintal. Todos se abraçavam, com medo.

- Tony, deixa eu explicar…

- Sabe qual é o problema, Cristóvam? - interrompeu o ator, com um grito. - Eu vou te falar qual é o problema, Cristóvam. Dá aqui essa carne. Pega essa porra dessa carne e dá ela aqui pra mim.

Cristóvam removeu a picanha do espeto e estendeu para Tony. Com um chute fortíssimo, o garoto-propaganda da Friboi arremessou o bife por cima do telhado. Depois disso, Tony Ramos ainda correu até a mesa, pegou a bandeja de linguiças e arremessou no quintal do vizinho.

- NÃO ERA FRIBOI TAMBÉM A LINGUIÇA, NÉ CRISTÓVAM?? Claro que não era Friboi essa merda…. essa, essa…. - sem terminar, Tony Ramos, enfurecido, puxou uma das cadeiras e a partiu ao meio com uma joelhada. Suando, o ator começou:

- “Ooolha, lá vem o Tooony… ha ha ha olha como é engraçado o Tony, peludinho, simpático…. ha ha ha olha lá o Tony perguntando se é Friboi” Cristóvam, puta que pariu. O que foi que eu falei quando eu vim aqui semana passada?

- Falou que era pra comprar Friboi, sr. Tony.

- Falei. E você fez o que, Cristóvam?

- Eu comprei… outras carnes…

- VOCÊ CAGOU NO PAU, CRISTÓVAM. FOI ISSO QUE VOCÊ FEZ, VOCÊ SENTOU NO MEU PAU E CAGOU NELE, CRISTÓVAM SEU MERDA. SEU FILHO DA PUTA, VOCÊ É UM CAGÃO, CRISTÓVAM. OLHA O QUE EU FAÇO COM ESSA CARNE AQUI, CRISTÓVAM, DÁ AQUI ISSO AQUI QUE VOCEÊ VAI ASSAR, É COSTELINHA, CRISTÓVAM? É COSTELINHA?? OLHA OQ UE EU FAÇO COM ESSA… COM ESSA PORRA AQUI OLHA O QUE EU VOU FAZER

Projetando-se para cima da carne, Tony Ramos foi interrompido pelo tio Lúcio Flávio, que se colocou entre ele e o cunhado.

- Olha aqui colega. Eu não sei qual é a tua. Não te conheço, não batizei teu filho. Não sou rico, meu carro é um tempra 4 portas ano 99. Mas esse churrasco, tu não vai estragar. É melhor tu ir embora antes que a coisa fique feia pro teu lado.

Observando seu oponente nos olhos, Tony Ramos soltou algumas bufadas. Caminhou, de um lado pro outro, encarando Lúcio Flávio, até decidir dar meia volta e sair pelo portão, sem falar nada.

O tio Lúcio Flávio foi até a mesa e abraçou Angélica, que se derramava em lágrimas.

- Calma, minha irmã… ele já foi embora, vamos limpar isso antes que… AAARGH!! - Lúcio Flávio foi arremessado no chão por um Tony Ramos três vezes mais furioso, dessa vez armado com um taco de golfe. Antes que alguém pudesse se aproximar, ele apontou o objeto esportivo para Cristóvam:

- Olha aqui pra mim, Cristóvam. Olha bem pra minha cara e me responde aqui com sinceridade. Que carninha o senhor vai comprar pra sua família domingo que vem?

- F… Friboi, sr. Tony Ramos! Vou comprar só Friboi!

- Bom… muito bom.. e o que você vai fazer com essa carne de má procedência que você tentou ENFIAR GOELA ABAIXO NOS SEUS ENTES QUERIDOS HOJE?

- Eu vou cavar um buraco no terreno baldio da esquina e vou enterrar ela todinha lá, sr. Tony Ramos.

- Isso, muito bom. Você e o seu cunhado querido aqui no chão vão os dois pegar uma pá e um saco de lixo biodegradável e vão enterrar a carne bem longe daqui, certo?

- Certíssimo, Tony!

- Bom, muito bom.

Abaixando o taco de golfe, o ator caminhou calmamente para fora do portão e foi até o seu carro, estacionado do outro lado da rua. Desativou o alarme, entrou, bateu a porta e ficou em silêncio. Após respirar fundo, falou para si mesmo:

- O próximo que eu pegar hoje e não for Friboi, eu juro que mato.


(todos os fatos narrados nessa história são meramente fictícios e não representam de maneira alguma o comportamento do querido Tony Ramos)