asas do vento

6

“Arcadia planava, suas asas repletas do vento morno que as fronteiras da floresta proporcionavam, poupando suas energias depois da longa viagem noturna. O sol logo nasceria e dali seguiria segura sob os cuidados de seu mestre.
Descansaria sobre seu ombro, a cabeça coberta com o gentil capuz de couro macio que o próprio Edwin havia costurado muitos anos antes.Quando a noite impedisse o humano de enxergar, Arcadia seria seus olhos e ouvidos e em troca, quando a luz roubasse suas capacidades, o lorde cavalgaria pelas distâncias carregando a ave como sua mais preciosa carga. 
Este era o pacto.”

Sobre Arcadia - Coruja das Torres ou Rasga-Mortalha (Tyto Alba)

sonhei que meu corpo
era nuvem
no céu da tua boca

sonhei que
a vida era pouca
enquanto não
encontrasse
teu sorriso pra
encaixar no meu


sonhei que
no tempo breu
meu beijo
deitou no teu
e o universo
parou de expandir


sonhei que
depois d'eu ir
poderia te
encontrar em
todo pôr do sol
virando mar


sonhei que
antes de acordar
durmiria
nas asas do vento
e o tempo
seria meu
pra viver
pra te ver sorrir

—  domar calabrez