as vantagens de ser invisivel

28 de Fevereiro de 2015

Queridoamigo,

Esses dias eu comi uma bala e me surpreendi com o gosto dela. Tinha gosto de infância. Eu estava com oito anos, indo de manhã cedo à padaria, como eu sempre fazia naquela época. Meus passos eram na verdade pulos e eu não parava de repetir mentalmente tudo que eu deveria comprar para não esquecer. Esse foi apenas um dos flashes que eu tive da minha infância. Depois disso comecei a ter vários. Como se fossem visões, visões do passado. Foi surpreendente notar como minha vida era simples e como eu era plenamente feliz. Sem preocupações, me arrisco dizer até sem medos. Sabe aquela frase “Eu era feliz e não sabia”? Define bem a minha infância e acho que a da maioria das pessoas também. Na verdade eu sinto muito por quem não teve a oportunidade de ter uma infância. Época de descobertas, onde vemos o mundo de um modo diferente. Impressionamo-nos facilmente e enxergamos tudo de uma forma magica. A inocência realmente é muito bonita.

Sei que não é só comigo. Sei que a nostalgia atinge todo mundo. Ao comer uma bala ou ouvir a mesma música que escutou em seu primeiro dia de aula. Mas será que todo mundo vive como uma criança? Será que todo mundo vive a sua infância a vida toda? Eu não, mas invejo muito quem consegue viver assim. Ser adulto e ter alma de criança, ter maturidade, mas ainda conseguir enxergar o mundo com um pouco de magia. Talvez essa seja a melhor forma de viver.

PS: Se quiser ser avisado(a) de algum texto novo curta o post “AVISO”.

 

Love always,

Rita