apaixonado por sorrisos

Eu tinha 17 anos e ela 16. Não completou nem duas semanas depois do primeiro beijo e mesmo assim à pedi em namoro. É claro, eu era um adolescente impulsivo e que não pensava direito mas é que estava completamente deslumbrado e apaixonado por aquele sorriso, por aquele olhar e por aquele lindo e encantador jeito de ser. Hoje já se passaram 20 anos e eu ainda a olho do mesmo jeito, e se eu pudesse voltar atrás eu faria tudo do mesmo jeito. Temos um casal de filhos e somos mais felizes a cada dia que passa, e de uma coisa eu tenho certeza: tê-la pedido em namoro naquele pequeno tempo de convivência foi a melhor escolha que eu poderia ter feito em toda minha vida.
—  Gabriel, 37 anos.
Eu tinha 17 anos e ela 16. Não completou nem duas semanas depois do primeiro beijo e mesmo assim à pedi em namoro. É claro, eu era um adolescente impulsivo e que não pensava direito mas é que estava completamente deslumbrado e apaixonado por aquele sorriso, por aquele olhar e por aquele lindo e encantador jeito de ser. Hoje já se passaram 20 anos e eu ainda a olho do mesmo jeito, e se eu pudesse voltar atrás eu faria tudo do mesmo jeito. Temos um casal de filhos e somos mais felizes a cada dia que passa, e de uma coisa eu tenho certeza: tê-la pedido em namoro naquele pequeno tempo de convivência foi a melhor escolha que eu poderia ter feito em toda minha vida.
—  GABRIEL, 37 ANOS 💕
Tudo começou com um sorriso, você acredita? Pois é, um sorriso! Mas não é qualquer sorriso, é um sorriso… Apaixonante. Parece que ela conhecia meus gostos, sem ao menos saber meu nome, sem ao menos saber que eu era apaixonado por sorrisos sinceros, sorrisos contagiantes. Aí ela sorriu. Aí me apaixonei. Droga, eu tinha prometido à mim mesmo que isso não aconteceria novamente, mas quem sou eu pra escolher algo nesta porra de vida. Mas hoje estou feliz, junto com o sorriso dela.
—  Eu-poetico. “Belo Clichê

Era mais um dia comum em minha vida, acordei, tomei banho, escovei os dentes e fui ao mercado como sempre faço todos os dias. Dei bom dia para o gerente, o atendente e por quem passava pelo balcão. Comprei pães, presunto e queijo e fui pra fila do caixa rápido. Do nada o mercado parou para observar uma mulher que entrou, eu na fila mal reparei aquele alvoroço, continuei lá parado em pé esperando chegar minha vez.

Na fila comentaram:
“que mulher linda”
“o jeito que ela anda”
“ela fala sorrindo”
“como ela é maravilhosa”

Confesso que aquilo me deixou bastante curioso. Paguei minhas compras e fui até o carro… reparei que havia um carro diferente de todos os outros no estacionamento e pensei
“será?”
A curiosidade não me deixou ir embora, fiquei lá esperando quem eu nunca tinha ouvido falar.

Alguns minutos se passaram…

Desce pela rampa do supermercado aquele mulherão da porra, toda arrumada, com aqueles cabelos longos e brilhosos e com um sorriso daqueles que… “o mundo para pra ouvir.” Ela me olhou de longe, jogou o cabelo pro lado e veio como se vinhesse em minha direção, confesso que… “o mundo parou naquele momento.” Ela chegou mais perto e novamente me olhou… nesse momento percebi que conhecia aquele olhar de algum lugar… era Ana minha primeira paixão escolar!

- Ana era uma menina super educada que ajudava os outros, muito amiga e conhecida pelo sorriso que fazia com que todos se apaixonassem… acho que um dos motivos de eu ter me apaixonado por Ana, era seu sorriso. Ana foi a primeira menina que não me olhou com pena, me olhava como eu era (uma criança órfã de carinho). Ana me via como ninguém via, Ana tornou-se especial demais na minha infância. Certa vez me disseram que “crianças não vêem maldade, são cobertas de bondade e o mundo precisa de seus olhares…” com o tempo percebe que Ana era assim.

“O mundo precisava ouvir Ana.
O mundo precisava do olhar de Ana.
O mundo precisava da bondade de Ana.
O mundo precisava ser Ana.”

Porém fazia anos que a gente não se via, a gente foi separado na infância. A família de Ana era aquele tipo de família metida a rica e pra eles valores eram mais que sentir empatia… sentir a dor do próximo pra eles não tinha valia. As vezes ficava pensando
“será que o sangue que corre em Ana é o mesmo sangue que corre na veia deles?” Ana não era como eles, Ana abraçava mendigo, levava comida para dividir com eles e até dinheiro Ana levava para quando saísse da escola comprar ração para sair dando aos animais abandonados.
Ana era uma pessoa boa. Ana me mostrou um mundo que eu precisava conhecer naquele momento. Ana me mostrou que pessoas boas são boas independente de sua criação ou condição. E eu jamais imaginária que encontraria Ana por aqui nesses locais onde todas as pessoas são rivais…

Ela parou, tirou a chave e destravou o carro, nesse momento eu não quis deixar ela ir sem antes tirar uma duvida e perguntar seu nome. Ela estava abrindo a porta quando eu disse: Ana é você? Lentamente ela se virou, sorriu e falou: até que fim você notou.

E naquele momento percebi o quanto ela conseguia fazer com que eu me apaixona-se facilmente por ela, como se fosse a primeira vez.

—  @luizmchd
Eu tinha 17 anos e ela 16. Não completou nem duas semanas depois do primeiro beijo e mesmo assim à pedi em namoro. É claro, eu era um adolescente impulsivo e que não pensava direito mas é que estava completamente deslumbrado e apaixonado por aquele sorriso, por aquele olhar e por aquele lindo e encantador jeito de ser. Hoje já se passaram 20 anos e eu ainda a olho do mesmo jeito, e se eu pudesse voltar atrás eu faria tudo do mesmo jeito. Temos um casal de filhos e somos mais felizes a cada dia que passa, e de uma coisa eu tenho certeza: tê-la pedido em namoro naquele pequeno tempo de convivência foi a melhor escolha que eu poderia ter feito em toda minha vida.
—  GABRIEL, 37 ANOS.
Príncipe

Ele é uma mistura de brutalidade com meiguice, é aquele tipo de chato que me tira o juízo e me encanta ao mesmo tempo. Quando ele fecha a cara faz birra, é tão fofo, fica manhoso e banca o carente e pede carinho.  Quando alguém o irrita ele fica bravo, nossa!! todo mundo saia de perto, mas eu não, parto pra cima faço ele esquecer da raiva. Quando a gente briga rsrs, me xinga me ignora e faz um draaama mas nem ligo por que sei que a raiva passa logo e que depois de uns minutos ele vem e me abraça e tudo fica bem novamente. Nossa quando ele está pra fazer graça não tem quem se segure de tanto rir ele adora fazer isso, ele é apaixonado por sorrisos. Há também tem o lado “romeu” dele, é daqueles que gosta de ficar junto é cuidadoso, carinhoso e as vezes muito grudento kk. Ele é moleque e  muuuito, desastrado e finge não saber fazer as coisas só pra me irritar. Ele é cheio de qualidades e tem muuuitos defeitos, mas sem esses defeitos não teria graça nenhuma pois ele é perfeito do jeitinho que ele é, e com ele a vida tem mais cor mas luz. E foi assim do nada chegando de mansinho que se tornou minha vida, meu fofo, amigo, namorado, meu príncipe e sempre será meu amor meu tudo.

Eu realmente não consigo idealizar alguém apaixonado por mim. Eu não consigo imaginar alguém pensando em mim antes de dormir, ou contando para os seus amigos sobre mim com um sorriso bobo. Eu não consigo imaginar ninguém nas nuvens porque eu disse um “oi” ou qualquer coisa assim. Não consigo imaginar alguém sorrindo para a tela do computador quando a gente está conversando. Sei lá, só não consigo.
Ela é apaixonada. Não ‘está’. Ela é, do verbo ser. Ela é um ser apaixonado. Por sorrisos, olhares e sorvete de flocos. Ela é apaixonada por cidades, balanços e pessoas. Ela é apaixonada por flores e por cores. Apaixonada por cheiros, vozes e sabores. Apaixonada por trocadilhos e paradoxos. Apaixonada por demonstrações de loucura e de carinho, apaixonada por velocidade e poesia. Apaixonada por música, tatuagens, pintura e dança, motos, fotos, tudo isso a encanta. Apaixonada pelo sol das 9h, pelo dia, pelo mar, pelo vento, pela noite, pelo sistema solar, pelo silêncio e pelo barulho. Apaixonada por covinhas, nas bochechas, no queixo ou nas costas, apaixonada por palavras, abraços que, literalmente, tiram os seus pés do chão e por gente cheirosa. Principalmente se for os dois juntos. Ela gosta de opostos, de complicação, de desafio, mas também gosta de sutileza, de risadas altas e coisas simples. Ela gosta dos dois mundos. Ela é apaixonada por sentimentos que lhe transbordam, porque se não for assim, ela nem quer. Ela é gulosa, não aceita nada pela metade, muito menos pessoas. Tem que se entregar de corpo e alma, ser muito intenso, do tipo que chamusca o chão. Tem que ser tão louco quanto ela, para atravessar a rua só pisando nas faixas brancas e deitar no asfalto quando der na telha. Porque ela é assim, apaixonada. Por tudo. Desde as joaninhas que se escondem nas folhas da horta do colégio às  borboletas agitadas que brincam em seu estômago quando alguém lhe faz um elogio. E ela assim, apaixonada. Faz listas e mais listas para enumerar as coisas que gosta nesse nosso mundo louco e lindo, elas enchem sua mente, sua alma, suas gavetas, mas nunca consegue enumerar tudo. É coisa demais, é beleza demais, e ela só espera ter tempo de conhecer e admirar tudo isso. E o que ela ainda não conheceu, conhece pelos livros, vira uma das personagens, vive intensamente a história, até levantar as sobrancelhas junto com o personagem, ela levanta. Onde encontrá-la? Oras, eu não sei. Ela está por aí, ela é do mundo. Não sei quando volta, mas com certeza estará fazendo festa.
—  Skates e Cigarros
Oi, tudo bem? Como anda a vida, e como ele está?
Bom, na verdade eu não quero saber, só perguntei porque é clichê.
Eu vim falar pra você sobre ele… Sobre oque eu aprendi sobre ele, sim eu aprendi muito sobre ele, na verdade eu o estudei durante meses.
Primeiramente já vou dizer que agora você tem uma grande responsabilidade em mãos.
Sabe esses braços cheio de músculos? É só uma armadura, digo, é obvio que ele é forte mas, por dentro você vai ver que existe um garotinho meigo, bobo, e apaixonado… Ele é apaixonado por sorrisos, isso você deve ter percebido, ele faz de tudo para ver as pessoas sorrirem, é quase impossível não sorrir estando com ele. Mas não é só isso não, ele ama ter toda atenção voltada só pra ele… Ele sente um vazio misturado com raiva, carência e solidão quando não tem atenção. Ele ama beijos demorados, daqueles bem demorados mesmo… Ama mordidas… Ama carinhos… Ama cafuné, e quando o cafuné é bom ele fica tão a vontade que deita no seu peito para ouvir seu coração e isso faz com que nada mais no mundo importe, aquilo se torna o porto seguro dele, ele diz como seu coração está batendo e pouco depois ele pega no sono, ele ama isso de verdade.
Ele tem vários sorrisos: Tem aquele sorriso safado. Tem o sorriso de quando ele fica com ciúmes, que é irônico e bravo ao mesmo tempo (É incrível). Tem aquele sorriso de quando você o surpreende. E tem aquele sorriso de felicidade, que é diferente do sorriso da felicidade que você dá pra ele. Tem aquele sorriso de quando alguém conta uma piada sem graça. E tem aquele sorriso sério, de quando ele ta bravo e você tenta o fazer rir.
Ele gosta de quando você se arruma pra ele, até mesmo quando é pra ficar em casa… Ele ama tirar fotos engraçadas contigo… Ele ama sair, shopping, cinema, lanchonetes e sorveterias, para que as pessoas vejam o quanto ele tem sorte em te ter.
Outra coisa tbm, o ‘tchau’ de quando ele precisa ir embora, dura no mínimo 30 minutos… Ele detesta ter que se despedir.
Ele tem aquele lado tímido/safado que tira qualquer garota do serio.
Tem dias em que ele acorda fazendo planos contigo, dizendo o quanto te ama. Mas também tem aqueles dias em que ele diz que não vai dar certo e arruma motivos pra implicar contigo. Então tenha paciência.
Paciência, porque vai ter dias em que ele vai estar triste e você vai precisar estar junto dele. Paciência, para dar conselhos quando ele brigar com os pais. Paciência, caso ele sumir e a mãe dele te mandar mensagem desesperada, ai quando você conseguir falar com ele você ponha ele contra a parede, diz que não é certo ele fazer isso e dá broncas e lições de moral, Ele não gosta muito disso mas isso o faz pensar nas coisas que ele fez de errado, E ele vai ver que você faz isso somente para o bem dele.
Ahh ele sempre quis ter filhos então é bom que você leve jeito com crianças. Quando vocês saírem juntos e levarem o irmãozinho dele, todos vão olhar e perguntar se vocês são os pais, isso o deixa com vontade de ser pai logo.
Eu poderia escrever muito mais, mas tem muitas coisas que eu não consigo escrever. Tem coisas que eu não cheguei a descobrir. E tem coisas que quero que você descubra sozinha.
Ele tem mistérios…
Ele tem olhares incríveis…
Ele é surpreendente…
Mas não deu certo entre nós dois, então a missão de o fazer feliz agora é sua. Espero que saiba aproveitar a oportunidade. Cuide muito bem dele porque apesar de não ter dado certo eu sempre vou querer o melhor pra ele, e se ele está contigo é porque ele te acha capaz, então boa sorte !
—  Carol Aparecida
Moça, a minha vida anda meio torta. Eu já não sei mais fazer as pessoas sorrirem ao me verem. Eu tinha esse costume, sabe? Não sei se entende. Ah, não. Por favor, não vire as costas para mim dessa forma. Eu só quero desabafar com alguém, por favor. Todo mundo vai embora, você é a única que está ficando comigo por mais tempo, os outros não aguentaram nem dois minutos. Olha, no tempo que eu era feliz, eu fazia as pessoas sorrirem. Na verdade, esse era o motivo pelo qual eu era feliz. Eu conseguia encontrar a minha felicidade na felicidade dos outros, entende? Um sorriso trazendo outros. Gestos afetuosos me tirando pra bailar. Cores vivas no caminho de volta pra casa. E agora parece estar tudo preto e branco. Eu queria muito poder voltar ao que era, poder criar poemas, conquistar as prosas e elaborar as crônicas. Queria dormir e acordar com a vontade que eu tinha de viver. Querida moça, me disseram que a solidão é um luxo. Mas eu não entendo essa frase. Pra ser sincero, eu nunca entendi a solidão, quem dirá essa frase. Eu prefiro acreditar nas coisas boas que eu já fiz nessa vida. Eu enlouqueci, eu sei. Estou perdido, eu sei. Não, ei. Espera. Não vai embora, por favor. Eu já estou terminando. Queria pelo menos te contar como cheguei a estaca zero. Queria te falar que minha verborreia era mais sincera antigamente. Que os átomos do meu corpo se arrepiavam numa metáfora linda ao ver qualquer sorriso alheio. Entendeu a conclusão dessa história? Eu sou apaixonado por sorrisos, moça. Se você sorrir pra mim eu vou ganhar meu dia. Sei que amanhã lembrarei do seu sorriso novamente, e ganharei mais um vez meu dia. E assim será pra sempre. Pois você foi a única que escutou meu desabafo até o final, moça.
—  O palhaço e a moça.
Eu não teria palavras para descrever o que foi aquelas horas com você caso estivesse na minha frente. Você consome as minhas palavras, reduz o meu vocabulário, e a única coisa que eu consigo pronunciar facilmente é “eu te amo”. E são as palavras mais sinceras e as que eu mais desejo falar quando estou ao seu lado. É incrível como eu sou apaixonado por você. Seu sorriso me fascina de um jeito inexplicável toda vez que o vejo. É tão bonito quanto um céu estrelado. Pena que tudo que é bom passa, e não seria diferente com as horas que eu estou contigo. Um dia, eu posso até me esquecer os sabores daquela pizza, do gosto da caipirinha, dos filmes que já assistimos, das conversas que tivemos, mas eu nunca irei me esquecer dos lugares aonde nos beijamos, do seu sorriso encantador, do gosto do seu beijo, da segurança do seu abraço, do brilho dos teus olhos. E, por mais que eu deseje que o mundo pare quando você está comigo, eu ainda sim sinto uma ponta de felicidade quando os ponteiros andam. É que, se tem sensação tão boa quanto estar com você, é saber que estive com você e que amanhã eu também possa estar
—  Matheus Gregory
Eu me vi em você. Me vi completo, apaixonado, por um sorriso encantador que iluminava meus dias, consegui seu amor na hora mais certa da minha vida. Veio do céu seus abraços, seus beijos adoçados. Não sei se é real, mas se for um sonho não me acorde, se for um coma, me desculpem, que me deixem morrer, mais que seja de amor, e de amor por você. Se for real, que sorte a minha, acordar com você num domingo de clichê. Não sou um poeta, nem queria ser, apenas queria um motivo pra viver, e meu motivo é você. Me desculpe, se eu já te magoei, se já te fiz sofrer. Não foi intenção a minha querer magoar meu motivo de viver. Pode ser que um dia a gente se case, num sábado a tarde.
—  Carlos Antônio.

One Shot com Louis Tomlinson.-I wanna be your girlfriend too.

Suspirei ao me lembrar da tentativa falha de me declarar a Louis. Durante três tortuosos anos eu guardei aquele amor sozinha, eu o supria com a amizade de Louis, mas chegou um momento onde aquilo simplesmente não dava mais.

Eu fui até a casa de Louis e lhe disse tudo, sem me importar com o que aconteceria depois, era quase meia noite e eu voltava de uma festa, alegrinha e com coragem por causa da bebida. Louis ficou estático no momento e meu mundo caiu quando a figura feminina desceu as escadas.

-Essa é a minha namorada, s\n, Danielle.-Ele disse, destruindo ainda mais as minhas expectativas, eu não lembro de ter dito mais alguma coisa, eu simplesmente virei e fui embora, Louis tentou me seguir, mas foi só até a porta e me deixou dirigir os cinco quilômetros até em casa bêbada.

Encarei a tela do celular com o coração apertado, a foto de Louis era o fundo, ele tentara conversar comigo depois do acontecido, disse que eu estava bêbada demais para raciocinar e saber o que havia dito, mas eu disse que era verdade, eu estava cansada de esconder isso dele, simplesmente joguei tudo no ventilador. Contei sobre as noites em claro, o imaginando ali, sobre como as coisas simples que fazíamos mudavam a minha vida, deixando-a mais colorida, até que ele parou de responder.

Dois meses se passaram, eu continuava com a estúpida foto de Louis como fundo no celular, me obrigando a olha-lo toda vez que ligava. Louis não me procurou mais, noticias e mais noticias diziam como ele e Danielle pareciam um casal unido, que se amava, destroçando meu coração a cada palavra.

Coloquei o celular na bolsa e saí do prédio onde trabalho, o dia estava chuvoso, o que não melhorava o meu humor, estava me despedindo do porteiro quando o vi entrando, Louis estava com um casaco pesado e touca, suas mãos escondidas dentro do bolso, seu rosto parecia mais magro e haviam olheiras de baixo dos lindos olhos.

-Podemos conversar?-Perguntou quebrando o silêncio que se instalara entre nós, assenti e fui até ele.-Podemos almoçar na lanchonete que tem aqui do lado.-Apenas assenti mais uma vez. Saí do prédio sendo seguida por Louis e meu coração acelerou ao perceber que eu realmente estava sozinha com ele.

-Tudo aquilo que você me disse, era mesmo verdade?-Ele foi direto ao ponto assim que sentamos.

-Já disse que sim.-Disse tirando meu cachecol.

-Por que nunca me disse antes?

-Para não acontecer o que está acontecendo agora, você se distanciar.-Disse chamando uma garçonete com a mão. Pedi um sanduíche e um suco, que logo chegaram, Louis pediu o mesmo.

-Eu não me distanciei.-Disse suspirando.

-Claro que se distanciou Louis, não nos falamos durante dois meses, quando nosso recorde eram dois dias.-Louis passou a língua entre os lábios e olhou para as próprias mãos.

-Eu precisava pensar.-Suspirou.

-E a que conclusão chegou?

-Que eu não posso viver sem você.-Peguei minha bolsa e coloquei algum dinheiro em cima da mesa, me levantei e deixei Louis sozinho. Caminhei rápido, tentando me distanciar ao máximo, mas logo senti sua mão segurando meu braço.

-Onde você está indo?-A chuva caía forte, molhando os cabelos de Louis, agora descobertos pela touca.

-Você não vê? Eu não posso ser só sua amiga Louis, não posso!-Meu coração quase pulou para fora do peito quando senti o impacto dos lábios de Louis contra os meus, passei meus braços em volta do seu pescoço e aproveitei aquilo que sempre sonhara.-O que você fez?-Perguntei em um sussurro, colando nossas testas molhadas.

-Acho que também estou apaixonado por você.-Um sorriso aparecei em meus lábios.-Não posso passar mais tempo sem você na minha vida.-Ele disse, colando nossos lábios novamente.