arthur1

This can't be happening... ?|| Arthur&privateer!Arthur || Arthur's home.

Chegara em casa horas antes, precisando utilizar o tempo que lhe foi dado para lavar de si todo peso adquirido durante os meses que passou em alto mar. A coloração escura sob as pálpebras inferiores delatava o cansaço e o desejo veemente de repouso - e ele ainda cheirava a sal, a maresia; tinha no corpo as marcas do trabalho realizado dentro e fora do navio. Não saiu para guerrear, porém. Resolveu assuntos pendentes em um território ou outro e logo retornou para a Inglaterra, cansado das noites sem sono, ainda que bem aproveitadas quando escorava na proa, junto a uma garrafa de rum, e cortejava o céu noturno.
Banhou-se, enfim, junto com seus devaneios. Arthur cedeu às necessidades do próprio corpo e se deitou, exausto demais para ficar de pé, pensativo demais para cair no sono com rapidez. Pensava em si no futuro. Otimista, delineou um sorriso fino ao se imaginar ainda mais poderoso e influente, fantasiando sobre o porvir. As fadas, por sua vez, observaram-no do alto e riram entre si, considerando a ideia de apresentá-lo ao seu “próximo eu” por pura curiosidade e distorcida benevolência. Infantilmente travessas, aguardaram o sono tomar conta do inglês e fizeram sua brincadeira, sempre discretas.
A madrugada se tornou dia e logo a tarde também chegou. Bem descansado e disposto, Arthur acordou, levantando-se após bocejar e se espreguiçar lentamente. Foi automaticamente, ainda cambaleante, até o banheiro, mas logo voltou para o quarto às pressas. No rosto, nada além de pura confusão.

ON─…? ONDE DIABOS ESTOU?!” - Rugiu, apesar de reconhecer superficialmente aquele quarto. Tudo estava mudado. A arrumação e decoração: ele não se sentia mais em casa - se é que ainda estava nela.

Estava, sem dúvida alguma, desorientado. E a primeira ideia que teve foi a de vasculhar, fazendo muito barulho e bagunça, o guarda-roupas em busca de algo que oferecesse pistas de onde estava. Encontrou, no lugar de seus cinturões, casacas e calções, outras peças que não se imaginava utilizando.