anunci

A transa mais louca que eu já tive


Ol meu nome é Hellen, tenho 18 anos e vou contar algo que aconteceu comigo no dia 06/05/2017, sou morena, tenho 1,70 de altura, peso 69kg, tenho os seios médios durinho, bumbum não muito grande, mas também não muito pequeno. Neste sábado fiz sexo bem gostoso na cozinha de uma amiga.

Na sexta foi aniversário de um das minhas melhores amigas e eu passei lá pra dar um abraço nela, mas foi somente isso, pois a festa seria no sábado onde nos reunirmos para beber, quando cheguei na casa da My, a aniversariante, já estavam lá,  o namorado dela,  uma prima dela que é outra melhor amiga minha e seu marido. Depois de um tempo chegou o Bruno, um amigo nosso que mora na mesma rua que da My. Ele é branquinho, tem 1,80 de altura, olhos claros e tem namorada, ao chegar ele comprimentou a todos e na minha vez, já veio com um sorrisinho bem safado, nisso ele sentou na minha frente e colocou o celular sobre a mesa, no que ele pôs o celular sobre a mesa, a namorada dele ligou, e eu disse: “sua namorada está ligando”

e ele me disse: ”nem ligo” descartou a ligação e sorriu, ela ligou umas 3 vezes para ele, e as 3 vezes ele descartou. Eu e a My começamos a brincar com ele dizendo que ele iria apanhar quando chegasse em casa, ele sorriu e disse: “tô nem aí” e sorriu novamente eu e a My sorrimos também.

Começamos a jogar baralho enquanto íamos bebendo e comendo alguns petiscos que minha tia tinha feito para a gente, ficamos na área, onde pudemos ouvir algumas músicas eletrônicas provenientes de uma festa que estava acontecendo a uns 10km de onde estávamos, animados pela ocasião começamos a planejar irmos todos a festa. Um outro casal de amigos Roger e Mariana, chegou trazendo catuaba e fortalecendo a ideia de irmos para festa, saindo ali mesmo da casa da My. Nessa hora já tínhamos esquecidos os jogos e estávamos só bebendo. A Mariana disse que conseguia os ingresso da festa para a gente a através de um amigo, ficamos um tempo discutindo se íamos ou não.

Nesse meio tempo o Bruno não parava de olhar pra mim, me provocando com troca de olhares, as vezes até passava o pé sobre minhas pernas, a essa altura ele já tinha até tirado   a aliança. A My já tinha sacado que ele me queria e perguntou ao Bruno se ele estava solteiro ele respondeu dizendo: “tecnicamente sim” e me fez a mesma pergunta eu disse que sim, aproveitando da situação ela falou: “pronto, temos um casal, todos estamos de casal”. Ficamos discutindo sobre a festa até que decidimos não ir, pois estava tendo blitz em toda a cidade e  todo mundo estava bebendo.

Bruno deu a ideia de ir na casa dele pegar a televisão para assistirmos um filme, O Roger e a Mari, foram embora porque já estava tarde, 2:30 da manhã, e estavam com medo de serem parado por uma blitz . Nisso o Bruno e o namorado da minha amiga foram na casa dele pegar a televisão, enquanto eles foram pegar a televisão, aproveitei que o marido da prima de My, foi ao banheiro para falar as minhas amigas que tava louca pra ficar com o Bruno, contei sobre as provocações dele e elas falaram que eu devia pegar ele, porque  há um ano atrás era pra mim ficar com ele, mas eu fiz cu doce, eu assumo e me arrependia toda vez que o via então elas  me disseram para ir fundo.

Depois eles voltaram com a TV ficamos em 3 casais, nisso a aniversariante perguntou bem assim pro Bruno “Bruno a Hellen pode te abarcar né?”, ele deu uma risadinha e disse “claro que pode”, minha amiga virou pra mim e disse “você ouviu né amiga, não precisa ficar com vergonha” e vergonha é uma coisa que eu não tenho kkk. Nisso ele começou escolher o filme, perguntou qual a gente queria começamos a assistir uma comédia brasileira mas daí tiramos e colocamos outro filme de comédia. Nisso que colocamos o outro filme o Bruno virou pra mim e disse “pode me abraçar Hellen” e deu um sorriso de canto, estávamos sentados em um sofá, então peguei uma cadeira e coloquei em nossa frente, ele colocou o pé dele e eu,  o meu por cima do pé dele e o abracei.

Já tínhamos bebido duas garrafas de catuaba é uma garrafa de vodka nisso a prima da My e o marido dela foram embora, ficando assim, eu, Bruno, a My e o namorado dela, O Bruno foi até a mesa pegar catuaba mas não tinha gelo pois estava na cozinha, me ofereci para ir pegar,  logo minha amiga disse “vai lá Bruno com ela pegar o gelo” e ele veio atrás,  peguei o gelo coloquei no copo dele,  fui lavar um copo pra mim, fiz questão de empinar bastante meu bumbum quando me virei para a pia, estava com um shortinho, com uma calcinha de renda, estava lá de costas quando ele disse “sua bunda está suja” e começou a passar a mão na minha bunda de repente ele colocou a mão por dentro do meu short e disse “eu sempre quis pegar” nessa, hora eu já comecei a ficar excitada, já podia sentir minha xotinha umedecendo, daí eu disse “agora tem a oportunidade” ele me puxou e me deu um beijo bem molhado e ficava apertando a minha bunda, aproveitou para passar a mão por cima da minha blusa, apertando de leve meu seios, me deixando doidinha. Saímos da cozinha e fomos pra área chegando lá minha amiga me deu um sorriso e eu sorri pra ela coisas que só mulheres entendem.

Passou-se uns 30 minutos mais ou menos e ele me disse que queria beber água eu finjo que nem tinha ouvido mas antes ela já tinha me falado no meu ouvido : "quero transar com você” logo respondi que também queria. Ele me disse de novo que queria beber água daí eu disse “ vai lá pegar”, ele se levantou e foi aproveitei pra dizer “traz pra mim, respondendo com um "ok”, no que ele foi ele voltou e disse que não tinha achado o copo, sendo que os copos ficam do lado do bebedouro,  minha amiga disse “meu Deus Bruno o copo tá na sua cara”,  ela já ia levantando para pegar o copo quando eu disse "não My, deixa que eu pego”, ela olhou pra mim e sorriu e disse “ tá bom amiga”.

Chegando na cozinha novamente, fui pegar o copo e ele me disse “quero você primeiro, depois a água” e já foi me puxando e me beijando, passando a mão pelo meu corpo e eu fazendo o mesmo, ele  apertava meu seios e minha bunda, fui ficando cada vez mais excitada, podia sentir seu membro empurrando a bermuda, comecei a apertar seu pau por cima do short, quando ele disse que queria meter me mim, sentir um tesão enorme, na hora me virei, pus minha mão na pia e me inclinei um pouco, ele foi abaixando meu short enquanto mordia e dava beijinho em minha bunda, depois tirou a minha calcinha, estava esperando por aquele cacete gostoso, já estava molhada, então ele começou a me chupar bem gostoso, lambendo minha xota me deixando ainda mais molhada, porém não tínhamos tempo, então se posicionou em pé atrás de mim, botou a cabecinha na porta da minha xotinha e começou meter bem gostoso,  com força aumentando cada vez mais a velocidade,  logo gozei, então disse “posso gozar em você?” Eu disse “não” (porque não tomo remédio), ele falou “ ajoelha então, vou gozar na sua boca”, dava doidinha pra sentir o gosto daquele membro gostoso, comecei a chupar aquele pau, a indo cada vez mais com vontade, passava a língua na cabeça rosada dele e chupa com muita vontade eu sentia as veias dele latejar dentro da minha boca, ele anunciou que iria gozar dei mais uma chupada e ele gozou na minha boca, cuspi no pau dele e chupei novamente, deixei bem limpinho, ele ainda permanecia ereto então meteu de novo em mim, só que dessa vez ele me sentou na pia e de frente começou a botar bem gostoso em minha xota, fui gemendo bem baixinho no seu ouvido, enquanto ele me falava putarias,  perto de gozar ele tirou de dentro e gozou em minhas perna.

Ao acabar ele me pergunta,  "satisfeita, sua vadia?“, logo disse "muito, obrigada”, ele me deu um sorriso e me beijou com vontade, coloquei meu short e ele o dele lavei minha mão na pia tomei um copo d'água ele também, na hora que íamos saindo ele me deu um tapa na bunda e falou “gostosa” olhei pra ele dei um sorrisinho, fomos pra área e fingimos que nada aconteceu.

- Conto escrito por Hellen

Entretenimento "gospel" não é Evangelho. É antibíblico.

“Se você usa meios carnais para atrair pessoas para a igreja, você atrairá pessoas carnais e terá que continuar usando meios carnais ainda maiores para mantê-los na igreja.”
- Paul Washer.

O mundo precisa do Evangelho, e a igreja também, muito mais do que é oferecido hoje. Utilizar tempo e recursos que poderiam ser aplicados na pregação da mensagem de Cristo em atividades de entretenimento e outros eventos do gênero é simplesmente negligenciar o Evangelho. É ofuscar o poder da Palavra, duvidar de sua plena capacidade de penetrar nos corações e, ainda, esquecer que é o Espírito Santo que age por meio dela, o qual convence o homem do pecado, da justiça e do juízo. Não é necessário mais nada para conduzir homens e mulheres a Cristo, senão a pregação autêntica do Evangelho e a prática de sua essência.

A igreja não tem que se assemelhar ao mundo para atrair pessoas. Ela tem que se assemelhar a Cristo - que anunciou o Reino de Deus, pregou a verdade e evidenciou a gravidade do pecado, junto com a necessidade de arrependimento e a dádiva da salvação pela fé, concedida gratuitamente por Deus. A Cristo!

i’m in love with the shape of you

  • Olá pessoas!! Tudo bom? One shot/imagine novinho em folha, espero que gostem. Eu sumi de novo, mas tenho sim alguns imagines em comecinhos. É que eu demoro demais num imagine só e no processo de um começo outro e vira tudo uma bagunça. Desculpem os erros, por mais que tente sempre tem coisa errada.
  • A maioria desse imagine eu escrevi ouvindo Shape of You - Edinho Sheeran
  • Enjoy it!

Keep reading

Pedido: Faz um do Payno q ele é um empresário de sucesso e eles se conhecem desde criança, namoraram, casaram. Tiveram filhos, construíram uma vida juntos mas ele se sente infeliz e pede um tempo pra ela pra poder se divertir, nisso ele começa a sair cm outras, inclusive a secretária dele, a ir em boates e aproveitar muito mas ele n sabia q a (S/n) tava gravida de novo, ela foi embora cm os filhos e depois de um tempo se divertindo ele vai atrás dela q nem um louco e depois de muito tentar a reconquista - Anônimo

Eu fiz algumas modificações enquanto eu escrevia -e eu nem tinha notado isso- então me desculpe por não ter ficado exatamente igual o pedido.

Obrigada por ter feito o pedido.❤

***

Imagine Liam Payne:

Pov’s Liam

05/06/2004

“S/n é a menina mais bonita da minha rua, com toda a certeza que não existe nenhuma outra igual à ela, pena que somos só amigos, mas isso ainda vai mudar, meu maior sonho é conseguir fazê-la se apaixonar por mim.

(…)

-Lee! Hoje minha mamãe disse que vai nos levar para tomar sorvete!
S/n se aproximou de mim pulando feliz. A garota de dez anos é um pouco mais baixa do que eu o que a faz ficar ainda mais fofa.

-Que bom! Quero te mostrar um lugar, mas preciso pedir pra sua mãe primeiro.
Falei vendo-a parar me olhando curiosa.

-Que lugar?
Perguntou franzindo as sobrancelhas inocentemente.

-Logo, logo você vai saber. Não posso estragar a surpresa.
Sorri e beijei sua testa, vendo-a corar.

(…)

Depois de tomar o sorvete, pedi para a S/m deixar que fôssemos até o parquinho, ela deixou mas disse que ficaria por perto para que não fôssemos sozinhos. Peguei na mão de S/n e caminhei com a mesma até a casinha que tinha no parquinho, a casinha está vazia pois é domingo e não costumam vir muitas crianças de domingo.

-Liam, como você é bobo! Nós já viemos aqui.
S/n falou risonha.

-Não é isso. Eu te chamei aqui por outro motivo.
Falei e ela franziu as sobrancelhas igual mais cedo.

-Pelo o que me chamou?
Perguntou. Respirei fundo antes de perguntar.

-Já beijou alguém?
Perguntei. É claro que eu sabia a resposta, ela é minha melhor amiga e vivemos literalmente o tempo todo juntos, mas ainda sim, quero que ela responda.

-N-não.
Respondeu corando. Sorri, seria agora.

-Então…Eu posso?

-Pode o que?

-Te beijar.

-Mas…Liam…somos amigos, amigos não fazem isso.
Falou baixo. Amigos realmente não fazem isso, mas se ela colaborasse não seríamos apenas amigos.

-Fazem sim!

-Quem disse?

-…Minha irmã!

-Sua irmã?

-Sim, eu vi ela beijando o melhor amigo dela semana passada.
S/n respirou fundo e mexeu os pés inquietamente.

Quando estava quase desistindo, escuto uma voz tímida.

-Tudo bem.
Ela falou fitando o chão.

-Se não quiser eu entendo, não quero te forçar.
Falei. Eu realmente queria aquilo, mas acima de tudo, preferia que ela me beijasse por ela mesma.

-Eu quero, só não tenho certeza se…consigo.

-Como assim?

-Nunca beijei ninguém, não quero que pense que sou idiota por não saber.

-Nunca irei pensar que é idiota por não saber beijar, estou feliz que vou ser seu primeiro.
Sorri e ela levantou seu olhar me encarando.

S/n se aproximou timidamente e eu entendi isso como um sim. Coloquei as mãos em sua cintura e beijei sua bochecha antes para lhe passar confiança, aproximei meu rosto do seu e ri de leve quando a mesma fechou os olhos, aproximei nossas bocas e colei nossos lábios em um selinho, um simples selinho, mas com muito significado.”


05/09/2010

“Meu primeiro beijo foi inesquecível, só é uma pena que S/n tenha arranjado um namorado, e este eventualmente não sou eu.

-Liam!
Escutei uma voz irreconhecível me chamar.

Me virei e vi a garota dos meus sonhos correndo em minha direção.

-Hey, não fala mais com sua amiga?
Parou na minha frente sorrindo.

-Não. Pensei que seu namorado poderia ficar com ciúmes.
Respondi indiferente e a vi franzir o cenho, como sempre fazia.

-Namorado?
Perguntou confusa.

-Desculpe, Henry não é seu namorado?
Perguntei vendo-a abrir um sorriso.

-Não! Liam…Henry é gay, ele pediu para que eu fingisse ser namorada dele por causa do pai dele.
Respondeu. Isso foi inesperado, e um tanto triste por Henry mas, S/n não está namorando?

-Então…não preciso me preocupar com ciúmes do seu “namorado”.

-Claro que não. O único ciumento aqui é você!

-Eu?

-Sim. Você sempre foi o único que sentiu ciúmes de mim.

-Claro! Você vive rodeada de…Ok desculpe. Não vou ser tão ciumento.

-Não se preocupa, eu te entendo, também sinto ciúmes de você.

-Sente?

Ela assentiu.

-Por que? Somos só amigos.

-Exatamente por isso.
Um silêncio constrangedor se instalou entre nós.

-Lembra da casinha?
S/n falou de repente.

-Casinha?
A olhei confuso.

-Nosso…beijo.
Respondeu. Ah se lembro, nunca havia sequer esquecido desse dia.

-Eles vão tirar o parque de lá e construir um estacionamento.
Falou triste.

-Não podem fazer isso.

-Mas vão, deixaram um aviso que na semana que vem o parque não vai mais existir.
Falou cabisbaixa.

-Vamos lá.

-O que?

-Vamos no parque! Não quero que destruam antes de eu me despedir.
S/n sorriu e me acompanhou.

Chegando no parque encontramos o mesmo quase vazio, haviam apenas duas crianças no balanço.

-Vamos na casinha.
Falou apontando para a mesma.

Assim que chegamos, tivemos que nos abaixar para conseguir entrar na pequena casa.

-Tenho lembranças tão boas daqui.
Sorriu se sentando no chão.

-Que tal relembrarmos?

-Hm?

-Vamos nos de pedir da casa de um jeito que lembraremos dela para sempre.
Sugeri e ela corou.

-Tudo bem.
Sorri aproximando nossos rostos e logo colando nossos lábios. Me impressionou quando a mesma pressionou sua língua em meu lábio pedindo passagem mas eu logo cedi, sua língua inexperiente explorava minha boca em um doce beijo, muito melhor do que o primeiro.

-Aceita…er…quer ser minha namorada?
Perguntei nervoso assim que terminamos o beijo.

-Aceito!
Respondeu animada.

-Nunca irei esquecer.
Sorri e a beijei novamente.”


04/02/2014

“O grande dia havia chegado. Nunca, nem em um bilhão de anos eu achei que iria me casar com a mulher que eu sempre amei e sempre vou amar.

-Liam James Payne, você aceita S/n/c como sua legítima esposa?

-Aceito!

-S/n/c, você aceita Liam James Payne como seu legítimo esposo?

-Aceito!

-Então…Eu os declaro, marido e mulher.

-Pode beijar a noiva.
E assim, eu sussurrei um “eu te amo” antes de me aproximar e a beijar. Todos no lugar começaram a comemorar e fazer barulho, todos muito felizes.

(…)

Quando a festa estava rolando, chamei S/n na varanda do salão para observar a lua, S/n parecia inquieta mas pensei que fosse pelo casamento. Eu estava completamente enganado.

-Liam…esses dias eu estava um pouco confusa com algumas coisas que estavam acontecendo comigo até que…Eu fiz um…teste de gravidez.
Falou e eu a olhei com um misto de felicidade e descrença.

-E…eu estou grávida.
Falou. Um sorriso rasgava a minha cara.

-Eu…eu vou ser pai?!
Perguntei transbordando felicidade.

-Sim, vamos ter um filho!
Falou e pulou em meus braços me abraçando.”


06/04/2016

“Troye estava completando três anos, o garotinho de olhos castanhos é uma perfeita mistura de S/n e eu. Sua festa do Batman estava muito bem decorada e cheia de nossos parentes. O melhor que eu poderíamos querer.

-Eu gostaria de fazer uma revelação a todos!
S/n chamou a atenção dos convidados.

-Algumas semanas atrás eu descobri que está vindo mais um Payne!
S/n anunciou com alegria todos começaram a sorrir felizes e nos parabenizar.

-Parabéns Liam! Vai ser um ótimo pai.
Andy veio me parabenizar.

Mais um. Ainda estou em choque, mas feliz.”


Atualmente - 2017


Agora com meus dois filhos, Troye de quatro anos e Champ de um ano, vivo uma vida imensamente feliz e corrida. Desde 2015 trabalho em uma das maiores empresas de Londres, por isso, consigo dar do bom e do melhor para meus filhos e minha esposa.

-Liam! Pode me ajudar com a mochila de Champ?
S/n apareceu na cozinha com Champ nos braços e Troye agarrado em sua saia.

-Tudo bem. Hey filhão, porquê não deixa sua mãe e vai terminar de se arrumar para ir para escola?
Perguntei ao pequeno Troye que estava com um bico.

-Não quero ir para a escola, papai.
Troye choramingou. Peguei o mesmo no colo e fui andando até a sala para ir arrumando a mochila de Champ.

-O que aconteceu?
Perguntei a Troye que brincava com minha gravata.

-Ouvi você conversando com uma mulher ontem, meu amigo disse que quando o pai dele fazia isso era porque ele estava deixando a mãe dele. Eu não quero que você deixe a mamãe.
Falou.

-Troye…a mulher com quem o papai estava falando ontem era só a secretária da empresa, não precisa ficar assim, você tem que se preocupar com seus estudos.
Falei ao mesmo que assentiu.

-Tudo bem, desculpe. Eu amo vocês.
Falou me abraçando.

(…)

Mais um dia cansativo na empresa. Cheguei em casa às onze da noite, os meninos já dormiam e S/n estava no sofá me esperando.

-Chegou tarde hoje, está tudo bem? Fiquei preocupada.
Me selou.

-Tudo bem, eu só me atrasei um pouco.
A verdade é que eu não aguento mais, todo dia a mesma coisa. Não queria que isso acontecesse mas a verdade é que eu cansei disso, talvez viver com a mesma pessoa durante treze anos não é as mil maravilhas, chega uma hora que cansa, é difícil ver a mesma
pessoa sempre. O nosso conto de fadas já não está ficando mais legal.

-Ok, vamos dormir então.
Sorriu fraco e subiu as escadas na minha frente.

Eu não sei como eu pensei que continuaria apaixonado pela mesma pessoa para sempre. Ela foi meu primeiro beijo, minha primeira namorada e a única pessoa com que me envolvi a minha vida toda. Eu deveria ter aproveitado mais enquanto era jovem, ter ficado com mais mulheres, me relacionado com outras. Talvez agora eu não estaria nessa situação, e eu não teria que machucar o coração de minha esposa.

-Boa noite.
Sorriu sem mostrar os dentes e apagou a luz assim que terminei de vestir meu pijama.

| Dia seguinte |

-Champ! Não jogue as frutas no seu irmão!

-Mamãe manda ele parar!

-Troye, por favor vai chamar seu pai!
Acordei com a gritaria. Amo meus filhos, mas o que eles tem de beleza tem de bagunceiros.

-Papai!
Troye balançou meu braço e eu me levantei.

-Me espera no banheiro que eu já vou te dar banho.
Falei ao menino todo cheio de restos de fruta pelo corpo e roupa.

Fui até a cozinha ver como estava a situação.

Champ estava no cadeirão com as mãozinhas e a boca sujas, S/n estava toda descabelada tentando limpar a cozinha.

-S/n…viu só, eu disse que era melhor termos contratado uma empregada.
Falei pegando em alguns panos e recebendo a atenção da mulher.

-Tem razão, eu não aguento mais Liam, minhas costas estão acabadas por tanto limpar o chão.
Reclamou largando tudo e me olhando cansada. Abri os braços e a mesma me abraçou.

-Eu te entendo.
Sussurrei.

Depois alguns poucos minutos no abraço me lembrei de Troye que me esperava no banheiro.

-Faz assim, ligue para uma empregada e diga que venha agora, eu posso pagar o salário dela. Vou dar banho no Troye e você tenta limpar o Champ.
Falei a ela que assentiu.

Voltei ao quarto dos meninos e encontrei o garotinho na banheira brincando com alguns brinquedos.

-Demorei demais?

-Não papai!
Troye sorriu.

(…)

-Papai…você ama a mamãe?
Troye perguntou quando estávamos indo para sua escola.

-Por que essa pergunta agora?
O olhei brevemente.

-Mamãe estava chorando esses dias. Pensei que se você ama ela, você podia curar ela, que nem naquela história que você leu para mim onde a princesa acordou com um beijo.
Troye falou. Ok, ele acertou minha ferida.

-Ahm…Troye entenda, você é muito pequeno e essas coisas de adultos são muito confusas. Um dia você vai se apaixonar por alguém e vai me entender.
Troye assentiu em silêncio.

(…)

Hoje nossa empresa estava fazendo vinte anos de negócios, e para comemorar todos os funcionários e empresários foram convidados para uma festa. O problema em sí é, festa, bebida e um cara destruído. Isso não vai dar certo.

-Então Liam, como anda a família?
Andy me perguntou me entregando mais um copo.

-Mais ou menos cara, mais ou menos.
Respondi lento. A bebida já fazia um leve efeito.

-Mas você está bem?

-Essa é a pergunta que me faço todos os dias.

-Uau, me admira ver você, o cara que sempre teve tudo o que queria, destruído desse jeito.

-Pois é Andy, nem tudo é perfeito.

-Mas você se arrepende? De tudo o que te aconteceu?

-Sabe que não? Eu só não acho que agora, tudo esteja bem.
Respondi. Verônica minha secretária estava se aproximando de nós, a mulher morena e bem vestida estava segurando duas taças na mão.

-Mais uma?
Me entregou a taça. Eu não poderia negar que Verônica é uma das mais belas dessa empresa, mas sou casado, e respeito meu casamento enquanto ele ainda existe.

-Vocês estão querendo me ver bêbado hoje.
Falei humorado.

-Pode não ser tão ruim.
Verônica piscou.

Se eu não estivesse tão alcoolizado eu diria que ela está dando em cima de mim.

(…)

Depois da grande festa, cheguei em casa exausto e agradecendo aos céus que hoje é sexta feira e amanhã terei o dia todo para descansar. Ou assim eu acho.

| Dia seguinte |

Acordei completamente exausto, e só quando abri os olhos eu notei que estava no sofá.

Levantei do mesmo e fui para a cozinha procurar algo para comer. Ouvi passos na escada e logo S/n apareceu na porta.

-Bom dia.
Respondeu simples mas sem animação.

-Mais tarde precisamos…

-Conversar. Eu sei.
Me cortou.

-Você sabe?

-Quer começar a conversa agora?

-Tudo bem. Sobre o que sabe exatamente?

-Troye me contou sobre a mulher, é a Verônica? Sua secretária?

-Amor…não assim…

-Não precisa me chamar de amor, essa palavra nem deve ter mais sentido para você.

-Do que está falando?

-Pensa que eu não percebo? Eu não sou idiota Liam!

-Tudo bem. Mas não aconteceu nada entre nós, eu respeito você e o nosso casamento.

-Pode não ter acontecido, mas sei o quanto deve estar infeliz por isso.

-Eu não estou infeliz. Eu só acho…acho que quero um tempo para mim, já fazem treze anos que te conheço, sete anos de namoro e vamos fazer um ano de casados. Eu me sinto preso, sinto como se eu não tivesse aproveitado o bastante.

-Mas foi você que quis isso Liam! Você me deu meu primeiro beijo, você me pediu em namoro, você me pediu em casamento, nós fizemos dois filhos. Como não aproveitou bastante?

-Eu vivi a minha vida inteira só com você. Nunca namorei outras mulheres, nunca me relacionei com nenhuma outra. Sabe o quanto isso é estranho? Como posso saber se te amo se você foi a única?

-Me diga você Liam, já que por todos esses anos você disse que me amava. E agora? Não tem mais certeza?

-Não é isso. Eu só quero um tempo, um tempo para mim, para me descobrir e descobrir o que quero para minha vida. Por favor tente me entender, eu estou confuso e não quero fingir que ainda amo você, por quê eu já nem tenho certeza mais.

-Tudo bem Liam, mas não pense que eu vou parar a minha vida para você decidir a sua. Você tem o tempo que precisar, e se achar melhor, não volte nunca mais.
S/n se levantou e saiu pisando firme.

(…)

Vi S/n arrumar suas coisas e as dos meninos, me cortou o coração ver Troye perguntando a todo momento “Para onde vamos? E o papai?” mas já está decidido, não tem mais volta.

Após os três saírem, me encontrei perdido. A verdade era que eu não havia planejado que as coisas fossem tão rápidas assim.

(…)

Já era de noite, resolvi que teria que sair um pouco, esfriar a cabeça. Liguei para alguns amigos e combinamos de ir em uma boate.
Chegando no lugar, a música alta já se era ouvida e as várias pessoas dançando atrapalhavam o caminho. Pedi bebidas no bar e fui para a pista junto a todos.


Assim que cheguei em casa tinha marcas de batom por todo o corpo, cambaleante e bêbado me joguei no sofá. Estou certo de que nunca havia feito isso antes em todos os meus vinte e três anos de vida. Devo ter ficado com quatro mulheres essa noite, mas ainda não me sinto satisfeito, talvez por quê seja só a primeira noite.

| Dia seguinte |

Acordei com uma enorme dor de cabeça, meu estômago embrulhado e o sono e o cansaço não me deixavam.

-S/n!
Chamei por minha mulher.

-S/…!
Me lembrei. A bebida realmente afetou mais do que deveria.

Levantei do sofá e fui direto para o banheiro procurar uma aspirina. Tomei a mesma e me olhei no espelho, como eu consegui chegar nesse ponto? Será que todos da minha idade que não são casados e não tem filhos vivem assim? Isso é assustador.

Caminhei para a cozinha e preparei um café bem forte. Depois de me alimentar, reparei que ainda uso as mesma roupas da noite passada. Fui ao banheiro tomar banho e colocar roupas limpas e confortáveis. Hoje eu só quero ficar deitado na minha cama.

| Dois dias depois |

Verônica e eu andamos saindo. Verônica realmente é uma mulher maravilhosa, por breve momentos ela até me fez esquecer a S/n, apesar de estar sendo impossível.

-Mas então Liam, por quê você decidiu se casar tão cedo e com a única mulher que você se relacionou por sua vida inteira?
Vero perguntou.

-Porque eu a amava.
Respondi simples. Verônica sorriu.

-Não a ama mais?

-Não tenho certeza.

-Então por quê decidiu sair comigo?

-Por que eu queria me distrair.

-Então eu sou só uma distração?

-Sabe que não quero nada sério ainda.

-Mas eu pensei que…

-Em momento algum eu disse que queria algo sério.

-Tudo bem.

-Mas e seus filhos?

-Podemos mudar de assunto?

-Sabe que não? Eu quero saber se realmente está aqui por que quer ou se só está aqui para provar algo a sí mesmo!

-Como assim?

-Arranjou esses encontros comigo por quê não sabe se ainda ama sua mulher, mas qual é Liam! Ou você a ama ou você nunca a amou.

-Eu a amei sim! Eu era louco por ela.

-E por que acha que isso acabou? O encanto simplesmente se desfez? Isso não acontece Liam!
Verônica falou exaltada. Parei para pensar, talvez ela tenha razão.

-Desculpe eu…

-Liam. Vai resolver esse seu problema, podemos continuar amigos, não se preocupe comigo, se preocupe com você! Você tem uma esposa perfeita te esperando seja lá onde ela esteja e dois filhos maravilhosos que precisam de você, não estrague isso, você teve muita sorte com o que conseguiu.
Verônica falou e deixou um beijo em minha bochecha antes de sair do local.

(…)

Voltei para casa martelando tudo aquilo na minha cabeça. Liguei para Andy, ele é muito amigo de nós dois e tenho certeza de que S/n deve ter mantido contato com ele.

-Andy?

-Oi cara! Eu fiquei sabendo sobre o que aconteceu…

-Sobre isso mesmo que eu quero falar. Sabe onde S/n está?

-Então…ela me pediu para não te contar, mas você é meu amigo e creio que já esteja arrependido pelo o que fez.

-Exatamente. Pode me ajudar?

-Antes disso…creio que tenha que saber de algo.

-O que?

-S/n está grávida.

-…

-Você vai ser pai de novo Liam! Agora mais que tudo S/n precisa de você.

-Por que ela não me contou?

-Você andava distante. Ela pensou que você já sabia e não iria aceitar mais filhos.

-Eu nunca faria isso!

-Mas você sabe como ela é insegura, não é culpa dela.

-Ok, obrigada. Você pode vir aqui e me levar até ela?

-Eu falei que não iria contar, desculpe.

-Você não vai contar, vai me levar até lá.

-…Ok, mas só por quê é por uma boa causa.

Pov’s S/n

Grávida. Era isso o que me preocupava durante essas semanas. Mas então veio Liam e me confundiu mais ainda com toda essa história de “Quero curtir a vida”, eu não o fazia feliz?

-Mamãe! Quando papai vai chegar?
Troye perguntou.

-Não sei querido.
Acaricei seus cabelos castanhos.

-Sinto falta dele.

-Eu também.
Admiti.

A campainha tocou e eu franzi o cenho. Como eu estava na casa de minha mãe ela se ofereceu para ir atender.

-Olá Andy! Quanto tempo não o vejo, entre.
Sorri ao saber que era ele. Andy é o único amigo em que eu posso confiar.

-Olá!
Andy entrou sorrindo e eu retribui. Mas logo meu sorriso se desfez quando Liam entrou atrás dele.

-Vou deixá-los sozinhos.
Minha mãe falou levando Champ que dormia.

-Papai!!
Troye correu para Liam.

-Oi filho.

-Eu senti sua falta.

-Eu também.

-Hey Troye, porque não ajuda o tio com aquele quebra cabeça?
Andy falou para o garoto que logo saiu dos braços de Liam e correu junto a Andy.

Encarei Liam e o mesmo se sentou ao meu lado.

-Por que veio?
Perguntei.

-Por você, eu tentei me encontrar e descobri da pior forma que tudo o que queria, eu já tinha.

-Da pior forma?

-Sim, eu literalmente levei um sermão da mulher com quem eu saí.
Falou e eu ri.

-Mas isso foi bom, me fez perceber que todos estavam certos, eu não preciso ter me relacionado com milhares de pessoas para saber que você é a certa. E essa vida de cara normal de vinte e três anos, bem, eu descobri que não é para mim.
Sorriu. Respirei fundo.

-Tem certeza que não quer mais tempo?

-Eu só preciso gastar o meu tempo do lado da minha esposa e dos meus…três filhos.
Falou colocando a mão em minha barriga.

-Quatro.
Liam me olhou confuso.

-São gêmeas.
Sorri. Liam abriu um lindo sorriso e pude ver seus olhos encherem.

-São duas meninas?

-Sim.

-A meu Deus! Eu realmente não queria coisa melhor.
Falou me abraçando ri de sua felicidade e logo notei bracinhos se juntando em nosso abraço. Era Troye.

-Mamãe e papai estão melhor?

-Sim filho, estamos bem.
Sorri.

***

Espero que tenha gostado.😘

Se possível, vá na ask e diga o que achou, é importante para mim e isso me motiva a continuar.😊❤

#Preference - Paternidade

Harry:

Harry P.O.V


Eu escutava alguns barulhos de passos vindos do corredor do lado de fora, mas eu estava com bastante sono, preferi ignorar.


Sentia que a cama estava vazia ao meu lado, me fazendo pular ao perceber que já era mais de 07:00 da manhã, então s/n já havia ido trabalhar.


“Puta que pariu” Mumurrei ao bater meu dedo no pé da cama.


“Papai?” Escutei Darcy me chamar e logo depois minha garotinha abriu a porta de meu quarto. “Acho que estou atrasada para a escola”.


“Eu sei filha. Vamos se arrumar rápido ou sua mãe me mata”. Disse já lhe puxando para o banheiro de meu quarto e tirando sua roupinha para lhe dar um banho.


Darcy tinha apenas 6 anos, e eu e várias outras pessoas já lhe considerava muito inteligente para a sua idade.


Hoje era o dia em que suas aulas voltavam depois das férias, e ela já estava mais que animada.


Eu era casado com s/n há 10 anos, e a cada dia que passava eu ficava mais apaixonado por aquela mulher.


Dei um suco de caixinha e uns biscoitos para Darcy ir comendo no caminho até a escola, já que eu estava mais que atrasado e as chances de s/n me matar se descobrisse eram altas.


Parei o carro em frente à escola o mais depressa possível, já que a moça que ficava no portão do colégio já estava anunciando o fechamento dos portões.


Tirei o cinto rapidamente, saindo só carro e indo até o banco de trás, pegando a mochila e a lancheira de Darcy, e lhe tirando da cadeirinha.


“Esta entregue, filha. Não se esqueça que quem vai lhe buscar vai ser a mamãe. Não vá com ninguém além dela, ok?! Coma o lanche direitinho…”


“Tudo bem, papai. Você fala isso sempre”. Ela disse dando uma risadinha e logo depois um beijo em minha bochecha. “Eu te amo”. Disse e saiu correndo entrando no colégio.


Zayn:

Zayn P.O.V



Abri a porta aliviado por finalmente ter chego em casa. Com as gravações do novo álbum, e ideias para um possível turnê, tudo ficava mais agitado.


O ambiente estava calmo, e as luzes do primeiro andar estavam todas apagadas. Estranhando o silêncio, logo fui para o segundo andar, notando que apenas a luz do quarto de minha filha estava acesa.


Bati duas vezes na porta e entrei, me deparando com minha esposa s/n e minha filha Helena, colorindo em uma mesinha cor de rosa que havia no canto do quarto.


“Papai, papai, você chegou” Disse vindo correndo e pulando em meus braços. “Mamãe estava me ajudando a fazer um desenho para dar de presente para você. Mas não acabei ainda” Disse fazendo um biquinho.


“Eu aposto que ficou lindo, boneca” Eu disse lhe dando um beijo na bochecha, caminhando até a mesinha e me abaixando para dar um selinho em minha mulher.


Fiquei ajoelhado em frente à mesa enquanto Helena pegava um dos milhares de papéis que estavam espalhados por ali.


“Eu estava tentando desenhar igual a você, papai. Mas acho que não ficou muito parecido” Disse passando a mão pelos cabelos, já que tinha a mesma mania da mãe quando ficava envergonhada.


“Ficou lindo, meu amor. Tenho certeza que o papai vai adorar” s/n disse sorrindo para Helena, lhe encorajando a mostrar o desenho.


Helena concordou com a cabeça e rapidamente me entregou o papel.


No desenho haviam 3 bonequinhos de ‘palitinho’. Um mais alto com o ‘cabelo’ espetado (o que eu imaginei que fosse eu), um com os cabelos longos e um pouco mais baixo que o primeiro (o que eu deduzi ser s/n), e um pequenininho de cabelos curtos (que representava Helena).


Além do desenho, havia em letras maiúsculas e um pouco tortas a frase “Te amamos papai” feita com lápis de cor.


“Esta lindo filha. Bem mais bonito que os meus.” Eu disse emocionado, lhe abraçando.


“Sério?” Perguntou com os olhinhos brilhando. “Obrigada papai.”


“Eu quem lhe agradeço, linda.” Disse dando um beijo na testa e observando s/n com um sorriso imenso no rosto.


“O que foi?” Perguntei rindo ao ver seus olhos brilhando.


“Ela se parece tanto com você.” Afirmou e lhe dei um sorriso, concordando.


“Vocês são as mulheres da minha vida.”


Niall:

Niall P.O.V


“Será que sua mãe vai gostar?” Perguntei sussurrando para Nicole, minha filha de 10 anos.


“Tenho certeza que sim, papai. Ela diz que quer um cachorro a bastante tempo.” Disse sorrindo enquanto segurava o filhote de labrador com um laço de presente em volta de seu corpo.


“Então vamos subir logo, antes que ela acorde.” Eu disse pegando a bandeja com um café da manhã e um botão de rosa.


Hoje era aniversário de s/n, minha esposa a 12 anos. E como surpresa, eu e minha filha decidimos lhe dar um cachorro, coisa que ela já queria a bastante tempo.


Subimos as escadas no máximo de silêncio possível enquanto o filhote de labrador estava acomodado no colo de Nicole.


Surpresa.” Eu e Nicole gritamos assim que chegamos no quarto.


S/n se remexeu um pouco, e logo depois abriu os olhos com um pouco de dificuldade, já que a luz entrava por entre as janelas.


“O que?” Mumurrou um pouco perdida e assim que levantou o corpo se apoiando na cama, deu um amplo sorriso. “Não acredito.” Disse emocionada.


“Feliz aniversário mamãe.” Nicole disse correndo até s/n lhe entregando o filhote, e logo depois lhe abraçando. “Te amo.”


“Eu também te amo, meu amor” Disse retribuindo o abraço. “E que coisinha mais linda.” Disse se referindo ao cachorro enquanto o mesmo mordia seu dedo, brincando.


“Feliz aniversário, querida”. Eu disse colocando a bandeja no criado mudo ao lado da cama e me abaixando para lhe dar um beijo.


“Eca” Nicole disse tampando os olhos.


“Vamos ver até quando acha isso nojento, mocinha” s/n disse e eu lhe encarei sério.


“Nem pense nisso” Eu disse e s/n gargalhou.


E observando minhas garotas juntas, não pude me imaginar mais feliz.


Louis:

Louis P.O.V



Meu coração se enchia de orgulho ao observar meu filho, Edward, jogando futebol ao lado dos amiguinhos no campeonato da escola.


Minha esposa, s/n, infelizmente não pôde vir pois estava em uma viagem de trabalho. Edward ficou chateado no início, mas depois entendeu o lado de sua mãe.


Assim que acabou o jogo, com o time de Edward ganhando de 4X1, fui até ele lhe parabenizar.


“Você foi ótimo, campeão.” Disse lhe dando um abraçando enquanto batia em suas costas.


“Obrigado pai, mas acho que preciso treinar mais.” Disse revirando os olhos e bebendo rapidamente a água que estava em sua garrafinha.



Edward tinha 15 anos e já era totalmente apaixonado por futebol, assim como eu. E eu não podia estar mais feliz por isso. Eu lhe treinava sempre que podia no jardim de casa, coisa que eu amava fazer.


“Não se preocupe quanto a isso. Podemos treinar no final de semana.”


Ao longe, ouvi alguns adolescente chamarem por Edward enquanto acenavam.


“Vou até meus amigos, pai. Já volto.” Falou indo correndo até os garotos.


Ao longe, observava meu filho conversando e rindo com seus amigos, me fazendo me lembrar da época em que eu também ficava horas e horas conversando com meus amigos depois de uma boa partida de futebol.


E ver que meu filho estava cada vez mais parecido comigo, não podia me deixar mais orgulhoso.


Liam

Liam P.O.V



Ouvia o choro ecoando pela sala abafada enquanto segurava as mãos de s/n.


Estávamos em um almoço na casa da minha família, quando s/n anunciou que sua bolsa havia estourado, e então, viemos correndo para o hospital mais próximo.


S/n apertava fortemente minha mão enquanto lágrimas grossas saiam de seus olhos (e dos meus também, devo admitir).


O pequeno bebê foi embrulhado em manto rosa, e entregue a s/n, que chorou mais ainda ao ver a face da garotinha.


Ela era minúscula, e embrulhada naquele manto parecia um pacotinho.


“Ela é linda.” S/n disse emocionada. “Se parece com você.”


Minha filha tinha olhos castanhos, e seus poucos cabelos, ainda sujos de sangue, davam a impressão de serem mais claros que os de s/n.


“Temos que levar sua bebê para banhar. Logo a traremos de volta para vocês.” A enfermeira disse, pedindo licença ao tirar a criança dos braços de s/n.


S/n parecia fascinada, e eu também estava.


Em todo o período de gravidez, estive ao lado de s/n. E admito que era um pouco cuidadoso demais. E agora, vendo aquele presente em forma de criança, vejo que tudo valeu a pena.


“E o nome?” Perguntei ansioso.


Durante toda a gravidez, eu e s/n estávamos discutindo em relação ao nome de nossa filha. Eu queria Alice, já ela, queria Emma.


“Você venceu, Liam” Disse suspirando e rindo logo depois.


Dei um sorrindo gigante, e depois distribui beijos por todo o seu rosto.


“Juro que você irá escolher o nome do nosso próximo filho”. Afirmei.


“Próximo?” Perguntou assustada.


“Você acha que Alice não vai querer uma companhia?”


“É verdade. Podemos comprar um cachorro.” S/n disse rindo.


Discordei com a cabeça, logo depois lhe dando um beijo. Prometendo para mim mesmo, que a faria mudar de ideia.



XxXGabi

※Notinhas※

Essa aqui foi minha redação e quem escolheu o tema foi minha prof, então espero que gostem haushaushaus

Me digam o que acharam, blz?!

Ótima leitura♡


—————
  O dia exalava lindos e amistosos raios de sol, aquele simples e agradável sábado já havia começado  de uma boa forma para S/n que agora estava molhando suas raras orquídeas de forma delicada. Seus olhos azuis feito o céu limpo, olhavam com atenção cada detalhe de suas amáveis plantas enquanto ela checava se todas elas estavam devidamente saudáveis.

  - Hoje será uma noite maravilhosa. - Comentou ela enquanto acariciava de forma leve as pétalas de sua orquídea Tigre. - Já preparei tudo, mau posso esperar para que Zayn chegue! - Concluiu com um brilho intenso em seus olhos.

  S/n ficou mais uns longos minutos em sua estufa compartilhando com suas flores o quão empolgada ela estava com o jantar, afinal, quem não estaria? Não é todo dia que se completa vinte e cinco anos de casada, muitos casais chegam a se divorciar antes mesmo das bodas de algodão.

  Mas felizmente, ou não, este não era o caso de S/n e Zayn que com o fruto do casamento tiveram dois filhos e muitas histórias para serem contadas aos seus futuros netos e talvez bisnetos. Aquele sim foi um forte casamento que por muitas coisas havia passado e hoje seria o dia para celebrar isso, assim como S/n havia planejado…

  O dia se arrastou de forma corrida enquanto a mulher de cabelos claros preparava tudo com a ajuda de seus empregadas que seriam dispensados pela mesma depois das cinco da tarde, como ela fazia todos os anos. Seus filhos, Melissa e Lucas, já estavam devidamente acolhidos na casa dos avós que também já estavam acostumado com tal “ritual”.

  Assim que o dia passou a escurecer e o último empregado já havia ido embora, S/n se sentiu finalmente aliviada por estar completamente sozinha na enorme casa e subiu para seu quarto, ou melhor, o quarto do casal e resolveu que já estava mais do que na hora de se arrumar para seu marido.

  Se despiu lentamente após a banheira estar consideravelmente cheia e despejou na água morna sua essência favorita, jasmim. Se aconchegou ali e respirou de forma profunda ao que sentiu seus músculos relaxarem e com sua doce e aveludada voz, começou a cantarolar baixinho a música que havia dançado em sua festa de casamento juntamente de Zayn.

  Parou e sorriu largo ao se lembrar de como o marido estava bonito no dia, seu terno estava bem passado, seu cabelo penteado para trás e seus sapatos reluzentes.

  - Um lindo noivo. - Pensou em voz alta. - Tão lindo, tão doce e amável… - Listava de forma distraída enquanto passava sabonete por seus braços. - …tão atencioso. - Suas palavras saíam de forma lenta por seus lábios e algo a incomodou.

Algo que era ruim, tão amargo quanto fél e tão doloroso quanto uma ferida aberta, esse “algo” sempre vinha associado a imagem de Zayn, era inevitável.

  Mas S/n não queria que esses sentimentos a dominasse…pelo menos não agora.

  Sua cabeça se movimentou de um lado para o outro em uma tentativa de espalhar os maus pensamentos e ela se sentiu satisfeita por conseguir, mesmo que isso fosse apenas uma pequena ilusão que duraria pouco tempo até eles voltarem para a parte mais clara de sua mente.

  Seu banho seguiu de forma harmônica e S/n tentava sempre se desviar de suas más lembranças fazendo de tudo para ressaltar sempre as boas. Assim ela fez até que seu vestido vermelho de corte reto estivesse devidamente posto em seu corpo, com seus saltos beges, cabelos soltos e uma leve maquiagem para ressaltar seus lindos olhos.

  Ela estava pronta, ela se sentia pronta.

  Foi para a cozinha e viu por mais uma vez se estava tudo certo, provou seu risoto para ter a certeza que estava com um gosto esplêndido e assim se sentou à espera do marido que não demoraria a chegar.

  O fato é que quando estamos sozinhos, sem a presença de um outro alguém que possa por aventura nos atrapalhar, nos sentimos livres para deixar que nossa mente recorde ou planeje aquilo que desejar, sem restrições, sem êxito, apenas nos sentimos bem com nós mesmos para deixar com que nossos desejos mais profundos acordem e nadam até a superfície de nossa alma e nos dominem.

  Era assim que S/n se sentia agora ao olhar para o relógio e ver por mais uma vez que Zayn, que já deveria estar em casa a meia hora, ainda não havia chego, não havia ligado e nem mesmo mandado um mísero torpedo para lhe dizer que iria se atrasar.

  Mas S/n com toda certeza era paciente, sim, ela era e iria espera-lo com doce e divino sorriso nos lábios não importasse quantas horas passassem ela ainda estaria ali a espera de seu marido e essa não seria a primeira vez, mas talvez a última.

  Depois de uma longa hora, os ouvidos de S/n foram capazes de captar os barulhos emitidos da garagem.

  “É ele!”, pensou de imediato.

  Poucos segundos depois passos foram ouvidos e a figura de um homem aparentemente cansado surgiu na cozinha.

  - S/n, ainda está acordada? - Malik perguntou surpreso por ver sua mulher ainda acordada.

  - Estava esperando por você meu amor. - Disse ela de forma calma se levantando e caminhando em direção ao marido. - Queria jantar com meu homem nesta noite tão especial. - Esclareceu vendo os olhos de Zayn transparecem surpresa.

  - Oh S/n, me perdoe, eu acabei me esquecendo! - Ele disse de forma um tanto arrependida e S/n apenas negou com a cabeça.

  - Não se preocupe com isso meu amor, ainda temos a noite inteira pela frente. - Ela disse de forma compreensível enquanto se aproximava do alto homem que agora tinha sua gravata afrouxada pelas delicadas mãos de S/n, que ignorou o perfume feminino que ele exalava. - Vêm, vamos nos sentar, hum?! - Guiou o marido até uma das cadeiras e o acomodou ali vendo o mesmo sorrir com o carinho da mulher.

  Assim que S/n os serviram, engajarem em uma conversa sobre seus anos de casamento e claro dando certo destaque apenas aos bons momentos, diferente da mente da mulher que insistia em contradizer tudo que saia pela boca do homem, porém guardando suas palavras para si.

  Nenhum dos movimentos de Zayn passavam despercebidos pelos olhos de S/n, que de forma discreta observava como os fortes braços se mexiam e de como ele ajeitava o relógio em seu pulso a cada cinco minutos, costumes que não estavam sendo observados somente ali, mas sim durante anos de convivência.

  - Hora do vinho. - Anunciou após os dois já estarem sem fome e viu o marido se alegrar com o “anúncio”.

  - Sabe, eu estava pensando. ..que tal umas férias em família? - Zayn perguntou despreocupado sem ver os movimentos que S/n fazia ao pegar as taças, o vinho e algo que ela vinha guardando a meses e meses.

  - Seria muito bom. - Ela respondeu sem prestar muito bem atenção nas palavras do marido.

  - Sim, poderíamos ir para o Caribe ou… - Zayn continuou a montar rotas de viagens mas o cérebro de S/n já não estava preocupado em receber tais palavras, agora ela se focava em misturar o “pozinho” branco junto da bebida que seria destinada ao homem que estava a poucos metros dela.

  - Aqui esta. - Diz sorrindo e lhe entregando o vinho.

  Ele agradece brevemente e em seguida saboreia do líquido vermelho.

  - Você está muito bonita. - Zayn elogia ao reparar o quão elegante ela está.

  - Tenho que estar apresentável para uma noite memorável. - Ela sorri dócil.

  - Memorável? - Ele pergunta um tanto curioso. - O que torna essa noite tão importante assim? - Pergunta achando um pouco de graça vendo a mulher ainda em pé.

  - Todas minhas noites ao seu lado são importantes. - Ela responde ainda sorrindo meiga. - Agora beba. - Pede vendo ele fazer.

  Não demora muito até que Zayn comece a se sentir estranho, sua cabeça lateja como se elefantes tivessem feito festa nela, seus movimentos se tornam lentos e sua visão fica um tanto turva.

  - Eu acho que não estou bem. - Ele diz fazendo uma careta. - É melhor eu ir me deitar. - Ao que ele tenta se levantar acaba por derrubar um copo causando um alto barulho.

  - Oh não querido, pode deixar que eu cuido de você. - Os lábios de S/n de repente já não tinham o mesmo sorriso doce, não, com certeza este não era seu sorriso mais cativante. - Venha, sente-se aqui. - Ela fala o sentando novamente mas é empurrada pelas fortes mãos.

  - Eu quero me deitar. - Ele diz irritado e o sorriso dela se alarga fazendo Zayn a encarar confuso. - Que diabos você aprontou S/n? - Ele tenta gritar mas sua força já não é o suficiente.

  S/n apenas gargalha da reação do marido e bate palmas.

  - O que raios está acontecendo? - Tenta por mais uma vez parecer agressivo mas o retardo nos movimentos não convence.

  - Sabe querido…- Ela começa caminhando na direção contrária do homem que agora não tem mais força para se levantar. -…. por vários anos eu me dediquei totalmente a você e aos nossos filhos, sempre fui uma boa esposa e sempre estive disposta a você. - Abriu a gaveta e dedilhou todas as afiadas facas que ali haviam. - Sempre que você chegava em casa cansado e estressado eu estava lá de braços abertos para você e toda sua fúria. - Seus dedos pegaram a maior e a mais afiada das facas ali.

  - S/n… - Ele sussurrou já quase incapaz de falar. - …o que você…

  -…vai fazer? - Ela o interrompe e ri mais uma vez. - Bom, depois de anos e anos o mínimo que eu esperava de você era reconhecimento, mas o máximo que recebi foram amantes e abusos. - Ela diz amargurada se virando para ele enquanto brincava com a faca em suas mãos.

  - Eu lhe pedi desculpas amor. - Ele choraminga vendo ela negar com a cabeça.

  - Desculpa por me violentar sexualmente por dezoito vezes? - Ela sorri sarcástica. - Sério Zayn? Você já foi um pouco melhor. - Seus pés começam a andar em direção ao homem que tem o corpo largado sobre a cadeira.

  Por mais uma vez o sentimento ruim que havia lhe consumido mais cedo volta a correr por suas veias enquanto ela vê os olhos desesperados lhe pedirem para parar, mas ela não se importava, pois ele também não havia se importado naquelas malditas dezoito vezes.

  S/n se aproximou e todo o desespero que existia consumiu Zayn, que tinha o corpo pesado mas ainda estava consciente. De volta a maneira delicada e ainda com a faca em mãos, ela se sentou em seu colo e ele tentou empurrar-la mas seus músculos não tinham força por mais que ele clamasse por ajuda, ele não iria ter.

  - Eu venho sonhando com isso a vários e vários dias. - Levemente ela passa a ponta da faca pelo rosto macio do marido, observando com cuidado seus traços. - Eu sonhava com seus olhos temerosos e sua boca branca assim como está agora. - Confessa. - Mas temos que fazer isso rápido querido. - Ela sussurra como se fosse um segredo.

  - S/n, olhe pra você, não quer fazer isso! - Ele diz com dificuldade tentando persuadir de alguma maneira a mulher diabólica que S/n se tornou de repente.

  - Shiu. - Ela pede silêncio pondo a faca em seus lábios. - Isso será como minha festa de quinze anos. - E então sorri largo pressionando a faca sobre os lábios de Zayn, que faz um pequeno corte. - Vamos acabar logo isso. - Disse de uma hora para outra de forma bruta e uma facada sem dó nem piedade preenche o peito de Malik.

  Seus olhos se arregalam e o ar falta em seus pulmões que um dia foram saudáveis e isso para S/n é como se realmente ela estivesse recebendo o melhor presente da vida dela.

   - V-você…me paga! - Ele consegue, com imensa dificuldade, proferir tais palavras e em seguida S/n lhe atinge mais uma vez com a faca.

  - Não hoje querido. - Sorri e lhe acerta mais vezes até que sua obra de arte esteja pronta.

  Os dezoito furos formam uma linda e sombria orquídea no peito do homem já falecido. S/n sente seus músculos relaxarem ao ver o marido finalmente morto e o sentimento de satisfação toma seu corpo.

  Ela tinha concluído com sucesso seu plano.

  Com dificuldade ela arrasta o corpo para fora da casa enquanto resmunga o quão pesado ele está, e debocha dizendo que não deveria ter lhe dado o jantar para facilitar as coisas. Suspira feliz ao que chega na estufa e se vê obrigada a arrasta-lo mais um pouco e assim que está completamente dentro pode ver que o buraco que ela havia aberto ali ainda está intacto a espera de seu novo morador.

  - Olá meninas. - Ela diz para as orquídeas. - Trouxe mais uma companhia para vocês. - Sorri arrastando o corpo morto.

    S/n rola Zayn para dentro da cova e o vê cair de forma desajeitada, logo tratando de arruma-lo. Ela começa a cantarolar novamente a música de seu casório enquanto fecha aquele buraco fundo com a terra junto do auxílio de uma pá que ela havia deixado ali. Após tudo estar devidamente coberto, ela arrasta para cima daquela terra um pesado vaso que contém algumas flores que estão para nascer e que agora já recebem um novo significado para S/n.

  - Descanse em paz querido. - Ela bate as mãos umas nas outras para tirar a terra e logo vira as costas dando boa noite para suas tão raras orquídeas voltando a cantar sua adorável música.

Você é aquele tipo de pessoa inconfiável, seus movimentos são joguinhos manipuladores, seus discursos nem se fala. Já faz tempo que parei de guiar minha vida com suas frases de parachoque de caminhão. Fui embora. Agora de uma vez. Sem volta e sem conversa. Não estou dizendo isso porque no fundo te quero ralando joelho pelas ruas atrás de mim. Não dessa vez. Não vem com bombons, não vem com desculpas, não vem com canções. Não vem. Dá uma olhada em tudo que você fez e me diz. Viu? A novidade é que o dia que eu sempre prometi que viria, e que você nunca esperou chegar de verdade, veio. Eu cansei. Não sou mais eu. Contou os anos? Quanto tempo esperei por você? Você crescer, você mudar, você mostrar algum remorso. Você tem de querer. Embora eu queira muito, mesmo eu querendo em dobro, não há como querer por você. Só quem enfrenta longas esperas sabe como é o inferno por dentro. Eu sempre falei, um dia alguém tinha de te dizer não. Eu queria que não fosse eu, porque aí eu poderia ficar numa boa e assistir você sofrer, nem que seja calado num canto, mas sofrendo, mostrando algum arrependimento ou qualquer traço humano. Quem sabe eu até enfiaria os dedos ainda com anéis no meio dos seus cabelos e diria que tudo ficaria bem. Agora é tarde, meu anel já se foi, nem os dedos ficaram. Só que você sempre dá um jeito de se safar. Ficar seria tolerar suas mancadas. Você precisa perder pra entender onde errou, que isso que você faz é um erro, um dos feios. Que evitar e não tocar mais no assunto não é perdão ou esquecimento. É sufocar. E eu estava sufocando, morrendo na praia em frente ao mar de rosas que você anunciou, cheia de pétalas grudadas no céu da boca, entupindo os bofes, sem ar, uma vontade constante de regurgitar de volta suas garantias de araque. Partes de mim querem ir embora, partes de mim querem ficar. Ainda não terminei de gostar de você. Mas consegui. Agora fui. Porque comecei isso querendo ser sua companheira, passei a cúmplice das suas maldades, e ficar dessa vez vai me fazer sua comparsa. Não é um “até amanhã” nem “até breve” e nem “até mais”. É um “até você mudar” ou “até você não ser mais quem você é”. Até nunca, então.
—  Gabito Nunes.

Eu sei que todos aqui adoram uma fofoca, então bora saber do mundo dos famosos? Ah, e se você tiver uma fofoquinha bafônica, manda lá na ask, quem sabe não postamos!

  • Dupla sertaneja, Henrique e Juliano, sofre acidente de carro.

Susto! A dupla sertaneja, Henrique e Juliano, utilizou as redes sociais para tranquilizar seus fãs, após sofrer um grave acidente no fim da semana passada! Os cantores estavam a caminho de um show em São Paulo, quando o carro acabou rodando na pista. 

  • Camila Queiroz anuncia morte do pai de 53 anos.

Neste domingo (9), Camila Queiroz anunciou a morte do pai, Sérgio Queiroz, por meio de sua assessoria de imprensa. A atriz não informou quando exatamente o marceneiro foi a óbito e nem a causa do falecimento.“Meu pai será nosso grande exemplo de amor, dignidade e caráter. Seus ensinamentos ficarão guardados para sempre em nossos corações. Eu e minha família agradecemos o carinho, apoio e compreensão de todos nesse momento difícil”, disse a namorada de Klebber Toledo no comunicado.

  • Silvio Santos revela que Patrícia Abravanel perdeu bebê.

Na quinta-feira (6), aconteceu a gravação do ‘Troféu Imprensa‘, no SBT. Silvio Santos, que comanda a premiação, fez uma revelação sobre a filha, Patrícia Abravanel. O apresentador contou que Patrícia engravidou, mas perdeu o bebê. “No teste de farmácia deu positivo, aí fui com ela fazer o ultrassom, mas não tinha coração (batendo)“, disse o dono do SBT, sem a presença da filha no palco. Assim que entrou no palco, para receber uma estatueta de melhor apresentadora em 2015, Patrícia disse para o pai. “Você é linguarudo!“.Ela então explicou que teve um ‘aborto inevitável’. “Fiquei muito triste, mas sei que na hora certa virá mais um bebê.” Silvio também disse que a apresentadora, que é mãe de Pedro, vai se casar em breve com o pai de seu neto, Fábio Faria. A cerimônia será na casa dele.

  • Isabelle Drummond termina namoro por causa de clipe com Bruna Marquezine.

O videoclipe de ‘Amei Te Ver’, novo single de Tiago Iorc que traz Bruna Marquezine como musa, estremeceu a relação do cantor com a namorada, Isabelle Drummond.Nas imagens, Bruna aparece de topless e abraça o peito nu de Tiago. De acordo com o blog do colunista Leo Dias, segundo pessoas próximas, Isabelle não teria gostado do que viu e terminou o namoro. A atriz já tratou de apagar todas as fotos do rapaz de seu Instagram e também deixou de segui-lo nas redes sociais.

  • Chega ao fim o namoro de Amanda de Godoi e Francisco Vitti.

Fim! Amanda de Godoi e Francisco Vitti decidiram colocar um ponto final no romance que começou nos bastidores de “Malhação- Seu Lugar no Mundo“, quando formaram um par romântico.As informações são da colunista Patrícia Kogut, do jornal “O Globo”. Por conta do sucesso de Nanda e Felipe na trama teen, o casal tinha uma multidão de fãs nas redes sociais que o acompanhava e torcia pela relação.Francisco, irmão do também ator Rafael Vitti, e agora a ex-namorada ainda podem ser vistos na atual temporada da novela.“Estamos bem, gravando juntos. A amizade continua. É isso que importa. Tudo certo”,  afirmou a atriz.

Espero que tenham gostado. Mês que vem voltamos com mais fofocas e novidades! Nos diga o que achou na nossa ask!

vimeo

Anunci: “Nothing to hide” (res a amagar)

“Pedido: Faz um imagine em que o Harry e a s/n dão uma entrevista (eles são melhores amigos e ela é cantora) e o apresentador mostra como o Harry olha apaixonado pra s/n, deixando os dois constrangidos’

Desculpem ficar tanto tempo sem postar, tive alguns problemas aqui´, enfim espero que gostem e desculpem os erros


- 5 Minutos para vocês entrarem - Assenti vendo logo em seguida a porta se fechar.
Eu estava no início da minha carreira, graças a meu melhor amigo Harry, eu fui chamada para o programa do James Corden, como os dois eram bem amigos, isso facilitou para que eu fosse até lá para divulgar meu novo single.
Harry estava no camarim ao lado, ele tinha vindo comigo para me ajudar com essas novas experiências.
Uma moça me maquiava enquanto eu tentava controlar o nervosismo que percorria o meu corpo, uma batida na porta foi ouvida e logo um Harry todo charmoso entrou.
- Preparada? - Ele segurou minhas mãos percebendo a minha leve tremedeira. - Vai dar tudo certo (S/A) você vai ver.
Assenti sem dizer nada, enquanto a maquiadora saia do camarim. Harry me guiou até um lugar que eu poderia dizer que os artistas passam por lá quando vão ao programa. O meu nome e o de Harry foi anunciado e uma gritaria surgiu, ainda me ajudando Styles e eu fomos até James que sorriu quando nos viu.
- Aí estão eles, a amizade de pop! - James disse fazendo todos aplaudirem. - Sem contar que agora temos uma nova artista, que hoje veio apresentar seu novo single.
Gritos e mais gritos foi ouvido e eu sorria ainda sem acreditar que aquilo estava acontecendo. James nos perguntou algumas coisas referente à nossas carreiras, vida pessoal e outras coisas.
O comercial foi chamado e eu corri para trocar a minha roupa para a apresentação, deixando Harry lá com o James e a plateia.


- Agora, sem delongas, vamos ouvir a nova música de (S/N).
James anunciou e eu me posicionei deixando a música me levar. Cantei com alma e coração enquanto ouvia a plateia me acompanhar.


“But the heart wants what it wants
The heart wants what it wants”


Cantei o refrão olhando para a plateia e logo em seguida para Harry, pude ver o quão encantando ele me olhava e cantava baixo junto comigo, pude ver ele sorrir para mim e eu apenas acenar com a cabeça enquanto continuava a música.
Depois de apresentar meu single e voltar até o sofá onde Harry estava, James mostrou imagens de Harry enquanto eu cantava.
- Parece que a amizade do pop, pode virar o casal do pop em. - Escutei um “awn” da plateia e um Harry vermelho enquanto tampava o rosto, rindo envergonhando. - Não fique envergonhado Harry, só estou te dando um empurrãozinho.
Olhei para James que piscou enquanto eu abraçava Harry, que ainda ria envergonhado.
-Assim você me mata James- Harry disse e todos nós caímos na risada.

Lembranças

Ouvi tua voz em minha mente, teu riso me fez sorrir, contente.

O cabelo que ficou no travesseiro, lembrei da noite que esteve comigo.

A cama é o nosso afago. Teus braços, abraços.

Tua unha de vermelho, podia sentir o toque do teu dedo, a carícia escondida, o carinho de dedo.

Nosso filme anunciou, perdi o canal para não lembrar da dor. Tua blusa de dormir, vesti em mim, abracei você.

Cabelo bagunçado, batom borrado. Brigar e se despedir.

A nossa música tocou, meu coração acelerou. Toda noite, meu celular é silencio, não ouço tua voz me lembrando do amor.

A falta que você me faz, lembrança que você me trás, todo dia no meu dia a dia é insuportável acostumar o coração, aprender a sobreviver, viver sem as manias de você, sem o cheiro, o sabor do beijo, a rotina que é dormir e acordar com um cheiro e já vou, te amo, se cuida amor.

— partesdevocê
Instrucciones para patear a una poeta

Si alguna vez te encontrás en el difícil apuro de querer patear a una poeta, si alguna vez te sentís en la situación de no ser merecedor de sus versos y sus rimas, y no la querés ver más, y querés cortarla, y estás seguro, no tengas miedo de lastimarla, ella ya está curtida, ya la vivió, lo superará, y sólo temerá por su fracaso.
Cuando patees a una poeta, no se te ocurra hacerlo por chat ni por teléfono. Las poetas también lloran y miran a los ojos cuando reciben la noticia.
No te cagues en las patas. Tenés que mostrarte claro, y sincero, decírselo en la cara, frente a frente. Asumir el riesgo de su ternura, ponerlo en palabras, decir sin rodeos no-te-quiero-más.
Las poetas te hacen creer que no le tienen miedo a nada en la vida, ni al fracaso ni al futuro, pero les espanta cortar sin motivos lo que no fue. Así que no le hables en pasado. Cuando se lo digas, evita hablar en pretérito, y no le digas que te encant"aba" dormir con ella, no lo anuncies así.
El pasado y la nostalgia las hace trizas.
Si lees un poema que te escribe, no le digas que te gusta. Cuando una poeta te escribe, te escribe en su mundo desde ese segundo y para siempre, acordate también, que lo único no permanente es el pasado, en el mundo de las poetas, la vida es pura posibilidad.
Tampoco la mires y le digas que es hermosa. Ser hermosa, para una poeta, no es un valor. El único valor es su coraje, su corazón pleno, su amor y rabia, su entrega, su fragilidad decorada con palabras seguras.
Nunca pero nunca le digas que te apena no seguir viéndola porque te gusta. Una poeta ni ahí que va a ver a alguien sin el deseo de hacerlo, y no entiende si dos se gustan, cómo es que no van a verse más.
No empieces nunca a victimizarte y no vayas a compararte con sus logros. Ella te elige porque siente que puede darte algo, llenar tu mundo con consejos, con frases que te recuerden que la vida es un seguir constante, y los puntos que están estancados la aterran tanto pero tanto como no aceptar la gracia y la dicha de estar con vos.
Bajo ningún motivo le digas que no estás enamorado. El amor, cuando todo termina, es una mala persona. Es la muerte de sus mil mundos posibles, es arrancarle del cuerpo la ilusión de ser más que uno, el amor es todo lo que pudo haber sido y lo que le quitaste corte de arrebate, con la excusa de todos tus miedos.
Las poetas son una especie rara pero no diferente del resto de las mujeres. Si le dijiste alguna vez que el cielo es rojo, ella entenderá que para vos es rojo, aunque para ella pueda ser azul,o violeta. Entonces no quieras hacerle entender que de repente querés ver un cielo amarillo, o anaranjado, y que los dos no estaban mirando el mismo cielo. Al fin y al cabo, hablan el mismo idioma, entienden lo que escuchan tal como dijiste que lo querías ver.
Tampoco vayas a decirle que entienden las relaciones de manera diferente. Todos entendemos las relaciones de distintas manera, y una relación con una poeta se construye buscando el equilibrio.
Ella sabe cuál es tu miedo, así que no lo escondas. Se da cuenta si estás lastimado, si bancas y buscás algo serio o si querías boludear y divertirte un rato para sentirte vivo. No pierdas el tiempo explicando qué salió mal. Ella lo sabe.
En ningún momento le digas que te molestó que pensara las cosas demasiado. Ella se tomó el tiempo para hacerlo por los dos. y la contenta saber que pudo ponerlo en palabras, desglosarlo, desarmar el amor, reconocer que la palabra amor se construye de sumar a con m con o con r y quiere ver por qué letra de la palabra van transitando, sacar fotocopias de las silabas que van formando como balbuceos de alguien que está aprendiendo a hablar, caminen por la calle de la mano o se miren como desconocidos cuando salen de un hotel.
Pero si patéas a una poeta y ella te dice que te quiere, estás perdido. No le digas que también la querés, lo va a sentir como un eco. Un eco, porque querer como ella quiere es un acto poético, único e irrepetible que va a durar en sus poemas para siempre. Mientras vos seguís y vas en busca de otros amores que seguro te harán sentir vivo por segundos y tal vez te muevan el mundo, pero a diferencia del amor que estalla, un día tal vez distante, volverás a leer sus poemas y la palabra “te quiero"permanecerá intacta, inamovible, agarrada del blanco de la hoja con la fuerza y el coraje del corazón pulsante de ritmo dulce y torpe que acabás de romper.
Por eso, si querés patear a una poeta, no te arrepientas. Tarde o temprano va a llegar el momento en el que te cruces con alguien que te mueva el piso pero que no te escriba poemas.
Seguramente vivas ese amor como poesía, pero lo único que permanece, el único consuelo de estar vivos, es que aunque el amor muera, cuando lo sabes escrito, reconoces que fue el único momento real y verdadero. La emoción tan fuerte que alguien sintió por vos alguna vez.

Y te vas a sentir un boludo. Lo que sucede es que para estar con una poeta hay que tener las pelotas, reconocerte como un eunuco y patearla debe ser un bajón.

instagram

#Repost @chrispitanguy
・・・
O momento mais esperado da festa da @chopard foi quando Cathy Guetta, ex mulher do David Guetta, anfitriã junto a #chopard e #rihanna anunciou a entrada de #BrunoMars, a galera se comoveu e gritou como nunca. Ano passado a estrela foi a Diana Ross, sinceramente não sei quem eu prefiro.. o que vcs acham? #chopard

Made with Instagram
dawningossip.tumblr.com
¿abu-bu-bu-rridos?

Tranquilos, visitantes de poca imaginación, aquí les llego su salvación. ¿Han oído hablar de algo llamado “gif reacción”? bueno, sino les explico breve-mente: se le dice “gif reaccion” a, básicamente, reaccionar con los famosos gifs. Y eso es lo que haremos hoy, ustedes enviaran nombres, ships, brotps, opiniones, lo que quieran y su servidora reaccionara con gifs. Y, para que no nos aburramos tan rápido, habrá una segunda parte dónde nos adentraremos al mundo de los memes ¿cómo es eso? cuando anuncie que la segunda parte comienza enviaran lo mismo: nombres de los estudiantes, ships, brotps, etc, pero está vez envés de reaccionar con un gif se publicará un meme con el cual (según mi criterio) el estudiante/ship/brotp/lo que sea se identifica. Así que vamos a jugar y a quitar las caras largas, venga, venga.

Keep reading