as minhas coisas

Você chegou e me mostrou que a “errada” nunca fui eu, que isso era apenas coisa da minha cabeça. Mostrou que na verdade, sempre escolhia a pessoa “errada”, pois a certa sempre foi você. E hoje eu sei disso, sabemos disso e vivemos isso. Nós!
—  Ilusões de Esther.
8

ARCO SÉRIO

VOCÊ NÃO SABE O QUÃO FELIZ EU TO POR FINALMENTENTE TER CONSEGUIDO FAZER ISSO AAAAAAAA FINALMENTE A SAGA DO SERP TA INDO PRO LUGAR QUE FOI CRIADO PRA SER

Não quero mais saber o que ele come, se sente frio, se reatou com a antiga namorada, se continua lindo de morrer, se acabou comprando aquele tênis que eu disse que combinava com ele. Não quero saber nada disso. Quero virar autista e fingir que ele nunca existiu. Assim sofro menos. Assim vivo mais. Hoje eu reparei que as olheiras diminuíram. E que deixei de chorar. Me achei mais corada. Menos pálida. Mais bonita. Uma beleza melancólica. Tem um pouco de tristeza nos meus olhos. Mas vou me maquiar. Senti vontade de me arrumar. Pra mim. Para meu espelho. Pra me animar. Uma amiga me convidou pra um happy hour. Vou. Uns caras me olharam, me senti mais mulher, me senti bem. Quase não lembrei dele. Estou trabalhando bastante. É bom ocupar a cabeça. Parei um pouco de beber. Arrumei minhas gavetas. Joguei umas coisas fora. Decidi limpar as coisas por aqui. Acendi um incenso. Dancei sozinha na sala. Ri. Fui na padaria. Comprei pão francês e queijo cottage. Decidi dar uma volta no Ibirapuera. O dia está tão lindo. Encontrei uma velha conhecida. Conversamos. Marcamos um sushi para o dia seguinte. Fui jantar com a velha conhecida. Me diverti. Voltei pra casa, assisti um filme bobo, lembrei dele, chorei, sequei as lágrimas e me perguntei: por que estou chorando? Entrei no Facebook e vi uma foto dele com uma mulher peituda. Chorei mais. Dormi chateada e pensei isso-nunca-vai-passar. Comecei a caminhar todos os dias pela manhã. É melhor, vou para o trabalho com mais ânimo. Um cara bem interessante caminha por lá também. Não usa aliança, está sempre sozinho, ouvindo música e com o olhar longe. Parece eu. Me distraí. Esbarrei no cara. Ele se desculpou e sorriu. Nossa, que sorriso bem lindo. Senti uma coisinha no peito. Sorri de volta e segui andando. Na outra volta encontrei ele de novo, que sorriu mais uma vez. Para, que vou morrer aqui. Na outra volta eu já estava cansada, mas ansiosa por aquele sorriso. Ele sorriu. Me derreti. Parecia uma abobada. Voltei pra casa. No outro dia acordei feliz da vida, o cara sorridente ia estar lá de novo. E estava. E sorriu. E sorri. E ficamos nessa por uma semana. Até que ele pediu meu telefone, eu dei e ele me ligou. Quer ir ao teatro comigo? Quero. Enquanto eu me arrumava ele me ligou. Ele, que me deu um pé na bunda. Não atendi. Sorri. E tentei lembrar a última vez que lembrei dele. Não consegui. Talvez eu volte a acreditar no amor de novo. Talvez eu nunca mais sofra. Talvez. A vida é cheia de “talvez”, mas uma coisa é certa: o tempo ajuda. E não adianta você dizer que não e tentar lutar contra isso.
—  Clarissa Corrêa.
O que fazer quando não tiver o que fazer:
  1. Saia pela rua e sorria pra desconhecidos.
  2. Dê bom dia/boa tarde/boa noite pras pessoas.
  3. Abrace alguém.
  4. Visite um asilo e/ou orfanato.
  5. Mande uma mensagem feliz pra alguém.
  6. Escreva frases motivacionais em cartõezinhos e distribua pras pessoas.
  7. Leia um livro.
  8. Cozinhe biscoitos e leve para moradores de rua.
  9. Escreva um poema.
  10. Cante uma música mesmo que não saiba cantar bem.
  11. Vá em um parque e alimente os patos.
  12. Faça algum trabalho voluntário.
  13. Diga “eu te amo” pras pessoas que ama.

baby, eu não estou suportando
o peso de existir sem ser alguém.

volta aqui e briga comigo,
grita que eu preciso fazer alguma coisa.

agarra minhas mãos e puxa, me arrasta,
me leva de volta pra vida.

(por favor)

Eu gosto de beber café sozinho e ler sozinho. Gosto de andar de ônibus sozinho e ir andando para casa sozinho. Isso me dá tempo para pensar e definir coisas na minha mente livre. Eu gosto de comer sozinho e ouvir música sozinho. Mas quando eu vejo uma mãe com seu filho, uma menina com seu amante, ou um amigo rindo com seu melhor amigo, percebo que mesmo que eu goste de ficar sozinho, não gosto de estar sozinho.
—  AUTOR DESCONHECIDO.  

eu deixei de acreditar em algumas coisas com o tempo
porque eu perdi certezas e um pouco da minha fé
mas isso não é sua culpa
é minha
só minha

agora as coisas não são mais tão doces
nem tão maravilhosas
e eu acho que isso acontece com todo mundo
mas eu não tava preparada pra ver a leveza do mundo se perder assim

Odeio coisas temporárias, pessoas comuns , sentimentos mornos , dias quentes, meios sorrisos. Não seja igual , o comum não conquista , não agrada, ele enjoa. Seja simples, mas seja diferente. Não tenha medo de como as pessoas irão reagir com a intensidade do seu sentimento , tenha medo de não saber demonstrar.
—  Flagelos de um poeta .