arapuca

Com quantos Acasos se faz um Destino? Quantas vezes a gente não olha pro céu e se pergunta se aquilo ocorrido foi Sorte ou algo parecido? Mais forte talvez… E, de topada em topada, a gente se questiona o porquê das coisas terem um tempo tão diferente dos nossos desejos. Há quem responda que Deus tem o tempo Dele, mas o que eu digo para os ateus? Lembrem-se: nem todo mundo comunga na mesma doutrina, na mesma fé, no mesmo pensamento. A explicação, por fim, parece estar escondida no peito de cada um. Apenas se conhecendo e olhando para sua própria história é possível decifrar se tudo não passa de coincidência, se era pra ser daquele jeito ou se os pequenos acasos não são, na verdade, ajustes de rota que a Vida nos impõe. É de se pensar, só não é de se parar. Nas arapucas que o Tempo arma, cabe, então, decidir o que se quer: queimar os dedos, comer gelado, ou aprender a esperar o tempo certo.

Escolha lingerie de marca na vã esperança de reviver um relacionamento morto. Escolha bolsas. Escolha sapatos de salto alto. Caxemira e seda para fazer você sentir o que se passa por feliz. Escolha um Iphone feito na China por uma mulher que pulou da janela e enfie-o no bolso do seu casaco recém chegado de uma arapuca do Sul da Ásia. Escolha Facebook, Twitter, Snapchat, Instagram e um milhão de outros modos de vomitar sobre pessoas que nunca conheceu. Escolha atualizar o seu perfil. Diga ao mundo o que comeu no café da manhã e torça para que alguém, em algum lugar, se importe. Escolha procurar velhas paixões, desesperado para crer que não está tão mal quanto elas. Escolha blogar ao vivo, desde sua primeira punheta ao seu último suspiro. A interação humana reduzida a nada mais do que dados. Escolha 10 coisas que nunca soube sobre celebridades que fizeram cirurgia. Escolhar protestar contra o aborto. Escolha piadas sobre estupro, promiscuidade feminina, pornô de vingança e uma maré infinita de misoginia deprimente. Escolha que 11/09 nunca aconteceu. E se aconteceu, foram os judeus. Escolha um contrato de 0h e uma viagem de 2h para o trabalho. E escolha o mesmo para seu filhos, só que pior. E diga a si mesmo que seria melhor se eles não tivesse nascido. Depois recoste-se e sufoque a dor com uma dose desconhecida de uma droga desconhecida feita numa cozinha qualquer. Escolha promessas quebradas e arrepender-se de tudo. Escolha nunca aprender com seus erros. Escolha para ver a história se repetir. Escolha apegar-se lentamente ao que você pode conseguir em vez de apegar-se ao que você sonhou. Se contentar com menos, e com sorriso no rosto. Escolha decepção… E escolha perder seus entes queridos. Eles se vão, e um pedaço de você morre com eles. Até você ver que, no futuro, um por um, todos desaparecem. E não há nada de você que não pode chamar de vivo ou morto. Escolha seu futuro. Escolha a vida.

T2 Trainspotting

Só senta mais rebola mais e desce ate o inicio
Ela é “undergrau”, cultural, curte rap nacional
Ela é sensual, visual, vai até pro festival
Paraíso artificial, um pecado carnal
Um carnaval um ritual, transcendental
Te deixo maluca, jogando sinuca
Em cima da mesa, arrepio sua nuca
Tem mel e açúcar, caiu na arapuca
Me pede um cigarro, fuma ate bituca