apanhadores

Essa foto é do #livro #HarryPotter e a Câmara Secreta, @editorarocco ano 2000. Nós escritores tomamos muito cuidado com erros nos nossos textos, mas não precisamos ficar neuróticos. Até os mais revisados deixam passar alguma coisa. Reparem no detalhe do time de #Quadribol com 3 #apanhadores que atiram as goles! O certo nesse lugar seria ‘Artilheiros’. Temos que ficar atentos ao que escrevemos, mas sem perder noites de sono por isso. 😉

good luck for you, then (flashback); will & sora.

No quinto ano, mesmo sob tamanho estresse por conta dos NOMs, tirar um tempo para fazer coisas de que gostava era essencial para uma boa saúde mental. Will, no caso, adorava jogar Quadribol desde que tivera a oportunidade de começar há dois anos. Atualmente jogava na posição de apanhador da Grifinória e tinha bastante prestígio no que fazia. Deveria estar sempre presentes nos treinos, para não dar nenhum vexame em campo. Naquele dia em especial, seu time faria o último treino para o jogo que aconteceria no dia seguinte, contra a Sonserina. Chegaram cedo no campo e fazia tanto sol que estavam encharcados de suor nos primeiros minutos de treino. Se o tempo continuasse assim no dia seguinte, seria muito favorável para um bom jogo.

Will custou a dormir, esperando ansiosamente pelo dia que viria. Então, quando amanheceu, a primeira coisa que pensou fora o quanto estava sonolento, mas só foi misturar-se à animação do restante do time para a sensação desaparecer. O café reforçado embrulhou-se em seu estômago conforme seguia para os armários, mas ele continuaria firme, afinal, o que poderia dar de tão errado? Estavam confiantes, pois tinham treinado seriamente nos últimos tempos. Mesmo que um jogo Grifinória versus Sonserina soasse intimidador, Will mascarou o sentimento com tanta vontade que era como se não existisse. Esperou que seus companheiros o fizessem também, pois com certeza ajudaria.

Seguiram todos juntos para os armários, os conhecidos por fazerem brincadeiras não desapontando, incentivando o espírito positivo do grupo. Quando Will passou pelo campo, pois aquele era o único caminho até os equipamentos, notou que o tempo lá fora estava muito fechado. Não o bastante para cancelarem a partida, mas o suficiente para preocupá-lo um pouco. Jogador de Quadribol algum deixaria de lado uma partida tão esperada por conta de água. Mesmo assim, foi inevitável ficar refletindo sobre o assunto, discutindo mentalmente os caminhos que tomaria caso a situação apertasse para ele. Deveria ser bastante cuidadoso, pois qualquer movimento em falso o jogaria ou para longe da vassoura, ou em direção à colisão com outro bruxo.

Hey so i got sad so I decided to put together a list of songs that mean alot to me you can listen to it or a few songs if you wanna i just wanna share them with people

  • Alive by Pearl Jam
  • The Greatest View by Silverchair
  • Doesn’t Remind Me by Audioslave
  • Jeremy by Pearl Jam
  • Light Years by Pearl Jam
  • Camomila by Cícero
  • Cartão Postal by Apanhador Só
  • Plush by Stone Temple Pilots
  • Hello Euphoria by Turnover
  • Wastes Of Time by Elvis Depressedly

task 001: a playlist with musics that athena likes

i. velha infância, os tribalistas / ii. someday believers, portugal. the man / iii. me namora, natiruts / iv. nostalgia, vivendo do ócio / v. meu sol, vanguart / vi. você e eu, cinco a seco / vii. hey joe, o rappa / viii. me adora, pitty / ix. cartão postal, apanhador só / x. hand in hand, beaststeak / xiainda bem, marisa monte / xii. sinister kid, the black keys / xiii. dissolve me, alt j / xiv. velha e louca, mallu magalhães / xv. roxanne, the police / xviexagerado, cazuza / xvii. brasileiro, selvagens á procura da lei / xviii. sex on fire, kings of leon / xix. sleepwalking, chain gang of 1974 / xx. vejo em teu olhar, móveis coloniais de acaju. 

training quidditch; will & emma.

Quando podia, Will gostava de ir ao campo de Quadribol para simplesmente passar o tempo, mas os melhores dias eram quando pegava os jogadores em meio a um treino. Felizmente, o treino do dia seria entre Grifinória e Corvinal, logo poderia torcer para sua casa. Ao longos dos anos em Hogwarts, passou a adquiria mais fascínio por sua casa, algo ótimo. Agindo como intruso, sentou-se em uma parte alta da arquibancada, descansando a mochila de um lado e o livro pesado que carregava do outro. 

Sua cabeça seguia as vassouras/jogadores de um lado pro outro, numa tentativa de não perder nenhuma jogada. Quando a Grifinória fazia gol, reprimia-se para não comemorar junto. Seria vergonhoso, tendo em vista que era o único alí sentado. No campo, os capitães dos respectivos times gritavam ordens e dicas para os outros jogadores. O pomo de ouro apenas seria solto agora, para os apanhadores treinarem mais enquanto o restante do time descansava.

Will distraiu-se por um momento, olhando para o horizonte. Sempre ficava um pouco sensível quando lembrava-se de como era bom jogar Quadribol. Toda vez que o fazia, também, refletia mais sobre o motivo de o terem convencido a parar. Que droga, não deveria ter dado ouvidos, mas já era tarde para lamentações. Quando voltou a atenção para baixo novamente, pegou uma menina da Corvinal encarando ele lá de baixo. Ops, havia sido pego, finalmente. Não era proibido observar os treinos, mas quase ninguém o fazia, todos tinham muito o que fazer nas aulas no castelo. Menos o grifino, que agora torcia para não ter escolhido um dia ruim para ficar alí em cima.

Sou um apanhador de sonhos humano
Cultivando um jardim de esperanças
Molhado com desejos e lembranças,
Todos chorados por mortos mundanos.

O que será daqueles que vêem perfeição,
Não em si mesmos, mas em tudo ao redor?
Uma vontade de viver que só fica menor
Quanto mais cicatrizes ganha o coração.

Sessões, preocupações e remédios inúteis!
Não conseguimos cura para tal enfermidade.
Para nós só resta, em sumo, o sono absoluto

Todo o resto agarrasse em mentiras fúteis…
Se queres a morte para nova sanidade,
Siga-me no escuro convicto e resoluto…

O apanhador de desperdícios

Uso a palavra para compor meus silêncios.
Não gosto das palavras
fatigadas de informar.
Dou mais respeito
às que vivem de barriga no chão
tipo água pedra sapo.
Entendo bem o sotaque das águas
Dou respeito às coisas desimportantes
e aos seres desimportantes.
Prezo insetos mais que aviões.
Prezo a velocidade
das tartarugas mais que a dos mísseis.
Tenho em mim um atraso de nascença.
Eu fui aparelhado
para gostar de passarinhos.
Tenho abundância de ser feliz por isso.
Meu quintal é maior do que o mundo.
Sou um apanhador de desperdícios:
Amo os restos
como as boas moscas.
Queria que a minha voz tivesse um formato
de canto.
Porque eu não sou da informática:
eu sou da invencionática.
Só uso a palavra para compor meus silêncios.

—  Manoel de Barros